História Crossed Destinies - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias T-ara, UNIQ
Personagens Jiyeon, Kim Sun Joo
Visualizações 11
Palavras 2.367
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E aí galerinha, chegando aí mais um capítulo quentinho pra vocês. Agradeço desde já aos que leram até aqui. Apresentem aos amigos, favoritem e se divirtam com esses dois ❤️

Capítulo 23 - Isso Só Pode Ser Brincadeira!


Fanfic / Fanfiction Crossed Destinies - Capítulo 23 - Isso Só Pode Ser Brincadeira!


O elevador parecia estar indo em câmera lenta, eu precisava arrumar isso urgentemente. Meu corpo já estava trêmulo só pelo pequeno contato que tivemos ali, isso não daria certo!

Assim que ele parou no primeiro andar, segui ate a recepção. Uma loira de olhos tão azuis como o mar e um sorriso de orgulhar qualquer dentista me recebeu.

- Olá com licença! Eu gostaria de saber sobre a reserva do senhor Shan

- Só um minuto! – Ela mexeu no computador por um tempo e depois me olhou – A suíte dupla certo?

- Acho que temos um pequeno mal entendido aqui, minhas malas estão no quarto dele – Disse sorrindo sem graça já imaginando o que teria acontecido e pedindo a Deus para que eu estivesse errada. A loira foi ate uma morena de olhos escuros como duas jabuticabas e sussurrou algo. Logo ambas trocaram de lugar e a mesma veio ate mim.

- Como posso ajudá-la? – Um conjunto de dentes perfeitos se expôs em seus lábios, os cabelos encaracolados tombavam para um lado lhe dando um ar sedutor, ela era linda.

Lembrava as típicas brasileiras que Noah mandou fotos, acho que ele comemorava um tal de carnaval.

- Acho que se esqueceram de reservar dois quartos! – Disse apoiando as mãos sobre o balcão enquanto ela mexia no computador.

- Hmmm, desculpe senhorita Park teve um erro. A suíte que reservaram para a senhorita é compartilhada!

Senti meu ar faltar e agradeci por estar com as mãos sobre o balcão, caso contrário eu teria caído ali mesmo, isso é impossível, eu chequei umas três vezes antes da viagem só pra garantir que ficaríamos a uma distancia segura para ambos. Passei as mãos pelos cabelos e a língua pelos lábios.

- Não há nenhum quarto livre? Não precisa nem ser suíte! – Disse sorrindo na esperança de escutar um sim.

- Sinto muito, todos já estão lotados, mas se aparecer algo avisamos imediatamente. O erro foi inteiramente nosso. Podemos oferecer o café e o almoço pela conta do hotel.

Meu sorriso se desfez tão rápido quanto minhas esperanças. Aquilo não podia estar acontecendo. Pensei na hipótese de alugar um quarto em outro hotel, mas aquilo daria trabalho já que não conheço nada por aqui. Suspirei, ela estava tão nervosa quanto eu. Apenas sorri dizendo que estava tudo bem, voltando para o elevador.

Eu queria que ele quebrasse e eu passasse a noite ali só pra não ter que olhar na cara daquele idiota. Ate imaginava seu sorrisinho de satisfação. Devia ter trazido a arma, ou um taco de beisebol, ou quem sabe seguir o conselho de Choa e contratar um assassino de aluguel... Suspirei quando cheguei ao nosso andar, sai andando até o maior que já estava dentro do quarto. Como a porta já estava aberta, apenas adentrei. Minhas pernas tremeram e eu tive de me apoiar na parede pra não cair, ele riu percebendo o que eu fiz e se aproximou. Jesus, ele estava com a camisa totalmente aberta e tinha passado água pelos cabelos, já que estavam úmidos. O aroma embriagante se fez presente, misturado a um outro cheiro, um aroma doce, não sabia deduzir, mas era bom e familiar. Logo ele parou a minha frente e encostou na pequena mesinha de centro.

- E então. Teve êxito senhorita Park?

- Pra sua alegria não — disse séria e suspirei enquanto ele dava o sorrisinho. Maldito! — Não teve nada haver com isso, não é senhor Shan?

- Quem cuida das reservas não sou eu senhorita Park, e também, não sou eu que fico me esfregando nas pessoas!

- Ah me poupe, como se ter minha companhia fosse ser a “pior” coisa do mundo para o senhor. E eu não me esfreguei em você seu pervertido — disse tirando os saltos e dobrando os dedos dos pés, ele se aproximou e eu quis colocá-los de volta. Eu me sentia um anão sem meus saltos. Ele ficava uns 10 centímetros mais alto.

- Eu sou um homem casado senhorita Park — Sua mão foi ate meu queixo e sua boca a minha orelha me dando um arrepio involuntário

- É claro, Tããão fiel! — Disse me afastando e passando pelo mesmo o escutando rir. Por que até sua risada tinha de ser gostosa? Suspirei abrindo minha mala e pegando uma roupa de dormir. Pelo menos tinham duas camas. Encarei o mesmo e com os olhos semicerrados, andei ate o mesmo. Ele andou pra trás ate cair em uma poltrona que estava atrás de si e arregalou os olhos.

- O senhor mexeu nas minhas coisas?

- Por que eu mexeria? – Ele disse sorrindo de canto. Peguei a gola da blusa do maior e a puxei um pouco trazendo seu pescoço consigo. Apoiei o joelho no meio de suas pernas enquanto cheirava seu pescoço. Suas mãos agarraram minha cintura e apertaram com força quando ele sussurrou meu nome, nada de senhorita Park, era claramente Jiyeon. Engoli em seco, eu não havia notado que meu ato o deixou daquela forma. Desci o olhar por seu corpo vendo o volume crescendo entre suas pernas. Afastei-me rapidamente voltando a minha mala e mexendo nos cabelos, enquanto ele coçava a nuca, estava segurando o riso, cretino idiota.

- Não use meus perfumes, o senhor já tem os seus! — Disse um tanto ofegante agradecendo agora por ter tirado os saltos. Graças a Deus eu consegui chegar ate a mala sem despencar no chão. Minha vontade foi de lamber seu pescoço quando ele sussurrou meu nome. Foi tão excitante que meu corpo inteiro estava com um calor intenso e minha calcinha molhada. Peguei uma trouxa de roupas e segui para o banheiro. Realmente estava calor, mas misturado as minhas sensações, aquilo era o inferno. Seus olhos me acompanharam ate eu adentrar o banheiro e fechar a porta, trancando por segurança. Com certeza não seria bom se ele entrasse.

(Musica de escrita – “Earned It – The Weeknd”)

Encostei as costas na porta e respirei fundo mordendo o lábio inferior. O desejo ardente em meu corpo era tão forte que percorria cada veia em meu sistema. Meu peito tinha uma dor aguda, incomoda, era tão difícil ter ele ali e não poder tocá-lo. E provavelmente era assim pra ele também.

Meu banho durou cerca de 20 minutos, a água de lá era incrível, já fazia tempo que não tomava banho em uma banheira. O aroma e pétalas de rosas que eram colocados pelas camareiras eram tão carinhosos. Era um ótimo trabalho. Sai com uma toalha na cabeça e já vestida. Um camisão que era dele por sinal, mas de quando estávamos juntos. Ele provavelmente não se lembrava. O quarto estava escuro, achei que ele estava dormindo, mas sua cama estava vazia. Ele estava na pequena varanda de frente para o mar. As ondas batiam tão fortes contra as pedras que dava pra escutar do quarto. O vento brincava com seus cabelos, ele já tinha se livrado da blusa deixando suas costas expostas.

Tirei a toalha da cabeça e me aproximei enquanto penteava os cabelos. Havia uma mesinha redonda de que provavelmente era usada para chás da tarde. Sentei-me na mesma e cruzei as pernas. "Cadeiras sao de enfeite né Jiyeon"

- No que esta pensando? — falei por impulso, como se esquecesse por um momento que ele era meu chefe.

- Em como não te devorar inteirinha — sua voz era grave e baixa, mas cada palavra me atingiu, bem entre as pernas. Eu queria voltar e trocar de roupa, de repente tive medo do que usava. Mas algo me dizia que eu queria aquilo, que ele me devorasse, que mordesse cada parte do meu corpo deixando marcas. Porra, eu já reclamei do motivo dele ser tão sexy, sedutor, cretino, imbecil, sexy, idiota, eu já disse incrivelmente sexy?

- Você ainda tem amor aos seus dentes! — disse tentando ser confiante enquanto fitava seu corpo de cima a baixo, acabei mordendo o lábio inferior, por que ele tinha de ser tão gostoso? Ele se virou bem na hora, soltei o lábio com tudo o vendo andar a passos lentos na minha direção. Sua face era iluminada pela lua, seus olhos pareciam mais escuros, eram brilhantes, como os de um caçador, uma maré de desejos e eu queria me afundar.

Antes que pudesse descer da mesa, ele se colocou entre minhas pernas pegando em minhas coxas com força. Arfei baixo e engoli em seco. Eu podia empurrá-lo. Mas meu corpo queria sentir seu toque outra vez.

- Voce quer que eu te devore? Quer que eu morda cada parte do seu corpo?

Minhas palavras não saiam, ele estava pedindo permissão, mas estava mais para uma confirmação, algo que ele faria com meu sim ou meu não. Desci o olhar por seu corpo enquanto tocava com a ponta dos dedos toda a extensão de seu peitoral, passando pelo abdômen ate chegar ao cós da calça. Mordi o lábio inferior e subi os olhos encontrando os dele. Ele sorriu de canto e levou os lábios ate os meus adentrando sua língua quente por toda a extensão. Minhas mãos subiram aos seus cabelos e os puxaram com força trazendo ainda mais o contato de seus lábios enquanto eu chupava sua língua com vontade. Deus, como eu sentia falta disso, de suas mãos apertando minhas coxas com força. Desci as mãos a sua cintura e o puxei pra frente sentindo a ereção contra a calça bater entre minhas coxas. Com certo desespero, abri a fivela do cinto o jogando no chão, em seguida suas calças a vendo cair. Ele me pegou no colo e adentrou o quarto indo ate a primeira cama. Sentou-se passando minhas pernas ao lado de seu corpo.

O ar começou a faltar e com mordidas ele soltou meus lábios. Eu arfei jogando a cabeça pra trás quando ele mordeu meu seio ainda por cima da blusa. Puxei seus cabelos com força o escutando ranger os dentes contra meu mamilo. Deus, eu o queria tanto que tive um orgasmo so com sua boca em meu seio. Suas mãos desceram ate minhas nadegas e apertaram com força, logo ele puxou minha calcinha e a rasgou como uma folha de papel. Ainda com a mao na minha bunda, ele me ergueu um pouco e abaixou a cueca. Sua glande roçou na minha entrada fazendo meu corpo estremecer.

- Peça permissão! — sussurrei puxando seus cabelos pra trás erguendo sua cabeça de forma que ele me olhasse. Seu olhar era furioso

- Porra. Me solte! — ele disse tirando minhas mãos de seus cabelos e puxando minhas pernas pra baixo enterrando fundo dentro de mim. Soltei um gemido alto de forma que ate eu me assustei. Com a respiração ofegante encarei o mesmo.

- Peça ou saio de cima de você agora mesmo! — disse um tanto ofegante, quando ele tentou estocar, movi o corpo pra cima logo descendo junto com ele. Um sorriso ladino se formou em seus lábios enquanto ele me fitava. Suas mãos foram aos meus cabelos e puxaram os mesmos.

- Me deixa te foder!

- Assim não, com carinho – ele passou as mãos pelo rosto impaciente eu acabei por rir — esta bem! — disse fingindo me levantar. Suas mãos agarraram minha cintura com força e ele me fitou.

- Por favor, eu preciso te sentir, por favor! — ele sussurrou deixando a cabeça entre meus seios. Mordi o lábio inferior, amava seus lados vulneráveis. Tirei a blusa a jogando em um canto.

- Sim senhor — comecei a cavalgar sobre o mesmo, seu corpo tombou pra trás e ele ofegava. Eu subia e descia rapidamente com reboladas. Suas mãos apertavam minha cintura com tanta força que deixariam marcas. Empurrei seu corpo pra trás e peguei as mãos do mesmo, as colocando acima da cabeça rebolando em seu pau. Ele gemeu rouco e abriu os olhos me fitando. Logo o maior trocou as posições ficando por cima e abriu minhas pernas enterrando fundo, e mais fundo. Suas estocadas eram rápidas, minhas pernas tremiam incontrolavelmente, meu corpo estava em brasa. Minhas mãos arranhavam suas costas deixando marcas que arderiam depois.

- Sentiu saudade dessa sensação? De sentir eu te fodendo a ponto de perder a fala? Geme pra mim...

- cala a boca — minha voz era inaudível, eu não conseguia controlar os gemidos. Tombei a cabeça pra trás sentindo uma de suas mãos segurarem no colchão. Ele parou de se mover rápido e começou a ir lentamente, entrando e saindo.

- Mais rápido! – sussurrei o vendo sorrir. Puxei seus cabelos junto ao rosto e adentrei minha língua em sua boca. O beijo estava longe de ser romântico. Parecia insaciável, coberto com toda a saudade que sentia. Ele parou o beijo e prendeu minhas mãos acima da cabeça indo lentamente em meu interior. Uma camada de suor já começava a rodear nossos corpos.

- Peça, me diz o que você quer!

- Eu quero que você me foda com força!

Disse sentindo ele voltar com as estocadas brutas. Suas mãos foram aos meus seios massageando os mesmos, uma delas desceu pela minha barriga e chegou ao clitóris fazendo os movimentos giratórios.

Gemi ainda mais alto.

- Oooh SungJoo, merda! – meu ápice estava tão próximo, eu conseguia senti-lo pulsando dentro de mim. Levei a boca ao seu pescoço o mordendo e deixando chupadas pelo mesmo.

- Porra, eu vou gozar – ele disse ofegante e me encarou, um apertou preciso contra meu clitóris e uma estocada ainda mais forte e me desfiz em suas mãos. Troquei as posições ficando por cima novamente e comecei a cavalgar mais rápido sentindo meus seios subirem e descerem. Ele arfou e ergueu o corpo chupando meu mamilo enquanto eu rebolava sobre ele. Logo o empurrei pra trás novamente e sorri de canro passando a língua pelos lábios.

- Eu gosto de te ver cavalgando gostoso assim em cima de mim

Ele disse ofegante e apertou minha bunda enfiando tudo o que tinha e logo se desfez em meu interior. Me joguei ao seu lado totalmente ofegante, sorri de canto e o encarei. Ele puxou minha cintura e me beijou com vontade. Suas mãos caminharam ate minha intimidade e adentraram meu interior ainda quente me fazendo gemer.

- Segunda rodada?


Notas Finais


Obrigada aos que leram até aqui novamente, peço que comentem o que estão achando da Fanfic e favoritem pra estar sempre por dentro. Obrigada Xuxuzinhos ❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...