História Crossed Ways (JIKOOK) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Bts, Jeon Jungkook, Jikook, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Min Yoongi, Namjin, Park Jimin, Vhope
Visualizações 194
Palavras 2.241
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não demorei né kkkk eu falei que não demoraria. Se bem que eu queria atualizar no sábado mas ok kkkkkk

Boa Leitura!!

Capítulo 2 - CHAPTER I - The Jobs


Fanfic / Fanfiction Crossed Ways (JIKOOK) - Capítulo 2 - CHAPTER I - The Jobs

Nos dias atuais...

P.O.V Park Jimin

Minha cabeça já estava estourando com tantos papéis que eu tinha lido e eu tinha pra ler, o relógio já marcava 5:30 a.m suspirei pesado, não havia dormido nada essa noite e muito menos tinha terminado de ler os outros contratos, isso que dá acumular um monte de papelada. Me levantei da cadeira e sai do escritório indo para o meu quarto e separando a roupa para trabalhar, entrei no banheiro e dei uma olhadinha no espelho e acabei comprovando que eu estava horrível. As olheiras estavam piores que antes e meus olhos fundos, minha cabeça não parava de latejar um minuto se quer, eu realmente preciso de um banho.

Me despi e entrei no box, comecei a me ensaboar e molhar meus cabelos avermelhados, fechei os olhos e comecei a imaginar o tanto de coisa que eu teria que fazer hoje - Pode ter certeza que pouca coisa não era - Eu queria um dia de folga, até minha mãe queria que eu tirasse um dia de folga mas era tanta coisa que eu tinha que fazer, eu não podia deixar aquilo tudo o que meus pais conquistaram desmoronar.

Terminei meu banho e me sequei com minha toalha branca enrolando a mesma sob a minha cintura e sai do banheiro já procurando meu secador, meu celular em cima da mesinha começou a tocar, era o toque do alarme e aquilo não estava colaborando com a minha dor de cabeça, desliguei o alarme e vi que a bateria do celular estava acabando. Ótimo, meu dia não poderia piorar.

Finalmente consegui achar o meu secador e comecei a secar os meus molhados cabelos em frente do espelho, as olheiras ainda permaneciam ali mas nada que um bom corretivo não resolva. Quando eu terminei de secar meus cabelos, peguei a minha roupa e comecei a me vestir quando a porta de casa bateu eu já sabia quem era.

--  Senhor Park? -- Sun Hi bateu na porta do meu quarto, ajeitei a minha blusa e fui até a porta a abrindo. -- Terá tempo de tomar seu café hoje ? -- Ela arqueou suas sobrancelhas e eu neguei.

-- Apenas me traga um remédio pra dor de cabeça -- Voltei pra dentro do quarto pegando minha pasta preta. -- E um calmante -- Passei por ela indo para meu escritório e pegando todos os papéis que eu havia deixado em cima da mesa colocando-os dentro da pasta preta, peguei meus sapatos que estava do lado da mesa e os coloquei. Olhei o relógio novamente e ele marcava 6:55 a.m. Pelo menos eu não iria chegar atrasado dessa vez.

Aproveitei o tempo livre que me restava e procurei um corretivo e um lápis de olho. Corretivo para tirar aquelas olheiras horríveis e o lápis de olho para dar um destaque aos meus olhos.

-- Senhor ? -- Sun Hi voltou com dois comprimidos em sua mão e um copo d'água, agradeci e bebi os dois comprimidos.

--- Tenho que ir, antes de ir embora faça um bolo de chocolate ? -- Pedi pegando o meu celular junto com o USB, as chaves do apartamento e do carro. -- Eu vou precisar -- Ela assentiu e eu sorri. -- Até amanhã -- Falei passando por ela mais uma vez e saindo do apartamento.

Muitas coisas mudaram esses últimos meses, minha mãe mesmo doente preferiu que eu fosse morar sozinho e que uma de nossas empregadas fosse junto - Vulgo Sun Hi - Ela acha que eu morando junto com ela, irá atrapalhar meus pensamentos na empresa, por vê-la fraca mas mesmo assim eu não deixava de ir ver ela todos os dias, o que mais me preocupa é ela e que se exploda o resto, só não quero perder minha mãe. Entrei na minha BMW e liguei o rádio afim de escutar alguma música.

"A rodovia que leva ao centro de Seul nesse momento se encontra congestionada por vários carros, o trânsito se permanece calmo e lento"

Soquei meu volante e respirei fundo tentando me acalmar, lembrei do outro caminho que minha mãe havia me dito e agradeci aos céus naquele momento por ter escutado suas listas de a fazeres, porém teria que acelerar mais ainda porque o caminho por lá é muito longo.

[...]

-- Senhor Park, chegou 3 e-mails para o senhor e parece ser importantes -- Uma das secretárias se aproximou de mim logo assim que entrei na empresa. Mal cheguei e já começou o inferno.

-- Esteja na minha sala em 30 minutos com os e-mails anotados -- Peguei meu café na cantina -- Mais alguma coisa ? -- Perguntei ainda caminhando até o elevador.

-- Não senhor -- Ela sorriu e Kim Taehyung se aproximou. Taehyung era o nome do gerente da empresa, vulgo aquele que me ajudava ás vezes.

-- Temos muito o que conversar -- Entrei no elevador e ele logo após -- É sobre os secretários e sobre o financiamento da empresa -- Bufei irritado sabendo que notícia boa não era.

-- Já não bastava ter passado a noite toda acordado lendo os papéis e assinando alguns contratos, ainda tem mais notícias ruins ? -- Revirei os olhos e senti Tae pegar a minha pasta preta e segurar.

-- É a vida -- Ele falou assim que o elevador se abriu.

Sai daquele lugar minúsculo e fui direto para o meu escritório afim de deitar naquela mesa enorme e dormir - Coisa que eu nunca havia feito, mas tudo tem sua primeira vez -. Me sentei na minha poltrona e coloquei minha xícara de café em cima da minha mesa, liguei o notebook e procurei meu celular e o USB no bolso do blazer, conectei no notebook para poder carregar.
Coloquei minhas mão sob minha testa e suspirei pesado mais uma vez me escorando na poltrona de coro e encarando Taehyung.

-- Pode falar as notícias ruins -- Fiz um gesto com as mãos para que ele falasse logo.

-- O estado financeiro da empresa caiu mais uma vez por 3% essa semana -- Se aquilo era novidade? Com certeza não -- E três de nossos empregados pediram demissão ontem -- Arregalei os olhos.

-- O quê ? Por quê? -- Perguntei entrando em desespero.

-- Não sei o motivo, mas eu ando escutando muitos cochichos que já que a empresa está caindo aos poucos, nós iremos baixar o salário de cada empregado -- Me levantei rapidamente da poltrona. -- Jimin, por favor vamos se acalmar eu vou abrir vagas para cá, muita gente esta mandando currículo para poder trabalhar aqui -- Fiquei encarando a enorme janela que dava a vista de quase toda a cidade de Seul.

-- O problema não é esse, Taehyung -- Abaixei a cabeça -- Eles tem razão, conforme a empresa vai caindo eu serei obrigado a abaixar o salário deles. -- Senti suas mãos pousarem nos meus ombros.

Tae além de ser o gerente da empresa, ele também poderia ser considerado um dos meus melhores amigos. Ele sempre aturou cada ataque de surto que eu tive e sempre tentou me manter pé no chão, parecia que ele sabia comandar mais naquela empresa do que eu mesmo, minha mãe deveria ter escolhido ele e não eu.

Sobre os meus surtos, eu comecei a tê-los quando as coisas começaram a piorar, por esse motivo eu tomava calmante que se bem não fazia muito efeito mas ajudava um pouco.

-- Isso não vai acontecer -- Senti ele sorrir. -- Confia em mim, você irá conseguir fazer essa empresa decolar -- Ri baixo e me virei abraçando ele.

-- Obrigado -- Sussurrei. Escutei algumas batidas na porta e respirei fundo me sentando novamente. -- Pode entrar -- Peguei minha pasta em cima da mesa e abri.

-- Senhor Park ? -- Aquela mesma secretária entrou no escritório com seu iphone em mãos.

-- Qualquer coisa é só mandar alguém me chamar -- Taehyung falou e eu sorri assentindo, ele se retirou do escritório e olhei para secretária que ainda não sabia seu nome, eu era péssimo em decorar nomes ainda mais com toda essa pressão.

-- Pode falar -- Disse separando os papéis.

-- O senhor recebeu três convites de reuniões importantíssimas, é com as parcerias de nossa empresa -- Falou ela enquanto encarava o celular .

-- Pra quando ?

-- Hoje mesmo, os horário são diferentes então dará para o senhor ir nas três -- No mesmo momento deu vontade enorme de gritar, mas eu consegui engolir tudo de volta e dar um pequeno sorriso simpático.

-- Quando começa a primeira? -- Arqueei minha sobrancelha.

-- Dez horas -- Olhei o relógio no computador que marcavam 8:55 a.m. Ótimo, tinha uma hora e cinco minutos.

-- Anote para mim aonde será cada uma delas junto com os horários e me entregar, por favor ? -- Ela assentiu -- Obrigado. -- Ela se virou e saiu do escritório, assim que ela fechou a porta eu me levantei rapidamente e andei pra um lado e pro outro.

Ótimo, além de eu estar cheio de coisas para fazer tenho três reuniões para ir e o pior de tudo era que eu não conseguia lidar com essas reuniões, esperava muito que Taehyung tivesse tempo para ir comigo.

P.O.V Jeon Jungkook

Corria o mais rápido que eu podia, eu estava totalmente atrasado justo no primeiro dia de trabalho naquele restaurante . Eu não podia continuar sem dinheiro, eu precisava pagar muitas dívidas e eu estava quase passando fome, ás vezes eu pedia dinheiro para minha mãe já que meu pai se negava dar dinheiro para mim de qualquer custo.

Quem diria hein? Eu sempre tive mordomia, tudo o que eu queria e nunca precisei fazer qualquer esforço mas meu pai um dia se cansou de toda aquela minha folga e me mandou ir ter minha própria vida, ter meu próprio dinheiro e minha própria casa. Eu como sempre fui orgulhoso disse que conseguiria tudo aquilo que eles tinham sem a ajuda deles e hoje estou aqui, longe de casa pedindo ajuda para minha mãe ás vezes para não acabar morrendo de fome.

Eu ainda sentia falta de Busan, da minha família, da minha casa de tudo, mas eu queria mostrar pro meu pai que eu era capaz de viver sozinho sim!

-- ATRASADO LOGO NO PRIMEIRO DIA, JEON -- Seojun gritou irritado. -- SABE QUANTOS CLIENTES ESPERAM PARA SER ATENDIDOS ?

-- Mas tem bastante cozinheiro resolvendo iss...

-- MAS NÃO SÃO O BASTANTE -- Ele me cortou e jogou o avental no meu rosto. -- COLOQUE ISSO E MÃO NA MASSA -- Foi a última coisa que ele disse e entrou na sua sala.

Suspirei pesado e coloquei o avental, peguei um pedido que estava preso numa corda e li.

"Café gelado com bolinho de laranja"

Olhei tudo meio perdido e cocei a cabeça, observei o que os outro chefes de cozinha faziam e tentei fazer o mesmo.

Eu não sabia o porque que tinha decidido que iria trabalhar naquilo, eu era péssimo na cozinha a qualquer momento eu poderia explodir alguma coisa e no mesmo instante ser despedido, mas nunca se sabe eu tinha que tentar, vai que eu conseguia me dar bem naquele emprego?

[...]

-- Recebemos várias reclamações de clientes que o pedido deles não estavam certos e muito menos bons -- Seojun falava baixo olhando o nada. -- Sabe o que isso significa? -- Dessa vez ele olhou para mim, neguei com a cabeça apertando o avental entre minhas mãos. -- QUE VAMOS AFUNDAR ATÉ O FUNDO DO POÇO ASSIM -- Ele gritou.

-- Me desculpe senhor, prometo melhorar -- Falei baixo.

-- Ah claro que vai melhorar -- Ele riu -- Vai melhorar limpando as coisas, seu novo cargo será esse -- Ele se levantou. -- A partir de agora, vá limpar as mesas e ajeitar as coisas -- Ele saiu da sala me deixando sozinho.

Já eram 06:05 p.m e eu estava esgotado, tudo o que eu mais desejava era a minha cama. Me sentei em sua poltrona tentando me preparar para limpar tudo aquilo e me assusto com o toque do meu celular, olhei no visor e vi que era minha mãe.

-- Oi mãe -- Atendi.

-- Oi querido -- Escutei sua doce voz ecoar. -- Ainda está no trabalho?

-- Sim, mas já não tem ninguém -- Ri baixo.

-- Como você foi? -- Pude notar animação em sua voz e eu suspirei baixo.

-- Péssimo, mas por minha sorte o dono me deu outra chance com um novo cargo -- Escutei ela suspirar.

-- Jungkook, volte para casa eu juro que irei convencer seu pai a deixar você ficar e... -- A interrompi.

-- Mãe, eu vou conseguir e mostrar pro meu pai que sou capaz de me cuidar sozinho. -- Escutei ela fungar -- Mãe...

-- Eu sinto sua falta, eu quero o meu filho de volta -- E aquilo foi o suficiente para que eu abaixasse a cabeça e sentir lágrimas nos meus olhos. Eu não suportava ouvir minha mãe chorar.

-- Prometo que em breve eu voltarei -- Disse com um sorriso fraco no meu rosto -- Agora eu tenho que ir mãe, te amo.

-- Tudo bem, também te amo -- Finalizei a ligação e me levantei colocando o celular no bolso e respirando fundo.

Mais algumas horas de trabalho e depois poderei descansar.

Você consegue, Jungkook.


Notas Finais


Bom, ai está... Se tiver algum erro me perdoem <3
Até o próximo capítulo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...