História Crossing lines - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias (G)I-DLE, Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Neo Culture Technology (NCT), Pristin
Personagens Chenle, Doyoung, Jennie, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lucas, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Pinky, Soyeon, Taeyong
Tags Bts, Crossing Lines, Fanfic, Imagine, Jungkook, Policial, Taehyung
Visualizações 16
Palavras 1.260
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), LGBT, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


A fanfic é uma adaptação da série da NETFLIX 'Crossing Lines' (Passando dos limites), fiz uma versão de k-pop, espero que vocês gostem <33.

Capítulo 1 - Briging together the best PART.01


Fanfic / Fanfiction Crossing lines - Capítulo 1 - Briging together the best PART.01

Kim Seok-Jin *

Saio de meu carro preto, era desgastado, usava há tempos, mas não teria tempo para comprar outro, chego na cena do crime, indo em direção a minha parceira, Zhou JieQiong, até que Kim Nam-joon aparece em minha frente.

-O que está fazendo aqui, Seok-Jin? - Rio fraco, um pouco debochado, talvez, me posicionando,com a postura ereta em sua frente.

-É, major Nam-joon,estou aqui,pois sou membro da polícia nacional.

-Foi você quem a mandou? - Diz o mesmo se referindo a JieQiong.

-Não, mas ela está comigo.- Digo olhando para ela rapidamente, enquanto a mesma observava a cena do crime, olho fundo nos olhos de Nam-joon, voltando totalmente minha atenção a ele.

-Não está mais na 36, major. Estou no comando, agora. - Ele me diz sério, dou uma risada debochada com a formalidade dele, mantendo minha compostura, respondo:

-Quando eu estava no  comando, não sentia necessidade de contar pra todos. - Passo por ele, batendo nossos braços de propósito, caminhando até JieQiong novamente, a mesma vê que estou indo até ela e vem em minha direção também.

-Major Seok-Jin. - Diz me cumprimentando.

-Pode me chamar de Jin, JieQiong, por favor. - Falo respondendo o comprimento e colocando minhas mãos dentro do bolso de minhas calças jeans azul marinha. -Vamos. - Começamos a andar, um ao lado do outro.

-Ela está péssima, senhor.

-Você sabe quem é ela? -Passamos por baixo da fita, que alertava: "cena policial".

-Não tem nada..de novo. - Ela diz isso e chegamos perto do corpo coberto por um lençol, descubro a cabeça, a vítima era loira, aparentava ter uns 30 e poucos anos, de acordo com a pele, seu rosto estava desconfigurado, impossível de descobrir a identidade da mulher. -Foi o mesmo assassino. - Me levanto, jogando o lençol sobre sua cabeça exposta. -Você tinha razão. - Olho em volta da mulher caída sobre as folhas de outono.

S/N Orosa *

Lá estava eu, sentada em minha cama, não era uma verdadeira casa, mas morar em um trailer já virou costume e um tipo de moradia presente em minha vida, encho minha arma de balas, mas acabo batendo minha mão esquerda, eu havia uma cicatriz um pouco grande, encostar na arma causou uma dor enorme, jogo tudo que estava sobre a mesa, era terrível, horripilante, dou um gemido de dor, colocando meu rosto perto de meu braço, logo mordendo o tecido de minha camisa, levanto minha cabeça, esticando meu braço direito para pegar morfina, abro o mesmo com os dentes, logo sobre meu peito esquerdo, debaixo de minha camisa, abaixo minha cabeça, deitando sobre meu braço, com a mão machucada.

Kim Seok-Jin *

Saio de dentro da cena do crime, JieQiong acompanha o corpo, que estava sendo direcionado para uma ambulância, que de lá, iria para o centro de ciências do FBI, para associarem o que aconteceu realmente com a vítima, vou em direção a Nam-Joon,que estava mexendo em seu celular, resolvendo algo profissional, talvez um outro cime. -Comissário Nam-Joon, preciso que feche a cena do crime por um tempo.

-E isso é um caso da Europol?

-Não, não é.

-Então, não tem autoridade para fechar o local. - Guarda o celular no bolso interno de seu paletó.

-Eu não estou mandando, estou pedindo. Porque..ela pode não ser a primeira vítima.

-Não tive notificação de nenhum outro homicídio.

-Porque ela é a primeira vítima francesa.Um assassino em série está na França e você tem a chance de pega-lo.

- Olho para o lado, observando os policiais trabalhando e as pessoas curiosas, tentando saber o que houve para ter tantos veículos policiais.

-Eu? -Ele ri fraco enquanto olha o chão.

-Eu só quero alguns dias. - Olho para ele, o mesmo retribui o olhar. - E quando for o momento certo..entregarei tudo a você. - Ele me analisa com o olhar e responde:

-Não terá nenhum mérito?

-Não. - Ele fica quieto pensando, mas logo fala:

-Dois dias. E eu quero que me mantenha informado de qualquer progresso.

-Obrigado. - Respondo sério, indo embora, deixando-o sozinho, JieQiong me olha, me lança como se estivesse me perguntando algo, como se fosse um: "e então?". -O lugar será isolado. - Respondo, matando sua curiosidade. 

-Aonde você vai? -Ela percebe que estava voltando ao meu carro.

-Amsterdã. - Vou para meu carro, abrindo a porta e entrando.

S/N Orosa *

Saio de meu trailer, segurando um catador de lixo e um saco em minhas mãos, eu estava com meu casaco de pele de urso, fecho a porta, vou andando, entrando mais a dentro do circo, o principal local onde eu catava o lixo, caminho entre casais apaixonados, cheios de fru fru fru, entre criancinhas, alguns casais de idosos, até que me deparo com uma cena, tudo acontecia em frente a barraca do "vidente".

-Adivinha o peso de meu marido. -Diz a mulher irritada.

-Eu não faço isso. - Diz o "vidente" da barraca.

-Tudo bem, querida, a gente pode..- Foi interrompido pela mulher novamente.

-Eu paguei pra você!

-Eu leio cartas. - O vidente, sem se preocupar diz essa frase, eu apenas observava de longe, como alguém que só estava passando por perto,catando alguns papeis jogados no chão, colocando-os para dentro do saco, decido tomar uma decisão, indo até eles e falo, olhando bem fundo dentro dos olhos da mulher, que era gorda, alguns centímetros mais baixa que eu, seus cabelos era um tom de castanho um pouco mais escuro, parecido com preto.

-Aí, por que não deixa ele em paz, amiga?

Ele me olha bem,vem em minha direção.

-Por que não cuida da sua vida? - Continuo a olha-la. -Aí, tem algum problema? -Ela aponta em meu rosto e dá uma risada debochada. -Ha! Vai pro inferno. -Ela se vira novamente, prestando atenção no "vidente" e seu marido.

-Quer saber alguma coisa sobre você? Vou dizer uma coisa sobre você. -Me ajeito, olhando-o. -Você tem mãos macias e não tem tantos músculos, no que significa que você trabalha no setor administrativo. Mas seus olhos não têm o brilho da inteligência e você obviamente não consegue decifrar um simples sinal, então..adivinha? -Percebo que a mesma estava andando até mim, com um olhar de fúria, provavelmente planejando como iria bater em mim. -Você não é criteriosa. Meu palpite é que é empregada, escriturária, a casa do botão está repuxada, você engordou e não pode comprar roupa. Abelha operária sem sucesso. Mas o motivo também pode ser outro. - Ela continuava a me olhar, percebo que ele queria saber algo sobre mim para poder rebater contra. -Um namorado,não é? - Dou uma piscada só para provocar. -Um amante? Mas não é um amante qualquer. - Olho para o marido, que estava incrédulo, olhando a mulher, a mesma olhava pidão para ele. -Não, não, não. - A olho. -Um amante com um filho, seu filho, talvez o conheça. - Olho para o marido. -Talvez o senhor conheça, ele tem cabelos loiros e curtos. - Falo dando uma pista a ele, até que a mesmo olha novamente para sua mulher, logo dizendo e repetindo a seguinte frase:

-Você disse que não iria mais ver esse homem! - Ele sai andando nervoso, incrédulo, decepcionado, todos os sentimentos misturados. -E agora tem um filho? -Ele fica mais nervoso, empurra mesma.

-Espere, Tony, Tony!

-Eu ainda não terminei! Eu diria que é um menino. - Grito para o mesmo escutar. -Em libras, eu diria que seu homem pesa por volta de de 140,145. Não sei quanto dá em quilos, mas..é.

-Sua vadia! -Ela ia me dar um soco, mas..Seok-Jin..impediu?

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, postarei o mais rápido possível, mas fiquem com o priemeiro EP.01 <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...