História Crossroads - Chanbaek - Capítulo 8


Escrita por: e seokky

Postado
Categorias EXO, Girls' Generation, Mamamoo
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Hwasa, Kai, Lay, Moonbyul, Sehun, Solar, Suho, Taeyeon, Xiumin, Yoona
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Exo, Girls' Generation, Kaisso, Mamamoo, Sookai
Visualizações 12
Palavras 1.151
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi pessoas!!

Boa leitura❤❤

Capítulo 8 - Capítulo 7


- O que você está fazendo aqui?

Baekhyun estava confuso. Não espera o repórter na porta de sua casa, mesmo tentando encontrar um modo de conversar com o mesmo.

Park olhou em direção a menor. E foi neste momento que percebeu, que havia sentido falta de Baekhyun.

Chanyeol deu um sorriso sincero.

- Eu não pretendia deixar o caso de Kyungsoo de lado. Mesmo não você querendo, eu quero ajudar.

Baek o encarou. Não sabia o porquê, mas se sentiu aquecido pela atitude do mais velho.

- Talvez eu queira sua ajuda.

Disse com a voz e a cabeça baixas. Pensou que Chany não iria lhe ouvir, mas foi totalmente o oposto do que pensou.

- Então não vamos mais perder tempo. O que você já descobriu?

Não se deixou intimidar e foi falando tudo o que ele e Jongin conseguiram.

[...]

- Laranja?! Exótico.

Os dois estavam em um cafeteria.

Byun não podia convidar Yeol para sua casa, pois sabia que Hwasa ficaria a observar o repórter, como também Taeyeon ficaria alerta para que o que Baekhyun iria fazer e iria acabar por lhe encher de perguntas.

- Você sabe que isso pode fazer ele ser perseguido pela a pessoa que fez isso, né?!

Park estava a se referir a Jongin. Tinha medo do que isso podia se tornar.

- Sei. E também sei que ele sabe os riscos.

Byun sabia muito bem as consequências do que Jongin estava fazendo, porém, não deixaria que a pessoa que esfaqueou Do impune.

- Você sabe que isso não vai ajudar Kyungsoo e só vai trazer mais dor de cabeça.

Hyun suspirou. Chanyeol estava começando a lhe irritar.

- Chega de críticas. Se pretende me ajudar, melhor não falá-las.

Mesmo que Byun não tivesse toda a razão que pensava que tinha, Park queria ajudar o menor, então teria que aguentar.

- Tudo bem. O que você precisa?


X


A primeira ideia que Jongin teve foi hackear um programa restrito do governo para procurar a pessoa com as características que Yongsun havia descrevido.

Estava horas a procurar as características descrevidas e, no último minuto encontrou uma pessoa de cabelos castanhos e com várias tatuagens pelo corpo e principalmente no pescoço, como a Yongsun havia dito.

Era óbvio que este homem não era o único com tatuagens, entretanto foi o que mais lhe chamou a atenção.

Jongin pretendia levar a foto imprimida e as informações, a estar em cima da mesa, para comprovar suas suspeitas.

Subiu as escadas e se deitou em sua cama. Não demorou muito para adormecer. Estava cansado e merecia algum descanso.


[...]

" Olá, Kim Jongin.

Parece que você anda se metendo no que não é dá sua conta. Não sabia de suas façanhas como hacker, mas sabia que eu estou de olho em você e Byun Baekhyun e que tudo que você fizer, pode ser a última que fazerá vivo.

Não ache que está me intimidando, eu gosto de desafios e estes está sendo um dos melhores ultimamente.

Pense bem antes de tentar me procurar Kim Jongin, pois sabia que eu também posso estar à sua procura."

Jongin estava espantado com a mensagem, porém, agora tinha a provável certeza de que aquelas informações era do suposto assassino.

X


- Você acha que este cara?

Perguntou Chanyeol, ao ver a foto que Jongin havia conseguido. Pelas informações a pessoa se chamava Oh Sehun. Tinha 22 anos e já foi preso uma vez por venda de drogas e prostituição.

Park foi chamado por Byun e neste momento estavam na esquina da escola.

- Sim. Recebi uma mensagem logo após ter achado a foto. Ele sabia que se Kyungsoo morresse ou não, nós tentaríamos encontrá-lo.

Yeol olhou novamente a foto que lhe foi entregue. Pelo o que Baekhyun havia dito, a pessoa tinha cabelos de cor alaranjada.

- O cabelo dele não era laranja?

- Sim, mas tive uma impressão de que era este. É provável que ele tenha mudado a cor do cabelo durante esse tempo. As tatuagens vão até o pescoço, assim como Yongsun tinha visto.

- E pela mensagem que Jongin recebeu, é bem provável que seja ele.

Foi a vez de Baekhyun falar.

Chanyeol estava preocupado. A mensagem já foi um aviso para que eles paressem o quanto antes.

- Isso já está ficando perigoso. E se ele fizer alguma coisa com vocês?

- Não estamos fazendo isso pela a gente. Estamos fazendo isso pelo Kyungsoo.

Não queria discutir novamente como fez com Hyun, portando Chany deixou a decisão deles tomar o rumo dessa investigação.

- Para ter certeza de que é mesmo ele, melhor perguntarem para a garota que o viu.

X

- E-Eu disse que vou p-pagar, senhor.

- Você está demorando demais para pagar. Acha que eu não sei que você continua a fazer apostas, senhor Do?

Os dois homens estavam frente a frente, em uma casa de prostituição. Se escutava vozes altas de homens e mulheres. Nos quartos à alguns metros da mesa onde estavam sentados, podia se ouvir gritos e gemidos estridentes.

Aquele lugar cheirava a bebida alcoólica e era esse cheiro que Minseok tinha mais prazer de sentir. O aroma alcoólico que vinha em direção a suas narinas, era algo que já conhecia há anos.

- E-Eu só preciso d-de mais alguns mes-ses.

- Talvez seu filho também precise desse tempo. Sabe... talvez ele possa morrer mais cedo do que você pensa.

Do arregalou os olhos instantaneamente.

- Por favor, n-não toque nele.

- Não acho que isso seja possível por muito tempo.

[...]

As lágrimas não paravam de rolar. Sua tristeza talvez fosse maior que a dívida que tinha a pagar para Minseok.

Sentado ao lado de Kyungsoo estava o senhor Do.

Olhos vermelhos e nariz escorrendo. Ele ainda não acreditava que havia caído em um poço tão fundo. Não queria admitir, mas seu filho estar naquela cama era sua culpa.

Tinha que pagar a dívida em algumas semanas, caso contrário, seu filho poderia ser considerado o pagamento.

- M- Me desculpa, meu filho.

X

Baekhyun já havia levado bronca dos professores pela falta de atenção na sala de aula.

Não se concentrava no que era lhe dito e suas notas estavam caindo como nunca acontecera.

Jongin também não estava bem. Ele andava faltando as aulas e quando aparecia, agia do mesmo modo que Baek.

- Olha essas olheiras. Você anda dormindo, Baekhyun?

Taeyeon estava preocupada com o modo como Byun estava vivendo.

Não sorria como antes e muito menos comia direito.

Percebera também que o estudante não ficava longe do notebook, como se fosse receber algo importante. Frequentemente o via dormindo no sofá por falta de descanso.

- Não se preocupe Tae. Eu tô bem.

Baekhyun bocejou e se sentou para comer o bolo que Tae tinha lhe oferecido.

Antes que pudesse fazer tal ato, seu celular o interrompe.

- Alô?

- Boa tarde. O paciente Do Kyungsoo acordou do coma.








Notas Finais


Espero que tenham gostado.

Até mês que vem bebês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...