1. Spirit Fanfics >
  2. Crowley's daughter >
  3. Thirty eight

História Crowley's daughter - Capítulo 38


Escrita por: e Kodama


Notas do Autor


Enfim a Yuuh voltou a enviar os cap para a revisão antes de postar.

#VivaARevisao

Espero que gostem. Ass: Kodama o revisor

Capítulo 38 - Thirty eight


Fanfic / Fanfiction Crowley's daughter - Capítulo 38 - Thirty eight

Pov Crowley

—Papa? Papi dize pa Muriel ti ajuda. - O monstrinho disse da soleira da estufa, claramente pelo som de minutos atrás ela deve ter causado algum desastre enquanto “ajudava” o anjo a arrumar a casa e agora ele despachou o furação Muriel pra mim.

—Só... - Peguei ela no colo e coloquei-a sentada na bancada da estufa. - ... fique aqui, e não mexa em nada. - Ela fez uma cara de cão do inferno sem comida, mas ignorei continuei a borrifar água nas plantas.

CRASHHHHH!

—Muriel, no que você mexeu. - Falei baixo.

—Nada papa. - Quando me virei vi que a pirralha tinha derrubado as plantas que estavam na bancada e ATÉ as que estavam na parede, NA PAREDE, ela permanecia no mesmo lugar que a deixei com a diferença que estava de pé.

—Você está mentindo pra mim?!

—Esse vai se nozo segredinho. - COM QUEM FOI QUE ELA APRENDEU ISSO!?!!!

Pov Aziraphale 

Não é que eu não queira a Muriel por perto agora, é só que parece que ela é um imã pra desastres, ela quebrou duas canecas e derrubou um garfo no triturador de lixo. Muriel é a criança mais desastrada e imprudente já criada, minha mãe do céu.

—Tãooo calor... - Não foi uma ideia tão boa a camisa de gola alta, então subi as escadas já derretendo de calor e quando colocava uma camisa branca mais leve a campainha tocou. - Já vai. - Cantarolei, e novamente ela tocou, mas dessa vez não parou, tocou e tocou incessantemente.

—Calma já vai. - Corri até a porta, será que é uma emergência?

—Loirinho, oi! - Oh, duas das moças que estavam no churrasco de boas vindas sorriam na porta. - Eu ai perguntar como vai, mas já deu pra notar que muito bem. - Ela ergueu as sobrancelhas sugestivamente, segui a linha do olhar dela e... Cri... cristo!

—En... entrem.

—Com licença senhor tomatinho. - Disse a loira risonha.

—Charlote, se contenha. - Sussurrou a moça de cabelos cacheados ao lado dela.

Pov Crowley

—Papa tá bavo co Muriel?

—Não.

—Papa palece bavo.

—Eu não to bravo. - Continuei varrendo a sujeira que ela fez na estufa. - Eu sei que não foi de proposito, porém não precisava de tudo isso por causa de uma mosquinha. Moscas não picam, pirralha.

—Ma ela tava mi oiando. - Olhando?

—Por que acha isso?

—Nom sei. - Poderia ser... não... mas, poderia. ARG MALDITA BELZEBU. 

—Crowley!

—HAAAA. - Tome um susto e bati o cabo da vassoura em um vaso de planta quebrando mais um. - ANJO! Quase me matou de susto!

—Desculpa querido, mas você tem visita.


Notas Finais


Hmm quem será a misteriosa visita? Será que é a Beel? Eu realmente não faço a mínima ideia então vamps descobrir juntos. O que acharam do capítulo? Ass: Kodama o revisor


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...