História Crown (Malec shortfic) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane, Simon Lewis
Tags Alec Lightwood, Magnus Bane, Malec, Shadowhunters
Visualizações 236
Palavras 1.935
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Uma pequena visão do Magnus nesse capítulo!
Espero que gostem! Até o próximo!

Capítulo 8 - Castle


Magnus sentiu sua cabeça latejar enquanto estava deitado em sua cama, esta que, um dia havia dividido com Alec. Já fazia cinco meses. Magnus já havia casado-se a cinco meses e ele havia perdido o amor de sua vida a cinco meses. Magnus nunca achou que poderia sentir uma dor tão grande. Jace e Isabelle ficaram bravos com Magnus quando ele contou aos dois que Alec havia partido mas o perdoaram a partir do tempo.Cinco meses.

Magnus havia ordenado que Camille, sua Rainha, não ficasse no mesmo quarto que ele. Os dois dormiam em quartos diferentes. Magnus chorava com uma camisa de Alec em mãos e sua coroa estava jogada no chão como se não tivesse importância. 

Magnus havia acabado de receber a notícia que ele esperava, no entanto, a dor não parecia ir embora. Camille estava grávida, ele soube disso a três meses atrás, e era um menino. Camille estava esperando um filho de Magnus. Fazia quase cinco meses que Magnus havia deitado-se com Camille pela primeira e única vez, naquele dia Magnus sentiu-se sujo, sentiu que estava traindo Alec e a sensação ainda não havia passado. Mesmo sabendo agora que era um menino e assim que ele nascesse Magnus poderia se separar de Camille, ele temia. Magnus não teve notícias de Alec esse tempo todo. Magnus temia que assim que Alec soube que a Rainha estava grávida ele havia desistido de esperar por Magnus. Ele temia ter cometido o maior erro da sua vida quando engravidou Camille.

Magnus e Camille teriam um filho para segurar a aliança entre seus dois países e não precisariam estar casados. Camille sabia que Magnus era apaixonado por outra pessoa e ela entendia ele, Magnus agradecia aos céus por isso. Ele chorava todas as noites, por seu amor perdido, pelas saudades e por medo de nunca mais ver Alec e quando o ver , ele estiver com outro alguém.

Magnus amava Alec da mesma forma que o amava quando o viu pela primeira vez e ele estava morrendo de saudades. Magnus passava seus dias focado nas suas tarefas de rei tentando ocupar a sua mente e falhando com isso, durante a noite Magnus deitava no jardim do castelo e ficava olhando para as estrelas esperando que Alec estivesse as olhando também. Ele ainda tinha um pouco de esperanças que talvez um dia se reencontrassem e que os dois iriam voltar um para o outro com a mesma intensidade que tinham quando estavam juntos. Nada havia mudado no coração de Magnus e ele apenas esperava que nada tivesse mudado para Alec também.

Magnus sonhava com Alec toda vez que dormia, ele pensava em Alec todos os dias e ele estava em pedaços. Ele sentia que estava desmoronando sem Alec. Magnus nunca tinha sido tão dependente de alguém como estava sendo dependente de Alec.

Magnus levantou seu corpo da cama e foi até a janela. Estava chovendo e de longe Magnus podia ver raios caindo nas montanhas e ele automaticamente lembrou-se do seu primeiro beijo com Alec. Havia sido maravilhoso, desde o primeiro beijo Magnus se viu viciado no gosto de Alexander e estar sem aquela droga estava fazendo parecer que ele estava morrendo.

Era apenas Alec. Sempre foi Alec. Aquele que dominou o coração de Magnus, que o levou ao paraíso e ao inferno, que lhe queimava e lhe congelava. Alec. Magnus sabia que nunca havia se entregado a alguém como havia feito com Alec. Magnus poderia fazer de tudo por Alec. 

Alec. Alec. Alec.

A cabeça de Magnus latejava e seu coração doía. Magnus sentia sua alma sangrando. Doía tanto.

Doía saber que a coisa que mais bela que aconteceu na vida de Magnus agora o machucava mais do que uma espada em seu coração.

Magnus teve Alec. Alec teve Magnus. Eles foram um do outro e Magnus ainda era completamente de Alec ele apenas precisava saber se Alec ainda era seu. Magnus lembrou-se da primeira vez em que sentiu que estava dando tudo de si a Alec, da primeira vez que ele soube que Alexander era único. Da primeira vez que ele teve a certeza de que nunca, em toda sua vida, iria deixar de amar Alec.
 

5 Meses atrás

 


- Você tem certeza disso? - Magnus perguntou enquanto beijava Alec.

Eles estavam na cama de Magnus, no quarto do rei. Magnus nunca havia levado ninguém ali, Alec havia sido o primeiro. 

Magnus sentia uma grande necessidade de fazer com que Alec se sentisse especial, porque ele era especial. Magnus amava Alec mais do que amava a si mesmo. Ele tinha certeza disso.

Magnus havia deixado Alec entrar na alma dele e ele sentia como se continuasse apaixonando-se por Alec todos os dias. Magnus sentia que não era possível ele estar sentindo-se tão altamente apaixonado por Alec daquela maneira no entanto ele não discutia com isso. Magnus apenas continuava se apaixonando. Ele era apenas humano.

Haviam boatos no castelo de que o rei havia encontrado um amor e que ele trabalhava na cozinha, Magnus nunca ligou para os boatos que falavam sobre ele e por isso não estava nem um pouco preocupado em saber tudo que o povo falava dele.

- Sim Mag... eu tenho - Alec respondeu em um gemido sôfrego.

Eles estavam completamentos nus e Magnus beijava o pescoço de Alec deixando várias marcas vermelhas na pele pálida do garoto e sentia-se cada vez mais exitado ao ouvir Alec gemer o seu nome e pedir-lhe que lhe tomasse. 

As pernas de Alec enrolavam a cintura de Magnus com força fazendo a ereção dos dois se tocarem e arrancarem gemidos de ambos.

Magnus estava queimando por Alec e ele sabia que Alec estava pegando fogo também. Magnus não esperou mais tempo. Ele penetrou Alec com cuidado e devagar, Alec gemeu baixo por causa da dor e Magnus olhou para ele vendo se tinha sinal algum de que ele queria parar com aquilo. Não havia. Alec olhava Magnus com desejo nos olhos e vendo aquilo Magnus começou a se movimentar em Alec ouvindo o garoto gemer cada vez mais alto e os gemidos de Alec eram musicas ao ouvido de Magnus. 

- Mais... rápido... - Alec pediu fazendo Magnus sorrir safado e movimentar-se mais rápido em Alec gemendo alto cada vez que estocava o garoto.

Magnus e Alec estavam soados e os únicos barulhos audíveis no quarto era o som de seus corpos se chocando e seus próprios gemidos sôfregos saindo incontrolavelmente de suas bocas.

Alec e Magnus praticamente gritaram quando chegaram ao ápice. Juntos.

Magnus deitou ao lado de Alec sentindo o garoto deitar em seu peito. Os dois respiravam forte e sorriam como dois bobos.

- Eu te amo - Alec disse de repente fazendo Magnus se sentir o rei mais sortudo e mais apaixonado de todos, ele se sentia completo.

- Eu também amo você, Alexander - Magnus respondeu enquanto fazia carinho nos cabelos de Alec vendo o quanto aquilo deixava o garoto relaxado.

- Mag... eu tenho medo - Alec disse levantando seu corpo e olhando nos olhos de Magnus.

- Eu sei... eu também tenho - Magnus falou passando seus dedos na face de Alec e vendo ele fechar os olhos e apreciar o toque. - Eu amo tanto você que dói. 

Alec abriu os olhos e encarou Magnus e o rei se viu perdido naquela imensidão azul. Alec era a obra de arte mais linda que Magnus já havia conhecido.

- Eu não quero perder você - Alec sussurrou tão baixo que ele não teve certeza de que Magnus havia lhe ouvido mas, ao encarar Magnus ele viu a face confusa do rei e sorriu triste. - Você é o rei - explicou. - E eu apenas o padeiro. Somos completamente diferentes e eu tenho medo que um dia seremos forçados a nos separarmos.

Magnus sorriu triste para Alec. Ele também tinha esse medo. Era o maior medo de Magnus e era horrível estar com Alec e ter a sensação de que todo dia era o último. No entanto, Magnus não trocaria aquilo por nada.

- Nós não vamos nos separar - Magnus afirmou. - Eu sei que tudo parece confuso e doido de mais mas eu te prometo que farei de tudo que eu puder para que eu possa ficar sempre ao seu lado.

Alec sorriu. Magnus pensou em algo e se levantou da cama com pressa. Ele andou até sua mesa e de uma gaveta tirou uma caixinha. Alec o olhou confuso sentando na cama.

Magnus sorriu nervoso e suas mãos ccomeçaram a suar. Ele sentou-se na frente de Alec.

- O que é isto, Magnus? - Alec perguntou.

- Isto era da minha mãe - Magnus falou e abriu a caixinha mostrando um anel e uma corrente dentro dela.

- É lindo mas...

- É seu. - Magnus disse com convicção.

- Meu? Como assim? - Alec perguntou confuso sentindo um frio na barriga.

- Um dia Alec, você irá se casar comigo. - Alec sorriu ao ouvir aquilo e sentiu as lágrimas começarem a descer de seus olhos quando Magnus tirou o anel da caixinha e colocou o mesmo na corrente. - E até eu poder realizar o pedido formalmente eu vou te dar isto.

- Magnus você está....

- Te pedindo em casamento - Magnus sorriu nervoso mostrando a corrente para Alec. - Você... aceita?

- É claro que eu aceito! - Alec quase gritou pulando sobre o corpo de Magnus sobre a cama e o enchendo de beijos. Magnus e Alec caíram deitados na cama e Alec continuava dando beijos rápidos em Magnus enquanto o rei ria baixo. - É claro que sim! Para você, Magnus sempre será sim.

Magnus sorriu e beijou Alec com calma e apaixonadamente, colocando seus braços em volta do corpo de Alec e sentindo os dedos do garoto em seus cabelos.

- Eu te amo - disse Magnus após separarem-se do beijo. Ele colocou a corrente no pescoço de Alec. - Quando eu puder, irei te anunciar para o mundo e vou colocar esse anel no seu dedo Alec e você será sempre meu.

Alec sorriu olhando o anel pendurado em seu pescoço e trocou as posições na cama ficando sentado em cima do colo de Magnus começando a encher ele de beijos.
 

 

HOJE

 

 

 

 

 

Magnus viu quando a chuva lá fora parou e ele foi em direção a janela de seu quarto. Ele estava chorando novamente sentido seu coração em pedaços e ainda com lágrimas nos olhos ele olhou para o céu. Todas as nuvens da tempestade haviam cessado e as estrelas brilhavam no céu. Magnus limpou seus olhos que estavam com a visão turva e observou o céu. Ele espera que Alec estivesse olhando para cima também, ele ainda tinha esperanças.

 

- Por favor Alexander não desista de mim - Magnus sussurrou para si mesmo. - Eu prometo que vou voltar para você.

 

Alicante

 

- Boa noite, Clary - Alec respondeu rápido e sorrindo enquanto subia para o seu quarto, ele e Clary haviam conseguido um bom apartamento. Ele suspirou alto tocando a corrente em seu pescoço e foi até a janela enquanto sentia as lágrimas molharem seu rosto.

Alec foi até a sacada e olhou para o céu. Ele pensou em Magnus. O que Magnus estaria fazendo agora? Estaria ele olhando para as estrelas? Estaria ele pensando em Alec? Ele desejava que sim. Alec queria dizer que estava sendo forte mas era mentira, ele sentia-se desabar e sentir-se cada vez mais morto. Ficar sem Magnus estava matando-o

- Eu não vou desistir de você - Alec disse convicto. - Onde quer que esteja, Magnus. Eu serei sempre seu.


Notas Finais


Espero que tenham gostado do sofrimento!

Bem, pra quem não sabe eu estou tendo problemas pra escrever e quando eu revisei esse capítulo eu adicionei algumas cenas e espero muito terem ficado boas porque eu estou totalmente ferrada pra escrever.

Mas, não se preocupem, pois vocês não ficarão sem capítulos já que eu tenho quase toda a fic pronta.

Gente, os comentários ajudam muito e eu preciso saber o que estão achando então.... Comentem! Qualquer coisa, apenas comentem!

Bom dia, Aliás. Até o próximo!

Desculpem se eu fui meio sei lá... Grossa? Nas notas finais, desculpem mesmo mas eu estou bem mal e não consigo notar quando estou falando merda. Eu amo todos vocês de verdade, os comentários de vocês fazem o dia de uma pessoa totalmente depressiva e sem ânimo, obrigada gente, por tudo.

Bem, chega de coisas sérias, não é mesmo?

Um beijo cheio de glitter pra vocês e espero que a demora não tenha feito vocês desistirem da fic...

Até o próximo, anjos!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...