1. Spirit Fanfics >
  2. Cruella Devil >
  3. Capítulo Um:

História Cruella Devil - Capítulo 1


Escrita por: HenryRodrigo100

Notas do Autor


Oi, gente. Após ler, por favor me dê a sua opinião, quero melhorar ainda mais a fanfic.

Dois avisos: a Cruella dessa fanfic é a de 101 Dálmatas não a do filme Cruella, essa Cruella é má.

Essa história não é oficial, mas estará completamente interligada com 101 Dálmatas.

Eu postei essa história no Wattpad mas acho que vou postar aqui principalmente.

BOA LEITURA!

Capítulo 1 - Capítulo Um:


Fanfic / Fanfiction Cruella Devil - Capítulo 1 - Capítulo Um:

• 𝔘𝔪 𝔠𝔬𝔪𝔢ç𝔬 𝔪𝔲𝔦𝔱𝔬, 𝔪𝔲𝔦𝔱𝔬, 𝔠𝔯𝔲𝔢𝔩 •


Olá queridos, eu poderia começar isso de maneira fácil, a partir do momento em que eu enfrentei e quase matei aqueles cachorros idiotas, mas... Não é exatamente assim que quero começar a minha estória, então, não começarei ela assim...


Vamos começar, no momento em que minha mãe e meu pai se conheceram.


Estella Diana Warren, minha mãe, era uma mulher incrível, era pensadora, além de seu tempo, era linda e tinha seus lindos cabelos castanhos, olhos azuis e cor de pele rosada. Trabalhava como jornalista no "Daily London News", guardem esse nome, ele será o motivo do meu sucesso.


Estou contando coisas demais, perdão, permita-me continuar. 


Um belo dia começou, o dia que mudaria a história, o dia em que meus pais se conheceram. 


Estella acordou às 05 da manhã, sério, quem acorda nesse horário? Se você acorda nesse horário, você tem sérios problemas, querido...


Continuando, Estella estava completamente coberta em um lençol, afinal, foi uma noite fria em Londres. Ela colocou uma de suas mãos na cômoda que ficava á sua direita, ela abriu uma gaveta, tirou um maço de cigarro, e um copo de "Uísque Hellman", o uísque mais caro da região, afinal, todos pagam mais caro por uma bebida que vai te deixar cair no sono em instantes, certo?


Ela acendeu o maço de cigarro, e colocou ele em sua boca, tirou ele de sua boca, e assoprou uma fumaça verde.


Ela abriu a gaveta novamente e jogou o maço de cigarro de volta na gaveta.


"Um fumo diário nunca matou ninguém, certo?" Disse ela.


Provavelmente sim, mamãe... 


"Novo dia, novas oportunidades, mesmo fim de mundo" mamãe disse.


Ela era tão filosófica, sinto saudades dela, apesar de não me arrepender do que eu fiz com ela. Opa, sem 'spoilers' como os jovens do século XXI dizem.


Ela levantou da cama, e foi até sua penteadeira, passou um batom vermelho forte, arrumou seus cabelos, pegou um grande e estiloso jaleco preto escuro e o vestiu, afinal, mamãe sempre foi estilosa.


Segurou um frasco de perfume BTFY e aplicou um pouco dele em volta de seu corpo, ninguém precisa tomar banho se você tiver aquele perfume, o odor dele é forte o suficiente para matar alguém, não estou brincando, dá para você matar alguém com ele literalmente, estou muito reveladora hoje, perdão.


Ela pegou sua bolsa e saiu apressada para o trabalho, pegando o primeiro ônibus que viu.


• Minutos Antes •


Harry Hellman, meu pai, um homem extremamente charmoso, doce, rico, extravagante, rico, loiro, rico, com olhos azuis, já falei rico? Ah, não importa!


Ele era um dos lordes mais ricos de Londres, 'o lorde Hellman', era como o chamavam, nome bonito, devo dizer.


O lorde Hellman, era extremamente caridoso, sempre pedia opinião aos plebeus da cidade para melhorar sua liderança, coisa estúpida na minha opinião, porque pedir a opinião desses 'não gente'? Papai era carinhoso, isso o fazia estúpido, "nunca se importe com ninguém além de você" mamãe me ensinou isso, e ela realmente estava certa, ela sempre esteve, para falar a verdade.


Ele teve uma noite péssima, afinal, sair com os amigos, beber uísque e ficar com prostitutas não era muito o que ele gostava de fazer.


Ele passou a noite inteira acordado, escrevendo em seu diário, este diário é muito importante para minha história, então lembre-se dele.


Ele daria uma entrevista para o Daily London News, e não sabia nem sobre o que era, eu disse que o Uísque Hellman não é algo que se beba ao ter um compromisso importante...


O relógio de bolso dele marcava 5 da manhã, ele saiu de sua escrivaninha velha, e foi vestir o terno favorito dele, curto e mal acabado por sinal, para poder ir até o DLN (Daily London News para os idiotas).


• 06:35 (Perspectiva de Estella) •


Mamãe estava escrevendo uma notícia sobre um pobre menino recém nascido que foi abandonado pelos pais junto com outro garoto, de uma forma misteriosa os dois sumiram do hospital e o paradeiro deles é desconhecido, guardem esses garotos idiotas, arrogantes, e imbecis na cabeça de vocês.


"Estella, pare de escrever idiotices e faça algo importantemente importante." Disse Madelaine Farmiga.


Nome horrível até para um mendigo, quem chamaria a filha de Farmiga? Enfim, Madelaine era a 'chefa' do DLN, uma completa imbecil para ser honesta.


"Claro, mestre. Qual o trabalho que tem para mim?" Disse Estella.


'Mestre', mamãe não deveria se rebaixar para essas VADIAS ARROGANTES QUE NÃO TEM NOÇÃO DO QUE ESTAVA POR VIR. Desculpe, perdi um pouco o senso.


"Harry Hellman irá dar uma entrevista, vamos pegar informações importantes sobre ele e sua família, certo?" Disse Farmiga.


"Certo, mestre" Mamãe concordou.


"Agora volte a escrever o que estava escrevendo e coloque essa cabeça que não tem escrúpulos, para trabalhar" Disse a 'chefa'.


"Mas, você disse que era para eu parar de-" Mamãe foi interrompida pelo grito estrondoso de Farmiga.


"SILÊNCIO, SUA CRITURA INGRATA E PATÉTICA!" Exclamou Farmiga.


"Desculpe, não irei questioná-la novamente" Estella respondeu.


"Ótimo, volte ao trabalho" Respondeu Madelaine.


• 06:35 (Perspectiva de Harry) •


Harry segurava uma caneta nas mãos enquanto tentava escrever algo em seu diário no banco de trás da limusine.


"Chegamos no DLN, lorde" Disse o lacaio.


"Não me chame de lorde, sou igual você..." Disse Harry.


Olha pai, eu amo você, mas as vezes, a única coisa que eu quero é te estrangular por falar idiotices... 


Papai saiu do carro preto, cheio de paparazzis em sua volta, ele só andou em direção ao prédio da DLN, falou com a recepcionista e entrou no elevador.


"Qual o andar mesmo?" Perguntou para a recepcionista.


"3° andar, senhor" Disse a mulher.


"Obrigado" Agradeceu.


"Não tem de quê, senhor" A mulher disse.


Ah, meu deus parem com essa baboseira, pare de falar com esses 'não gentes', papai!


O elevador subiu até o 3° Andar, e a porta se abriu, o seu olhar foi direto para a mulher de cabelos castanhos com batom vermelho forte e um jaleco preto escuro, todos do escritório se levantaram para falar com o lorde Hellman, menos aquela mulher, era óbvio que ela não se importava com a presença dele.


"CALEM A BOCA, ESTÚPIDOS, DEIXEM O LORDE PASSAR!" 


Não preciso dizer quem gritou isso, certo?


"Tudo bem, Madelaine. Não precisa gritar" Papai falou.


"Ah, desculpe, Harry. Deseja um pouco de chá antes da entrevista? Madelaine respondeu.


"Não, obrigado. Por que não vamos direto a entrevista?" Harry disse.


"Como quiser, Harry. Essa é a imprestável da Estella. Ela será sua entrevistadora particular" Madelaine disse apontando para mamãe.


"Não fale assim de seus funcionários Mad" Papai respondeu.


Ódio, tudo o que eu sinto quando ele é caridoso com 'não gentes', é ódio! Menos com mamãe, obviamente.


"SÃO TODOS IMPRESTÁVEIS MESMO!" Gritou Farmiga.


Para falar a verdade, eu fui com a cara dessa tal de Farmiga até conhecer ela pessoalmente...


"Uma pergunta, Mad. Nós teremos uma sala privada durante a entrevista?" Perguntou papai.


"Não, será aqui no escritório mesmo" Respondeu ela.


"Acho que vou levar a Estella para um hotel, é mais confortável" Ele disse.


"Tudo bem!" Exclamou Mad ansiosa.


"Eu não tenho opinião sobre isso?" Perguntou mamãe, confusa.


"Não" Respondeu Madelaine.


"AGORA VÁ!" Gritou Farmiga.


• No hotel •


Não preciso falar o que aconteceu em seguida, mamãe e papai ficaram um dia inteiro fazendo uma coisa, e não foi uma entrevista. Ela não o amava e nem se importava com ele, mas ninguém, nem mesmo eu dispensaria uma forma tão fácil de ganhar uma fortuna, um homen fraco, rico e com o coração partido.


• Dois meses depois •


Papai e mamãe eram os novos queridinhos do público, o casal mais amado de Londres, para uma 'não gente', a mamãe virou uma 'pessoa de verdade' rapidamente... 


Apesar de que o sentimento que minha mãe sentia por meu pai não mudou, foi, é e sempre será apenas por fama, dinheiro e luxo.


Mas, para a desgraça de alguns e felicidade de outros, eu, Cruella Hellman estava prestes a vir para o mundo, e eu colocaria o mundo em chamas!


• 5 meses depois • 


Eu nasci muito antes do planejado infelizmente, minha mãe entrou em contato com uma planta feita a partir de feitiçaria, ela adoeceu, pareceu envelhecer 60 anos em 5 meses, e consequentemente me afetou também, eu nasci magra, sem órgãos, com o cabelo divido em duas cores, e eu tinha 'habilidades' especiais... Muitos se perguntaram como eu estava viva, mas o maior choque para os meus pais foi o cabelo preto e branco, só isso já era um indício de que eu vim ao mundo para arrasar! 


Muitos exames foram feitos em mim, mas aparentemente eu era uma criança normal, só que diferente de alguma forma...


E de alguma forma minha mãe não estava mais doente, ela rejuvenesceu. A verdade irá chocar todos vocês, mas ainda não está na hora de revelar ela. Afinal, as coisas só estão começando.


Muitas coisas aconteceram desde então, acredite em mim as coisas ficam muito piores daqui para frente.


• Fim do Capítulo •


Notas Finais


Foi isso, espero que tenham gostado. Não esqueçam de me dar suas opiniões!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...