1. Spirit Fanfics >
  2. Crush à Altura >
  3. De preocupado para envergonhado

História Crush à Altura - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


E ela faz o cap ruim dela ajsbjsbs ai às vezes nada sai como eu quero né... enfim, gente, amo todos amém e até o próximo 🙏🙏

Capítulo 4 - De preocupado para envergonhado


Ele estava na sala de música agora, as aulas já haviam acabado e ele precisava pensar no que fazer no festival de Sakura. Não tinha muitas ideias na sua cabeça, para falar a verdade sentia-se um pouco fora de órbita nesse momento. 


Chanyeol estava sentado sozinho em frente ao piano, nada passava pela sua mente em torno da apresentação, era como se houvesse apenas uma sala branca e o barulho de um grilo cantando alto no seu ouvido. 


Suspirava cansado e com medo, iria conseguir cantar para tantas pessoas? Chanyeol era tímido, sempre foi do tipo antisocial que só fazia amizades se alguém viesse até si primeiro. Quando conheceu os amigos, eles estavam no primeiro ano do fundamental e foi Sehun que o chamou para brincar primeiro, em sequência conhecera Kim Junmyeon. 


 Junmyeon e Sehun sempre foram muito próximos, eles possuíam algum de conexão desde sempre, por isso não estranhou quando eles apareceram namorando — muito menos quando tiveram que começar a morar juntos por preconceito dos pais. Sabia que a família de ambos era muito conservadora, o pai de Sehun era pastor e um dos mais conhecidos do país. Já o pai de Junmyeon era um político que lutava pelos direito da família, o que sempre foi uma besteira aos olhos do Kim mais novo.


A primeira vista, nenhum pensou que seriam descobertos tão cedo, mas o motorista realmente não tinha nada a perder quando fotografou os dois dentro do quarto aos beijos e isso resultou em uma grande merda da qual os namorados resolveram apenas sair de casa para evitar mais confusão, tendo a ajuda da mãe de Junmyeon — que em momento algum negou o filho, somente não podia ir contra o marido. Chanyeol sempre ajudou os amigos como podia também, apesar de estudar em uma escola pública, seus pais eram médicos. Então não lhe faltava absolutamente nada, também não ligava para status e preferia ter uma existência nula dos demais. 


Suspirou pelo que seria a décima vez àquela tarde, estava exausto para continuar com aquilo. Porém, teve um dejá vu com o ranger da porta sendo aberta, quando olha para trás enxerga a figura abatida de Baekhyun. 


— O que faz aqui? Já deveria ter ido para a casa. — verificou o horário no seu relógio e só então percebeu que já eram 15h da tarde. Ficou tanto tempo naquele lugar, e mesmo assim não saia nada da sua cabeça. 


— Eu não quero ir para casa agora... Estive procurando por você. Sou bobo por não ter vindo logo até aqui, então estava na biblioteca até agora.  — ele caminhou rápido até o lado de Chanyeol, com os lábios rasgados em um sorriso não tão alegre quanto nos outros dias. E Chanyeol percebeu isso desde que chegara na escola, mas não sabia se deveria perguntar algo agora. 


— Não sei o que fazer para o festival. — tocou algumas teclas do piano e deitou a cabeça pesada em cima, em uma clara demonstração de frustração. 


— Me deixe ajudar você, Loey. 


— Eu deveria? 


Ainda com a cabeça baixa, olhou para o rosto de Baekhyun, que agora estava com uma expressão de indignação. O que vale ressaltar: o deixava mais fofo ainda. 


— Claro que sim, eu gosto de participar de eventos que envolvam música. 


— Por mim tudo bem então. O que faremos? 


O menor estava um pouco mais animado agora, ele levantou-se de supetão da cadeira e ficou ereto na sua frente, lhe encarando com olhos brilhosos. 


— Que tal se irmos comer primeiro? Na verdade, estou com fome. — fez um bico enquanto acariciava sua barriga. 



Chanyeol sentia algo borbulhar dentro da sua barriga, era algo como ânsia de vômito ou uma forte dor no abdômen. Não sabia explicar, contudo a animação de Baekhyun lhe deixou aquecido por dentro, sua preocupação pela falta de humor anteriormente ainda era presente. 


Por isso não pensou mais nada quando levantou e começou a andar ao lado do Byun, queria descobrir o que afetava o garoto e também seria uma desculpa perfeita para passar mais tempo com ele. 



...



Eles estavam em uma cafeteria próxima da escola, ambos comiam um sanduíche e bebericavam um suco de laranja. Baekhyun ria alto com alguma bobagem que Chanyeol acabava falando, o que fazia o moreno sentir-se menos estranhos com a situação. Em nenhum momento eles falaram sobre o evento, o Park talvez até preferisse assim, não estava com tanta vontade sobre o asssunto; contudo, também tinha medo que Baekhyun lhe perguntasse algo do qual não conseguiria responder. 


Quando o Byun perguntou exatamente o que não queria ouvir, até pensou que ele poderia ler sua mente. 


— Você me deixou falando sozinho ontem a noite, Loey. Por que não quis responder? — ele bebia um pouco do suco enquanto lhe encarava esperando por respostas. 


Chanyeol respirou fundo, não sabia porque tinha um leve desconforto quando falava sobre sua antiga amizade com Jongdae, era complicado a forma que viviam e ninguém compreenderia. Olhar para os olhos questionadores de Baekhyun lhe fazia nervoso para explicar, mas deveria porque ele o defendeu de qualquer jeito. 


— Nossas famílias são amigas. — começou brincando com seus indicadoras, sem ainda entender porque estava tão ansioso — E nós vivemos juntos nossa vida toda, mesmo que não na mesma escola. Não entendo o que houve para ele acabar assim, mas conversamos sobre isso noite passada. 


— Então do nada ele decidiu que era legal brincar com você? Uau. — não quis soar debochado com a situação, mas acabou tendo um tom hostil. — Espero que ele pare essa perseguição, hoje o encontrei na biblioteca e ele me olhava de uma forma que parecia querer me matar. Não lembro de ter feito algo pra ele... — disse fingindo pensar. 


— Talvez apenas deu um soco no rosto dele? 


— Desculpe, não me lembro de algo assim. — sorriu com a própria mentira — Ele brincou com a minha altura, fiquei magoado. 


— Por quê? 


— Tive complexo de altura a minha vida toda, por que quando estou ficando bem com ela alguém vem e estraga todo o meu plano? Minha aulas de auto-defesa serviram para alguma coisa. 


— Acho sua altura perfeita. Você não tem dor nas costas e ficava etero no ônibus sem precisar se curvar um pouco.  — Chanyeol disse como quem não quer nada, sem perceber que fazia Baekhyun corar com o fato de ter usado a palavra perfeita, mesmo que fosse direcionado para sua altura. 


— Perfeita?! Uau, você realmente consegue ser bem exagerado, senhor gigante. — riu envergonhado — Ei, talvez sejamos a dupla perfeita, não é? Você é alto e eu baixo, é como pinky e cérebro! 


— Pftt... Bela análise, Byun Baekhyun. 


Com a fala debochada de Chanyeol, ele acabou gerando uma pequena discussão com a pessoa a sua frente. Apesar disso, não podia reclamar sobre sua tarde, quando saíram do estabelecimento perto das 19h, sentia-se extremamente feliz por dentro. Caminhando ao lado de Baekhyun, às vezes ele abaixava sua cabeça para poder analisar somente a parte de cima da cabeleira loira da pessoa inquieta ao seu lado, que falava tanto que ele sequer prestava atenção realmente; só sabia sentir que estava realmente animado. 


Eles passavam por frente de um parque com pouco movimento, pelo horário só havia algumas pessoas correndo. Baekhyun segurou em seu braço e o puxou para sentarem em um banco, não tinha percebido antes, mas ele parecia um pouco cansado e só então lembrou-se que ele estava triste logo cedo. 


— Você está bem? — ele aproximou sua mão da testa de Baekhyun e estava na temperatura normal. 


— Me desculpe, eu dormir mal na noite passada. — começou com um fio de voz, mas ainda mantendo o tom doce e seu sorriso gentil. 


— Baekhyun, pode me dizer o que quiser, eu realmente não tenho nada para fazer agora. 


— É que... eu estou uma bagunça agora. — Baekhyun encarava as pessoas correndo ao redor deles, sentia um pouco de medo de olhar os olhos grandes de Chanyeol — Meu pai quer que eu volte para o Japão nas férias para ver meu irmão, mas realmente... eu não quero ir. 


— Posso perguntar o por quê? 


— Só aconteceu tantas coisas lá, não tenho lembranças boas. Você acha que sou egoísta quando penso assim? 


— Não... — Chanyeol aproximou do corpo do loiro e o abraçou de uma forma desajeitada. — Está tudo bem você não querer ir agora, Baekhyun. Diga ao seu pai quando estiver pronto e vá visita-lo quando se sentir bem. 


E então o parque fora preenchido por um silêncio reconfortante entre os dois, eles ainda estavam abraçados de uma forma estranha, mas que deixava Baekhyun um pouco menos tenso e com o coração batendo rápido. Já era noite quando deles decidiram que estava na hora de ir pra casa, Chanyeol levou Baekhyun até a linha de ônibus e esperou com ele até que chegasse o seu. 


— Meu ônibus está vindo, Loey. Depois mando uma mensagem sobre o que pensei para a apresentação, ok? 


Ele levantou-se e Chanyeol o imitou, no segundo seguinte foi tudo um pouco rápido demais, mas os lábios se tocaram sem querer quando de forma inusitada, Baekhyun planejou beijar sua bochecha. Eles estavam vermelho agora e os lábios pareciam formigar com um toque simples. Baekhyun entrou rápido no ônibus e sequer deu tchau para Chanyeol, deixando o Park estático no seu lugar. 


O que foi isso? 


Notas Finais


Então, eu to pensando em escrever uma fanfic SeHo, mas preciso terminar essa primeiro aaaaa Deus por favor me ajude... pelo menos tenho tempo pra pensar mais com o que fazer com os personagens 😣


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...