História Crush de Pobre - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias G-Friend
Personagens Eunha, SinB, Sowon, Umji, Yerin, Yuju
Tags 2eunbi, Dahmo, Eunsa, Menção Taeny, Saeun, Sanha, Sinrin, Wonb, Wonha, Wonji, Wonju, Wonrin, Yumji
Visualizações 137
Palavras 2.025
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ficção Adolescente, LGBT, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu sei.
Muitos estão esperando o hot com a Yerin (ou não)
Mas me deu um bloqueio de repente e eu fiquei sem att por um tempo (acho que vocês perceberam).
Eu adorei escrever essa fic, dei muitas gargalhadas com ela e pensando nisso decidi escrever um final digno (pelo menos eu acho que está digno)
Eu sinto muito por não poder continuar e aproveitem bem esse capitulo (final).

Capítulo 14 - Chapter Eleven


– Eu te amo. – Declarei quando finalmente encontrei Eunha. – Por favor, me dá uma chance Eunha!

 

– Fique com a Yerin. Ela é perfeita pra você. Nunca te magoou e te ama até os dias atuais. Por que iria preferir a mim? Problemática, insegura, duas caras e sem coração. – Riu sem humor – Não é isso o que pensavam de mim?

 

Neguei e lhe segurei a mão.

 

– Sim já pensei isso porque eu sou uma idiota. – Olhou pra mim – Uma idiota que julga as pessoas pela primeira impressão. Eu achei que você fosse como nas fanfics mentirosas, mas que me fazem chorar, camren. Sempre achei que o amor era como retratam em palavras, mas é algo tão complicado e sem sentido que eu fiquei desnorteada pela culpa e pelo pecado do julgamento. Yerin me esclareceu tudo, tudo mesmo.

 

– O... Que ela disse? – Perguntou em um sussurro.

 

– Ela me contou sobre sua família biológica e suas desilusões amorosas, a rejeição que recebeu do restante da família Jung quando foi adotada e sobre Sana. – Olhou surpresa pra mim – Sana não foi apenas sua namorada, ela foi sua única amiga verdadeira e que realmente se importava com você. Você a amava tanto que acabou confundindo os sentimentos e acabou o laço que vocês haviam criado.

 

Negou incrédula com a cabeça.

 

– Eu aprendi o nome de todos os filmes que você assistiu e mais gosta, eu aprendi quase tudo sobre moda, até banquei o Jack Chan agora. Eu não fiz tudo isso em vão ou pra te impressionar, eu só quero ter algo de igual com você, algo em comum, porque eu te amo. Eu sempre soube disso, mas minha mente confusa e a culpa me fizeram mudar de opinião sobre você. Yuna, SinB, Umji, a própria Yerin, Jessica, Krystal, Taeyeon, Tiffany, Sana, Tzuyu, Irene, sua mãe, seu pai. Todas essas pessoas apoiam que nós fiquemos juntas. Por que está lutando contra isso? – Perguntei de joelhos enquanto abraçava as suas pernas – Se quiser, eu grito para todos que lhe amo. Por favor, fique comigo! Eu errei, eu sou uma idiota, fruto de uma sociedade julgadora e preconceituosa.

 

Olhou em meus olhos e abriu a boca para dizer algo...

 

 

SJ: OIIIIIIIIIII!!!! E aÍ? Confuso, não? Sei que vocês queriam saber a repostas da Eunha, mas isso só no final do capítulo. Agora, nós iremos voltar um pouquinho no tempo. E hoje eu estou séria porque o assunto é delicado.

 

 

Eu havia acabado de sair da Yerin. Sentia-me culpa, achava que eu havia apenas usado a Yerin, mas ela mesma me disse que eu não precisava me culpar e sim correr atrás da Eunha. Eunha havia viajado para a cidade vizinha onde tinha contato com os tios biológicos que são boas pessoas. Yerin me contou (na verdade revelou) muitas coisas sobre Eunha. Por exemplo, os pais dela eram dois devedores de traficantes, viviam usando drogas e por milagre Eunha não foi afetada por esses entorpecentes. Com quatro anos, Eunha consumiu drogas por conta dos pais que dormiram enquanto ela estava na escola. Quando voltou encontrou uma embalagem de confeito, abriu-a e levou a boca, engolindo diretamente. Quando os pais dela acordaram, Eunha já estava desacordada e pálida.

 

A assistência social botou o olho neles quando foi registrado o motivo da internação de Eunha. Ela morava na mesma favela que eu. Mas eu nunca havia a visto, minha mãe me proibia de ir à casa de um dos vizinhos, ela dizia que eles eram drogados e que iriam me roubar todos os doces. Claro que eu obedeci minha mãe, mas não contive minha curiosidade e olhei pela abertura da porta, meti um olho e comecei a espiar tudo, quando vi um vulto pequenininho no fundo da casa, dei um grito e saí correndo, depois disso eu evitava passar em frente aquela casa.

 

Alguns meses depois, a assistência social retirou a guarda de Eunha dos pais biológicos e a levou para um orfanato. Em menos de um mês, os Jung se interessaram por Eunha que por coincidência já tinha Jung no nome, então não foi necessário uma mudança de nome. E não deu outra, adotaram-na e deram toda a assistência que Eunha precisava, além do amor que ela recebeu, principalmente de Yerin que a recebeu tão bem.

 

Quando foram a apresentar a família completa, os demais a rejeitaram e disseram que ela jamais seria uma Jung de verdade. Yerin demonstrou resistência e até bateu no tio dela que estava falando coisas horríveis sobre a Eunha. Na escola quando finalmente a matricularam, os meninos e até as meninas, todos de sua sala, começaram a lhe perturbar, até chegaram a bater. Yerin com apenas seis anos, já praticava artes marciais (Kung Fu e Taekwondo). Sem se importar com a punição que receberia, caso usasse as habilidades que aprendeu para provocar uma briga, deu uma surra em todos. De uma vez só. Desse dia em diante, Yerin se tornou quem conheci no primeiro dia de aula. Protetora a ponto da violência. Claro que ela teve a punição tanto em casa quanto na academia onde praticava. Yerin, no Taekwondo, já tinha capacidade para a faixa preta, mas não tinha idade e o mestre dela ficava adiando o exame de faixa mesmo sabendo que ela poderia derrotá-lo em uma luta. A mesma coisa no Kung Fu. Eunha sempre foi protegida por Yerin e acabou ficando acomodada a essa proteção.

 

Sempre que encontrava um problema, corria até Yerin que sempre resolvia as coisas para ela e por ela. Mas quando se tratava de sentimentos, Yerin não podia lhe ajudar e Eunha se desesperava, passava uma imagem errada de si mesma e acabava só. Ninguém fazia questão de correr atrás dela e entende-la. Ninguém mesmo. Daí entra a Sana.

 

Sana foi uma das melhores amigas de Eunha. Começaram a namorar, pouco tempo depois, claro, seus pais ficaram surpresos por ela namorar uma menina, mas não deram muita importância a isso. Apoiaram-na em tudo. Até, que eu cheguei em sua vida, eu sabia que ela me via apenas como mais uma aluna, mas sua visão sobre mim começou a mudar. Transformei sua vida em um turbilhão de sentimentos. A cada sorriso meu direcionado a ela, lhe fazia o coração acelerar e quase acelerar. Nunca percebi porque ela parecia tão natural. Pra mim, apenas eu estava sentindo isso.

 

Quando lhe beijei pela primeira vez, foi algo assustador. Não por ter sido com ela e sim porque eu estava com medo de decepcioná-la com todo o plano que armei para conseguir ter o contato desejado com ela. Não aproveitei quando a tive em meus braços, me deixei levar pela luxúria e satisfação de finalmente tê-la pra mim. Fui egoísta. Não havia pensado nela, somente em mim. Em como me sentia, em como estava realizada e feliz, mas e ela? Eu não me lembro de ter pensado se ela estava feliz, se ela estava satisfeita, se ela estava bem, se ela estava confortável, eu sou uma idiota.

 

Quando Yerin me contou o quão feliz ela estava por eu ter prometido ser o Romeo dela, eu me senti ainda pior. E eu ainda a magoei. Magoei as duas. Aish! Que droga de vida! Ainda me lembro do que Yerin me disse antes d’eu sair correndo de sua casa atrás de Eunha. Ela disse:

 

– Se não a fazer feliz, eu juro que te mato. Anda logo e vê se não faz merda! – Disse sonolenta e descansou a cabeça no travesseiro – Quando eu acordar quero ter boas notícias.

 

Se depender de mim, ela teria a melhor notícia de todas.

 

(...)

 

– O que?! – Perguntei incrédula.

 

– É. Ela voltou pra antiga casa, na favela do cão. – Respondeu a tia dela.

 

– AISH! – Quase me descabelei – Obrigada pela informação.

 

Montei a moto que pedi empresta e coloquei o capacete. Acelerei o máximo que eu pude para chegar até a minha casa. Gastei a gasolina do Tonho, mas isso não importa agora. Eu preciso achar a Eunha. Nem que seja do outro lado do mundo, eu vou achá-la. E daí voltamos a cena inicial.

 

Bem, quero dizer

Você sabe, desde muito tempo atrás

Eu, eu, eu sempre gostei de você

O que mudaria se eu dissesse isso agora?

 

Você tem uma mente que não pode ser mudada

E é como uma árvore profunda enraizada

Um ramo de flores que Deus criou

Não desapareça e não mude

 

 

– Quero te fazer feliz! Nunca mais vou te magoar, levo café na cama todos os dias, direi que lhe amo todos os dias. – Continuei falando.

 

 

Mesmo se eu gostar de você, ninguém sabe

Mesmo quando vejo outras garotas, não há ninguém como você

Eu não tenho coragem, então me desculpe

Você pode rir mais de mim, porque eu sou

 

Eu sou um perdedor que te ama

Eu sou um idiota, um idiota

Eu vou ser uma sanguessuga em você

Tudo o que eu preciso nesse mundo é você

 

 

– Me deixei falar. – Pediu.

 

 

Baby eu sou apenas seu oh oh oh

Eu sou apenas seu oh oh não

Nananannannanan finalmente eu sou

Eu sempre sou um perdedor no amor

 

Bem, eu acho

Eu acho que ainda te amo muito

Por que eu não posso falar isso? Pareço uma criança desanimada

Bem, não conheço mais ninguém

 

 

– É verdade que você é uma idiota. – Assenti e funguei limpando minhas lágrimas.

 

 

Não faça meu coração se partir

Eu sou de mais para você que é mente fechada?

Uma mente vazia é um terreno baldio, estou perdendo a cabeça

Oh mãe, quando foi que isso aconteceu?

 

Mesmo se eu gostar de você, ninguém sabe

Mesmo se eu ver outras garotas, não há ninguém como você

Eu não tenho coragem, então me desculpe

Você pode rir mais de mim, porque eu sou

 

 

– Eu não deveria te perdoar por me magoar e magoar a Yerin.

 

 

Eu sou um perdedor que te ama

Eu sou um idiota, um idiota

Eu vou ser uma sanguessuga em você

Tudo que preciso nesse mundo é você

 

 

– Mas eu vou te dar uma chance.

 

Olhei surpresa e levantei de imediato.

 

– Sério?! – Sorriu levemente.

 

– Sério! – Sorri incrédula e levei as mãos à cabeça.

 

– Eu consegui! – Ri – Eu consegui.

 

– Não se vanglorie tanto. – Disse e eu assenti rapidamente.

 

– Aish! Eu te amo tanto!

 

Puxei-lhe para um beijo. Não pude esconder minha afobação e lhe rodei no ar.

 

 

Baby eu sou apenas seu oh oh oh

Eu sou apenas seu oh oh não

Nananannannanan finalmente eu sou

Eu sempre sou um perdedor no amor

 

 

Depois disso tudo acontecer, todas nós tivemos nossos finais felizes. Com “Shine” do PENTAGON de fundo e cada uma com sua respectiva parceira. Yuju e Umji (eu ainda quero estrangular a Yuju por tirar a inocência da minha irmã), SinB e Yerin (que apesar das divergências, se entenderam), Taeyeon, Jessica e Tiffany se resolveram e Jessica começou a sair com a Yuri. Sunny e Sooyoung finalmente saíram do armário. Jessica finalmente tomou vergonha na cara e começou a ter proximidade com Irene.

 

 

Você é minha memória

Apenas vendo você pode me dar força

O céu está brilhando

Eu espero que meu coração vá tocar você

 

Sem dizer, sabe, sabe, sabe

Já que meu coração é seu

Eu quero falar com a bela você

 

Todo mundo sabe

Eu tenho que te dizer uma coisa

Ouça meu coração

Eu fico nervoso quando estou na sua frente

 

Apenas te amo te amo te amo

Gosto de você, gosto de você, gosto de você

Eu amo você

 

Eu sou um perdedor que te ama

Eu sou um idiota, um idiota

Eu vou ser uma sanguessuga em você

Tudo que preciso nesse mundo é você

 

(Todo mundo diz) feche seus olhos

(Meu bebê) o que devo fazer, você sabe?

(Beijo, beijo) gugugaga borboleta

Agora estou sempre brilhando na frente do amor

 

Bom e esse foi o final dessa trama maravilhosa. Simples, não? Pois é, da simplicidade vem grandes coisas.

 

 

– Maravilhoso! – Comemoramos.

 

– O que será que os buddies acharam do dorama? – Questionou Eunha de boca cheia pela comida.

 

– Adoraram! – Respondeu Yuju – Até subiram tags, #Wonha #Yumji #SinRin

 

– Foi incrível gravar esse dorama. – Disse Eunha.

 

– Incrível gravar o dorama ou me beijar? – Perguntei convencida.

 

– Idiota.

 

É. Parece que eu sou idiota tanto na vida quanto no dorama.


Notas Finais


Como eu não realizei o Yeju aqui, fiquem com essa fic aqui (deixando bem claro que essa história abaixo, não é minha, mas em breve, farei uma yeju, prometo de dedinho):

https://www.wattpad.com/story/153942073-a-bailarina-yeju-version

Bye.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...