1. Spirit Fanfics >
  2. Crush on You >
  3. I love you

História Crush on You - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olha só quem chegou em plena quarentena pra tirar todo mundo do tédio! Isso mesmo, o último capítulo dessa delicinha que é Crush on You. Os 50 favs até que vieram rápido e eu me assustei com isso, então como prometido, o final da história.

Não vou dar spoiler do que vai rolar e nem nada, mas só vou dizer uma coisa: vocês vão AMAR. ♥

Agora vou deixar de enrolação porque eu vivo fazendo isso. Boa leitura a todos e nos vemos nas notinhas finais.

Capítulo 2 - I love you


Dois meses haviam se passado e Baekhyun transbordava alegria. O seu relacionamento com o Park estava perfeitamente bem e o semestre da faculdade - graças a todas as divindades existentes no mundo - estava quase acabando, o que significava duas coisas: a primeira é que não veria mais cara do professor da cadeira optativa - que odiava mais que tudo na vida; já a segunda, é que poderia aproveitar as tão esperadas férias ao lado do seu namorado. Isso mesmo, na-mo-ra-do.

É como dizem: “O mundo dá voltas, não é mesmo?”.

Veja bem, antes de todo aquele acontecimento, o baixinho se sentia um fodido, infelizmente no sentido ruim da palavra, não apenas por fazer algumas escolhas péssimas na vida, como também gostar de alguém há tanto tempo e sequer ter coragem de confessar seus sentimentos - por imaginar que não seria retribuído da mesma forma. Porém, agora se sentia completamente o oposto: um puta sortudo por ter ao seu lado alguém incrivelmente perfeito como Chanyeol, que deixava as suas pernas bambas e as batidas do seu coração descompassadas.

Sonhava com o dia que conseguiria namorar aquela coisinha linda, mas nunca chegou a cogitar que iria ficar da forma que estava desde que começaram o namoro, tão bobo que suspirava longo e profundamente só de erguer a cabeça para admirar o maior. Bem… o Park não sabia, mas deixava o pequeno Byun ainda mais apaixonado por ele, se é que isso era possível.

E no tempo em que estiveram juntos, conhecendo um pouco mais sobre o outro, descobriram que eram bastante parecidos. 

O que acabou desencadeando algumas risadas ao notarem que gostavam do mesmo sabor de sorvete, que mantinham uma mania super irritante de organização e que, principalmente, desejavam viver um romance no estilo sessão da tarde, meio mamão com - muito - açúcar e com final feliz, de preferência. Por esses motivos, eram muito agradecidos a Jongdae por ter tido a brilhante ideia de realizar a sessão de cinema, ajudando-os a ficarem juntos.

Não podiam negar, essa fase do relacionamento estava sendo uma delícia e não viam a hora de aproveitar as outras que viriam, ainda mais sabendo que as férias estavam quase chegando e que teriam todo o tempo do mundo para curtirem um ao outro da maneira que quisessem. Afinal, ambos se sentiam preparados para avançar um pouco na relação e os dias de tranquilidades eram perfeitos para isso.

O semestre enfim estava acabando, faltava menos de uma semana para se ver livre das aulas e, em especial, das provas. Não aguentava mais a quantidade de fichamentos e seminários que precisava fazer. Caso pensasse em ligar o foda-se, reprovaria e então seria uma enorme dor de cabeça para o baixinho, que evitava a todo custo não se chatear com coisas da graduação, pois sabia que não poderia fazer nada a respeito. No entanto, para tirar essas preocupações da mente, ao escutar o sinal que indicava o fim da aula, saiu correndo em direção ao bloco onde Chanyeol estudava, se tivesse sorte, encontraria ele em sala de aula para poder matar toda a saudade que tinha do namorado - o via todos os dias na faculdade, mas mesmo assim contava os segundos para tê-lo perto.

Desviando das pessoas que encontrava pelo caminho, contentes pelo intervalo, conseguiu chegar a tempo de encontrar Chanyeol atravessando a porta, que se assustou com a aproximação do mais baixo.

- Que susto, Bae! Eu quase morri do coração agora. - Colocou a mão sobre o peito, no lado onde estava o seu coração, que batia num ritmo acelerado. Mas sorriu feliz, muito grato por vê-lo.

- Desculpa, neném. - Passou os braços pela cintura do namorado, puxando-o para mais perto e ficou na ponta dos pés para depositar um selar breve nos lábios cheinhos, sendo retribuído com vários outros. - Vim correndo porque tava sentindo a sua falta, sabe como é... 

Chanyeol sorriu. O tipo de sorriso que Baekhyun amava: enorme, que mostrava todos os dentes possíveis dentro da boca e tão brilhante, mas tão brilhante que tinha certeza que o sol ficava com inveja do maior.

- Eu também tava com saudade, bobo. - Afagou os cabelos do menor, que virou a cabeça em direção ao carinho para poder aproveitar ao máximo o toque daquelas mãos grandes e acolhedoras. Baekhyun era muito manhoso, Chanyeol sempre o comparava com um gatinho à procura de um aconchego, e o maior, é claro, não negava nada ao seu garoto favorito em momentos como esse.

- Tá ansioso para as férias? Porque eu estou. Até pensei em vários programas pra fazermos juntos, tipo um cineminha debaixo das cobertas, podíamos também jogar videogame, comer muita besteira ou se você não quiser fazer nada, a gente só fica olhando o teto mesmo, não me importo. Eu só quero ficar do seu lado. - Baekhyun não percebeu, mas assim que terminou de jogar várias informações em cima de Chanyeol, que ria ao vê-lo muito animado para os dias de descanso, ofegou - levemente cansado por falar um monte de coisa em pouquíssimo tempo.

- Se for pra ficar ao seu lado, eu topo qualquer coisa. - Sorriu de lado, mostrando a covinha e, com muito esforço, - não queria sair daquele abraço gostoso - afastou Baekhyun para segurar sua mão, entrelaçando os dedos para irem em direção a Jongdae, que aguardava os dois. - Vamos? O Dae tá esperando a gente na cantina há um tempão, até mandou mensagem pra saber o motivo de estarmos demorando. - Deu um beijinho na bochecha do Byun ao vê-lo assentir e saíram em direção ao amigo.

Para a alegria de um Baekhyun ansioso, as férias haviam chegado. Finalmente poderia curtir os dias de recesso regados a diversão, comida gostosa e muito Park Chanyeol. Aproveitaria cada instante ao lado do seu namorado, que naquele momento se dirigia até a sua casa com uma mochila enorme, cheia de salgadinhos e doces para uma noite de maratona. Acabou não demorando muito, visto que o Park morava relativamente perto da sua casa. 

Baekhyun morava sozinho, um fator bastante positivo para os pombinhos que, naquela noite em especial, pretendiam ficar embaixo das cobertas enchendo a barriga de besteiras e sem nenhuma preocupação de serem interrompidos a qualquer momento.

Ao ouvir a campainha, Baekhyun saltou da cama e saiu em disparada à porta, abrindo-a e puxando o maior para dentro, logo enchendo todo seu rosto de beijos, pois como já era de se esperar, o baixinho estava morrendo de saudade.

- Oi, coisa linda! - Deu uma pausa nos beijos para continuar falando enquanto guiava Chanyeol até seu quarto, local onde iria rolar a maratona de Hunters, uma série nova que acabara de estrear na Amazon e que estava doidinho para assistir junto ao maior. - Já deixei tudo arrumadinho pra gente só curtir, coloca sua mochila aí na cadeira e vem pra cama. - Indicou o local com a cabeça e prontamente sentou no colchão macio, observando o Park tirando os salgadinhos de dentro da mochila para se acomodar ao seu lado.

- Bae, olha só o que eu trouxe pra ti. - Ergueu o pacote para mostrar ao Byun o seu salgadinho favorito, aquele de bacon que o menor atacava um ou até mesmo três pacotinhos sempre que podia.

- Sério, não pode ser. Eu tenho o melhor namorado do mundo todinho, fico até emocionado. - Fingiu enxugar algumas lágrimas dos olhos e fez um biquinho nos lábios, que imediatamente foi mordido por um Park que achou a cena a cara do Byun: fofa ao extremo. - Tá bom, agora chega de enrolação que hoje eu tô afim de madrugar vendo Hunters. - Se levantou para desligar a luz do quarto para, imediatamente, caminhar em direção aos braços quentinhos de Chanyeol, que já se encontrava todo enrolado no edredom.

O baixinho estava animado e um tanto nervoso, depois de dois meses aquela seria a primeira vez que Chanyeol dormia consigo, até porque decidiram levar as coisas com um pouco mais de calma, desfrutando cada segundo e vivendo cada etapa que este namoro permitia aos dois.

Eram cerca de três horas da manhã quando chegaram ao sétimo episódio da série, as embalagens das guloseimas estavam enchendo a lixeira colocada ao lado da cama e Baekhyun ainda se encontrava aconchegado no peito do maior, agora com a perna esquerda por cima das dele. Não acreditava no que o destino e Kim Jongdae haviam preparado, pois o que estava vivendo era perfeito demais para que, um dia qualquer, acordasse e percebesse que tudo não passava de um mero sonho.

Chanyeol era perfeito e Baekhyun não poderia estar mais feliz do que se encontrava naquele momento. Por isso, tirou os olhos da TV, não prestando mais atenção no que se passava na tela e deslizou o nariz pelo pescoço do seu namorado, sentindo a maciez da sua pele e o cheiro do seu perfume gasto pelas horas em que esteve fora de casa.

- Adoro o teu cheiro, sabia? - Murmurou perto do ouvido dele, ao mesmo tempo em que descansava o seu braço em cima da cintura de Chanyeol, apertando o local. - Me conforta e faz eu me sentir em casa. Você é o meu lar, Yeol, sabia disso também?

Virando-se de lado e trazendo o corpo do Byun para mais perto do seu, de modo que seus olhos pudessem captar toda a beleza que existia naquele que estava à sua frente, Chanyeol não podia deixar de falar o quão feliz estava por ter alguém tão incrível ao seu lado, como Baekhyun. - Sou muito apaixonado por você, Bae. Espero que tenha consciência disso também. - Não conseguindo refrear todo o desejo que sentia pelo seu garoto, Chanyeol o beijou.

De início, o beijo foi tranquilo. Os lábios se movendo com ternura enquanto as línguas se encontravam dentro e fora das bocas, apreciando com calma o gosto já gravado na memória, uma vez que ainda teriam todo o tempo do mundo para usufruírem daquele contato delicioso. Mas depois, deixando para trás toda a delicadeza existente até aquele momento, transformaram o toque em algo urgente e um pouco bagunçado.

Era o momento certo. Iriam compartilhar ali todo amor e desejo que sentiam pelo outro, de uma forma que nenhuma palavra seria capaz de descrever a dimensão dos sentimentos que os envolviam.

Surpreendendo Baekhyun, o Park foi quem acabou com o restante de espaço que existia entre os corpos, puxando o mais baixo para o seu colo a fim de sentir cada parte do Byun com mais clareza, este que se aproveitou da oportunidade para espalmar suas mãos no tronco de Chanyeol, explorando toda a área que era oferecida de bandeja para si, sentido-o respirar pesado sob as pontas dos dedos.

Imerso em uma onda de prazer, Chanyeol fechou os olhos e deu espaço para que a boca de Baekhyun marcasse toda a sua pele, do pescoço à clavícula avantajada, descendo devagar para os mamilos que, enrijecidos, demonstravam o quão extasiado o maior estava, sem deixar que suas mãos percorressem todo o corpo do menor, descendo rapidamente para bunda grande que tentava rebolar discretamente em cima do seu colo. O que era em vão.

A tensão era palpável naquele ambiente e, por esse motivo, Baekhyun encostou sua testa na de Chanyeol, tirando um tempo para recuperar o fôlego perdido e saber se o maior tinha certeza de que desejava aquilo tanto quanto ele.

- Yeol… você quer continuar com isso? - Baekhyun perguntou com um leve receio, pois ansiava por aquele momento, desejava mais do que tudo ter Chanyeol dentro de si, preenchendo-o do jeito que sempre o imaginou fazendo.

- Isso seria transar, Bae? - Sorriu ladino ao encarar Baekhyun, sentindo o corpo do menor tremer com a insinuação que havia lançado descaradamente, querendo atiçá-lo. - Quero muito… mas agora, minha maior vontade é te ver todo entregue para mim. Depois a gente pensa no que faz, temos toda a madrugada para isso. - Seu braço tomou distância para dar um tapa firme na nádega esquerda do namorado, que levou isso como incentivo para rebolar com mais vontade, sentindo a ereção pesada logo abaixo da sua bunda.

- Sou todo seu. - Baekhyun sussurrou no ouvido de Chanyeol e mordeu o lóbulo da sua orelha, devolvendo a provocação que - claramente - havia surtido efeito.

Uma por uma, as peças de roupas foram de encontro ao chão, para que Baekhyun sentisse, em seguida, suas costas contra o colchão, tendo Chanyeol entre suas pernas, tomando rapidamente o seu membro nas mãos e o estimulando de cima a baixo, enquanto uma quantidade considerável de pré-porra escorria pela sua fenda, ajudando naquele estímulo.

- Chanyeol… - Entre um gemido e outro, Baekhyun chamou o namorado apesar de não ter motivos para isso. Ao escutar o seu nome num tom manhoso, o Park sentiu-se arrepiar dos pés à cabeça. - Me chupa, por favor…

Caramba, poderia gozar só de ouvir Baekhyun implorando por algum alívio. Porém, ao invés de provocá-lo ainda mais, resolveu dar a ele o que tanto queria, por isso, curvou-se sobre o seu membro e o colocou até onde sua boca alcançava; masturbando toda a extensão que ainda restava. 

E, vagarosamente, com intenção de prolongar as sensações que percorriam cada pedacinho do corpo abaixo de si, Chanyeol desceu o máximo de pôde até que Baekhyun sentisse o início de sua garganta, enquanto a mão livre se enchia com as bolas por um instante antes de tirar o falo da boca e voltar a fazer o mesmo logo em seguida.

Baekhyun estava uma bagunça, soltando gemidos cada vez mais altos à medida em que segurava forte o lençol, o corpo trêmulo anunciando o que estava prestes a vir. Pouco se importava com o que seus vizinhos deviam estar pensando daquela pouca vergonha em plena madrugada.

O Park não parou um minuto sequer de estimulá-lo e isso o estava enlouquecendo; sempre imaginou Baekhyun todo lindo e entregue em suas mãos, mas não da maneira em que estava: ofegante, com os cabelos esparramados pelo travesseiro, os lábios inchados após incontáveis beijos e mordidas; sem esquecer do olhar nublado e cheio de tesão, que mirava a face de Chanyeol - que estava focado em dar todo o prazer que o Byun merecia. Não só naquele instante, mas em todos os possíveis.

Reunindo toda a força que não sabia existir, Baekhyun embrenhou seus dedos por entre os fios do mais alto, um aviso mudo para mostrar que estava perto e que foi ignorado por um Chanyeol que se dedicava em arrancar mais suspiros e, por fim, o gosto da porra do Byun em sua boca, que sem demora atingiu o seu paladar. 

- Porra… - Sem fôlego e perdido em meio a espasmos, Baekhyun murmurou e trouxe Chanyeol para cima, de maneira que olhasse no rosto de quem o proporcionou sentimentos até então nunca sentidos, a fim de beijá-lo, para depois voltar a expressar como se sentia. - Você é um safado. Olha só o que fez comigo.

Chanyeol sorriu bonito e voltou a colar os lábios nos de Baekhyun, que sentiu a ereção ainda potente entre as pernas do seu namorado. Teria o maior prazer em retribuir tudo aquilo que o maior o proporcionou, se fosse possível, - tinha certeza que era - até mais do que lhe foi oferecido. Chanyeol merecia o mundo inteirinho, e o baixinho era alguém que estava disposto a dar tudo que o Park quisesse ou precisasse.

Explorar cada parte do Park foi como desbravar um terreno - até aquele momento - desconhecido por Byun Baekhyun. Não porque não tinha vontade de experimentar tudo que ele poderia oferecer, mas por não ter tido nenhuma oportunidade ainda. Porém, nada mais importava, já que estavam embaixo do cobertor, dividindo um único travesseiro, com Baekhyun acariciando a bochecha de Chanyeol, a que continha a covinha que tanto admirava.

Seu coração batia descontroladamente dentro do peito, mas já havia se acostumado com isso, pois raras eram as vezes em que não se sentia dessa forma. O maior parecia não se tocar disso, mas ele sabia exatamente o que fazer para deixar o pequeno Byun caidinho de amores.

- Você é tão lindo, Yeol. - Continuou fazendo um carinho gostoso na bochecha do maior, este que abriu um sorriso enorme nos lábios ao escutar um elogio feito de repente. Era bom. Deixava o coração quentinho e com a certeza de que era amado da mesma forma e, talvez, na mesma intensidade. Baekhyun quase derreteu com o curvar dos lábios, mas voltou a falar.

- Eu amo você, de verdade… No início, antes mesmo da gente começar a namorar, eu pensei que minha quedinha por você ia passar, até porque eu não sabia que seria retribuído, mas Yeol, me surpreendo tanto contigo! Mesmo diferentes em alguns aspectos, apesar de sermos muito parecidos em outros, de um jeito ou de outro a gente combina, se completa e eu não poderia estar mais feliz do que estou hoje, por compartilhar momento incríveis e novas experiências com você. Eu te amo, Park Chanyeol, amo muito. - Segurou a mão de Chanyeol e a colocou por cima do seu peito, onde o coração pulsava rápido.

Baekhyun sentia-se cheio, não só por lágrimas nos seus olhos, tomado pela emoção de ter se declarado ao Park, mas por sentir que estava caminhando junto ao maior por um trajeto repleto de amor, com alguns infortúnios, pois sabia que ter um relacionamento não era lá uma tarefa muito fácil, por se tratar de duas pessoas com pensamentos um pouco distintos; e ter a plena convicção que tudo iria dar certo, pois era Chanyeol ao seu lado e faria de tudo para que as coisas continuassem como estavam: perfeitas em seus mínimos detalhes.

Um tanto admirado e mexido com dizeres tão lindos vindos de Baekhyun, Chanyeol o encheu de beijos e o apertou contra o seu peito, um pouco desajeitado por conta da posição em que se encontravam; no entanto, não podia deixar de mostrar ao seu garoto, mesmo que sem palavras, o quanto sentia o mesmo por ele. Baekhyun sempre teve o seu apreço - antes de conhecê-lo por meio de Jongdae, o notava passando entre os alunos da faculdade e, graças ao amigo em comum que tinham, tinha a chance de vivenciar tudo o que um dia sonhou ao lado do baixinho.

Suspirou, tomando coragem para se expressar da maneira que sempre quis, de peito aberto - como sempre esteve, só que agora bem mais - e com um sorriso estampado no rosto, alegre por ter Baekhyun em seus braços.

- Amo você de todo o meu coração, Bae. Acho que nem todas as palavras e gestos que existem no mundo são capazes de descrever o tamanho do meu amor por você. - Sorriu contido, observando uma lágrima rolar pela bochecha cheinha de Baekhyun, limpando-a logo em seguida; nessas horas em que o baixinho deixava toda emoção à mostra, é que tinha ciência do quanto o amava. - Não chora, seu bobo. Eu te amo… muito muito muito mesmo, que até dá vontade de gritar isso por aí.

O som das risadas misturadas logo encheram todo o cômodo. Baekhyun e Chanyeol estavam felizes e gritando aos quatro ventos e para quem quisesse escutar o quanto se amavam. Provavelmente o tempo que esperaram para se declararem, fez com que o sentimento que os unia tomasse proporções inimagináveis. Talvez era só o destino mesmo, esperando a hora certo para que pudessem compartilhar todo amor que um nutria pelo outro. Ou quem sabe, era só um cara chamado Kim Jongdae que, com o seu jeitinho cupido de ser, tornou tudo possível para os dois.

Enfim, nada disso era relevante naquele ponto. Na verdade, o que importava mesmo, às quase cinco da manhã, era a aventura a dois que estava por vir, com aprendizados que os aguardavam e um afeto que os enlaçavam cada vez mais.


Notas Finais


Então é isso, gente! ♥

Queria agradecer a cada um que leu, favoritou e comentou. Vocês não devem saber, mas a cada feedback eu fico ainda mais motivada a escrever, sério hihihih isso é tão verdade que já estou pensando em escrever uma outra história, acredito que seja um pouco diferente do que costumo escrever.

Pra quem quiser conversar comigo ou surtar no twitter, tá aqui meu perfil: @baekkkiejagi.

Mais uma vez, obrigada por tudo e até logo. Um beijão no coração de vocês. ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...