História Be My Forever - Choni - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Mendes, Cole Sprouse, KJ Apa, Lili Reinhart, Madelaine Petsch, Riverdale
Personagens Antoinette "Toni" Topaz, Cheryl Blossom, Elizabeth "Betty" Cooper, Forsythe Pendleton "Jughead" Jones III, Veronica "Ronnie" Lodge
Tags Beronica, Betty, Cheryl, Cherylblossom, Choni, Jughead, Madnessa, Riverdale, Toni, Tonitopaz, Vanessa, Veronica Madelaine
Visualizações 243
Palavras 2.435
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 25 - Fica longe de mim


Fanfic / Fanfiction Be My Forever - Choni - Capítulo 25 - Fica longe de mim


Toni batucava os dedos na mesa do diretor, cantarolando i wanna be yours do arctic monkeys. Era o seu dia de volta as aulas, esperava ansiosa para poder finalmente tentar uma aproximação com Cheryl, só ficou sabendo dela por Jughead e era muito pouca coisa. Apenas que a ruiva estava mais calma do que o normal, não dava em cima de meninas e voltou a grudar em Veronica como antigamente o que parece ter chateado Betty.

A morena por sua vez, focou totalmente na academia. Seu primeiro dia foi incrível Robert lhe ensinou alguns golpes e conheceu sua parceira de treino. Peaches. É uma garota muito simpática, boa de luta por já treinar a quase dois meses e de boa vontade. Era como Toni a descrevia por ter sido receptiva quando foi apresentada a garota que a recebeu de braços abertos.

Desde então, a Topaz começou a se exercitar mais saindo todas as manhãs para correr, inclusive hoje antes de vir para aula. Isso a relaxava o bastante para não ficar pensando o dia todo no quanto Cheryl deve a odiar, que talvez nunca mais tenham algum relacionamento e que nem aceite uma aproximação.

O barulho da porta abrindo, tirou Toni de seus devaneios fazendo a mesma ajeitar sua postura na cadeira e encarar o diretor que agora estava sentando a sua frente. Juntou as mãos em cima da mesa, encarando a aluna.

— Senhorita Topaz, eu preciso lhe dar um ultimato. – ele começou a falar com um tom grave. — Nenhum aluno demonstrou comportamento como o seu durante tão pouco tempo então, essa é sua última chance. Se houver mais um caso de violência em que esteja envolvida, você será expulsa.

— Tudo bem.

Levantou as mãos em sinal de rendimento.

— Prometo me comportar.

Cruzou os dedos em sinal de juramento, Honey suspirou indicando a porta a liberando para as aulas. Toni pegou sua mochila do chão, a jogando sobre o ombro e caminhando para fora da sala. 

Se dirigiu para o jornal, não havia ninguém ainda estava muito cedo e então, ligou seu computador precisava editar algumas fotos que Jughead pediu. Uma delas era de Cheryl para anunciar que agora sua nova vice do grêmio estudantil é a Veronica. Menos mal que seja alguém que não pode rouba-la de mim. Toni pensou, não precisando dar muitos retoques na foto da ruiva, era linda naturalmente.

— Você voltou!

A voz animada de seu melhor amigo soou pela sala, Toni tirou os olhos da tela e o olhou abrindo um largo sorriso. Mesmo Jughead indo a sua casa durante a semana que se passou, sentia falta das manhãs juntas dos dois.

— Voltei!

Comemorou, rindo.

— Como está hoje?

Ele perguntou, sentando em sua cadeira.

— Estou bem, Jug. – deu de ombros. — Louca para vê-la.

— Não se anime, até quando seu nome era chamado pelos professores ela revirava os olhos.

Toni negou, imaginando a cena.

— Bom, deve ser o jeitinho dela de demonstrar que não me esqueceu.

Piscou em direção ao amigo, ele riu.

— Você tem uma autoconfiança.

— O que acha que chamou a atenção dela? Quero dizer, além da minha beleza.

Gabou-se, jogando os cabelos. Jughead negou, sabendo que a amiga sempre foi muito convencida, mas o assunto muda um pouco quando estão falando de Cheryl. Querendo ou não, ele consegue ver que Toni tem medo de ser rejeitada para sempre.

— Me diga a verdade, o está pensando em fazer?

Toni suspirou.

— Quero pedir desculpas antes de tudo e conversar. – pausou, encarando o amigo. — Pelo menos, tentar.

Pressionou os lábios um contra o outro, Jughead assentiu. A tentativa era sempre livre, só faltava saber se funcionaria, coisa que o garoto tinha quase certeza que não. Cheryl não parece ser o tipo de garota que esquece fácil, fora que poderia até mesmo querer se vingar de Toni. Mas bem, Jugjead não conhecia a Cheryl que Toni conhecia, ele poderia estar bem errado.

Na sala de aula a própria Blossom tinha um diálogo parecido com sua melhor amiga Veronica, nessa semana a morena não saiu de seu lado e isso rendeu brigas com sua namorada, mas não se importava, Cheryl precisava de seu apoio. Fizeram mais coisas juntas durante a semana do que a vida toda, foram as compras, fizeram uma mini festa de pijama apenas as duas na casa dos Lodge, ensaiaram muito com as vixens e recriaram o laço forte que tinham quebrado a muito tempo.

— Ela volta hoje.

Cheryl murmurou, largando sua mochila em cima da classe.

— Você está bem com isso? – Veronica a analisou. — Eu posso arrumar uma briga com ela, assim ganha mais uns dias de suspensão.

— Eu só...

Suspirou, virando-se para a amiga.

— Vai doer vê-la, porque vou lembrar de tudo.

— Gosta mesmo dela. – sorriu triste tocando o braço da ruiva. — Não fique assim, Toni não te merece, Cheryl, e podemos procurar uma garota que realmente te mereça.

A mais alta riu, negando. Mal consegue parar de pensar em Toni, quem dirá conseguir olhar para outra garota e a desejar. Se sentia uma estúpida por ter deixado a Topaz se apossar tanto de seu coração, ela não consegue mais ser a Cheryl que transa com qualquer uma porque não é qualquer garota que a satisfaz. Por vezes, ainda lembra do cheiro e do gosto de Toni, sente sua falta mais que tudo. É como se tivesse a enfeitiçado para nunca mais conseguir esquece-la, mesmo depois de toda dor que a fez passar.

— Vou ignora-la e espero que ela faça o mesmo.

Deu de ombros, observando a sala começar a ficar mais cheia. Betty não demorou a chegar, resolveu virar seu corpo dando espaço para as duas aproveitarem do amor recíproco que compartilham. Um pontinha de inveja lhe batia ao perceber o quanto Veronica foi sortuda pela loira ter os mesmos sentimentos, de um dia para o outro, as duas estavam inseparáveis. Era como se fosse para ser, destino. Cheryl pensava que também tinha um, ficar sozinha para sempre.

Estava mexendo em seu celular quando por instinto levantou seu olhar, arrependendo-se no mesmo instante de ter o feito já que Toni adentrava junto de Jughead, suas roupas rasgadas faziam Cheryl suspirar. Odiava o fato da morena a conquistar até mesmo sem fazer nada, mas mantendo sua postura lançou um olhar indiferente para Topaz que tentava uma troca de olhar.

Toni frustrou-se quando Cheryl a olhou por no máximo dois segundos, fez questão de passar bem ao seu lado para sentar na carteira ao lado de Jughead. Provavelmente nunca mais sentaria na frente da ruiva, não por enquanto. Seria torturante para a morena sentir seu cheiro tão de perto sem poder toca-la e pensando bem sentando em sua diagonal tem um a visão privilegiada da Blossom.

A garota dos cabelos rosas esperou o momento certo para tentar uma aproximação e esse foi no intervalo, quando a ruiva estava sentada no refeitório com seus amigos. Ah sim, Toni era ousada o bastante para enfrentar Kevin, Veronica e seus parceiros. Além disso, ninguém naquele local acreditou quando a garota que fez um vídeo tentando humilhar Cheryl Blossom, caminhou em direção a sua mesa.

— Me diga que ela não está vindo pra cá.

Kevin falou observando a aproximação.

— Ah, ela está!

Fangs confirmou, Betty e Veronica viraram para trás percebendo que Toni realmente estava indo até eles. Cheryl apenas levantou o olhar a vendo de frente, caminhando enquanto a encarava.

— Oi, colegas.

A morena sorriu, sentando ao lado de Veronica e ficando de frente para a ruiva isso atraiu alguns olhares dos outros alunos. Toni estava quase morrendo por dentro, mas por fora nem tremia demonstrando uma confiança que não tinha.

— Cheryl, eu preciso falar com você.

Pediu, encarando a garota.

— Ah, mas é claro que ela não vai conversar com você.

Veronica trincou seu maxilar.

— Cherry, por favor.

— Já disse para não me chamar assim!

Cheryl falou pela primeira vez, a repreendendo.

— Tudo bem, me desculpa. – Toni pediu em um tom calmo. — Estou aqui diante de todos porque quero me desculpar pelo vídeo e pela aposta.

A morena não falava alto, mas quem prestasse a atenção a ouviria.

— Por favor, só quero conversar.

— Ela não quer!

Kevin respondeu pela ruiva.

— Não estou falando com você. – rebateu, irritada com maneira que eles estavam a atrapalhando. — Cheryl, eu gosto de você...

Uma gargalhada forçada interrompeu Toni, fazendo a mesma engolir a seco. Para a ruiva aquilo só poderia der uma piada. O que era gostar para ela? Pensou. Fazer se apaixonar e depois quebrar seu coração? Toni só poderia ser louca.

— Escuta aqui, Topaz.

Elevou seu corpo, inclinando-se para ficar mais próxima da morena.

— Queria me humilhar e tudo que conseguiu foi o ódio da escola, parabéns, agora você é popular! – forçou um sorriso. — Fica longe de mim.

— Como pode achar que eu estou mentindo?

Toni também se levantou, fazendo Cheryl recuar por seus rostos ficarem tão próximos.

— Eu senti você, sabia que realmente gostava de mim. Me sinta também, Cheryl. Olha nos meus olhos e veja o quanto te quero de verdade.

Pediu, fixando seu olhar na ruiva que os desviou. Cheryl a sentia, sentia de forma que nem sabia explicar. Sentia hoje nas aulas, seu olhar queimar em suas costas. Sentia agora mesmo na forma que os castanhos estão desesperados por perdão, mas não iria ceder. Não para ser magoada novamente. Toni disse que ela é a pior pessoa desta escola e já a comparou com o diabo!

— Entenda. Se você me sentia antes, agora não sente mais porque tudo que tenho por você é desprezo! – cuspiu as palavras. — E eu nunca mais vou me envolver com você, Antoniette.

Finalizou, voltando a sentar em seu lugar. Os outros alunos nas mesas cochichavam enquanto Toni sentia seu coração doer com as palavras de Cheryl. Desprezo? Desprezo era algo muito forte! Pensou, contendo suas lágrimas. Aquela autoconfiança que tentava transparecer estava arruinada, queria pelo menos uma chance de se explicar.

— Tudo bem, Cheryl. – passou as mãos no rosto. — Vou te respeitar e não te incomodar mais.

A ruiva observou ela se afastar, soltando o ar que mal percebia que prendia. Abaixando a cabeça se perguntou como teve a coragem de conseguir falar tão firme sem vacilar. Veronica rapidamente a encarou, depois de acompanhar Toni com o olhar. Ela estava quase chorando? Se perguntou sobre a garota de cabelos rosas, seu semblante era realmente triste.

— Cheryl...

— Estou bem, Ronnie.

Afirmou a encarando. Veronica sabia que ela não estava. Nunca viu Cheryl querer tanto uma pessoa como quer Toni, mas a apostadora conseguiu quebra-la de maneira que a ruiva vive dividida entre o amor e a mágoa. Se sentia péssima por não poder fazer nada pela amiga, queria consertar a morena de algum jeito para que valorizasse Cheryl... Os olhos de Veronica se estalaram com o pensamento. Toni tinha as mesmas atitudes que ela teve quando percebeu que perdeu a amizade da ruiva. E se Toni gosta dela mesmo? Se percebeu que agora que a perdeu a quer de verdade? Passou tanta coisa por sua cabeça que nem prestava atenção na conversa dos amigos.

Em um certo momento disse que iria ao banheiro, deixando todos em assuntos paralelos inclusive sua namorada e em vez de ir para o banheiro, mudou seu caminho para o jornal. Ouviu muitas vezes Betty dizer que Jughead e Toni não saem daquela sala. Assim que adentrou o local avistou Archie conversando com Jughead e a morena de pé mexendo em seu celular aparentemente abatida. A mesma quando percebeu a presença de Veronica, arregalou seus olhos lembrando-se de quando a mesma lhe falou um monte de coisa.

— Olha, eu não quero brigar.

Toni falou, guardando o celular em sua jeans.

— Eu vim falar sério com você.

Veronica cruzou seus braços arrancando olhares curiosos dos dois garotos presentes, franzindo a testa Toni se aproximou um pouco mais, não o suficiente para levar um soco na boca pois era isso que achava que iria receber.

— Estou ouvindo.

Toni murmurou.

— Você gosta mesmo dela?

Deu um passo em direção a Topaz, ela não recuou.

— Eu gosto. – a morena suspirou confessando. — No início eu realmente queria acabar com ela, Veronica, mas quando a conheci de verdade... Eu me apaixonei.

— Então, por que você ainda tem sua moto?

— O que?

Toni ficou confusa.

— Se você não ganhou a aposta, por que não deu a moto ao Jughead? Por que fez aquela merda de vídeo? Por que fez a Cheryl passar por isso?

— Foi a Josie. Ela também estava envolvida, tinha o vídeo e o divulgou sem ao menos pedir minha permissão. Por que acha que bati nela? – Toni bufou ao lembrar. — Ela machucou a Cheryl e as minhas custas!

Veronica estreitou os olhos em sua direção.

— Quanto a moto, o Jughead aceitou acabar com a aposta como eu pedi. No momento que percebi estar apaixonada e que machucaria a Cheryl, eu desisti.

— Se você estiver mentindo...

— Por que eu estaria? O vídeo foi postado, se era isso que eu queria deveria me afastar dela, não acha? – arqueou as sobrancelhas. — Precisa acreditar em mim, ninguém até agora me deu um voto de confiança.

— Talvez porque você não mereça.

Veronica a fez rosnar, negando.

— Pense o que quiser. Eu só quero a Cheryl de volta, os outros que se fodam!

Passou por Veronica jogando seu corpo no sofá, exausta de tantos não lhe apoiarem e apenas Jughead ser o único a estar do seu lado. A amiga de Cheryl girou seus calcanhares, voltando a encara-la com um sorriso contido nos lábios. O jeito que Toni defendeu a ruiva, dizendo que Josie a machucou e que não importava os outros com certeza a convenceu.

— Vou te ajudar. – murmurou, Toni a olhou. — Mas se você magoa-la novamente, eu juro por Deus que...

— Nunca faria nada de mal a Cheryl, eu prometo.

Veronica relaxou os ombros, suspirando. Não sabia se estava fazendo a coisa certa, mas não aguentava mais ver sua melhor amiga tão abatida. Ela está magoada, mas no fundo o que mais quer é que Toni retribuía seus sentimentos. Ainda se lembra do quanto Cheryl estava feliz ultimamente e se perguntava o porque. O motivo estava ai: Antoniette Topaz. E agora sendo o motivo de sua tristeza, Veronica quer fazer a mais baixa voltar a ser o motivo de sua felicidade.


Notas Finais


Já da pra amar a Veronica?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...