História Crying over You - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Red Velvet
Personagens Baekhyun, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bottom!jungkook, Bts, Fluffy, Kookv, Sadfic, Seulgi, Songfic, Taekook, Top!taehyung, Vkook
Visualizações 265
Palavras 5.136
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


iria antes, mas acabou não dando. mil desculpas por isso!
Espero que gostem e boa leitura.

Capítulo 15 - Pour Me


Fanfic / Fanfiction Crying over You - Capítulo 15 - Pour Me

Jungkook suspirou pesadamente ao se desfazer da calça que vestia. A última peça de roupa em seu corpo. Estava sóbrio e nu na frente de Taehyung. Era como se todo o cômodo ficasse quente e depois insuportavelmente frio.

Mas em meio a tanta expectativa, ele finalmente encontrou forças para olhar o outro, ele estava tentando regularizar a temperatura do chuveiro, mantendo uma mão abaixo da água enquanto a outra girava o registro. Jungkook, na maioria das vezes, tomava banho frio, isso o ajudava muito. Estava prestes a ir ajudar Taehyung, mas este sorri vitorioso ao finalmente sentir a água amornada caindo sobre as costas de suas mãos.

- Agora está morninha. – sorriu retangular, olhando para Jungkook.

Taehyung pelado na sua frente. A mente de Jungkook entrou em total pane.

Ah, Jungkook tentou dar uma olhadela desdenhosa no corpo do outro, mas falhou, pois cada detalhe parecia convida-lo mais e mais. A olhar mais e deseja-lo mais.

Seu corpo era levemente definido, todo amorenado, ostentando alguns gominhos em seu abdômen e continha alguns sinais espalhados pelo peitoral e clavícula. Seu abdômen era levemente definido, mas ainda sim era o melhor que os olhos de Jungkook contemplaram. Sem exageros.

Corou e desviou o olhar ao descer mais e encontrar o membro de outrem, que corou ao sentir o olhar do outro em si. Taehyung queria fazer alguma pergunta pervertida, mas não conseguiu. Era incrível como ele amolecia quando se tratava de Jungkook.

Ainda muito receoso, se juntou ao outro no box, dividindo a água com ele, ambos esforçando-se para não molhar o cabelo. Jungkook parou defronte para Taehyung e sorriu corado, e teve o sorriso retribuído.

Taehyung, embora não demonstrasse, estava hesitante. Tentava a todo o momento tranquilizar-se, mas a visão de Jungkook nu o atiçava ternamente: queria enche-lo de amor e beijinhos, também queria outras coisas com segundas intenções. Era dificultoso para ele, mas esperaria o tempo de Jungkook.

Mesmo dividindo água, ambos se encontravam com os ombros ligeiramente tensos e o s corações acelerados.

Jungkook então pegara um sabonete novo o entrega para Taehyung, e pegou um mais desgastado para si. A iluminação daquele banheiro não era muito boa, um tom azulado preenchia toda a área e o vapor.

Cada um virou-se para um lado, deixando água cair sobre suas costas, enquanto ensaboavam a si mesmos.

Jungkook estava a digerir tudo que vira na festa. O beijo que Minjae dera em Taehyung. A intimidade de ambos. Cada coisa vista lá o preocupava mais e mais. O mais velho parecia tranquilo, Jungkook o espiava de soslaio vez ou outra. Numa das vezes que Jungkook virara-se para olhar o Kim, o mesmo o puxara ternamente para si. Com as mãos já ensaboadas, começou a espalhar a espuma de cheiro adocicado pelos braços e costas de Jeon, que mantinha o olhar perdido. A pele molhada de Jungkook fazia com que seus dedos deslizassem melhor por aquelas curvas. Jungkook era tão gostoso.

Lembrou-se dos gemidos manhosos dele. De como ele tremelicava aos seus toques. De como ele rebolava em seu colo. O gozo dele era gostoso.

Queria mais.

Estava ficando com o membro teso, então se afastou como se nada houvesse acontecido.

Após isso Taehyung prosseguiu ensaboando-se.

- Quer ajudar pra com as costas, Tae? – perguntou gentilmente, enquanto terminava de ensaboar seu corpo.

- Ah, claro. – sorriu torto.

Jungkook então começou a passear delicadamente suas mãos com os sabonetes pelas costas do outro, que seguia de cabeça baixa. O menor espalhava o sabonete por seus ombros de maneira tão carinhosamente e paciente, que mais parecia uma massagem.

- Sabe Tae... – disse perto ao pescoço de Taehyung. – Eu me lembro do 5 a 1 que você me fez... Eu nunca retribui a altura. – Sussurrou antes de mordiscar a pele cheirosa e fina do pescoço de outrem, que suspirou de olhos fechados.

- 5 a 1? – perguntara inocentemente, arfando ao sentir o outro descer as mãos por todo o seu dorso, dedilhando-o no percurso, até chegar a sua cintura, onde deu a volta e acariciou sua virilha.

Jungkook riu e deixou um beijo na pele macia do ombro de Taehyung. Ele então passou o dedo indicador na base depilada de Taehyung, circulando o dedo ali, fazendo-o estremecer.

- Ah – Taehyung riu ao finalmente entender o que Jungkook quis dizer, e este riu junto e se afastou para enxaguar suas costas. Virou-se para o menor e puxou-o lascivamente pela cintura. Seus membros se chocaram minimamente e Jungkook arfou manhoso. – Esperarei ansiosamente pelo dia em que você retribuirá. – falou deixando uma leve mordiscada na pele alva do pescoço de outrem.

- Aposto que outra pessoa vai fazer antes... – falou por impulso e se arrependeu.

Taehyung queria reclamar sobre isso, mas relevou. Pois se Jungkook fosse reclamar das coisas que ele fazia, Jungkook poderia falar por horas seguidas.

Taehyung riu sem jeito, roubou um beijo de Jungkook e saiu do box. Secou-se com a toalha da Pantera cor-de-rosa que Jungkook o entregara. Escovou os dentes com uma escova que havia deixado ali e foi para o quarto. Em seguida Jungkook desligou o chuveiro fizera o mesmo.

Jungkook então pendurou as duas toalhas na porta do banheiro. Assim que adentrou o quarto para se vestir, se deparou com Taehyung nu em sua cama, se enrolando nos cobertores. A luz fraca emitida pelo abajur em cima do criado-mudo era a única iluminação. Após se cobrir direitinho, Taehyung pegou seu celular e passou a digitar algo no aparelho.

- Vai se vestir!  – ordenou rindo, caminhando até seu guarda-roupa, abrindo uma porta e escolhendo algumas peças para ambos.

- Vamos dormir assim, Kook? – Taehyung perguntou em um tom casual, deixando o celular no criado-mudo e já ocupando seu lugar no canto. – Vem cá, vem. – deitou-se apoiando um cotovelo no travesseiro e o rosto nas costas da mão e deu dois tapinhas aonde Jungkook deveria se deitar.

Jungkook ponderou um pouco, mas logo sorriu em rendição.

- Então o que queria me dizer, Tae? – riu meigo, se enfiando abaixo dos cobertores, junto ao outro.

Taehyung o envolveu em um abraço quentinho, encaixando seu queixo no vão do pescoço do menor, que não tardou em retribuir o abraço. Não era um abraço qualquer, do tipo que eles trocavam diariamente. Aquele trazia sensações novas para ambos. O calor do corpo deles, pele com pele.

Tanto desejo.

Taehyung, então, afastou as pernas do outro; ficando entre elas e fitando bem o rosto sereno do outro. Ele parecia estar tão calmo, diferente da tempestade que se mostrava antes. Todas as pintinhas distribuídas por sua tez, seus lábios rosados, seus olhos charmosos. Tudo nele fazia Taehyung derreter de amores. Ele era a própria perfeição.

 Jungkook levou suas mãos até a nuca do outro, entrelaçando seus dedos ali e puxando-o carinhosamente. O beijo se iniciou de maneira calma e conforme, e paulatinamente, tornou-se necessitado e molhado, um verdadeiro emaranhado de línguas. As mãos grandes e magras de Taehyung apertavam a cintura do mais novo, logo após levara ambas para as costas do garoto, puxando-o mais de maneira lasciva.

Taehyung cessou o ósculo em selinhos amáveis, deixando por fim um beijo no maxilar do outro, que respirou fundo. Jungkook o mirava com tanta ternura e luxúria. Taehyung engoliu seco. Seria agora que tentaria. Sua garganta parecia ter secado, se embaralhava todo só de imaginar a frase em sua mente. Por que parecia ser tão difícil se declarar?

Jungkook seguia com um peso da dúvida em sua mente.

- Tae. – falou em um fio de voz, enquanto afastava uma mecha dos cabelos acastanhados do outro, fazendo o mesmo olha-lo – Você já namorou, né? – Perguntou sem muita pretensão, mas seu coração esmurrou seu peito de certa forma, que ele poderia jurar que Taehyung sentiu.

 Seria a melhor maneira de chegar ao assunto da traição e tirar esse peso horrível da consciência.

- Ah... – sorriu pequeno. – Sim, mas... – tentou falar, mas os lábios do menor seguiram tagarelando.

- Eu... – precisaria ser direto. – Soube que você namorava o Park Bo-Gum, eu queria saber... – ofegou e piscou descompassado – Sem querer ser invasivo...

Que péssimo começo.

- O que quer saber? – perguntou desgostoso, um tanto áspero.

- Quando vocês romperam? – perguntou acuado.

- Por que quer saber disso, Kook? – perguntou em um tom triste, deixando um selar nos lábios de Jungkook, que estremeceu em culpa, logo voltando a fita-lo.

Jungkook parecia se engasgar nas palavras e respirava com dificuldade.

- Eu acho que... Não que eu tenha... – não conseguia mentir perante o olhar sério e curioso de Taehyung.

- Ele me traiu... – ele falou quase que pausando, enquanto olhava para a janela – Com um cara de Busan. – a mente de Taehyung pareceu jogar uma sugestão terrível para ele.

- Sinto muito. – falou crispando os lábios e engolindo seco, sentindo o corpo do que estava sobre si ficar tenso. – Imagino que você tenha raiva dos dois.

- Não, Jungkook. Eu não sinto raiva do cara que fodeu meu ex. – riu com falso humor e deitou seu rosto sobre o peitoral de Jungkook, que iniciou um ameno afago em seus cabelos. – Foi em novembro. Perto do dia 30, eu acho. – respondeu sem humor, já suspeitando o porquê da pergunta do outro.

Isso acalmou Jungkook. E como acalmou.

Afinal, conhecera Bo-Gum em dezembro.

- Eu conheci ele em dezembro... – riu envergonhado e suspirou aliviado, mas o olhar duvidoso de Taehyung sobre si era indecifrável.

- Entendi – falou incômodo e saiu de cima do outro, deitando-se ao lado do Jungkook.

Respirou fundo e pôs-se a fitar o teto sem nuances. Perdeu a excitação e a coragem que estava no banho.

Por que se lembrar de Bo-Gum ainda o deixava tão taciturno?

Era horrível lembrar-se de como ele estava apaixonado. Do quanto se esforçava pelo outro. Do quanto o amava e protegia. Mesmo fazendo tudo isso, não fora suficiente. O outro o deixara.

Insuficiente.

Era assim que Taehyung se sentia para todos.

Taehyung teria de suportar o fato de que seu ex-namorado que o traiu, transou com o garoto por quem ele está apaixonado. Era tosco ligar para isso, mas sua mente já fantasiava ambos na cama; se amando e rindo dele.

Mesmo sabendo que eles se conheceram depois do término, Bo-Gum, provavelmente, já teve uma relação sexual com Jungkook. Isso deixava Taehyung triste e enciumado.

Por que tão complicado? Taehyung pensava que o passado de ambos não importava, entretanto, estava errado. O Passado de Jungkook o incomodava, e vice-versa.

Talvez não fosse a hora certa de se declarar para o mais novo. Talvez Jungkook só estivesse ali com ele até encontrar alguém melhor. Uma hora ou outra Jungkook iria abandona-lo?

Por que tantos pensamentos engatilhados? Logo mais ele desabaria a chorar.

Nos dias que se passaram, sempre que algo ruim o assombrasse, era só lembrar-se do sorriso de Jungkook, isso o tranquilizara tanto, mas agora, imaginar esse sorriso se afastando de si e indo com outro, era torturante. Precisava controlar sua respiração para não acabar chorando da frente de Jeon.

Jungkook não movera desde que o outro se deitou ao lado, apenas olhava-o com pesar. Compreendia o porquê de ele ter ficado tão melancólico. Ele respirava quiescente. Seus cílios longos e charmosos tocavam o alto de suas bochechas. O Semblante antes alegre e divertido, agora estava triste e o olhar perdido no teto. Os lábios crispados, as sobrancelhas arqueadas e as mãos arranhando os lençóis com seus respectivos dedos longos.

Foi muita indelicadeza chegar naquele assunto. Mesmo sabendo que isso o magoara, ele teve que lembra-lo disso. Tirou um peso da mente, se esquecendo dos sentimentos de outrem.

Ele aprecia tão vulnerável naquele momento.

Virou-se de bruços, aproximou seu rosto ao outro e deixou um selar nos lábios dele, que desdenhou do beijo e respirou fundo.

- Hyung – chamou-o com ternura, deitando seu queixo no ombro de Taehyung – Desculpa. Eu fui muito grosso contigo. – desculpou-se fitando os olhos amendoados do maior, que pareciam opacos.

- Tanto faz. – respondeu seco, sem olhar para Jungkook, que suspirou pesadamente. – Quero dormir.

“Tanto faz.”, repetiu-se na mente do Jeon.

Taehyung parecia estar tão decepcionado.

Jungkook cercou o rosto do outro com as mãos e o puxou para um beijo. Tentou adentrar sua língua e iniciar um beijo mais quente, mas Taehyung não cedeu e virou o rosto. Embora suas bochechas estivessem fervendo com as investidas de outrem e doesse repeli-lo tanto.

- Jungkook... Não. – falou manhoso, com um sorriso falso e desconfiado nos lábios.

- Tae... Não. – remedou-o e deixou um beijo na bochecha rubra e quentinha do Kim.

- Dorme. – ordenou para Jungkook e recebeu mais beijinho, dessa vez na testa.

De forma sutil e calma, Jungkook pôs-se de joelhos na cama, apoiou suas mãos no travesseiro, ladeando a cabeça do maior; em seguida, com muita delicadeza, colocou um joelho entre as coxas do maior, depois outro. Taehyung não entendendo, apenas mordiscou o lábio inferior e permitiu o outro ficar entre suas pernas.

- O que vai fazer? – perguntou rindo, mas um tanto atônito. Sentia as pernas do outros tremendo em contato com a parte interna de suas coxas.

A resposta veio por meio de beijos. Jungkook entreabrira os lábios e começou a distribuir beijos úmidos pela região do pescoço do maior, que fechou os olhos em êxtase. Desceu para o mamilo direito, trilhando com beijinhos molhados e estalados, que faziam Taehyung se remexer. Jungkook não se atrevera a encarar o mais velho durante o percurso, apenas o fazia sentindo um prazer imenso.

Debruçou-se com tenuidade sobre o outro e passou a sugar o mamilo com vontade e excitação, sentindo o mesmo se enrijecendo timidamente entre seus lábios. Deixou uma mordiscada ali e trilhou com beijinhos na horizontal até chegar ao esquerdo, que já se encontrava rígido.

Pela primeira vez estava a provar o corpo de Taehyung. O maior o observava com um sorriso ameno nos lábios. Sabia onde aquilo iria parar, mas não intervira. Estava gostando.

Em seguida, esquivara os lábios até o umbigo, onde deixou uma leve e tímida lambida, o que fez Taehyung rir com a doçura de outrem. Jungkook arfou dengoso, afastando os lábios do corpo do Kim e se ajeitando entre as pernas do mesmo. Só então ergueu-se e se atreveu a fitar o outro. Taehyung, que até então seguia com as mãos repousadas ao seu lado na cama, levou-as até o abdômen, passeando seus dedos longos pelo torso e dorso.

De maneira rápida, puxou o Jeon pela nuca e voltou a selar seus lábios. Agora Taehyung cedera e sugava a língua do menor, que a esse ponto já estava com a ereção formada, não muito diferente de si.

Sem cessar o ósculo, Jungkook desceu sua destra até o membro alheio - era tão grosso e o tamanho médio - segurou-o com destreza e o mais velho gemeu rouco e virou o rosto.

- Jungkook... – riu debochado, ofegando devido ao beijo longo. Fitou breve o seu pau sendo amenamente segurado pelo mais novo.

- Pode me chamar de Kook, ok? – respondeu reclinando-se e voltando a tomar os lábios inquietos do outro com os seus, e aproveitou para firmar os dedos ao redor do falo dele, que gemeu mais uma vez. – Relaxa, não vou arrancar o seu brinquedo.

- Não sei se quero deixar você brincar com o meu brinquedo... – brincou, erguendo seu torso e se apoiando nos cotovelos. Alternava o olhar no garoto de cabelos cor escura e em seu membro pulsante.

Ele estava nervoso, ansioso, triste, curioso com o que viria acontecer. Uma verdadeira bagunça em sua mente.

- Para de cu doce! – ponderou em falar “outra pessoa você deixaria”, mas se conteve e sorriu sem graça – É pelo 5 a 1.

Ambos riram e Taehyung assentiu, puxando-o para um beijo.

- Ok – sorriu ameno, sugando o lábio inferior de Jungkook que estremeceu. Voltou a apoiar-se com os cotovelos e deixou o mais novo seguir com o que queria.

Amava aquele garoto.

Jungkook estava trêmulo e hesitante. Queria tremer menos. Temia que o outro não gostasse, mas queria muito fazer algo para avançar no “relacionamento” com o outro.

Já havia feito tantos, por que esse parecia ser o mais difícil?

Respirou fundo e engoliu seco, afastando esses pensamentos de si.

Mordeu os lábios, passou a língua entre eles, umedecendo-o, enquanto debruçava-se melhor entre as coxas do outro.

A glande rosada e inchada do outro estava defronte aos seus lábios carnudos e cheinhos.

O olhar ameno do acastanhado o serenava um pouco.

Fechou os olhos, entreabriu os lábios e envolveu a glande do maior com os mesmos. O gosto agridoce do pré-gozo se fez presente em sua boca. Moveu minimamente a língua, passando-a entre a fenda e rodeando-a na glande de outrem. Lentamente, sua destra começou a masturbar a largura restante, enquanto seus lábios focaram-se na cabecinha, que vez ou outra, resvalava em seu céu da boca.

Agora não tinha volta.

Taehyung tentava manter-se calmo. Gemia baixinho e envergonhado. O outro parecia estar experimentando seu pau. Ansiava para que o outro apenas acelerasse o processo. Não queria apressa-lo, mas seu pau latejava, doendo mesmo. A boca era tão gostosa e macia. Ele parecia ser tão experiente.

Seus joelhos inquietos denunciavam o seu nervosismo.

De maneira calma, Jungkook apoiou ambas as mãos nas coxas de Taehyung e desceu os lábios pela extensão do mesmo, sentindo um grande incômodo na garganta ao fazê-lo. Então começou a subir e descer a boca pelo membro do outro, que seguia duro em sua cavidade. Vez ou outra esquivava os lábios para os testículos, sugando um de cada vez, enquanto sua mão trabalhava no membro. Lambuzou a área com sua saliva e voltou para o membro, onde lambeu de baixo a cima antes voltar a abocanha-lo. Taehyung seguia gemendo equilibrado, enquanto olhava o mais novo.

A velocidade ritmada e gentil que o mais novo adquirira era deveras agradável.

O nervosismo de ambos, aos poucos se dissipara, dando lugar ao tesão, a vontade e a volúpia de ambos.

A glande de Taehyung estava atingindo além da garganta, fazendo-o o Jeon se engasgar e lacrimejar, além de sentir ânsia, mas não pararia. Os gemidos excitantes de Taehyung serviam como um incentivo maior. Raspava gentilmente os dentes sobressalentes sobre a pele sensível e fosca. Sentia as veias do mais velho pulsando em sua boca, enquanto a glande oscilava em sua garganta. A todo o momento, por impulso, acabava engolindo a saliva.

Jungkook acatara alguma das diversas dicas que Jin havia o passado, uma delas: não engolir saliva; prender a respiração e gemer toda vez que a glande atingisse suas cordas vocais. Era bizarro? Talvez, mas tentaria.

Aquele estava sendo o melhor boquete que Taehyung já recebera. Jungkook era caprichoso e dengoso.

Os gemidos pouco escandalosos de Taehyung eram tão melodiosos. A voz dele conseguia ser perfeita em todos os aspectos, até gemendo. Ambos gemiam em conjunto. As cordas vocais vibrantes entorno de sua glande, os sons molhados provenientes da boca de Jungkook; tudo aquilo apenas contribuía mais para a excitação de ambos. Taehyung levou sua canhota para os cabelos negros do menor.

Jungkook deu um solavanco quando Taehyung abriu mais as pernas. Temia que ele começasse a foder com força sua boca, então ele apenas abriu mais a boca e fechou os olhos fortemente. Taehyung riu soprado do desespero do outro, então passou a acariciar os fios macios e sedosos do outro, que finalmente abriu os olhos e olhou para ele. A boca rosada salivante ainda preenchida pelo seu membro duro, que seguia expelindo seu liquido, enquanto escorria pelo queixo de Jungkook. Os olhos do menor estavam dilatados, marejados e lampejavam de maneira fofa. Suas estavam bochechas vermelhas em um tom forte. Estava tão lindo.

Após a breve troca de olhares, Jungkook voltou a chupar o membro de outrem, readquirindo a velocidade de antes.

O membro de Jungkook gotejava em pura excitação. Ele apenas se contentava em esfrega-lo contra a cama; de maneira ávida. Já não aguentando mais os gemidos de Taehyung despertando fisgadas em seu membro, ele desceu a mão livre até seu membro suplicante e começou a bombeá-lo.

- Kook, sai...  – puxou o ar entre os dentes de continuar. – Eu vou gozar...

Taehyung tentou afasta-lo, puxando-o pelos fios enegrecidos, mas não adiantou.

Jungkook mesmo com a garganta dolorida, ele engoliu todo membro, suportando o sufoco, subiu com a sucção forte até a glande, onde deu uma última sugada antes do Kim se despejar em sua garganta. Taehyung fechara os olhos com força, sentindo algumas contrações de prazer espalhando-se por todo seu corpo.

Jungkook engoliu cada gota do gozo quente e sorriu ladino para Taehyung, antes de deitar seu rosto sobre o membro já retraído do mais velho, que não entendeu nada. Só então ouviu o mais novo gemendo. Ele estava se masturbando e, pelo visto, logo gozaria. 

- Para, Kook. – falou firme, mas com a voz cansada – Eu faço isso por você.

- Ah... Não... Eu tô quas-

Antes que pudesse responder, fora jogado no lugar antes habitado por Taehyung e gemeu sôfrego ao sentir seu membro latejar forte em súplica. Taehyung ajoelhou-se entre as coxas levemente esguias do mais novo e deixou um breve selar em seus lábios.

- Você vai...? – perguntou atordoado, com as mãos em frente ao peitoral ao ver o outro distribuindo beijos por seu peitoral, enquanto dedilhava suas coxas com vontade e o mais velho riu.

- Eu? – perguntou tentando segurar o riso.

- N-não vai introduzir nada, ok? – falou temeroso.

- Caralho, que ideia errada. – riu da cara preocupada do outro e se inclinou para beija-lo mais uma vez. – Só quando você pedir para mim te foder. – sua voz soara mais grave e rouca, e Jungkook gemeu, sentindo uma fisgada forte no membro.

Como ele queria isso! Jungkook se derretia só de imaginar isso.

- Hyung... – desceu a mão direita para o membro pedinte e começou a masturba-lo, mas foi impedido por Taehyung, que juntara ambas as mãos acima da cabeça do menor, segurando carinhosamente os pulsos marcados dele.

- Eu já disse que eu faço. – falou deixando mais um selar nos lábios inchados do menor.

- Faz logo... Por favor. Dói... – falou choroso, relaxando o corpo e os braços.

Taehyung riu maldoso e começou sugar o mamilo direito de Jungkook, que ficou rijo em sua língua ágil. Jungkook mantinha os olhos fechados e as sobrancelhas levantadas e gemia de maneira sôfrega. Sabia que ao mínimo toque, o garoto poderia gozar, mas Taehyung queria que durasse mais.

Desceu a mão livre para o pau pulsante do outro, mas não o segurou, apenas tocou a glande com o dedo indicador, a mesma se contraiu e Jungkook gemeu manhoso.

- Oh, Kook – Taehyung sussurrou perto do ouvido dele – Eu amo ouvir você gemer...  – falou passeando o indicador pela glande, espalhando o pré-gozo que expelia da fenda.  – Você é tão gostoso...

- Hyung... Rápido – falou mais irritadiço, mas ainda com a voz carregada de fofice, encarando-o com os olhos entreabertos.

- Mas vai ser tão rápido, nem vai ter graça... – rebateu fazendo manha e rindo do outro. Que grunhiu ofegante.

Jungkook estava com as bochechas tão rubras e os olhos dilatados. Taehyung queria brincar com ele, mas teria piedade.

- Pede com jeitinho, vai...  – mordiscou a pele fina do pescoço dele e deixou um chupão ali, provavelmente marcaria, mas ele não ligara.

- Por favor, Tae... Eu imploro. – pediu da maneira mais arrastada e lasciva, mas o mais velho apenas riu e não prosseguiu. – Eu vou broxar. – falou firme, mas solto um gemido alto quando o outro fechou a mão entorno de sua glande, pressionando os dedos firmemente, enquanto descia lentamente pela extensão de outrem. Tal como uma penetração.

Então Taehyung começou a masturbação lenta e descompromissada, mas ainda sim gostosa e apertada.

- Geme mais, Kook... – sussurrou, antes de deixar de um beijo estalado na bochecha do menor, que acatara o pedido e passou o gemer daquela forma maravilhosa que só ele sabia fazer.

- Eu vou gozar... – falou tremelicando e fechando os olhos.

Taehyung ao ouvir isso desceu com alguns selares espalhados pelo corpo definido do outro e, sem precedentes, abocanhou o membro do menor, que arqueou as costas e deixou um gemido alto escapar por seus lábios maltratados.

- Porra, Hyung! – falou em total êxtase.

Jungkook tentou segurar, mas não aguentou. Assim que Taehyung sugou sua glande com voracidade, ele gozou na boca do maior, que engoliu tudo. Taehyung deixou um beijinho simples na glande de Jungkook, que tremeu e respirou fundo, antes de abrir os olhos e fitar o teto.

- Eu não tive tempo de perguntar, Hyung... – disse Jungkook, se ajeitando sobre a cama e limpando o suor da testa com o braço.

- Aiai... – falou cansado e deitou-se ocupando o canto – O que é?

- Você gostou? – perguntou cruzando ambas as mãos sobre o peitoral de outrem, deitando seu rosto sobre elas e fitando o rosto dele.

- Até que não foi tão ruim. – riu e fitou o rosto meramente confuso do outro.

- Ah... Você pareceu gostar bastante. – disse incerto.

- Já ganhei melho-... – conteve-se, ao sentir a respiração do outro oscilar, e pigarreou antes de prosseguir por outra frase – Impressão sua. Você quem pareceu gostar bastante do 5 a 1 que eu lhe fiz.

- Eu gostei bastante, Hyung. – suspirou pesadamente e fechou os olhos. – Melhor que já recebi. – constatou sem graça e sem sorrir.

Taehyung sentiu-se um tanto bobo com o que ouvira.

- Foi o melhor pra mim também. – sorriu ameno, virou-se de lado e abraçou a cintura de Jungkook, fazendo-o deitar o queixo sobre pescoço. – Eu amei, pequeno.

- Pequeno? – indagou com a voz neutra.

- Sim. Você é uns dois centímetros menor que eu. – ambos riram.

- Mas eu sou mais forte. – deu uma gargalhada.

- A gente nunca saiu no soco pra saber isso.

- Isso pode mudar, sabia? – falou provocante deixou um beijo amoroso na testa do outro.

Aquilo acabara com qualquer resquício de pensamento sobre o Bo-Gum.

Taehyung afrouxou o abraço e fitou o rosto cansado do moreno de cabelos negros. Então o celular de Taehyung tocou sobre o criado-mudo. O aparelho tocou vezes seguidas, então Jungkook pegou-o e o entregou para Taehyung, que agradeceu.

Eram diversas mensagens de Seulgi. O relógio marcava 00h15. Apressou-se em abrir o aplicativo de mensagens e ler as que recebera da moça.

Flor de Seul: Tae! Eu ouvi as bandas que você me indicou e eu amei todas! Principalmente The Fray e Nickelback!

Mensagem recebida ás 00h14

 

Flor de Seul: A música Helena do mcr é linda, to arrependida de ter feito você trocar aquele dia! KKKK

Flor de Seul: Vai vir amanhã mesmo né? Preciso te ver, que saudades de você “amigo”.

Mensagem recebida ás 00h15

 

Jungkook tentara espiar, mas Taehyung se esquivara, então ele apenas ficou quieto esperando.

Taehyung ponderou antes de responder, mas o fez.

- Kook – roubou mais um selinho dos lábios rosados, que sorriram alegremente pelo contato – Amanhã você sai que horas?

- A mesma de sempre. Por quê? – perguntou coçando os olhos e deitando-se um pouco mais afastado, para não transparecer a curiosidade que estava dentro dele.

- É que eu vou ir pra Seul amanhã e talvez eu volte um pouco mais tarde. – falou despreocupado, terminando de escrever algo e bloqueando-o antes de entrega-lo para Jungkook, que resistiu a curiosidade e deixou celular novamente sobre o móvel.

- Tudo bem. – sorriu ameno. – Eu posso vir a pé.

- Tem certeza? – Taehyung perguntou preocupado. – Você pode se perder.

- Eu sei o caminho, Hyung. – respirou fundo e manteve o sorriso nos lábios – O aniversário do Taeshi tá chegando. O que vai dar pra ele?

- Ah? Eu tinha me esquecido – Taehyung riu envergonhado e cobriu o rosto com um braço – Eu não sei... E você?

- Eu já dei o mês passado. – disse Jungkook.

- Eu não tenho ideia do que dar pra ele... – falou desgostoso.

- Ele gosta de figuras de animes. – sugeriu Jungkook.

- Tem tantos... – falou decepcionado, mas sorriu ao lembrar-se de algo – Ele gosta daquela menina que atira do jogo... Não lembro o nome dela.

- Loira? – Taehyung respondeu animadamente “sim” – É a Noel! Compra uma figura dela.

- Vou ver se encontro uma amanhã em Seul. – falou voltando a fitar o teto.

- Isso – sorriu quebrado, sentando para ajeitar os cobertores sobre ambos, mas desceu o olhar para o joelho direito de Taehyung, onde havia uma cicatriz não muito profunda e parecia ser recente.

Lembrou-se de como ele adquirira aquela marca ali, por sua causa.

O dia em que tudo poderia ter acabado. O dia em que Taehyung salvou a vida dele. O dia em que tudo parecia desmoronar em cima de Jungkook, mas Taehyung o ajudara.

“Eu quero te agradecer por ter salvado a minha vida.”

“Obrigado por ter mudado de ideia...”.

Sorriu nostálgico com as lembranças que invadiam a mente dele, deixando imerso no seu mundinho de recordações, nem todas boas.

- Kook – ouviu a voz de Taehyung chamando-o, enquanto o mesmo abraçava sua cintura. – Está tudo bem?

- Tae, posso cantar uma música pra você?  – perguntou cansado. Abraçou o Kim e afundou o rosto no peitoral dele, antes de erguer o rosto para fita-lo.

- Hm? – Taehyung pareceu surpreso – Claro. – sorriu ameno e deixou um beijo na bochecha dele.

Ele pareceu ponderar quanto à parte o qual começaria. Taehyung o olhava com expectativa.

A voz afinada e meiga de Jungkook era harmoniosa. Taehyung se perdera por completo na voz do garoto, que cantava timidamente e abraçando-o. A voz oscilava de maneira tão tênue e amável, mas sem perder a afinação. O timbre era tão lindo e diferente, junto ao vibrato. Ele cantava tão bem e a música escolhida pelo menor era de derreter o coração de Taehyung. Talvez ela descrevesse um pouco dos sentimentos de Jungkook para com o outro:

 

Cause there is no guarantee

That this life is easy

Yeah, when my world is falling apart

And there's no light to break up the dark

That's when I, I, I look at you

When the waves are flooding the shore

And I can't find my way home anymore

That's when I, I, I look at you

 

~

 

Pois não há garantia

De que esta vida é fácil

Quando meu mundo está caindo aos pedaços

E não há luz para quebrar a escuridão

É quando eu, eu, eu olho para você

Quando as ondas estão inundando o litoral e eu

Não consigo encontrar o meu caminho de casa

É quando eu, eu, eu olho para você

 

 

- Kook eu não sei o que dizer. – confessou assim que ele terminou – Sua voz é linda.

- Obrigado. A sua é muito mais linda. – sorriu tremendo tênue e com vergonha. Vergonha por tudo mesmo.

- Obrigado por cantar essa música pra mim. – falou em um tom baixo e beijou o topo da cabeça de Jungkook.

- De nada... – riu e aninhou nos braços de outrem. – Boa noite, Tae.

- Boa noite, Kook.

“Eu te amo”, acrescentou mentalmente.


Notas Finais


Jungkook sente muita gratidão pelo Taehyung, além do amor é claro, mas tem muito receio por tudo já aconteceu.
mas é isto! obrigada por ler <3

a música que Kook cantou para o Tae >> https://www.youtube.com/watch?v=vjST-Ubg1yA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...