História Cuidado com as crianças - Capítulo 119


Escrita por:

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Akashi Seijuro, Personagens Originais
Tags Akashi Seijuurou
Visualizações 51
Palavras 1.849
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


GENTE PRECISO DE AJUDA DE VOCÊS COM URGÊNCIA.
Eu não tenho preguiça de escrever e nem bloqueio, tenho preguiça de postar e por isso acabo demorando.
Eu me sinto muito mal por não postar, na questão de escrever eu tenho minha melhor amiga para me cobrar, mas ela não cobra o postar, então peço de todo meu coração, se eu demorar mais que duas semanas me mandem mensagem privada cobrando, me lembrando, pode ser aqui, no instagram, no face, até no whats quem tiver meu número.
PRECISO QUE ME COBREM.
Peço de todo meu coração.
EU tenho muito respeito e amor por vocês que sempre leem e me ajuda comentando, contudo me pressionem, de verdade.

Desculpe qualquer erro não visto.

~Boa Leitura.

Capítulo 119 - Reecontros


Narrador POV

Ir parar na delegacia por lesão corporal não era algo que Akashi planejava, ele ainda estava tão furioso que tiveram que o conter com quatro homens corpulentos.

Obviamente após saber a precedência do ruivo o trataram como um rei, comida cara e o que ele quisesse ninguém queria mexer com os Akashi, eram poderosos demais.

Seguindo o conselho do irmão que tinha chegado à delegacia há pouco tempo Lise denunciou o tio por extorquir dinheiro e os abusos sexuais, as várias marcas no corpo da menina e sua atitude perturbada foram o suficiente para a denúncia.

Deixaram a pequena conversar com seu namorado irritado, esperavam que ela pudesse acalmar os nervosos do homem.

"Sei...", ela não conseguia olha-lo nos olhos, sentia nojo de si mesma.

"Perdoe-me, eu deveria proteger você, falhei", abraça o pequeno corpo com força e como as poucas vezes que ele liberou suas emoções, ele chorou no pescoço dela, chorou mais ainda por ver o quando ela estava ferida.

"Você não me quer mais né, por que alguém iria querer alguém tão sujo", as palavras da loira eram duras, não continham emoção alguma e ela mesma não o abraçava de volta.

"Não fale besteiras, você é minha namorada, minha noiva, logo será minha mulher e vamos passar por isso juntos", ele a agarrou pelos ombros e disse com firmeza, lhe doía o coração a ver tão quebrada, antes ele do que ela.

E Lise despencou, desabou nos braços do namorado sentindo um alívio que nunca sentira, sentindo ser amada incondicionalmente.

"Eu te amo Sei, te amo tanto, ele me ameaçou, disse que mataria você e Ryouta, eu não sei o que fazer sem vocês dois, agora você está tão ferido", ela manchava a camisa dele já suja de sangue com lágrimas, doía demais ver ele ferido, os roxos espalhados pelo abdômen e o sangue seco em seu lábio inchado e parte superior de seu olho.

"Isso não é nada amor, você deveria cuidar mais de si mesma, vá ao médico, por favor", ele se permitiu acalmar sentindo sua menina em seus braços.

Seijuurou acabou passando três dias na prisão e em seu segundo dia recebeu uma visita bem inesperada.

"Deveria ter feito pior com ele Seijuurou, ele feriu muito Lise", disse Nash encostado na grade.

"O que quer aqui?", era bem desagradável para o ruivo ter aquele cara ali, era como se ele fosse Levi e Nash o Zeke daquele anime que sua mulher tanto falava ódio eterno pelos dois, contudo se aliavam por um bem maior.

"Não se preocupe Seijuurou, você fez sua parte, o trabalho sujo agora é meu", foi a única coisa que o imperador ouviu antes do americano sair.

Pai de Lise ficou tão irritado quanto o namorado dela se não mais, quase atacou irmão ao saber as atrocidades que fazia com a filha desde tão nova, sempre teve confiança no irmão e aquilo o quebrava por nunca ter notado nada, Lise sempre mostrou indícios e ele como um excelente psiquiatra nunca notou, como pai nunca notou.

Pagado a fiança Akashi saiu livre e não ligou nenhum pouco de ter essa passagem pela delegacia, ele faria de tudo para proteger a mulher que ama, seu pai não tinha muito que falar, sabia do comportamento violento contido de seu filho e também sabia o quão protetor o ruivo era, entendia muito bem atitude de seu unigênito, se tivessem feito alto parecido a sua falecida Shiori ele também não negaria as atrocidades.

Já Harumi com a confirmação do abuso visto que além das várias marcas no corpo de Lise, debaixo das unhas dela havia pele do moreno, confirmando que foi sem consentimento, ele foi movido para um presídio onde aguardaria o julgamento.

"Você sabe o que acontece com homens que abusam aqui não é", um enorme homem sorriu malicioso para Harumi e atrás dele tinha outros homens que carregavam objetos pontiagudos.

No final Nash não precisou mexer seus pauzinhos para nada, não deu tempo.

(...)

Depois do término do Festival a total concentração tanto de Akashi quanto de Lise foi para a Winter Cup, a última, ambos queriam deixar seus nomes gravados no coração e na mente de cada um, mostrar quem é o verdadeiro Colégio Imperador.

A amarga derrota para seu próprio cunhado ainda estava na boca do capitão, após o chacoalho da namorada voltou mais arrogante que nunca e totalmente disposto a por seu time em ordem.

Nada mais animador para testar seus jogadores do que um jogo treino, ainda que fosse longe não mediu esforços para levar todos a Tokio para uma partida contra Seiho, um dos Reis.

"Para que diabos viemos para tão longe?", reclamou Lise que acompanhava o time mesmo ainda não sendo a gerente oficial.

___

"Ei, Seiji você viu Lise?", Asahi procurava a loira por todo o colégio e nada de achar a baixinha.

"Vi ela saindo com Akashi-san, eles reataram né", por algum motivo Akabayashi sentia um certo alívio com a novidade, não teria mais a nanica em seu encalço, por outro lado em seu âmago sentiria falta dela.

"Aquela infeliz esqueceu que ainda é minha gerente!", Naruko soltava fogo pelas ventas.

"Olhe pelo lado bom, ela nunca mais vai nos encher o saco", Ishida era um completo preguiçoso e o treino intenso da Kise o deixava exausto.

"Vai caçar avestruz", ordenou o loiro capitão que estranhamente todos seus jogadores tiraram algumas armadilhas do além e saíram para a caçada.

___

"Atchim", Lise espirra sentindo o nariz coçar.

"Espero que não esteja doente", a indiferença na voz do ruivo se fazia bem presente, contudo seu olhar demonstrava preocupação.

"Acho que não, parece mais que alguém está falando de mim", a menina limpa o nariz e entra no colégio Seiho logo dando de cara com um careca.

"Ei, o fundamental fica do outro lado da rua", o homem indicou, porém engasgou ao sentir a aura perigosa atrás da moça, a aura do imperador.

"Estamos aqui para o jogo treino", proferiu Akashi sem cerimônias.

"Akashi Seijuurou não sabia que trazia sua irmãzinha para as partidas", às vezes a falta de informação era o cúmulo, ainda mais naquela altura do campeonato, quem não conhecia Kise Lise a namorada do capitão da Geração dos Milagres e irmã gêmea de Kise Ryouta?

"Sei-chan, eu vou depenar esse careca", a loirinha apertava as mãos com força, o namorado somente a ignorou e começou a entrar no colégio arrastando a menina, se desse corda haveria sangue.

 Tsugawa encarava a garota com presunção, já tinha ouvido falar da namorada daquele homem rubro, contudo esperava algo bem melhor.

"Pelo visto já se esqueceu da gêmea Kise é", comentou Kirishima Tatara que mesmo sendo secundanista era o capitão do time.

"Aquela então é a técnica da Geração dos Milagres?", foram poucos os jogos que o careca fez questão de jogar.

"Onde diabos você estava ano passado? Essa menina transformou um time por completo, agora voltou com Akashi Seijuurou, não sei o que é pior, esse ruivo prepotente ou a sincronia dos irmãos Kise", reclamou Kirishima, o garoto havia acompanhado bem cada membro daquele time tão monstruoso.

"Eu não pretendo jogar", explicou Seijuurou sentando e pegando o tablet da namorada.

"Isso é um insulto ao nosso time", Tatara olhava o capitão com repugnância diante sua atitude, somente foi aceito o jogo treino para que enfim pudesse enfrentar aquele monstro.

"Tome isso como quiser, mas agora cale a boca e saia da minha frente, está atrapalhando", os olhos felinos fizeram o homem abaixar a cabeça e arrepiar-se, a aura de Akashi era de uma pressão assustadora.

"Sei-chan fica tão sexy com esse tom arrogante", Lise passou as unhas no pescoço do imperador fazendo ele se arrepiar e pegar a mão dela para que findasse com a carícia.

"Fique quieta mulher, quando voltarmos para casa eu te dou o que quiser", Seijuurou disse agarrando os cabelos loiros e deixando um delicado beijo no ombro dela.

"Aquele capitão... massacre seu time", Tsugawa ficou animado, queria jogar com toda sua força.

Aquele jogo treino era nada mais, nada menos do que ver quais eram as habilidades de cada membro do time, durante todo Inter Colegial quem levou o time fora Akashi, quase sempre jogando sozinho, não eram um time nem com união e nem habilidades individuais, a atual Rakuzan não podia ser chamada de time.

Em primeiro lugar o imperador precisava saber do que eles eram capazes de fazer, libertar seus instintos e enfim polir suas habilidades, uma boa base individual, o falso imperador deveria ter algum motivo para convocar cada um deles.

"Eu posso transformar eles no que você quiser", comentou a Kise assistindo ao jogo tedioso, não importa como olhasse aquilo nunca pareceria com um jogo da Rakuzan, tinham inúmeros motivos para terem perdido para a Kaijo.

"Eu sei, contudo precisamos ver se não há nenhuma habilidade escondida, seu jeito de fazer isso irá acabar com eles, não são prodígios, se estão em Rakuzan terão que entender que não há outra palavra a não ser a vitória, se não aguentarem sairão do time gostando ou não, eu venço em tudo e não preciso de moscas mortas", a postura de Seijuurou era imponente, ele não tinha dúvidas do que queria.

"Seu trabalho será melhorar o que já existe", olhou para a loirinha que balançava os pés longe do chão como uma criança, quem via de longe nunca pensaria que em seu íntimo residia alguém tão medonho.

"Faço o que você quiser", sorriu dócil, estava bem calma naquele dia.

"Vou cobrar isso", a proposta soou com duplo sentido e a menina entendeu muito bem sorrindo de forma divertida, ainda que em seu íntimo algumas coisas a preocupavam.

"Ruivo pervertido, olha ganhamos", bocejou jogando uma bolinha de papel amassada no capitão da Seiho onde estava escrito todo o andamento do jogo mostrando o erro do time e o motivo da perda.

"O que significa isso?", questionou Kirishima lendo a folha rica em informações.

"Ela escreveu isso durante o primeiro quarto não é capitão?", inquiriu o pivô de Rakuzan.

"Como ela acertou tudo? Não tem como alguém saber o final do jogo em apenas dez minutos", Tsugawa estava surpreso com a precisão de detalhes.

"Eu não falo com perdedores, descubram como perdeu, análise a folha e tentem ganhar de mim, se conseguirem talvez eu ouça algum resmungo de vermes como vocês", Akashi sequer olhou para trás para ver a expressão deles.

O problema era que a folha de Lise tinha mais cálculos físicos e matemáticos que um projeto de engenharia, entender como ela pensava não era algo fácil.

"Então é verdade, realmente existe a Precisão Perfeita" Tatara concluiu.

(...)

"A gente não veio aqui para isso né" proferiu Lise irritada com aquele jogo tedioso.

"Não, viemos ver algumas pessoas em específico", respondeu Akashi, ele não tinha nem dado tempo de seu time descansar, mal terminou o jogo e já disse para todos se aprontaram por que o dia ainda não tinha acabado.

"Há quando tempo Akashi"

"Eu nem terminei minha comida toda"

"Parece que mesmo tendo voltado ao ser todo arrogante e absoluto, Sei-chan sentiu nossa falta"

"Koutaro, Eikichi e Reo"


Notas Finais


GENTE, COMO EU DISSE, ME COBREMMMM.
Não quero demorar a postar de novo, eu me sinto mal.
Amo vocês, comentem viu.
Eu ia postar um hentai como pedido de desculpas, mas meio que fica estranho nesse clima que está a fic, por isso que não postei.
Obrigada por quem leu até aqui.

Bjss da Imperatriz e até o próximo.

ps: ME COBREMMMMMM. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...