História Cuidamos um do outro - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Apink, Bangtan Boys (BTS), Everglow, SHINee
Tags Bangtan Boys (BTS), Minho, Nctten, Yiren
Visualizações 3
Palavras 1.648
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Minha primeira história ... Então espero que gostem :)


Boa leitura ❤

Capítulo 1 - A HISTÓRIA DO PASSADO


Fanfic / Fanfiction Cuidamos um do outro - Capítulo 1 - A HISTÓRIA DO PASSADO

  24 de Dezembro dois dias depois do ocorrido

                              ***

Bom aqui estou eu tentando explicar, para meu irmão que eu não sei o motivo da Eunji ter terminado com ele. Na verdade eu sei só não disse ainda, mais vou criar coragem e dizer.

Vocês devem estar se perguntando quem sou, mas que desaforo meu, permita eu me apresentar.

Meu nome é Wang Yiren, tenho 9 anos, eu sei o que você está pensando que sou uma criancinha fofa, mas felizmente não sou assim mas continuando... Tenho um irmão mais velho e se chama Wang Ten ele é legal joga vídeo-game comigo, me ajuda nos deveres mas ao mesmo tempo e chato. Não insuportável. Mas isso não importa e sim o carinho. Muitas pessoas ficam impressionadas com o nosso comportamento, porque não somos como os outros que tem irmãos mais velhos, que " brigam o tempo todo ". E é claro que amo o meu maninho. A última coisa e não menos importante minha mãe Jeon Jiyoon, o que eu posso dizer dela linda, maravilhosa é e claro ama fazer mechas no cabelo mas deixando claro que tem que ser coloridas. Minhas mãe Cris eu e meu irmão sozinha desde quando eu tinha 5 anos ... Bom desde aí ela quase não ficava em casa, foi então que eu e meu irmão ficamos mais próximos e apegado um ao outro, até hoje não mudou nada mais minha mãe passa mais um pouco de tempo com a gente do que antes.

- Por que! Eu só queria saber - falou interronpendo minha apresentação

- Olha meu querido irmão que eu amo, eu já disse que eu NÃO SEI PORRA, SE VOCÊ ME ATRAPALHAR DE NOVO EU TE MATO OUVIU ! - disse eu gritando

- Tá bom, mas não precisa gritar - disse se encolhendo e logo depois colocando a cabeça sobre meu colo.

Agora voltando ao assunto, onde eu parei mesmo... Lembrei... Muitas pessoas me perguntam da onde veio o meu sobrenome Wang se o da minha mãe e Jeon, bom ele veio do meu pai que e chinês. Agora acho que vocês devem achar que sou chinesa não eu sou coreana, origem da cidade de Busan mas atualmente eu moro em Seul. Mas não pense que desde que nasci, moro na Coreia só nos meus dois primeiros anos de vida, depois fui para o Canadá onde meu pai tinha uma empresa bem favorecida. Mas aí começou as brigas entre minha mãe e meu pai, tinha dias que minha mãe tinha que ficar até tarde no trabalho e meu pai chegava bêbado em casa, muito alterado batia em mim e no meu irmão. Eu lembro como se fosse hoje... Era um sábado minha mãe tinha ligado falando que estava chegando, e no mesmo momento que tinhamos desligado meu pai havia chegado bêbado como de costume.

12 de Agosto 2010 às 00:00

- CADÊ VOCÊS SUAS CRIANÇAS DE MERDA ! - gritava meu pai na sala.

- Eu ... Eu to com medo Ten - falei abraçando meus joelhos.

- Calma vai ficar tudo bem... Lembra do que a mamãe disse ela já está chegando - falou tentando me confortar

- E se... Ele fizer algo... Pior que bater na gente - disse com os olhos cheio de lágrimas.

- Vai ficar tudo bem ... - falou meu irmão.

- TEN CADÊ VOCÊ FILHO DA PUTA - continuava gritando meu pai.

- AFF que saco... OK... Vai se trocar, você sabe se ele te ver de pijama não vai dar certo - disse Ten me avisando.

- OK... Mas acho que tenho que mandar mensagem pra mamãe - disse um pouco cabisbaixa.

- Faz o que você achar melhor - falou saindo do quarto.

Fiz o que ele ordenou troquei de roupa. E depois mandei mensagem para minha mãe para que ela vir o mais rápido possível, e trazer a polícia, porque sabia que algo não estava certo.

                               ***

Saí deixando minha irmã sozinha no quarto, esperando que ela não fizesse nada de errado.

Deci as escadas, para sala de estar. Entrei com cautela para ver se meu pai ainda ae encontrava lá.

- Alô ! Tem alguém aí - falei olhando em volta.

Não tinha ninguém estão fui para cozinha. E lá estava ele procurando algo na geladeira, provavelmente cerveja.

- Você me chamou ? - falei sem muita empolgação

- AI ESTÁ O FILHO DA PUTA - disse se aproximando

- O que você quer ? - falei já sentindo o cheiro de álcool !

- EU QUERO SABER CADÊ AQUELA VAGABUNDA DA SUA IRMÃ ? - falou mais alto que antes.

Não iria responder, como ele pode chamar a própria filha assim eu sei... Ele está bêbado, mas ele sempre a chamava assim.

- NÃO VAI RESPONDER ? - falava apontando o dedo na minha cara.

Permaneci calado... Queria ver o que mais ele iria falar.

- OLHA SÓ, SEI PORQUE VOCÊ NÃO CONSEGUE FICAR COM UMA GAROTA - disse ele com voz de convencido.

Fiz uma cara de " por que " é parecia que ele tinha captado a mensagem.

- EI VOU TE DIZER, NÃO SE PREOCUPE - ele disse me empurrando - SABE O POR QUE VOCÊ NÃO CONSEGUE... PORQUE VOCÊ NÃO DÁ PRAZER PARA ELAS - disse me colocando contra a parede - POR ISSO A ROSÉ FOI ATRÁS, DE OUTRO.

Não, não vou ficar mas calado pode falar como quiser, mas já basta minha irmã... Agora a Rosé ele vai ter que me ouvir.

- CHEGA ! NÃO VOU DEIXAR VOCÊ FALAR DA ROSÉ ASSIM ! - gritei segurando na gola de sua camisa.

- OLHA O GATINHO SAIU DA JAULA

No mesmo momento o mais novo deu um soco no mais velho.

- VOCÊ É LOUCO ! - disse o colocando a mão no local do soco, que estava saindo sangue - QUEM VOCÊ PENSA QUE É MOLEQUE - falou segurando no pescoço do menor - AGORA VOCÊ VAI VER DO QUE SOU CAPAZ - ele apertava mais forte o pescoço do menino.

Ten tentava pedir para ele parar, mas não tinha fôlego. Ele dava passos para trás, mas chegou um momento em que ele não podia, pois havia uma prateleira que o impedia.

- P-pare, por favor v-você v-vai me m- matar - falou o menino com dificuldade em falar.

- OPA ME DESCULPE... MAS E ISSO MESMO QUE EU QUERO FAZER... TE MATAR - falou apertando agora com mais força do que antes o pescoço do garoto.

O mais velho não percebeu, mas aquilo era uma distração para ele não ver o menino peguando um vaso para tacar na cabeça dele.

                               ***

Deixei o quarto, quando ouvir um barulho de algo se quebrando.

Ouvia gritos e algo que acertava a parede e a perfurava... Sentia que precisava decer para ver o que estava acontecendo, mas o medo me impedia.

- Yiren lembre-se do que o Henrique disse... Medo atraí medo - falei para mim mesma, indo em direção a escada.

- AGORA VOCÊ VAI VER - falou meu pai segurando uma faca enquanto apontava para meu irmão.

- Você vai mesmo fazer isso, eu sou seu filho... Você não me ama ? - disse meu irmão sem escapatória, pós estava encurralado contra a parede.

- PAI PARA ELE E SEU FILHO ! - disse dando um passo curto, para me aproximar.

- VOCÊ FICA AI, VAGABUNDA - disse apontando, a faca para mim - AGORA O SEU IRMÃOZINHO VAI VER.

- NÃO ! - mas o mesmo não me escutou.

Ele virou em direção ao meu irmão encostando, a faca na barriga dele. Então começou... Uma facada, duas, três, quatro, cinco... Eu não podia deixar. Ele era meu irmão, ele estava quase morrendo por minha culpa.

- CHEGA ! VOCÊ VAI MATAR ELE - falei o puxando com força, fazendo ele se afastar o suficiante para que eu fiquei, perto do Ten - Ten... Fala comigo por favor - mas ele não me respondia.

- GAROTA NÃO SE METE ! - falou meu pai se aproximando - SAI DA FRENTE, SE NÃO EU VOU FAZER MUITO PIOR COM VOCÊ, DO QUE FIZ COM ESSE MOLEQUE.

- VAMOS QUERO VER SE VOCÊ, TEM CORAGEM - gritei o desafiando - MAS SE VOCÊ FIZER ISSO... LEMBRE-SE QUE VOCÊ VAI APODRECER O RESTO DA SUA VIDA.

- O QUE VOCÊ QUER DIZER COM ISSO ? - gritou meio que assustado

- EU NÃO SEI

- FALA! SE NÃO EU MATO VOCÊ ! NÃO ESTOU DE BRINCADEIRA - disse me colocando contra a parede, é encostando a ponta da faca no meu corpo - FALA ! AGORA - gritou

- EU JÁ DISSE... EU NÃO SEI

No mesmo momento senti algo perfurando meu corpo. Ele tinha cavado a própria cova... Ele estava comprindo sua palavra quando disse que iria fazer pior do que tinha feito com meu irmão.

Tinha perdido a conta de quantas vezes ele tinha enfiado aquela faca dentro do meu corpo.

- ABRE A PORTA ! - soou uma voz desconhecida

- QUEM É !? - disse meu pai

- A POLÍCIA, ABRA OU ARRONBAMOS

- ENTÃO ERA DISSO QUE VOCÊ ESTAVA FALANDO - falou enquanto largava a faca no chão - MAS ELES NÃO VÃO ME PEGAR... EU VOU FUGIR - disse olhando diretamente para os meus olhos

- Não adianta... E-eles vão t-te pegar

- O QUE ? - no mesmo instante os polícias arronbaram a porta.

Eu não conseguia ver nada, meu corpo dizia " não feche os olhos, porque depois não irá conseguir abri-los depois ". Mas não conseguia, tentava mas estava difícil. Meu corpo veio ao chão, a única coisa coisa que fiz antes de fechar meus olhos... Foi chegar mais perto do meu irmão.

Segurei sua mão, entrelaçando nossos dedos.

- Não vai... Fica aqui - susurrei

- Eu não vou... Não consigo viver sem você maninha - susurrou enquanto apertava minha mão...


Notas Finais


Se vocês gostarem eu continuarei O.K.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...