1. Spirit Fanfics >
  2. Cuidando de Você (KakaSaku) Repostando >
  3. Cuidando

História Cuidando de Você (KakaSaku) Repostando - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Óooohhh eu de novo hoje...

Criei vergonha na cara e editei e reescreve esse conto que tanto amo.

Capítulo 1 - Cuidando


Fanfic / Fanfiction Cuidando de Você (KakaSaku) Repostando - Capítulo 1 - Cuidando

“Eu vou cuidar do seu corpo

Serei gentil, não grite

Está ficando mais quente,

faça isso mais suave,

sentir seu peito sobre o meu”


SomoRide



Kakashi Hatake






----SAKURAAA. ..? ---- chamo seu nome em meio ao caos que sobre põem a minha volta.

Tudo está destruído, casas e árvores derrubados ao chão devido a força com que fomos atacados... Minha aluna tem de estar por aqui. Em um dado momento de nossa luta, ela havia se posto a minha frente recebendo o golpe que fora dirigido a mim.

Seus olhos de um verde jade estavam ferozes como nunca tinha visto antes, ela pareceu nem se importa que um barra de ferro fora atravessada em seu corpo.

----Tire suas mãos imundas do meu sensei.

Um sentimento de orgulho e respeito se apodera ao lembrar da forma voraz com que me defenderá, mesmo eu não precisando. Sempre a vi defender Sasuke com garras e dentes e até mesmo Naruto, que se tornará quase um irmão a kunoichi... Mas jamais esperei que ela fosse fazer isso por mim.

Faço os sinais de mãos que raramente o uso.

----Jutsu de invocação. ---- digo ao bater a palma de minha com sangue ao chão.

Observo Paccu, um cão de porte pequeno, mas que é capaz de localizar qualquer coisa ou pessoa.

-----Quero que procure Sakura Haruno.

O animal faz exatamente o que ordeno sumindo de minhas vistas. Dou mais uma olhada em volta do lugar, mas não encontro nenhum dos aldeões. Apenas um dos ninjas patifes que havia sobrevivido a explosão. O cara jorrava sangue de um corte em seu peito deixando claro que só tinhas mais alguns minutos de vida.

-----Quem os mandou aqui? ---- pergunto ao infeliz.

-----Você... já era... Hatake. -----diz o cara em meio ao engasgo com seu próprio sangue. ---- Assim que eles... chegarem...Você e aquela vadia vão...

Ele não termina sua ameaça, pois cravo a kunai em sua garganta.

-----Encontrei... ---- avisa o animal.

Eu o sigo e a visão que tenho me aperta o peito. Sakura está escorada em muro arruinado, está repleta de machucados e a uma espada atravessada em seu abdômen.

----Você precisa se apressar ... sinto o cheiro de inimigos.

----Sensei. .. Você precisa ir. ---- diz ela me entregando o pergaminho que tínhamos de proteger. ---- precisa levar até Tsunade.

----Não vou deixar você para trás. ----- digo sacudindo a cabeça.

-----Eu não consigo seguir em frente... pelo menos não agora. ----- sua voz está rouca e com um sorriso doce que eu não via a muito tempo - desde a partida do Uchiha da aldeia da folha à cinco anos atrás - ela diz: ----Eu o alcanço.

-----Deixar você não é uma opção.

Com rapidez e sem aviso arranco a arma de seu corpo recebendo um gemido de agonia da parte dela.

-----Eu sei... Eu sei... Vou cuidar de você...---- digo tentando acalmar nos dois ao pegar seu pequeno corpo em meus braços. ----Eu prometo.

Sigo o cão floresta adentro, Sakura está ferida demais, para meu espanto seu sangue não dá sinais de querer para. Corro como nunca corri antes, a noite nos ajuda a manter nossas figuras escondidas de olhos alheios.

-----Aqui é bom lugar para ficar...---- avisa o cão quando paramos em frente a uma pequena cabana meia hora depois ---- Não há ninguém na casa... E pelo cheiro afirmo que ninguém vem a um tempo aqui.

-----Obrigado Paccu. Pode ir ... Eu assumo daqui.

Ele some assim como chegou enquanto eu entro na casa. O lugar está levemente empoeirado o que me leva a crer que o dono do lugar só deve aparecer aqui uma vez por ano, na temporada de caça. Deito uma kunoiche inconsciente na única cama de solteiro que tem no lugar. Por mais que a energia funcione, acendo apenas uma vela no quarto e outra no pequeno banheiro para não chamar a atenção. Tiro minhas luvas e pego uma bacia de água quente do chuveiro junto de um pano que encontrará na cozinha.

Sakura está pálida o que me deixa preocupado. Rasgo seu uniforme ninja a deixando apenas com a faixa de atadura que cobre seus seios e a calcinha preta. Limpo seus ferimentos com cuidado... Eu nunca tinha feito isso antes e não sabia se estava fazendo o certo. Guardo novamente as coisas que havia usado e paro em pé... Ao lado de seu leito... fico ali por tempo indeterminado vendo seu peito subir e descer com a respiração regular.

Não podia deixar de notar como Sakura estava se tornando uma linda mulher...Aos dezoito anos de idade seu corpo já havia mudado e muito.

A faixa me impedia de ver seus seios, mas poderia dizer que eram medianos pelo pouco volume que havia ali. Sua pele clara e delicada como a porcelana me fez querer toca - lá e como um ima, deixo dois dedos percorrer sua face, descendo pelo pescoço e tocando sua clavícula... Minhas mãos por vontade própria tocam seu abdômen plano e agora machucado me fazendo querer matar quem houvesse machucado alguém de aparência tão pura e inocente como ela.

"O que é isso Kakashi. .. Por Deus ela é sua aluna." Diz meu sub consciente me fazendo recolher a mão como um menino que fora pego fazendo algo que não devia.

Eu era um depravado por me excitar logo pela Sakura. Que tinha metade da minha idade e ainda por cima a vi crescer. Vou até o banheiro e tentando afastar esses pensamentos, tiro meu colete o pendurando na porta, logo a camisa de mangas compridas segue o mesmo caminho. Abro minhas calças e me vejo obrigado a por a mão em meu membro que está duro feito aço... Droga... começo a carícia -lo por cima da roupa mesmo... Eu não posso acreditar que vou bater uma pensando em minha aluna. Eu estava ficando louco... Só podia, mas não tinha como evitar o desejo que se apoderá de meu corpo.

Mal começo a movimentar minha mão quando ouço um barulho vindo do quarto. Automaticamente fecho a calça e saio encontrando Sakura sentada na cama com certa dificuldade.

----Eeii... O que pensa que está fazendo? ---- pergunto colocando minha mão em seu ombro querendo empurra - lá para o travesseiro novamente. ---- Precisa descansar.

Ela dá um tapa em meu braço, mas sigo com a mão firme em seu ombro.

----Eu preciso de um banho. ----diz grogue. ---- Estou fedendo.

-----Faça isso pela manhã. ---- aviso com voz seria.

Ela simplesmente para e crava suas esmeraldas em meus olhos.

-----Você sabe que é apenas meu Sensei... Não meu dono, certo? ---- diz de forma atrevida me deixando a tônico.

Ficamos ali nos encarando, ela com aquele ar petulante que parecia de alguma forma mexer com minha cabeça doentia imaginando mil e uma imagens pornográficas de como castiga - lá por seu atrevimento. Eu era seu superior.

Agradeço por seus olhos estarem em meu rosto, pois se olhasse para baixo eu seria pego, devido a enorme ereção que me assolava.

Vendo que ela não parece mudar de ideia a solto dando passagem para ela seguir em frente.

----Como quiser.

Ela fica de pé, ao dar o primeiro passo suas pernas vacilam e seu corpo quase vai ao chão, mas consigo segurá-la com facilidade.

Como pode ser tão leve e bater tão forte?

Seus braços envolvem minha cintura me fazendo sentir como sua pele está fria.

----Nossa você é quente. ---- diz ela na maior inocência apertando sua pequena mão em meu abdômen.

"Você não faz idéia..."

-----Você não vai conseguir tomar um banho nesse estado. ---- volto a dizer tentando manter o controle.

-----Eu preciso mesmo de um banho Kakashi. ---- diz ela fazendo biquinho ao me lançar um olhar manhoso.

“Ahh. .. maldita. .. Assim não vale.”

-----Tudo bem. ---- digo a levando agarrada em mim até o banheiro.

Ligo o chuveiro na temperatura morna, como uma boneca a coloco debaixo da água a segurando. Suas mãos estão firmes ao segurarem meu antebraço. Entrego o sabonete a suas mãos, mas logo percebo que tem dificuldade em se mover devido a alguns machucados. Com impaciência tomo o sabonete de sua mão.

-----Eeiih. .. ---- reclama levemente irritada. ---- o que está fazendo?

-----Se depender de você ficaremos aqui até o ano que vem. ---- respondo ao ensaboar seus braços um tanto quanto rude pela impaciência. Encontro a abertura da faixa e começo a remove - lá, para minha surpresa Sakura não diz nada, apenas fica parada enquanto removo o tecido. Seus seios são de dar água na boca... mantenho a concentração enquanto passo o sabão pelas suas costas, vou para sua barriga com calma...

-----Posso? ---- pergunto tentando manter e expressão indiferente.

Ela acena que sim, e então encho minha mão de sabão e começo a lavar seus seios pequenos e arredondados, quando seus mamilos rosados ficam rígidos com o contato... Para minha sorte ou azar observo ela fechar os olhos entregue às sensação. Entro para dentro do pequeno box e me agacho. Estava gostando de banhar lhe. Ensaboa seus pés e pernas enquanto suas mãos se apoiam em meus ombros que estão tensos com esse simples contato.

Vou devagar até a sua calcinha e com calma passo a remove - lá. Minha boca começa a salivar diante da imagem de sua fenda lisinha, sem pelo algum. Não consigo deixar de soltar um gemido de devoção. Agradeci a Kami novamente por ser um cara paciente... Pois foi preciso enquanto passei a por meus dedos e ensaboar sua bocetinha rosada. Seu gemido é como música em meus ouvidos.

-----Ka-kakashi. ..

-----Tem noção do que está fazendo comigo menina? ---- pergunto apertando suas coxas torneadas enquanto dirijo minha boca até seu pedacinho úmido e quente.

Como a boa garota que era, Sakura põem uma perna em meu ombro para me dar melhor acesso. Deixo minha língua percorrer sem pudor algum sua boceta ao mesmo tempo em que aperto suas nadegas fartas. Sinto ela ir à loucura enquanto seus dedos enterram em meu cabelo com força e começa a rebolar de leve em meus dedos que começam a entrar e sair de seu corpo.

Meu pau lateja por liberação, paro o que estou fazendo para voltar a ficar de pé. Tomo seus lábios nos meus pois quero que ela sinta seu gosto delicioso.

Sakura e uns quinze centímetros mais baixa que eu, meu pênis roça sua barriga, mas ela parece não se importar pois fica cravando as unhas em minhas costas para manter mais contato.

Com certa brutalidade a viro de costas para mim. Baixo minha calça um pouco deixando que meu pau fique roçando seu traseiro. Meus dedos voltam a brincar com seu clitóris.

-----Kakashi. .. Eu preciso de mais. ---- diz ofegante.

Sua face está corada e seus olhos enevoado pelo desejo.

-----Mais o que? ---- provoco mordendo sua orelha.

-----Preciso de você. ... Dentro de mim. ---- assim que diz isso a danada empina a bunda me fazendo perder o pouco de sanidade que ainda me restava.

-----Põem as mãos na parede. ---- ordeno.

Ela faz o que eu digo e seguro sua cintura com uma mão e com a outra levo meu pau até sua entrada. Seus gemidos aumentam conforme enfio apenas a cabecinha...

-----É tão apertada...

Sinto a barreira de sua virgindade e só isso já seria o suficiente para me fazer parar, mas tê-la dessa forma libertina e saber que eu era o primeiro, fez eu seguir adiante.

-----Porraah... ---- diz ela ofegante após eu estar totalmente dentro. ----Você é tão grande .

Admito ... Após suas palavras inocentes meu ego ganha um novo patamar me fazendo enterrar o rosto em seus cabelos depositando um beijo enquanto minhas mãos a acariciavam nos pontos certos. Começo os movimentos de vai e vem com calma para que ela se adapte a meu comprimento.

-----Mais rápido... ----pede enquanto me acompanha.

Nossos movimentos passam a ser selvagens, é possível ver as marcas de minhas mãos em seu traseiro e cintura. Me controlo para não gozar. Paro o que estou fazendo por um segundo para virar - lá de frente para mim. A tomo em meus braços fazendo suas pernas rodear minha cintura. Suas costas estão apoiadas na parede.

A volto a penetre - lá com força, ela não parece se importa com o machucado... Seus lábios por diversas vezes encontram os meus e eu: Kakashi Hataki que nunca fui um cara de manter mais contato que o necessário. Me sentia necessitado por mais daquela garota. Como se não bastasse isso, Sakura passa a chupar e morder meu pescoço ao mesmo tempo que suas unhas arranhavam minhas costas e ombro.

Meu deleite chega na hora em que ela atinge o orgasmo agarrada em meu corpo, como um bote salva vidas, chamando meu nome. Não leva muito para eu me derramar dentro dela conhecendo um lugar totalmente novo... Um lugar do qual eu não queria nunca mais sair.

Desligo o chuveiro e com ela ainda em meus braços trêmula, me sento na cama. Para minha surpresa ela não sai de meu colo, fica ali com a cabeça em meu peito enquanto acaricio seus cabelos rosados... Ouço a chuva lá fora, não demora muito para que ela durma e a única coisa que me vem à cabeça e que merda eu havia acabado de fazer?...




Notas Finais


Se vcs gostaram deixem sua opinião 😌.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...