1. Spirit Fanfics >
  2. Cure >
  3. And if you say you're okay.

História Cure - Capítulo 2


Escrita por: magicshxp
e kooksaturns

Notas do Autor


finalmente o segundo capítulo! não demorei muito pra escrever, ainda bem ;_; esse ficou bem mais longo que o primeiro, até porque eu queria dar um desenvolvimento a história e acho que da forma como está caminhando me agrada demais!! xD espero que gostem <3

Capítulo 2 - And if you say you're okay.


Fanfic / Fanfiction Cure - Capítulo 2 - And if you say you're okay.


Eu faltei à aula durante uma semana. Quando cheguei em casa, tomado pelo desespero, fui correndo para o quarto o que preocupou bastante a minha mãe. Dói me lembrar do nervosismo dela tentando entender o que tinha acontecido, mas eu apenas me prendi no quarto sem dizer nada. 

As poucas vezes em que saí foi para comer e, em seguida, prender-me novamente no cômodo. Minha mãe não discutiu sobre eu faltar, na verdade, recomendou-me que adiasse a visita ao psicólogo, o que me acalmou um pouco.

E aqui estou eu, aguardando na sala de espera enquanto o Dr. Kim terminava sua atual consulta. Minhas pernas balançavam de ansiedade, minha cabeça estava a mil e minha mãe tentava me confortar de longe.

— Park Jimin. — Ouviu a voz de seu psicólogo.

Kim Namjoon era um ótimo psicólogo. Quando eu adquiri o trauma, tive problemas com alguns dos psicólogos que fui, uns não tinham paciência, outros não trabalhavam com esse tipo, mas quando cheguei ao Dr. Kim, senti-me acolhido e ouvido, desde então ele vem sendo o meu salva-vidas. 

Levanto-me, dando um olhar de confiança para minha mãe e entro na sala, sentando-me na tão rotineira cadeira de couro. 

— Sua mãe me ligou falando sobre um adiamento na consulta — começou calmamente. — Você quer falar sobre o que aconteceu? — assinto, meio incerto.

— Você sabe que eu venho melhorando bastante no meu tratamento — comecei, olhando para um ponto aleatório no cômodo. — Mas eu sempre evitei manter contato com pessoas, aprendi a conviver com a minha própria existência mesmo que você tenha me incentivado a interagir com outras pessoas. — Coço a garganta. — Nem todo mundo vai entender, então eu evito problemas. Acontece que, hoje, alguém me tocou... — Namjoon me olhou interessado. — Um garoto da minha escola me acertou com uma bola e depois veio ver se eu estava bem, e ele tocou em mim… e eu soquei ele. 

— Hm, ok, vamos por partes. — Ajeitou-se na cama. — Eu te incentivei, mas é sempre bom lembrar que, se você não se sentir confortável com isso, você não precisa fazer, ok? Tudo que eu quero é te deixar completamente confortável com as coisas ao seu redor. — Abri um pequeno sorriso. — Você precisa interagir, mas caso se sinta mal com isso apenas fique como quer. — Assinto. — Sobre esse garoto, eu posso imaginar que você tenha entrado em pânico depois de ter socado ele. 

Abaixei meu olhar, brincando com os meus próprios dedos. 

— Eu saí correndo — murmuro. 

— Você se sente mal com isso? Por ter socado ele? — confirmo, desanimado. — Por que não tenta um pedido de desculpas? Não precisa se aproximar dele, entende, que tal… uma carta? Como as pessoas faziam antigamente. — Sorriu. 

— Eu... posso tentar. 

O resto da sessão foi reconfortante, eu gostava da forma como o Dr. Kim me deixava mais leve depois de cada consulta. 

Quando chegamos em casa, minha mãe parecia bem mais tranquila por tudo estar esclarecido, obviamente ela não pode acompanhar minhas sessões e nem sequer sabe o que aconteceu, mas meu rosto aliviado acalmou o coração dela. 

Passei o dia inteiro me remoendo sobre o que ele havia me dito sobre a carta de desculpas, há um leve nervosismo tomando conta de mim, e se o garoto resolver me bater de volta? E se ele ficar puto com a minha carta? Ao mesmo tempo, meu remorso gritava alto, eu tinha o dever de me desculpar, o garoto não tinha culpa se eu era defeituoso. 

Peguei um post-it de melancia e uma caneta, eu irei me desculpar.

"Olá. 

Eu não sei seu nome, mas sou o garoto que te socou.

Sei que devo ter parecido um doido naquele dia, mas quero me desculpar pela dor que te causei. 

Sinceramente, Jimin." 

Encontrá-lo foi o trabalho mais difícil da minha vida, isso porque eu não tinha pessoas a quem pudesse perguntar sem parecer um estranho. Por sorte, quando eu voltava do banheiro, vi-o sentado e encostado em uma das árvores do pátio da escola. 

Você não precisa falar nada, apenas deixe a carta perto dele e vá embora, digo a mim mesmo, tentando reunir coragem.

Respirei fundo e dei passos apressados em direção a ele, acho que pisei com tanta força que ele rapidamente se virou em minha direção. Eu não esperei nada, grudei o post-it na mochila dele e saí, deixando-o lá. 

Voltei para aula, mas não consegui me concentrar em nenhuma das aulas. Será que ele me perdoaria? Ou será que iria vir me socar também? Todas essas dúvidas me deixavam nervoso e tudo que eu queria era voltar para casa.

Quando o sinal tocou, corri para guardar o material e voltar pro conforto do meu quarto, quase no portão da escola ouço meu nome. 

— Ei, Jimin! — Viro-me, ficando chocado ao ver ele vindo perto de mim. 

Está tudo bem, só fique numa distância segura, pensei. 

— O-Oi — murmuro embolado. 

— Me desculpe se lhe assustei naquele dia. — Ele parece meio constrangido. — Aliás, eu já te perdoei pelo soco, nem doeu tanto. — Eu sei que é mentira, pois, ainda que leve, é possível ver um rosado onde eu havia acertado. 

Confirmo com a cabeça, pronto para cortar o assunto e sair dali, mas ele dá um passo para frente e eu, assustado, dou um para trás. 

— Você se importaria de me dar seu número? Eu quero esquecer a primeira impressão que tivemos um do outro, sabe? Nós podemos ser amigos, que tal? — Sorriu. 

Eu queria dizer não, queria deixá-lo ali sozinho, mas queria melhorar meu estado e deixar minha mãe orgulhosa. Em baixo som ditei meu número para ele. 

— Pronto, salvei como Jimin hyung. — Mostrou a tela para mim. — Ah, quase esqueci de me apresentar. — Riu. — Meu nome é Jungkook. 

.


.


Ninguém esperava pelo que aconteceu nos dias seguintes. No dia em que nos falamos, Jungkook tratou de me mandar inúmeras mensagens, mesmo com minhas respostas curtas, ele não se desanimou. 

Ao celular, Jungkook e eu éramos colegas, conversávamos o dia todo, seja da lição de casa ou sobre o quão ruim era a comida da cantina, entretanto, na escola, ainda nos mantínhamos afastados e eu fico feliz por isso, pois, apesar de ter tomado coragem para se tornar amigo de alguém, ainda não estou pronto para tocar alguém. 


[Jungkook] 

Você tem que entender que foi extremamente babaca o que fizeram em endgame 

Tipo??? 

Howard um bom pai??? 

Ele é um babaca! 


[Jiminie] 

Eu não entendo muito dessas coisas….


[Jungkook] 

Oh, é mesmo 

Eu me esqueci 

Se quiser podemos maratonar os filmes da marvel, que tal? 


Mordo o lábio, sinto-me nostálgico por estar preso na mesma situação que no dia em que lhe soquei.


[Jiminie] 

Eu não posso 

Desculpa

Minha mãe precisa de mim em casa 


[Jungkook] 

Ah

Sim

Tudo bem :) 


Jungkook era ótimo em mudar de assunto, mesmo claramente desanimado com meu furo, conversamos por mais algumas horas, sobre o futuro, sobre algo engraçado que havia acontecido com ele e até um pouco sobre meus amigos, TaeTae e Hobi. 

Era assustador a forma como nós dois éramos compatíveis, não no sentido de curtir as mesmas coisas, mas em criar um vínculo e o nosso estava sendo construído de forma muito rápida. 

Avisei a ele que iria lanchar e que poderia demorar um pouco a responder, e fui até a cozinha. Minha mãe estava lá, cantarolando baixinho enquanto lavava a louça. 

— Você poderia ter deixado para que eu lavasse — digo, dando um leve susto nela. 

— Ah, não se preocupe, não tenho nada para fazer então não me custa nada. — Deu os ombros, sorrindo. — Você me parece mais leve ultimamente… 

— É, digamos que eu tenha resolvido um problema. — Sorrio sem mostrar os dentes. 

— Fico feliz que você esteja bem, meu amor. — Virou-se para mim, encostando na pia. — Eu não consigo imaginar o quão difícil é para você, mas te ver assim me deixa tão bem. — Sua voz mostrava que ela estava se emocionando. — Tudo que eu quero para você é a sua felicidade, sabe disso, não é, Jimin? Eu te amo, muito! — Levou a mão até o coração, foi a forma que criamos de nos abraçar quando eu adquiri a fobia. 

Coloquei a mão no coração também e sorri. 

Depois de fazer um sanduíche voltei para o quarto e vi que havia algumas mensagens. 


[Taetae] 

Jimin esqueceu que tem amigos 

(emoji chorando) 

Ele nos abandonou, Hobi 


[Hobi] 

Geralmente eu digo que você é muito dramático 

Mas é verdade dessa vez 

Jiminie~ 


[Jiminie] 

Eu não abandonei vocês kkk 

Me desculpem se fiquei ausente por muito tempo 

Meus últimos dias foram um inferno 


[Taetae] 

Oh meu deus

O que aconteceu?? 


[Hobi] 

Diz pra gente 


[Jiminie] 

Eu meio que soquei alguém sem querer uns dias 

E agora estamos virando amigos 

E eu estou gostando disso 


[Hobi] 

Meu deus, você socou alguém???? 

Por quê??? 


[Taetae] 

Ignora essa parte e foca no gostar 

Jiminie, está tendo seu primeiro crush? 


[Jiminie] 

O quê

Não!! 

Eu acho! 

É bem provável que não!!! 


Jungkook também havia me mandado mensagem. 


[Jungkook] 

Você sabia que existe uma água-viva imortal? 

Ela pode morrer, mas só se for feita em pedaços

Mas ainda assim é louco, não é? 


[Jiminie] 

Uau, isso é incrível 

Eu gosto de águas-vivas, acho elas tão bonitas 

(emoji corado) 


[Jungkook] 

Oh

Sério? 

Eu gostaria muito de ter levar no aquário, a gente podia ver umas de perto 

Apreciar a beleza e tals

Claro que elas não são tão bonitas quanto você

Se você quiser, é claro kk 


Claro que elas não são tão bonitas quanto você


Você


Bonitas


Você.


[Jiminie] 

Você me acha bonito? 


[Jungkook] 

Mas é claro 

Você é lindo, Jimin

Não vou mentir, quando você me socou, eu fiquei meio desnorteado com a sua beleza kk 


Ele me acha bonito, repito para mim mesmo, melhor que isso, ele me acha lindo


[Jiminie] 

Ninguém nunca me achou bonito.. 


No reflexo, eu pude ver algo que eu não via muito tempo, um sorriso, tão aberto, tão radiante e, principalmente, repleto de felicidade. 

Meu coração estava aquecido, eu me sentia estranho de uma forma que nunca me senti. O que era isso? O que eu estava sentindo? 

Jungkook me respondeu, mas eu precisava entender o que estava acontecendo comigo antes de ver a mensagem. 

Abri o chat de conversa com Hoseok e Taehyung, estava na hora de algumas coisas serem reveladas. 


[Jiminie] 

Gente, eu preciso contar uma coisa para vocês... 


Notas Finais


.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...