História Curiosidade e Inocência - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bleach
Personagens Byakuya Kuchiki, Gin Ichimaru, Grimmjow Jaegerjaquez, Hisana Kuchiki, Ichigo Kurosaki, Nanao Ise, Personagens Originais, Rukia Kuchiki, Shunsui Kyouraku, Ukitake
Tags Byahisa, Byasana, Ichiruki, Rangin, Shunao, Ulquihime
Visualizações 56
Palavras 3.026
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Alguém reparou nos olhos azuis ciano do capítulo anterior??
Quem é? Quem é?
Hahaha

Capítulo 5 - Quem é G. J.?


Capítulo 5

 

_Como esperado, tiveram alguns alunos dedicados na primeira fase dos trabalhos que se deram bem, como Ukitake-san e Hisana-san, que tiraram as melhores notas – Mayuri estava folheando alguns trabalhos que já haviam sido avaliados no trabalho individual. – Mas sempre temos aqueles que não são tão competentes para realizar um simples trabalho assim. – Novamente a sala ficou em silêncio, depois de engolir seco com o sorriso do professor. – Asano, Abarai, Izuru, Hisagi, e Kotetsu estão entre os que terão que fazer a segunda fase do trabalho sozinhos. O restante poderá fazer em dupla.

_Êeee! – Esse foi um grito que os outros alunos deram em comemoração.

_Porque vocês estão comemorando? – Mayuri estava sério.

“O que ele vai fazer?” logo a sala toda ficou em silêncio.

_Ukitake e Kuroiwa, venham aqui, por favor. – O professor chamou os representantes até a mesa dele.

“O que ele quer?” o casal estava estranhando o jeito sério de Mayuri.

_Bom, como vocês são representantes, e as notas de vocês estão numa média muito boa, quero que façam dupla.

“O que?!” os dois se espantaram um pouco com a proposta do professor, e se entreolharam.

_Ok. – Kuroiwa logo aceitou e deu de ombros.

“Eu pensava em fazer dupla com Kyouraku, mas ela vai ser mais interessante” Ukitake passou a gostar da ideia.

_Quero que escolham as duplas do restante da sala, de acordo com a nota de cada um. – Mayuri deu uma lista para Ukitake. – Tem que dar um média de pelo menos 80 pontos por dupla.

_Entendi. – Ukitake pegou a lista, e já ficou pensando no trabalho que aquilo iria dar.

_Quero que terminem isso até o fim da aula, se puderem. – Mayuri se levantou, e novamente chamou os alunos reprovados, para passa à eles uma atividade diferente, deixando o restante da turma em “self study”.

_Isso vai ser um pouco demorado. – Kuroiwa comentou pegando a lista da mão de Ukitake.

_E com a sala em self study, não vamos conseguir nos concentrar muito. – Ukitake estava bastante pensativo, pois sempre que a sala fica em self study, todos conversavam a vontade. – Já imagino que alguns alunos vão ficar nos pedindo para colocar com quem mais querem.

_É. Podemos fazer na biblioteca, o que você acha? – Kuroiwa sorriu enquanto já preparava seu material em mãos para saírem.

_Parece uma boa ideia.

“Desde aquele dia da reunião, nós não nos aproximamos mais” já na biblioteca, Ukitake não conseguia se concentrar direito na tarefa que o professor havia lhe passado. Desde o dia em que ele viu Byakuya sendo lascivo com Hisana, já havia passado uma semana, e desde então ele não teve mais nenhuma aproximação significativa com Kuroiwa. “Não quero pressioná-la para ficar comigo, quero que ela venha se ela quiser”.

“Ele fica me olhando com essa cara de bobo, esse tempo todo, mas não faz nada” eles estavam sentados numa mesa grande, de frente um com o outro.

_Ukitake, eu estava pensando. – Então Ukitake viu uma coisa que ele ainda não havia visto ainda, “Ela está tímida?” uma leve vermelhidão tomou o rosto de Kuroiwa.

_O que? – Ele ficou intrigado, sem conseguir piscar o olho.

_Eu estava pensando se seria possível você querer se aproximar de mim assim, aos poucos, como tem feito, por que gosta de mim?

_Hm? – Ele engoliu seco.

_É, o que foi? – Ela sorriu, tentando descontrair um pouco o momento.

_É que de repente do nada você vem com um assunto desses. – Já era possível sentir o nervosismo dele.

“Eu nunca vi ela vermelha assim” ele estava ficando fascinado com um lado novo eu não conhecia em Kuroiwa.

_Vamos lá, me fala. – Ela ainda sorria.

“Eu não estou preparado para me declarar” ele teve dificuldade de engoli saliva novamente.

_Eu ainda estou decidindo isso.

_Decidindo? – Ela fez biquinho, enquanto franzia o cenho.

_Quer dizer, você é uma garota legal, que tem umas atitudes diferentes à vezes, mas eu ainda estou conhecendo.

_Entendo. – Então ela passou a olhar para o papel em sua mão. – Quer dizer que quer me conhecer melhor? – Ela sorriu discreta.

_E você? Quer me conhecer melhor? – Ukitake olhou sério para Kuroiwa, então foi a vez dela ficar sem graça.

_Talvez…. – Ela desviou o olhar para o lado, vendo o restante dos alunos que estavam na biblioteca, saírem. – Talvez mais do que você pensa. – A resposta de Kuroiwa deixou Ukitake atônito.

Por alguns instantes, um silêncio tomou a biblioteca vazia, enquanto o casal se olhava, sem falar uma palavra.

“Mas acho que ele não tem em mente ter alguma atitude comigo” Kuroiwa voltou seu olhar para os papéis, e começou a rabiscar em seu caderno.

“São momentos assim que eu preciso ter alguma atitude, mas eu não consigo pensar direito perto dela” Ukitake também voltou a se concentrar na lista.

_Acho que dá pra por Ikkaku com Yumichika. – Kuroiwa fez um cálculo e mostrou para Ukitake.

_É. – Ao se voltar para ela, sem querer, Ukitake esbarrou em sua mão, a fazendo derrubar a borracha no chão, em baixo da mesa. – Desculpe. – Ele se agachou para pegar a borracha.

_Não, tudo bem. Eu pego. – Ela também se agachou.

A borracha acabou indo para um pouco longe, e os dois ficaram de joelhos de baixo da mesa. O jeito que eles ficaram ali, acabou deixando-os bem próximo, a ponto de sentir o perfume um do outro.

“Eu queria pelo menos sentir um pouquinho que eu senti aquele dia, de novo” Kuroiwa abriu a boca para respirar levemente, e acabou suspirando, enquanto olhava para a boca de Ukitake. “Estou com sede” ela se aproximou aos poucos dele, deixando sua vontade dominar seu corpo.

“Como eu faço para que ela entenda que eu não quero só pegação, também quero o seu coração” Ukitake ficou olhando nos olhos castanhos claros da garota, que o olhava expressando sua vontade dele, de forma profunda. “Outra vez ela falou sobre identificar homens que só querem transar, de homens eu querem conquistar o coração. Acho que tenho esse problema com ela, não sei se ela quer conquistar ou transar, mas o jeito dela encaixa melhor na segunda opção”.

_Peguei. – Ele desviou o olhar, pegando a borracha.

“Ok, eu desisto dele” Kuroiwa não pôde evitar de ficar aborrecida, vendo ele se virar e sair de baixo da mesa.

_Eu vou terminar essa meta de aqui, em casa. – Ela se levantou e começou a arrumar suas coisas, com muita pressa, e acabou descontando sua raiva jogando as coisas dentro de sua mochila.

“Eu não posso ficar aqui nem mais um minuto” o coração de Kuroiwa estava fraco, de forma que ela nunca havia visto antes, “Que droga! Porque eu quero chorar”, nervosa, ela virou as costas, decepcionada. “Meu coração” ela apertou o peito assim que a vista começou a embaçar.

“Eu já vi esse olhar antes” Ukitake lembrou do dia do cinema, e o quanto foi ruim vê-la emburrada com ele depois daquele dia, “Não, de novo não” antes mesmo que ele notasse, Ukitake já estava em pé, indo atrás dela.

_Kuroiwa. – Ele alcançou ela antes que saísse, e fechou a porta que Kuroiwa já havia aberto para sair, colocando a mão acima da cabeça dela. – Eu não quero que vá embora, não assim.

_O que você quer? – Ela se manteve de costas para ele, e cabisbaixa.

_Eu não sei se vai entender. – Ukitake sentiu um certo peso no coração.

_Eu não sei se quero entender. – Ainda muito chateada, ela tentou se afastar, abrindo a porta.

_Por favor, me escute. – Ele voltou a fechar a porta. Kuroiwa não respondeu, apenas ficou quieta. – Eu… eu gosto de você, mas não sei se é do jeito que você gosta de mim. – O silêncio dela começou a provocar um certo desconforto no coração de Ukitake, mas mesmo assim ele decidiu continuar. – Kuroiwa, escute, eu quero você como minha namorada, e não só para pegação.

Kuroiwa respirou fundo sentindo o coração acelerar de forma repentina, forte e intensa.

_Ukitake…. – Então ela olhou por cima do ombro, e Ukitake recebeu os olhos úmidos dela, como um ato de tortura para seu coração, então ele fechou os olhos.

_Kuroiwa, seja minha namorada, e eu prometo que vou lhe dar tudo o eu quer. – Ukitake abriu os olhos, esperando que ela o rejeitasse, como esperado, mas o que viu foi um olhar surpreso da garota boquiaberta.

_Sim. – Kuroiwa fazia sinais positivos com a cabeça, e olhos fechados. – Eu aceito seus termos.

“Sério?!” o platinado ficou realmente surpreso aqui.

De repente Ukitake sentiu a liberdade que faltava para poder tocar Kuroiwa. Ele a virou de frente para si, pegou sua mochila, deixando-a cair no chão.

_Espero que goste disso. – Ele acabou lembrando a frase que ela disse antes de beijá-lo loucamente, da primeira vez, e foi exatamente o que ele começou a fazer, de olhos fechados.

“A primeira dica, não tenha medo se perguntando se pode ou não fazer isso, ela vai gostar, desde que você mostre sua virilidade” essa foi a frase que passou na mente de Ukitake, lembrando das dicas de Shunsui. “Minha virilidade, ein?” ele começou a respirar fundo, pedindo passagem com a língua na boca de Kuroiwa.

“Então, até quee ele sabe ter um pouco de atitude” ela abriu a boa em meio a um suspiro, e logo tomou gosto em saborea-lo.

“Tenha confiança em agir” essa dica de Shunsui fez Ukitake ser mais confiante naquele momento. “Mas eu preciso ser eu mesmo também” então ele passou a fazer com Kuroiwa, coisas que lhe deu vontade.

Kuroiwa quase gemeu, sem cortar o beijo, ao sentir Ukitake erguer suas duas mãos, acima da cabeça dela, mantendo encostada na porta. Ele a pressionava mais e mais, com o seu corpo, e logo ela pôde sentir um certo volume nas calças dele.

“Eu quero que ela sinta mais” ainda insatisfeito, Ukitake conseguiu prender a mão dela com uma só mão, e passou a descer a outra, mais pra baixo, até que alcançou a cintura dela.

_Uki…. – Foi a vez dele de não permitir que ela saísse do beijo.

“Eu sempre imaginei que isso pudesse ser gostoso, mas não a esse ponto” Kuroiwa estava sentindo um pulsar anormal na região íntima, e já estava ficando sem graça, muito vermelha.

Ukitake estava concentrado em satisfazer Kuroiwa, e se lembrando do que ela fez com ele no primeiro beijo, ele começou a aquecê-la mais ainda, esfregando seu corpo no dela, enquanto apertava a mão em sua cintura.

O casal começou a sentir que a saliva estava cada vem mais volumosa em suas bocas, tornando o beijo com um sabor único, e ainda mais delicioso.

Mas então os pulmões passaram a não aguentar tanto fervor, e os dois se viram obrigados a separarem suas bocas, mas não afastaram muito seus rostos.

“Eu sempre pensei na parte em que os corpos se tocam, mas nunca pensei em quando os corações sentem algo” Kuroiwa conseguiu soltar uma mão, com a qual ela passou apegar no rosto de Ukitake.

“Você pode sentir algo por mim, como eu sinto por você, não pode? Me diz” ele pegou a mão dela, e esfregou em seu rosto carinhoso, demonstrando gostar muito do carinho dela.

_Kuroiwa, eu gosto de você. – Ukitake fechou os olhos, e beijou a mão dela.

Ele ainda estava nervoso com a situação, pois sua tremedeira foi sentida por Kuroiwa, mas ela também não estava em seu estado normal.

“Posso senti-la tremer também” Ukitake abriu os olhos para olhá-la no fundo dos olhos, “Isso só me faz querer mais” então ele voltou a beijá-la, mas dessa vez ele soltou a outra mão dela.

Kuroiwa aproveitou para abraçá-lo, passando seus braços por cima dos ombros dele.

“Ele está tão quente, que até perece estar com febre”.

Logo o casal foi ficando mais a vontade com o prazer do beijo, mas isso não significava que as coisas estavam esfriando, pelo contrário, quanto mais tempo eles sentiam o calor do corpo um do outro, mais queriam aquecer um ao outro.

“Eu ainda quero saber como é” Ukitake começou a sentir a mão de Kuroiwa andar sobre seu uniforme, descendo.

“Ela vai tentar fazer aquilo de novo?” mesmo assim, ele não pôde deixa de suspirar surpreso ao sentir a mão de Kuroiwa no cós de sua calça. “Você é minha namorada agora, então eu vou deixar”.

“Só mais um pouco” ela foi colocando a mão lá dentro, cada vez mais fundo, até que eles pararam de se beijar, olhando um pouco espantados nos olhos um do outro. Tocar no membro de Ukitake acabou provocando um choque inesperado nos dois.

“Ele está molhado?” o choque a fez se afastar, mas só por alguns segundos, logo ela voltou a aprofundar a mão ali.

“Ela vai me deixar louco” ele contraiu o corpo, tentando conter um arrepio, e sem notar, Ukitake começou a abaixar a mão, que apertava a porta atrás dela, e só notou quando encostou na saia dela, “Eu também posso deixá-la louca, não posso?”.

_Uki…. – Kuroiwa começou a falar surpresa, ao sentir a mão quente dele lhe tocar a pele das costas da coxa, mas ela parou a frase assim eu ele deslizou a mão para cima, devagar e levemente. – Take, isso é… muito louco. – Ukitake se viu obrigado a puxar a nuca dela, para que manter o beijo grudado, e assim ele abafava os gemidos dela.

“Está toda arrepiada”, ele pôde sentir na ponta de seus dedos, e isso provocava arrepios nele também. “Eu não quero parar” Ukitake acabou mordiscando o lábio inferior de Kuroiwa, ao alcançar sua virilha, “Meu Deus, como ela está quente… e úmida”.

“Talvez isso seja demais pra mim” Kuroiwa pressionava seus olhos fechados, agoniada sentindo a mão ousada dele, lhe enlouquecer só de chegar perto.

“Tudo bem se eu ir mais adiante, não?” de repente, fazer aquilo começou a deixa Ukitake com desejos que ele desconhecia. Começou a imaginar como seria se no lugar de seu dedo, fosse a coisa que Kuroiwa acariciava com as pontas dos dedos. “Eu quero ela… e agora” isso foi um pensamento bastante sem juízo que Ukitake acabou tendo, e os pensamentos Kuroiwa também não eram muito diferente, pois ela mesma estava afastando as pernas, abrindo caminho para ele ir mais adiante, “Ela também quer… isso é loucura, aqui, na biblioteca” ele já estava planejando abrir seu cinto e o zíper da calça.

Foi então que o som de alguns passos no corredor atrás da porta, fez os dois arregalarem os olhos, e em seguida eles pularam ao sentir a porta ser empurrada.

_Vocês já terminaram? – Mayuri abriu a porta, quase fazendo Kuroiwa cair.

_Ah…. – Ela ficou atônita olhando o professor, enquanto Ukitake lhe ajudava a manter-se em pé.

_O que está acontecendo aqui? – Ele olhou bem para o rosto vermelho dos dois, e em seguida para a mochila dela no chão.

_Eu tropecei, e Ukitake veio me ajudar. – Ela conseguiu pensar rápido, e foi pegar sua mochila.

_Hmm… tudo bem, eu ia falar que se quiserem terminar amanhã, na aula, está tudo bem. – Então o professor se virou, voltando para o corredor. – E tomem cuidado com seja lá o eu estão fazendo. – Claro que ele não acreditou na desculpa dela, mas foi embora.

Então eles se olharam pensativos, estavam um pouco assustados, mas logo eles começaram a sorrir.

“Ela ainda está tremendo”, ele olhou para a mão dela, e logo que foi mexer a sua, também se sentiu trêmulo.

_Você está bem? – Ukitake estava um tanto sem graça.

“Ela fica ainda mais linda vermelha assim”

_Sim, e você? – Kuroiwa ainda estava tentando recuperar a respiração.

_Eu estou…. – Ele começou a pensar, deixando seu olhar percorrer pelo corpo dela. – Eu estava preste a fazer uma loucura. – Então ele apertou sua nuca, fechando os olhos, e inclinando o pescoço devido a um arrepio que lhe percorreu.

Kuroiwa acabou ficando sem graça também, e desviou o olhar.

_Acho que temos que ir. – Ela sorriu um pouco pensativa.

_Ah sim, vamos. – Então ele pegou sua mochila também.

“Ela é puro fogo” Ukitake passou a acompanhá-la no corredor, enquanto olhava para as saias curtas dela, “Eu estava com a mão ali”.

“Eu nunca achei que ele pudesse ser tão… quente” Kuroiwa ainda não conseguia olhar para o rosto dele, e foi surpreendida pela mão de Ukitake, que agora pegou a sua.

_Quero andar de mãos dadas, agora você é minha namorada. – Ele falou firme, apertando a mão dela.

_Sim…. – Kuroiwa abaixou a cabeça sorrindo, em seguida ela apoiou sua cabeça no braço de Ukitake, e assim eles seguiram até fora da escola.

“Parece eu tem alguém esquecendo de ter bom senso” aquele olhos azuis ciano estavam de volta. “Acho que terei eu dar um jeito nisso”, essa pessoa estava chegou ao extremo de sua raiva, ao ver o casal se despedir com um beijo simples, mas um pouco duradouro, na boca.

_Amanhã a gente se vê. – Kuroiwa sorriu enquanto acenava com a mão.

_Até. – ele acenou de volta, sorrindo ainda um pouco abobado.

“Se eu soubesse que seria assim, eu teria pedido ela em namoro ha mais tempo” Ukitake passou a seguir o seu caminho, que era contrário de Kuroiwa, sorrindo bobamente feliz. “eu quero dar algo à ela” ele pensava em algo como um colar ou uma pulseira, querendo de certa forma, prendê-la a si.

Já quase chegando em casa, Ukitake passou a estranhar alguns passos atrás de si, e virou pra trás. De forma muito repentina e mais ainda rápida, ele viu um vulto escuro vir em sua direção, e antes que pudesse entender o que era, sentiu uma forte dor no olho esquerdo, e caiu no chão, se saber o que era.

_Deixe Kuroiwa em paz, seu imbecil. – Tudo o que Ukitake via nesse momento era um vulto de uma pessoa com roupas brancas, e cabelo azul.

_Quem é você? – Foi o que o platinado conseguiu falar com muito esforço.

_Eu sou o noivo de Kuroiwa, seu idiota.

_Noivo? – Ukitake finalmente conseguiu focar a visão, se apoiou em seus braços, sentando-se. – Ela não tem noivo. – “Tem?”

_Então…. – O homem se aproximou de Ukitake, se agachando, e puxando o colarinho dele. – Pergunte pra ela quem é Grimmjow Jaggerjack, seu palerma. Kuroiwa é minha!

Isso foi tudo o que Ukitake viu antes de apagar com um novo soco.


Notas Finais


VIsh, tá ficando tenso o negócio D:


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...