História 'Curses' - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Jay Park
Personagens Jay Park, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jay Park, Sadomasoquismo, Vampiro
Visualizações 98
Palavras 2.108
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente está chegando a hora...............
Khadija complicou tudo..
Mas o nosso lindo V não deixa nada atrapalhar o destino dos três.............

Rolem a página e curtam.................
Quero comentários..................sobre as núpcias...........

Boa leitura....

Capítulo 13 - Desire and Poison


Fanfic / Fanfiction 'Curses' - Capítulo 13 - Desire and Poison

‘Desire and Poison’

(Desejo e Veneno)

 

 

Namjoon – P.O.V

No meio da batalha vi Khadija montada em um cavalo negro, segundo V são criaturas das trevas. Ela fugiu e quando dei por mim Jay também havia desaparecido, o pior é que não consigo sentir o cheiro de nenhum dos dois.

_ Se Jay tiver ido atrás dela, V, o matarei. O combinado era para nós dois nos afastarmos!

_ Calma, Namjoon, também não gosto da ideia do nosso irmão ter ido atrás dela. Temos que pensar para onde podem ter ido. Khadija está usando seus poderes ao máximo, até mesmo os da escuridão e isso não é bom. Temos que voltar para o castelo, lá terei mais chances de descobrir para onde o portal os levou.

Todos voltamos para o castelo, sigo V até a sala dos pergaminhos, onde por incrível que parece eu o ajudo a pesquisar nos pergaminhos o paradeiro da minha fêmea.

 

 

Jay – P.O.V

Passei pelo portal junto com Khadija, meu corpo não me obedece, estou a um passo de possuir o corpo que tanto desejo.

_ Para, Jay, caso contrário irei machuca-lo!

Caminho até ela, prensando-a contra a parede da caverna, mas meu corpo não se contenta. Deito-a no chão e fico por cima, subo o seu vestido até a sua cintura, arranco a calcinha que mais parece um fino papel. Sei que não posso toma-la como tenho vontade, mas há coisas que posso fazer.

_ Não posso fazer isso, mas estou sem o controle do meu corpo! É culpa sua, maldita.

Pego a sua mão e levo até a minha calça fazendo com que a desabotoe e pegue meu membro que está pulsando faz tempo.

_ Vou fazer o seu corpo entrar no cio! E você me dará o alívio que procuro.

Com a minha outra mão alcanço a sua vagina que está praticamente encharcada. Vou masturbando-a ao mesmo tempo que faço sua delicada mão subir de descer no meu membro. Estou queimando por dentro e Khadija também. De repente ela para de se contorcer embaixo do meu corpo. Seu corpo fica gelado e seus olhos fecham.

_ Khadija, não! Khadija acorda!

Ela está quase desmaiando, há algo de errado sua palidez e fraqueza me espantam.

_ Há quanto tempo não se alimenta, Khadija?

Ela me olha e sorri fraco.

_ Nunca me alimentei de sangue, não sou como vocês, sem falar que não tenho presas!

_ Como assim, nunca se alimentou?

Num impulso corto meu pescoço sento e a coloco no meu colo. Levo sua boca até o corte, ela reluta.

_ Não quero, não preciso da sua caridade!

_ Não é caridade, beba o quanto quiser! Isso me dará prazer. Anda logo, Khadija, sei que é isso o que deseja nesse momento.

Ela nega com a cabeça, mas levo sua boca ao meu pescoço. Seus lábios estão fechados, faço-os tocarem a minha pele suja de sangue. Sinto um suspiro, Khadija está excitada, pois beber sangue de outro vampiro nos dá um prazer indescritível assim como fazer sexo.

_ Me deixa sentir a sua língua no meu corpo, me faça ter prazer em te alimentar com o meu sangue.

Com a minha destra seguro firme o seu quadril, fazendo-o movimentar e esfregar sua vagina no meu membro. Suas mãos estão no meu peito tentando me empurrar. Seguro seu cabelo e afundo seu rosto ainda mais no meu pescoço. Ela se rende, separa seus lábios macios e começa a sugar o líquido vermelho do meu corpo. Uma onda elétrica percorre o meu corpo, aperto o corpo delicado fazendo-a gemer em resposta. Suas mãos sobem até a minha nuca e ao meu cabelo, me segurando para beber mais. Em minha ansia por sentir mais, acabo mordendo o pescoço dela e bebendo o seu sangue.

Khadija para de beber e grita.

_ Não beba o meu sangue!

O aviso veio tarde, o gosto de veneno toma conta do meu corpo. Deixo o corpo dela tombar e cair no chão, ainda está fraca, e eu estou envenenado.

_ Por que fez isso? Me fala o porquê?

_ Não quero ser o que sou, isso tudo só traz morte e desgraça para todos.

Vejo-a segurando um cabo, pela aparência é o cabo da Adaga Sagrada. Khadija desmaia e minha visão está falhando. Tenho que nos tirar daqui. Me conecto com V, que logo me fala que voltou para o castelo. Pego Khadija no colo e me concentro para desaparatar da caverna e aparatar na sala dos pergaminhos. Quando chegamos ouço um rosnado e alguém apertando o meu pescoço.

_ SEU DESGRAÇADO, VOCÊ FOI ATRÁS DELA! ELA É MINHA, VOCÊ A ODEIA.

Namjoon está furioso, mas quando olha para a mulher nos meus braços se afasta dando dois passos para trás. Caio de joelhos e mal consigo falar.

_ Ela não se alimentou direito, não tem presas ainda.

V corre e nos segura, logo os rapazes aparecem também e tiram Khadija dos meus braços, o que me faz protestar rosnando para todos.

_ O que aconteceu com você? – V pergunta preocupado.

_ O sangue dela está envenenado, bebi um pouco. Faça alguma coisa V se não ela...........

Não termino a frase e ganho um soco, Namjoon me ataca e caio deitado no chão sem forças. Kookie e Jimin o seguram.

_ Você bebeu o sangue dela, mordeu-a sem a minha permissão! Eu vou te matar por ter indo tão longe com a minha mulher.

Olho para o meu irmão enfurecido e sorrio fraco.

_ Ela é minha também, sou o mais velho é meu direito ser o primeiro.

Antes dele me atacar novamente ouvimos a voz fraca de Khadija.

_ Namjoon!

Ele para no mesmo instante, virando para ir até ela, V tenta impedi-lo, mas ele está fora de controle. Pegando-a nos braços vejo seus olhos marejados de lágrimas é a primeira vez que o vejo chorar.

_ V me ajuda a salva-la, por favor!

Nosso irmão mais novo me ajuda a levantar me apoiando.

_ Vamos para os aposentos reais de núpcias, Jimin me ajuda com o Jay, Kookie leve Khadija, Jin acompanhe Namjoon e o ajude a se preparar para o ritual, mas tem que ser rápido. Suga e JHope chamem nossas mães, as famílias reais e os anciões, leve todos eles para os aposentos também. Vamos acelerar o processo.

_ O que vai fazer, V? – Pergunto sem entender nada.

_ Agora sei o porquê do cio de Khadija não vir e suas presas também. Ela ainda não é uma vampira completa, por isso não tem presas. Só preciso descobrir que veneno ela está tomando para adiar o cio e para se matar. Não se preocupe, vocês dois ficarão bem. Alegre-se irmão, hoje celebraremos o seu casamento, pena que não será da forma tradicional.

 

 

V – P.O.V

A situação está quase fora do controle, não imaginei que ela chegaria ao extremo de se envenenar. Chegando nos aposentos, mando prepararem um banho para ambos, Jay e Khadija, separados é claro. Enquanto Kookie a leva para o outro banheiro sigo eles, mando chamar algumas servas para lhe dar banho. Me aproximo e toco a mordida de Jay, não é o suficiente, terei que toca-la com a minha língua e sentir o sabor do sangue.

Ao tocar o sangue com a ponta da língua descubro quais venenos anda usando.

_ Você é muito sábia e perigosa, minha cara cunhada. Ranunculaceae Aconitum e Atropa Belladonna, a primeira para adiar o cio e a segunda para morrer lentamente.

Ela abre os olhos e me entrega o cabo.

_ Foi partida em duas! Preciso encontrar a outra parte.

Ela tenta se levantar, não deixo.

_ É melhor ficar deitada, as servas lhe darão um banho e irão lhe preparar. Tem noção do que fez? Jay está quase morrendo neste instante, e Namjoon irá se sacrificar. Era isso o que queria, Khadija?

_ Do que está falando? Sabe muito bem o que quero, nem você e nem eles irão me impedir.

_ Tenho que desenhar para você entender?

_ Não entendo onde quer chegar! E onde estou?

_ No castelo dos quatro clãs. Jay lhe trouxe antes de piorar por causa do veneno no seu sangue. Suas atitudes me levam a ações extremas também. Realizarei a cerimônia de enlace entre vocês três. Contudo o resultado será um pouco tenebroso.

_ Não vou me casar! Não pode me obrigar.

_ Está quase morrendo, e levando com você os meus irmãos, não permitirei que isso aconteça.

Saio deixando com as servas que entram assim que me retiro.

 

[...]

 

Todos estão presentes, Jay está apoiado no Kookie e Jimin, Namjoon está acompanhado de sua meio irmã Yang mi, que está chorando por perder o seu amor. Não é segredo para ninguém que os dois vivam em uma relação incestuosa. Os anciões me olham com desaprovação, nossas mães com cara de quem não acreditam no que está acontecendo.

A porta do closet se abre e Khadija vem caminhando apoiada pelas servas. Seu vestido preto esvoaçante é quase transparente, meus irmãos a olham a devorando. Dou início a cerimônia citando a lenda da Sacerdotisa Primordial. Com os três diante de mim faço o juramento de sangue deles, que prometem viver em harmonia, menos Khadija que fica em silêncio.

Quando todos saem, ficamos eu, os rapazes e os noivos. Se entender Namjoon me interroga.

_ O que vai acontecer agora? Jay está fraco e ela também, então eu passarei a primeira noite com ela.

_ Não, nosso irmão precisa do sangue dela e ela do seu. Sabe que ele tem que toma-la primeiro.

_ NÃO VOU PERMITIR, ELE A ODEIA, SEM FALAR QUE ELA JÁ ME ESCOLHEU, NO BEIJAMOS E NOS DESEJAMOS.

_ Cala a boca, Namjoon. Olhe para ela está à beira da morte. Terei que drenar o sangue envenenado para que o cio venha. Pegue a sua esposa e entre na banheira com ela agora.

Namjoon me olha com ódio, mas me obedece, pegando-a no colo e levando-a para o banheiro. Vou com eles, mas antes aviso Jay.

_ Sei que tentará impedir que ela beba do sangue dele, mas infelizmente para salva-la é a única coisa a ser feita.

Jay rosna e tenta caminhar, os rapazes o cercam. Faço sinal para o Suga me acompanhar. No banheiro Namjoon já está na banheira com Khadija em seus braços. Seguro ela para que tire a camisa, o que faz rapidamente.

_ Corte o seu pescoço, ela ainda não tem presas. Deixe-a beber o quanto for preciso.

Pego um punhal e corto os pulsos dela, meu irmão me olha.

_ Rápido, Namjoon, ela está quase morrendo!

Ele leva o rosto dela até o corte que fez no pescoço e a obriga a beber. Relutante tenta empurra-lo, mas como é um macho persuasivo consegue faze-la beber.

_ Beba, meu amor. A única coisa que posso fazer por você nesse momento é lhe dar o meu sangue. Então não nos negue esse prazer.

Khadija atente ao pedido de seu marido, bebendo o sangue. O sangue dela começa a jorrar pelos cortes dos pulsos, o que faz suas forças voltarem. Ela para e respira um pouco, seus gemidos aumentam suas presas aparecem e Namjoon sorri.

_ Me morda, me marque!

Ela obedece cravando seus dentes no pescoço dele volta a sugar-lhe o sangue. Meu irmão começa a fraquejar e ambos afundam na banheira exaustos.

_ Suga me ajuda a tira-lo daqui e rápido.

Khadija começa a contorcer de dor, seu cio está tomando conta do corpo e começa a chamar por Namjoon.

_ Namjoon! Namjoon!

Pego-a no colo e a levo de volta para o quarto. Os rapazes acompanham meu outro irmão. Olho para Jay que está sentando no chão olhando a fêmea na cama gemendo de dor. O cheiro dela impregna o ar fazendo-o rosnar em resposta e mesmo fraco consegue ficar de pé.

_ Sua esposa o aguarda, ela está no cio. Satisfaça-a e a você também!

Saio deixando os dois sozinhos, das escadas ouço Namjoon chamar por Khadija. Isso será complicado.

 

 

Khadija – P.O.V

Meu corpo todo dói, meu ventre queima e minha intimidade está contraindo sem controle clamando por satisfação.

_ Namjoon! Eu quero ele.

Vejo Jay caminhando como um animal cercando sua presa, seus olhos estão vermelhos e suas presas estão a mostra. Ele rasga sua própria roupa e sobe na cama. Tento me afastar, mas ele me puxa pelas pernas e antes de protestar vejo meu vestido sendo rasgado.

_ Será o meu nome que gritará a noite toda!

Jay deita sobre o meu corpo e toma meus lábios. Meu corpo se agarra ao dele e a dor aumenta me contorço e ele me morde, nos arrastando ao desconhecido.

 

 

 


Notas Finais


Amores mio.............
Desculpa adoro deixar um gancho para o próximo capítulo..............
Então me digam o que acharam...........
É a minha hora favorita.......
TODO MUNDO SENTANDO OS DEDINHOSSSSSSSSSSSSSSS.........EEBBBAAAAAAAAAAAAAAA...................
ESPERA..................
N
O

T
E
C
L
A
D
O
OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO..................................KKKKKKKKKKKKKK

Beijo no queixo!!!!!!!!!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...