História Curva no tempo - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Taehyung (V)
Tags Bts, Drama, Kim Taehyung, Romance, Universo Alternativo
Visualizações 27
Palavras 948
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi.

Ficou curtinho, mas espero que gostem do capítulo <3

Boa leitura. :)

Capítulo 14 - Já esperamos demais


Fanfic / Fanfiction Curva no tempo - Capítulo 14 - Já esperamos demais

 

“Taehyung.” chamei o moreno deitado ao meu lado da cama. “Hmmm?” resmunga em resposta. ─ Logo após o ocorrido na sala subimos para meu quarto para ficarmos deitados juntinhos assistindo filmes natalinos, Tae está me fazendo cafuné, porém quem estava ficando com sono era ele. Sua mão deixa de acariciar meu cabelo, ele se espreguiça e abre os olhos lentamente.

Estava curiosa desde que o primeiro filme começou, não conseguiria sanar minha curiosidade pela manhã, tratei de perguntar logo: “Você pediu para que papai fingisse estar com sono?”

 

 Assim que começamos a decorar a árvore ele chamou meu pai a um canto e conversaram por alguns minutos, para enfim meu pai dar uma desculpa que iria se deitar. Nunca imaginei que a noite acabaria desta maneira. Tae me ama de verdade, não é algo inventado por meu inconsciente, suas declarações, seus atos e todo o resto eram verdadeiros. Sinto que estou flutuando e a cada segundo que se passa acredito estar cada vez mais alto, o melhor é que meu medo de cair é nulo.

 

 “Bem, não…" Solta um pequeno bocejo. "Já havíamos conversado a algum tempo sobre meus sentimentos, ele sabe que eu te amo desde o colégio e sempre me apoiou a contar, mas eu sempre fui um medroso e então veio o Peter, você parecia tão feliz, não quis intervir. Após todos os acontecimentos dessas semanas eu… eu enfim tomei coragem, solicitei e ganhei a permissão do seu pai para pedir você em namoro, ele ficou todo bobo, me aconselhou a falar com você hoje mesmo. Não fazia ideia que ele daria a desculpa de que iria dormir, mas acabou ajudando.” Solta uma risada baixa.

 

 Parei de ouvir o que dizia assim que, permissão para me pedir em namoro saiu de seus lábios.

 

 Meu Deus!

Ele vai me pedir em namoro?

 

 “Merda.” rosna baixinho me assustando, se levanta desesperado e saí correndo do quarto.

 

  Sento na cama acompanhada da minha cara de tacho. O que acabou de acontecer aqui? Tudo estava indo perfeitamente bem, então do nada ele foge?

  

 Levanto da cama e desço as escadas, a fim de encontrá-lo. Será que ele ficou com dor de barriga? Seria aceitável depois de ele ter devorado tantos biscoitos de gengibre.

 

  Ao último degrau posso vislumbrar Tae vasculhando a sala, ele parece exasperado, bagunçando os fios e xingando diversas vezes. “Tenho certeza que estava aqui…” resmunga ainda não notando minha presença.

 Sigo andando na ponta do pés em direção a ele, acabo não prestando atenção onde piso tropeçando em algo e indo de encontro ao chão em um baque. Choramingando assim que sinto um ardor no joelho esquerdo. “Allie!” exclama preocupado e vem correndo até mim.

 

 

  A queda me rendeu um joelho ralado, que foi devidamente tratado por Taehyung, após desinfetar o ferimento e passar uma pomada, cola um curativo e dá um beijinho no local.  “O que raios deu em você?” pergunto.

Estou sentada no sofá enquanto Tae vai até o local da minha queda, sigo ele com os olhos, o vejo abrir um sorriso e pegar algo do chão. “Estava procurando por isso.” Levanta a caixinha preta, dando uma leve sacudida.

 

  “Não foi assim que me  imaginei fazendo isso, mas…” Ele caminha até mim e se põe de joelhos, meu coração bate freneticamente e minhas tremem com a expectativa. “Allie, eu te amo mais do que amo comer torta de limão em primaveras. Esperei tanto para me declarar, mas o que importa é o agora, eu quero você na minha vida, quero te fazer a mulher mais amada e feliz do mundo.” Seu sorriso se ilumina. “Allie Thompson, você aceita namorar comigo?” sua voz soa rouca e sexy, em seguida faz menção de abrir a caixinha. Seu rosto esboça uma careta engraçada assim que não consegue abrir-la, pede um segundo, acabando por notar que estava tentando a abrir do lado errado. Caímos na gargalhada, até ficarmos sem fôlego e com lágrimas nos olhos.

 

   “É claro que aceito, meu amor.” digo meio risonha, estendo minha mão direita a ele para que deslize o anel de prata por meu dedo anelar.

 

  

  Seu pedido foi desastrado, entretanto não poderia ter sido mais perfeito. Exatamente a nossa cara, até porque deixar que as coisas sigam seu fluxo normal e simples não parecia se encaixar em nossa realidade.


 


 

 Mamãe chegou para o natal; cheia de presentes, abraços e sermões por Tae não tê-la esperado para me pedir em namoro. Ela me faz muita falta aqui, mas sua vida agora é no Canadá, se isso a faz feliz não posso reclamar, somente apoiá-la e matar a saudade quando vem me visitar.


 

  A ceia foi farta e alegre, parecíamos aquelas típicas famílias de comerciais de margarina, meu pai até fez ─ infelizmente ─ a piadinha do pavê. Quando o relógio marcou meia noite, fomos até a árvore para trocarmos nossos presentes.

 Ganhei um lindo brinco e colar de pedraria azul do papai; mamãe me presenteou com uma bolsa nova de couro; Tae me encheu de chocolates e um lindo buquê de flores, segundo ele seu amor acabaria assim que a última flor murchasse, entre as tantas rosas vermelhas havia uma feita inteiramente de plástico. Me desfiz em lágrimas e o enchi de beijos apaixonados.

 

 

 A cada dia que passa me surpreendo mais, acreditava que meu amor por Taehyung já havia atingido o limite máximo, mas só se elevou nesses meses posteriores ao começo do nosso namoro. Viramos amigos; amantes; companheiros; confidentes; verdadeiras almas gêmeas.


 

 Me sinto em um sonho, cujo qual não quero acordar nunca mais.


 

 Meus familiares estão todos bem, meu local de trabalho é incrível, tenho meu próprio apartamento, meu melhor amigo está aqui e finalmente estamos juntos.

 


Notas Finais


Entao o que acharam?
Pensei em fazer algo mais fofo, espero que tenha conseguido kkk

AAAAAAA, ESSE É O PENULTIMO CAPITULO (estou sofrida)
espero que estejam gostando e até o capítulo final bolinhos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...