História Curva no tempo - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Taehyung (V)
Tags Bts, Drama, Kim Taehyung, Romance, Universo Alternativo
Visualizações 50
Palavras 770
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi.

Não dei uma explicada sobre o que é Transtorno Dissociativo de Identidade, se quiser posso passar uns sites que achei interessantes.

Espero que goste do capitulo. <3

Capítulo 8 - Aproximação


Fanfic / Fanfiction Curva no tempo - Capítulo 8 - Aproximação

 

 Não me lembro de como saí do prédio, mas estava aqui na calçada com Taehyung afagando gentilmente minhas costas.


 Tudo estava rodando.


     Não consigo respirar direito, a cada tragada rápida e forte de ar, que enchiam superficialmente meus pulmões, me causava uma vontade enorme de vomitar.

“Respira devagar, Allie. Relaxe.” disse ainda tentando me transmitir conforto.

 

 As peças do meu quebra-cabeça estavam começando a se encaixar.

 Eu sinto o suor frio se formar contra minha pele.


 

 Não era o que eu esperava encontrar e isso esta me apavorando cada vez mais.

 

 

“Vem, vamos sair daqui.” Me levou em direção ao carro e abriu a porta para mim.


 

 Me encolhi no banco, abraçando minhas pernas. Tae estava em silêncio e parecia extremamente calmo.



 

 Ele está dirigindo a horas.



 

 “Isso foi realmente foi uma surpresa.” Revela Tae, continuo em silêncio. “Estou rodando em círculos.”

 

“Bem vindo a meu mundo.” retruco baixinho.

 

“Não se martirize tanto, uma hora tudo vai fazer sentido.” Sua rota muda. Olho de soslaio a tela do GPS e sei que estamos voltando a meu suposto apartamento.

 

 

 O filme Sempre ao seu lado está passando na televisão enquanto eu e Taehyung estamos abraçados no sofá macio da sala.

Ele fez questão que eu não me isolasse. Não seria correto que eu passasse pela aceitação de todas as informações sozinha.

 

 E estava totalmente certo.


           Eu realmente preciso dele aqui. 


“As coisas estão mais claras para você agora?” Soltei um longo suspiro. “Eu não sei. Não me lembro de nada dos últimos dois anos nesse lugar. A diferença é que estou começando a acreditar que tudo pode mesmo ter acontecido como todos falam e não com o que eu tenho como verdade.”

 

“Isso é muito bom.” diz me abraçando mais apertado e sorrindo. “Só lhe resta esperar mais um pouquinho para que as suas lembranças voltem.”


 

 Sera que elas vão voltar mesmo?


 

  “Eu ainda não entendo. Por que eu teria criado uma versão tão terrível da minha vida? Por que não uma vida perfeita e feliz?” Tae ficou um silêncio por um bom tempo. Sua expressão se torna extremamente concentrada, como um cirurgião prestes a abrir seu primeiro paciente.

 

 “Talvez sua vida real seja sua realidade perfeita. Você já estava vivendo nela então sua mente confeccionou algo exatamente ao oposto.” Explica sua teoria. “E você? Por que eu criei sua morte?”

 “Quanto a eu estar…” Engoliu em seco antes de continuar. “Morto. Talvez seja por termos nos afastado. Ficamos sem nos ver por bastante tempo, talvez isso signifique para você a morte da nossa amizade…”

 

Acho que seria exatamente ao contrário. Que de algum modo o fato do nosso afastamento fez com que meu subconsciente tomasse noção, que uma vida sem Tae seria como estar em meu inferno particular.

 

...

 

 Um pesadelo imunda meus sonhos esta noite.

Sons de sirenes de ambulâncias eram emitidos em ondas sonoras altas. Eu estava em uma maca, meus pulsos e tornozelos se encontravam amarrados. Uma sombra vinha em minha direção e a cada passo seu conseguia escutar as batidas do meu coração. No fim, quando ela se encontrava quase segurando meu pé, eu despertei toda ofegante e suada.

 

...

 

O café da manhã foi silencioso, Taetae está sentado em uma banqueta preta e alta ao lado da minha. Usa um pijama de cetim com listras em tons de azul, que combinavam com minha camisola azul turquesa.

 

 Cada um terminou de comer e permaneceu sentado em silêncio. Nossos olhos vagaram a cozinha moderna até estarmos observando um ao outro.

 

  “Me conta como foi a noite do acidente para você.” falei quebrando o silêncio. Precisava ter mais detalhes se quisesse entender tudo.

 

Sua história foi exatamente igual a minha até o momento em que o carro estava se aproximando da janela e eu estar paralisada, porém, na sua versão ele conseguiu me salvar e também salvar a sí mesmo.

 

 “Você salvou minha vida.” 

“Como eu poderia agir de modo diferente?” Sua voz saiu ainda mais rouca. “Você se machucou por minha causa.” digo me aproximando e passando os dedos sobre uma pequena cicatriz em sua testa sob sua franja.


 

 Não sei o que me deu, mas a cada segundo meus dedos exploravam mais do seu rosto, passando por suas sobrancelhas, seu nariz, suas bochechas e continuaram até o caminho da sua boca, descansando sobre seus lábios entreabertos.

 

Nossas respirações estavam cada vez mais pesadas.

 

Era como se a eletricidade crepitasse entre nós.

 

Meus olhos miravam sua boca, assim como os seus faziam o mesmo com a minha.


 

 Ele segura minha mão a afastando e se inclina suavemente em minha direção. Fecho meus olhos com a expectativa.

 


Notas Finais


Bom, é isso.

Espero que esteja gostando <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...