História Daddy - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Gaaino, Naruhina, Naruto, Nejiten, Romance, Saino, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 275
Palavras 1.880
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem.
Obrigada pelos comentários e favoritos do capítulo passado, vocês são incríveis.

Boa leitura

Capítulo 13 - Capítulo 13


Sasuke Uchiha

 

 

O tamanho do ódio que eu estava sentindo naquele momento era tão grande, que a minha capacidade cognitiva havia sumido, eu simplesmente não estava mais raciocinando, nem ouvindo mais o que falavam perto de mim, a única coisa na qual eu focava a minha visão, era o rosto debochado de Ino.

Eu nem ao menos havia percebido a presença de Naruto com Hinata ao meu lado, o meu ouvido estava com um zumbido na qual me impossibilitava de conseguir compreender qualquer coisa que estivessem falando comigo. 

Parecia que o meu ódio havia tomado o meu corpo por inteiro, e controlar aquilo estava mais difícil do que achei que seria.

– Sasuke - Naruto falou mais alto me tirando do transe. 

– O que foi? - falei entredentes tentando me controlar o máximo possível.

– Temos que fazer alguma coisa, o mais rápido possível - ele disse sorrindo enquanto algumas pessoa vinham me cumprimentar.

– E você acha que eu não sei disso? - falei baixo para que só Naruto e Hinata ouvisse - Eu estou considerando em tirar Sakura daqui, isso tudo é perigoso para ela. 

– Mas é perigoso para você também - Hinata disse - Acha que se acontecer algo com você, Sakura ficará feliz? 

– Ela tem razão - Naruto disse concordando com a esposa. 

– Não me importo comigo, eu só quero que a Sakura fique bem. 

– Acontece, Sasuke, que se algo acontecer a você, a Sakura não vai ficar bem e pode ser mais perigoso para ela, vê se pensa - Naruto falou me olhando sério - Você já sabe de muita coisa, tem que avisar Yamato.

– Neji e Tenten trabalham com ele, posso pedir para que consigam uma reunião - Hinata dizia me olhando de forma preocupada.

– Está bem, podem avisar a ele - disse me dando por vencido.

– Oi docinho - Ino se meteu na frente de Naruto e Hinata - Espero que tenha gostado da surpresa - voz melosa e irritante estava muito pior do que o normal - Achei melhor adiar as coisas, não quero estar com uma barriga enorme no dia do meu casamento. 

Meus olhos só focavam em Sakura à alguns metros de distância, ela sorria para mim, o sorriso que era único dela, acabei sorrindo sem perceber. 

– Está me ouvindo? Para o que você está olhando? - Ino disse antes de se virar e encontrar meus pais e Sakura conversando.

– Ino, eu preciso falar com o meu pai, com licença - disse saindo de perto da loira e seguindo em direção ao meu pai - Preciso falar com você, vou chamar Itachi e Naruto também.

– Estou indo para o escritório - disse o meu pai dando um aceno para as duas mulheres a nossa frente.

Assim que encontrei Itachi e Naruto, seguimos para o escritório do meu pai.

– Precisamos falar com Yamato sobre a família de Ino estar envolvida com a Akatsuki - falei de imediato observando a feição de surpresa do meu pai.

– Como sabe sobre isso? - Fugaku perguntou.

– Há algumas semanas, Ino ameaçou Sakura, disse que estava grávida e que se Sasuke não casasse com ela as coisas ficariam bem complicadas para Sakura e o bebê - Itachi respondeu.

– Contratei Orochimaru para investigar - o olhar do meu pai mudou imediatamente para raiva.

– Sasuke, o que você pensa que está fazendo? - ele dizia andando de um lado para o outro - Orochimaru? Sério? 

– Por mais que ele seja um merda, você sabe muito bem que ele é um bom investigador - respondi.

– Ele me dá arrepios - disse Naruto aleatoriamente. 

– E vocês dois sabiam disso e não falaram nada? - meu pai perguntou para Naruto e Itachi. 

– O senhor sabe como o Sasuke é teimoso, muita gente já tava envolvida nisso e precisava ser algo com menor número de gente metida - Itachi começou a dizer enquanto enchia um copo com whisky.

– Se estivéssemos envolvido a polícia antes, seria pior, o risco para Sakura poderia aumenta - Naruto dizia cruzando seus braços - Decidimos fazer as investigações por conta própria por isso, acredito que tivemos mais respostas assim do que se tivéssemos jogado tudo para a polícia. 

– E o que vocês descobriram? - meu pai perguntou parando de andar pelo escritório. 

– Inoichi está falido, se envolveu com a Akatsuki e agora está devendo eles também - Itachi começou a dizer -  Eles formaram uma sociedade, Inoichi trabalha para eles. 

– Acreditamos que Ino saiba, ela tem um caso com outros dois caras, acredito que se ela estiver grávida, possa ser de um deles - disse tendo a atenção dos outros - Se ela estiver realmente grávida. 

– Acha que ela pode não estar? - Itachi disse após terminar o seu whisky. 

– Ela não iria adiar o casamento se realmente estivesse - respondi - Se ela realmente estivesse confiante, ela simolemte não tiraria três meses para essa merda. 

– Isso realmente faz sentido - disse o meu pai - E o que pretendem fazer agora?

– Hinata vai falar com Neji e pedir uma reunião com Yamota para discutir sobre isso - Naruto respondeu ao meu pai. 

Aquela situação toda estava tensa, os próximos passos seriam decisivos agora, meus amigos e principalmente a minha família e Sakura precisavam tomar cuidado. 

Após aquela conversa, voltamos para a festa que rolava na casa, Ino continuava com seus braços entrelaçados aos meus, sorrindo falsamente para todas as pessoas que passavam por nós e parabenizando pelo futuro bebê.

Talvez, naquele momento eu estivesse me dando a liberdade d3 consumir o maior número de álcool que eu pudesse, estava começando a me sentir enjoado com tosa aquela farsa que Ino construira sendo eu conivente com tudo aquilo, à força. 

– Você quer parar de beber? - Ino dizia baixo e seu sorriso falso ainda se mantinha lá. 

Não fiz questão de responder pegando mais uma taça de champanhe do garça que passava por nós. 

– Foda-se - disse saindo de perto dela. 

Fui em direção a cozinha que estava mais fazia, apenas alguns empregados estavam por ali, passei pela porta dos fundos, mas o meu teor alcoólico já estava elevado demais para conseguir manter meus movimentos corretamente, o que acabou me causando uma boa queda e um corte acima da sobrancelha. 

– Inferno - vociferei após por a mão na testa e ver o sangue pelos meus dedos - Puta que pariu. 

– Você sabe que não tem controle para bebidas - aquela voz que eu tanto gostava de ouvir soou e vi Sakura minha frente.  

– Por favor, diga que é você mesma e que isso não é uma miragem - ouvir sua risada foi de certa forma aliviador. 

– Você precisa se levantar daí para que eu limpe essa sua cara de idiota ensanguentado - ela disse se levantando. 

Eu estava tonto, tanto pela pancada quanto pelas bebidas que eu havia ingerido em um curto pedaço de tempo, levantar seria bem complicado agora. Não tinha visto quando Sakura havia saído dali, mas vi quando ela voltava com um garçom trazendo uma cadeira e nas mãos dela havia uma caixa de primeiros socorros.

Sentei na cadeira e logo em seguida Sakura começou a passar algo que ardia muito a minha testa. 

– Fica quieto, isso aqui não é nada - ela disse enquanto passava o algodão com aquela coisa em mim - Você pode ser um pouco menos dramático?

– Essa porra está ardendo - respondi a ela. 

– Uma criança vai passar por mim, Sasuke, acho que definitivamente você não tem do que reclamar - fiquei quieto porque ela tinha razão, Sakura sempre tinha razão - Prontinho - ela disse após colocar um band-aid na minha testa - Acho melhor você dormir aqui ou chamar um táxi, vai acabar se acidentado desse jeito.

– Está bem - disse olhando para aqueles olhos verdes tão intensos - Será que o bebê vai ter os seus olhos? 

– Como assim? - ela perguntou surpresa com minha pergunta repentina. 

– Verdes assim - ela sorriu com a resposta. 

– Mas poderia nascer com os seus olhos - ela ainda sorria. 

– Não, seria sem graça, não tem nada em especial assim - ela soltou uma gargalhada e dei um logo suspiro - A noite está bonita. 

– Está sim, parece com as noites na faculdade, quando a gente ia para a praia à noite na caminhonete de Shilamaru - aquele ar de nostalgia era bom, de certa forma.

A época que passamos na Universidade havia  sido o melhor até ali, eu tinha saudade de como os amigos pareciam mais próximos e de como era divertido, entre trabalhos, provas e estágios, sempre tinha um dia ou outro em que conseguíamos fugir da rotina diária e aproveitar o tempo uns com os outros. 

E por mais que todas as vezes que fazíamos aquilo, por mais que fosse sempre a mesma coisa, parecia que tinha coisas novas, íamos para a praia à noite, bebiamos a mesma cerveja horrível e barata, eram sempre as mesmas músicas, as mesmas pessoas, o mesmo lugar.

Quando os pais de Sakura haviam morrido, tínhamos feito a mesma coisa, mas naquele dia, não tinha tido conversa, era apenas o som das músicas e o silêncio. 

Quando Naruto e Hinata anunciaram o noivado, também tínhamos feito o mesmo, mas naquele dia o silêncio não havia reinado. 

Quando a faculdade terminou e cada um seguiu com a sua vida, as coisas ficaram mais difíceis, ou quase impossíveis, não nos víamos com mais tanta frequencia, os problemas e responsabilidade tomaram conta da gente, não sei se eles se sentiam da mesma forma que eu, mas eu me sentia um pouco culpado de ter me deixado afastar os meus amigos.

– Sasuke? - Naruto apareceu onde estávamos e começou a rir desesperadamente - Por que o Sasuke está com um band-aid da Hélio Kitty na testa? 

Olhei instintivamente para Sakura a vendo rir com Naruto.

– Sério, Sakura? - perguntei a vendo rir mais. 

– Você está uma gracinha, juro - ela dizia passando a mão pelos fios que caiam pelo meu rosto. 

– O que você quer, Naruto? - perguntei o vendo parar de rir. 

– Ino pediu um táxi dizendo que ela não quer morrer porque você está bêbado e eu vim me oferecer como carona para vocês dois, porque o Sasuke está bêbado e a Sakura veio de táxi - Naruto dizia tentando se manter sério. 

– Eu vou me despedir da minha mãe - disse me levantando da cadeira e entrando na casa percebendo alguns olhares. 

– Meu filho... - minha mãe parou de falar assim que me viu - O que foi isso na sua testa? 

– Me machuquei e Sakura me ajudou - disse a vendo sorrir maliciosamente - Eu estou indo, Naruto vai me dar uma carona. 

– Está bem, meu amor, tome cuidado, sim? - ela disse e eu assenti. 

Assim que fui para o lado de fora, Naruto e Hinata já estavam no carro me esperando, não muito atrás de mim, Sakura vinha caminhando lentamente. 

Em pouco mais de 10 minutos, chegamos ao meu apartamento, que felizmente estava vazio. Eu estava cansado daquele dia, parecia que tudo estava dando errado. Coloquei a mão na testa lembrando d pequena conversa com Sakura. 

Sorri automaticamente, só a rosada para me dobrar daquele jeito, colocar um curativo vergonhoso como aquele e eu ainda deixar. 

Dormir naquele dia, por incrível que fosse, havia sido fácil, no outro dia eu começaria a agir.


Notas Finais


Espero que tenham gostado

Um beijinho no seu narizinho e até mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...