História Daddy Messages - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Daddykink, Jikook, Namjin, Sexting, Taeyoonseok, Texting
Visualizações 398
Palavras 1.336
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa a demora, leiam as notas finais e boa leitura!

PERDOEM ESSE LEMON BOSTA EM NOME DE YOONGI!!

Capítulo 4 - Meu corpo, mente e alma.


                          Após um mês...

Depois de tantas conversas, sejam maliciosas ou não, a até então relação entre babyboy e seu daddy progrediu.

Os dois passavam a maior parte do tempo conectados por mensagens, Namjoon de um lado estudando e Jin trabalhando muito, como sempre. Estes pareciam viver  em uma bolha, pois sequer sabiam que estavam se apaixonando.

Namjoon jamais imaginava que seu coração iria bater tão forte em seu peito por Pink J., como batia antigamente para Seokjin.

O que o jovem menos espera é que ambos são a mesma pessoa.

Seokjin nutre sentimentos por Nam de forma fraternal, a velha mania de querer cuidar, apoiar e amar os outros como se fossem filhos.

O mais velho sentia-se sujo quando perguntava-se o quão bom seria beijar os lábios cheinhos de seu dongsaeng¹.

Pecado, isso o que Joon era, o poço do pecado. Insistia em andar pela casa trajando calças moletom sem ao menos colocar peças íntimas. Isso enlouquecia o hyung de uma forma que era quase inimaginável e ele quem acabava se tornando o pecador no fim das contas.

A forma como bebia água de seu jeito desastroso, assim derramando o líquido em si.

A maneira que assistia vídeos adultos como uma série de tv americana.

Jin poderia listar até cansar, as mais lindas e peculiares características de Namjoon.

[...]

O ponto de loucura ia além do casal de amigos de mesmo sobrenome e moradia.

Os jovens Park Jimin e Jeon Jungkook, tinham quase o mesmo dilema que Jin e Namjoon, já que Jungkook e Jimin sabiam demonstrar de forma direta seus sentimentos um para o outro.

O mais novo, Kook, como era chamado por Jimin. Nutria por seu hyung um carinho imenso, que tornou-se além da paixão fraterna. Este por estar saindo da adolescência mantia certos hábitos.

Era quase impossível se segurar quando seu hyung usava calças ou shorts apertados, o volume de suas coxas e bunda, deixavam Jungkook com um problema no meio das pernas.

A maneira inocente do Park se sentar no colo do outro e, principalmente os lábios, que viviam com um maldito pirulito entre eles.

Kook imaginava como seria a sensação de ter aqueles lábios grossos e avermelhados contornando a sua glande pra depois pôr de uma só vez tudo em sua boca.

J U N G KO O K

Jimin hyung estava me provocando há 30 minutos, nós estamos assistindo ao filme, mas como ele insiste em se mexer em meu colo e acaba esbarrando em meu membro.

—Desculpa, Kookie!— fala com a voz trêmula.

—Tudo bem, hyung!—suspiro, sentindo fisgadas em meu membro pulsante.

Uma cena forte do filme assusta Jimin, que se vira de frente pra mim e agarra meu pescoço, pondo a cabeça na curvatura do mesmo.

—Jungkook-ya... eu não quero mais ver, tenho medo! —fala manhoso e eu me arrepio com sua respiração em meu pescoço.

—Okay, quer que eu desligue?— acaricio seus cabelos e o mesmo confirma com a cabeça.

Pego o controle e desligo.

—Quer ir deitar?—olho as horas— São 23h já.

—Eu acho que vou tomar banho.—fez uma careta engraçada, eu rio baixo.

—Certo, vamos subir, tu toma banho no banheiro lá do quarto.

Subimos as escadas e chegamos ao quarto, me jogo na cama e Jimin vai direto ao banheiro.

Não demoro a ouvir o barulho do chuveiro.

A curiosidade de ver meu hyung sem toda aquela roupa me incomoda.

Estou numa batalha interna entre ir olhar ou não, ele se banhando.

Levanto e vou até a porta do banheiro, aish, essa mania de não fechar as coisas.

Olho pela fresta e me deparo com a cena do hyung deslizando as mãos por seu corpo, enquanto se ensaboa e cantarola alguma música.

Nae mom maeum yeonghondo, neoui geosin geol jal algo isseo...—cantou e passou as mãos desde o cabelo até suas coxas grossas.

“Meu corpo, mente, alma. Saiba perfeitamente que sou todo seu.”

Você é inteiramente meu, Park Jimin.

Ele continuou se ensaboando até que virou-se de frente e eu notei que o mesmo soltava gemidos baixos ao percorrer a mão direita lentamente por seu pênis. O que me fez apertar o meu e deixar um gemido baixo escapar por entre meus lábios.

Soltei o cordão da calça de moletom que usava e coloquei uma das mãos dentro da roupa, massageando meu membro.

Era a esse ponto que Jimin me fazia ir, simplesmente, da loucura ao pico mais alto da insanidade.

Afinal, quem é são quando se tem Park Jimin ao lado?

Estava tão concentrado em meus atos que nem percebi que o barulho do chuveiro havia parado, até ouvir a voz rouca de Jimin.

—Vai ficar só olhando ou irá tomar alguma atitude?— riu em tom de deboche e olhou para porta por cima do ombro, já que agora se encontrava de costas.— Sei que deseja isso tanto quanto eu, não me deixe esperando, sim?

Com os olhos arregalados, a respiração descompassada e as mãos trêmulas. Abri a porta e adentrei o local e quando encarei ele, o  mais velho me chamou com os dedos.

Tirei minha blusa e a calça, eu não usava minha boxer hoje.

Caminhei até o box e fui puxado por suas mãos delicadas para dentro.

—É feio espiar, Kookie-ah!— sussurra em meu ouvido, fecho os olhos.

—Eu sei, desculpe-me.

—Você deve ser punido, baby.— passa suas mãos por meu abdômen parando abaixo do meu umbigo.— O que acha?—beija e mordisca meu peito.

—Eu...

—Você?— me olha nos olhos e morde o lábio inferior.

—Eu mereço, hyung.

—Humm...—segura meu pênis com sua mão delicada.—eu deveria te agradar, antes da punição?

Confirmo com a cabeça, de olhos fechados e ele aperta minha glande, gemo alto.

—Me responda!—ordena sem parar de me masturbar.

—Hm, sim, sim!

Então, ele abaixa e segura firme em meu pau. E logo o põe na boca, suspiro.

Ele suga minha glande de forma lenta, passando a língua entre a fenda e assim lambendo toda a extensão.

Não demora a abocanhar, fazendo uma sucção de forma rápida e contínua.

—Ah! Isso, hyung!— gemo alto de olhos fechados.

Ele dá uma sugada forte e eu deixo um pequeno grito escapar.

Jimin para o ato ao sentir que eu iria atingir meu ápice.

—Sua punição será não gozar até que eu permita.—me empurra na parede e sobe em meu colo, fazendo-me segurar em suas coxas.— Beije-me, Jeon.

E eu o faço, enquanto rodeio sua entrada com um dedo.

Nosso beijo era lento, molhado e quente. O jeito com que nossas línguas se encontravam era suave. Meu gosto predominava o paladar do mais velho e mesclava-se com o meu hálito de menta.

Dando ao beijo um sabor único, nosso.

Arrisquei pôr mais um dedo e recebi um gemido abafado em troca. Ele para o beijo e passa a repetir o ato desta vez em meu pescoço.

Movimento meus dedos em seu interior quente e ele puxa meus cabelos.

Mordo sua orelha e o mesmo geme.

—Kook-ah...

—Sim, amor?—faço movimentos circulares em sua entrada.

—Me...an...fode!

Sorrio, retiro meus dedos de dentro de si e espalho o pré-gozo pela extensão de meu membro e encaixo a glande lentamente em sua cavidade.

—Vai logo!—sussurra.

Penetro de uma vez e gemidos de ambas as partes são ouvidos.

Estoco de forma ritmada, fazendo-o gemer alto, pedindo mais.

Aumento a velocidade das estocadas e sinto espasmos em meu corpo.

—Hyung!—arfo.

—Me fode forte, Jungkookie!—diz manhoso.

Ponho o máximo de velocidade que posso e estoco fortemente.

Sinto meu ápice chegando aos poucos e Jimin parece estar sentindo o dele.

—Goze, Jungkook-ya!—masturba seu membro e rebola, enquanto eu o fodo forte.

—Eu vou...—nem completo a frase e me derramo em seu interior. E Jimin faz o mesmo em minha barriga.

—Isso foi ótimo! — sorri e me beija rápido.

—Sim. Hyung, eu...—olho em seus olhos.

—Gosto de você. —falamos ao mesmo tempo e rimos.

Beijo ele e ficamos abraçados por um tempo.

Ele desce do meu colo e abre o chuveiro, me puxando para o banho que rendeu alguns beijos e carícias.

Eu amo esse hyung.

Continua...


Notas Finais


Olaaaaaaaaá!! Então, povo, curtiram? Não? Deixem nos comentários.

Eu deveria postar todo domingo, mas tive bloqueio criativo, preguiça, trabalho pra fazer, mãe gritando no meu juízo, etc.

As que não shippam Jikook, desculpa por ter só lemon deles nesse capítulo 😬. Prometo que mais a frente terá Namjin!

Se houver algum erro, me avisem nessa caralha pq eu não revisei direito já que escrevo pelo celular.

É isso, até a próxima e obrigada pelos favoritos e comentários.

Beijosssss!!! ❤❤❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...