1. Spirit Fanfics >
  2. Daddy's Little Gangster - Imagine Jungkook (BTS) >
  3. 1. What a boy

História Daddy's Little Gangster - Imagine Jungkook (BTS) - Capítulo 2


Escrita por: angelsophih

Notas do Autor


Olá caros novos leitores,
Se você não gosta deste tipo de história, que inclui violência, gangues,linguagem imprópria ou promiscuidade então aconselho que não leia...
Nenhum dos fatos apresentados fazem parte da realidade, é apenas ficção

Boa leitura!

Leiam escutando: Bishop Briggs- RIVER

Capítulo 2 - 1. What a boy


Fanfic / Fanfiction Daddy's Little Gangster - Imagine Jungkook (BTS) - Capítulo 2 - 1. What a boy

Jungkook povs on

Depois de horas parado naquele estacionamento, Namjoon ordenou que eu me escondesse, e logo assim fiz, o barulho dos saltos de Katharinna invadiram o silêncio, coloquei minha máscara novamente e dei alguns passos sorrateiros de maneira que a mais nova não me visse, ela tentou correr, mas seu rosto logo encontrou indiretamente o meu, por baixo da máscara abri um sorriso por mais um trabalho bem sucedido, espacialmente com a garota de Mark, era tudo que eu precisava para me vingar daquele delinquente. Um saco de pano foi colocado na cabeça da garota, Jimin a segurava enquanto ela se debatia, mandei silenciosamente ele a soltar, a peguei fortemente pelo braço escutando ela gemer de dor

- Se quer viver, não grite - sussurei perto de seu rosto

A puxei para dentro da grande van preta estacionada, mal fechamos a porta e Yoongi deu partida.

JM: Qual o plano?

- Levamos ela até o prédio abandonado, apartir dai o Jay cuida

eles acentiram

o telefone da garota começou a tocar na bolsa, peguei a bolsa dela, tirei a máscara e encarei o telefone

"Mark Babe esta ligando..."

- Só pode ser brincadeira

atendi, Jimin me olhava esperando que eu dissesse algo

Mark: Kath? Onde você esta? Ja cheguei no shopping e não te encontrei

- Mark meu querido...

Mark: JUNGKOOK?!

- Estamos com ela seu idiota, estamos nos divertindo, não é Kathzinha?

Jimin tirou a máscara da garota

Tae: Fala porra!

Kath: MARK! ME AJUDA! ESSES LOUCOS ME ...

Jimin segurou o rosto da menina com força a fazendo se calar

Mark: Não encosta nela Jungkook

- tarde demais...

Mark: Eu vou pegar vocês, mas não conte para ela que eu estou em uma gangue

- Primeiramente garoto, você conhece o contrato e sabe o que acontece, e segundo, que grande amigo que você é, mentindo por ai

- JUNGKOOK EU VOU TE MATAR

- será um prazer

desliguei o telefone rindo, olhei para a menina que me encarava, seus olhos verdes me manteram hipnotizado nela, logo sai daquele transe 

- Se comporte, ou morre

Katharinna; Meu pai vai vir atrás de mim!

- esse é o nosso propósito, Jimin - o chamei e acenti

ele pegou o telefone prépago e digitou o numero do senhor Meyers

JM: Olá boa tarde... Estamos com sua filha, e se quer que ela fique viva, não chame a policia, apenas espere a nossa próxima ligação com instruções, e por acaso, parabens pela filha.

ELe desligou e jogou fora o telefone pela janela, todos na van riam, menos eu que encarava a mais nova que me fitava em resposta

Fui retirado de meus pensamentos por NAmjoon

RM: Ei Golden Maknae

olhei para ele pelo retrovisor

RM: Lisa acabou de ligar, esta encurralada na casa dos Jones, eles estão armados e ela esta sozinha

- me larga lá, ligo para vocês assim que estivermos bem

Jamais me vi ajudando Lisa, eramos grandes amigos antes da guerra de gangues, mas as coisas mudaram, logo quando eu tinha as mãos ensaguentadas, com minha amada nos braços, Lisa so parou e me observou, pedi ajuda e eloa negou e foi embora.

Chegamos na frente da casa, desci da van rapidamente, carreguei minha pistola e Hoseok me passou a metralhadora, coloquei o colete aprova de balas

Jin: Boa sorte garoto, qualquer coisa, nos vemos do outro lado

rimos, acenti e eles foram embora. 

Corri para dentro da casa, logo na entrada empregados se escondiam encolhidos e com medo

Subi as escadas

-LISA!

Lisa: AQUI! - ela gritou do banheiro, corri para dentro do banheiro, observei a garota que tinha um corte no braço

- esta bem?

Lisa: estou, eles estão espalhados no terceiro andar

Escutamos os passos se aproximando da porta, rapidamente saimos do banheiro indo para o corredor, uma mulher assustada apontou a arma para nos, apertou o gatilho na direção da Lisa, a empurrei rapidamente para trás de mim, atirei na mulher e peguei Lisa pela mão e corremos até o terceiro andar, trocamos tiros com mais 3 homens de dentro da casa até chegar no escritório onde o Senhor Jones estava encolhido atrás do escritorio

- Acabou para você senhor, onde esta o dinheiro

Lisa: Abra o cofre - ela disse o conduzindo para o cofre com uma arma na cabeça, o homem tremia, ele digitou a senha no cofre, Lisa atirou nele o fazendo cair derramando sangue no tapete branco, pegamos o dfinheiro e colocamos em sacos e malas

Lisa: Obrigada pela ajuda

- não foi nada

Lisa: Como você esta, você sabe, desde o incidente?

- Sobrevivendo

Lisa: sente falta dela?

não respondi

Lisa: Me desculpa por não te ajudar, eu...

- Eu sei, gangues, os brugueses, classes diferentes, cobras e gatos.

ela acentiu

Lisa: Amigos de novo? - ela tinha o punho cerrado perto de mim com um sorriso ladino

- amigos de novo - bati com meu punho no dela e a envolvi em um abraço, os dois sorrindo

Lisa: Vamos vazar daqui antes que a policia chegue

ri anasalado

- como vai lá no bar?

Lisa: Muitos clientes, muitos ricos, muito sangue e muito dinheiro

rimos

- Não se sente mal em vender seu corpo

Lisa: Eu não vendo meu corpo, vendo minha capacidade de dançar na barra de poledance

- Mesma coisa

Lisa: Mesma coisa é eu atirar em você e nos seus amigos

- Essa é a Lisa que eu gosto - ela me deu um tapinha fraco e rimos

desçemos as escadas

Lisa: e eles? - apontou aos empregados

- alguém tem que ficar pra contar história

Ela acentiu, paramos na porta nos entreolhamos e negamos, nos viramos e atiramos naqueles que ainda sobravam

- Uma historia pode parar na policia

Lis: Realmente

Entramos no carro de Lisa e ela dirigiu como se estivesse fugindo da policia, logo estacionou bruscamente na frente do prédio abandonado no fim da rua sem  saída, descemos com sacos de dinheiro, entramos no prédio cumprimentando os dois seguranças da frente, o prédio abandonado havia se tornado uma balada á algum tempo atrás, era o jeito de Jay Park esconder seus crimes e sua lavagem de dinheiro, era onde as meninas do Blackpink trabalhavam como strippers. o primeiro andar era a balada com bar, o segundo o bar de strippers, e o terceiro e ultimo havia a sala de Jay Park, onde ele traficava pessoas e drogas. 

Subimos até o terceiro andar com o dinheiro, a secretária de Jay nos cumprimentou e mandou que passasemos até sua sala, e assim fomos

Jay: Os meus ladrõezinhos chegaram! - disse com as mãos para cima 

Básicamente todos nós trabalavamos para Jay Park

- Aqui esta o dinheiro

Jay: Você se machucou? Quer alguma ajuda? - disse para Lisa

Lisa: Não se preocupe, eu estou bem, Jungkook me ajuda com isso

acenti

Jay: Estão liberados, ah e Jungkook... A responsabilidade de Katharinna é sua

- Porque minha?

Jay: Os garotos me contaram que você é bom com garotas ricas

respirei fundo e prendi o ar, Lisa passou a mão em meu braço e então soltei o ar, ela me puxou para uma das salas onde Jay mantinha suas vítimas normalmente, mas estava sozinha

ela me empurrou na cadeira

- Vai me fazer de refém

Lisa: Não - ela riu - preciso de ajuda com essa merda no meu braço

ela pegou os curativos do armário da parede

- que gentil que ele é, deixa curativos

rimos, ela se sentou na cadeira na minha frente e me entregou os curativos

Lisa: O filho mais novo dos Jones tinha um faca

- e onde essa faca esta agora?

Lisa: Empunhalada no coração daquele pirralho

mantivemos o silêncio enquanto eu enrolava o braço dela

- Como você entrou nesse mundo? - rompi o silêncio

Lisa: Meus pais me abandonaram quando eu tinha 15, não tinha para onde ir, então fui morar nas docas, lá tinham essas garotas que comandavam, BlackPink, eram 10, para eu sobreviver, eu entrei na gangue, quando saimos das docas com o propósito de dominar onde passavamos, eramos apenas 5, as outras ficaram para trás

acenti

Lisa: Jungkook... - olhei para ela - sem se apaixonar por outra garota

- não vale a pena, perigo demais, especialmente para nós, não sabemos viver um dia de cada vez

ela riu

Lisa: e não é por isso que é tão bom? Foda-se a paciência, no final de tudo somos ricos! - Ela jogava os braços para cima - quem se importa de onde veio o dinheiro ou quanto sangue foi derramado,s omos felizes com o que temos e não temos preocupações

JK: Mas quase morremos sempre

Lisa: Consequências de nossa vida 

Me levantei

- vou verificar Katharinna

Lisa: Cuidado garoto

- Por que?

Lisa: Você sabe Jungkook

revirei os olhos a fazendo rir, entrei no corredor e observei a porta branca do final do corredor, logo entrei, Taehyung e Hoseok estavam enconstados na parede, Katharinna estava sentada no meio da sala, amarrada na cadeira, de cabeça baixa.

Assim que  fechei a porta a garota levantou a cabeça, seus olhos estavam brilhantes por conta das lágrimas, seu semblante era de raiva

Puxei uma cadeira a olhando, sentei em sua frente ela se encolheu, coloquei a mão em seu joelho

- Não se assuste, sou como você

Kath: Você é um monstro, eu sei quem você é e você me enoja.

- Por isso somos tão parecidos

Kath: O Que vai fazer comigo?

- Bom, te sequestramos, já ligamos para o seu pai, agora vamos pedir resgate e depois te matamos

Kath: Vocês sabem que todos vão se juntar para me encontrar, meu pai é o homem mais influente em Seul

- Podem vir, mas aos poucos vamos acabar com cada um

Kath: Porque?

Tae: Vocês ricos tiraram os privilégios de nós, nos transformaram em monstros

HS: Destruíram nossa maneira de viver

Kath: Vocês matam pessoas

- Por vingança, nada é de graça minha cara.

Taehyung digitou o numero já conhecido em seu telefone e me passou o telefone

Sr Meyers: Alô?

- Boa tarde senhor Meyers... Como já sabe, estamos com sua filha

Sr Meyers: Como ela esta?

Passei o telefone para a menina

Kath: Papai - ela chorou no telefone

- guarde suas lágrimas para quando sentir dor

- então senhor... Exigimos um depósito

Sr Meyers: Ou o que?

- matamos sua filha

Ele riu no telefone debochado

Hoseok me entregou uma faca

Hoseok: Vai doer um pouco, mas não se preocupe, não vai te matar

cortei a coxa da jovem a fazendo gritar

Sr Meyers: Ok OK ! Quanto é o depósito

- 1.000.000.

Sr Meyers: Eu não tenho todo esse dinheiro disponível

- tem até o final da semana para arranjar esse dinheiro, ou a matamos

desliguei o telefone

rodei a faca entre meus dedos

Escuto alguém gritar meu nome do lado de fora, sorri ao notar quem era

me levantei e sai da sala, Mark estava ofegante parado no corredor

Mark: SOLTA ELA

- Garoto, quando dissemos que matariamos todos, isso incluia ela 

Mark: Ela não merece

- do mesmo jeito que minha garota não mereceu

Mark: Você contou a ela sobre mim?

- a poupei dessa dor, é horrivel descobrir essas mentiras

Mark: E o que vai acontecer?

- Você sabe o que vai acontecer

Mark: EU vou retira-la daqui

- Você sabe quanto tempo demora para eu chamar Jay Park para te matar? Pouquissimo tempo. Então por favor, tente a sorte. Ela não vai sair daqui tão cedo

Lisa logo chegou, ela usava uma lingeria roxa escura com uma meia rastão preta 

Lisa: Onde ela está?

- Na sala, porque?

Lisa: Jay exigiu a presença dela na sala agora

- Se não quer que ela te descubra, vá embora - olhei para Mark

Ele me encarou resistindo mas logo foi embora, Entrei na sala e desamarrei a menina que não entendeu nada, a agarrei pelo braço, e a levei para fora, vi ela fechando seus olhos com certa força por conta da luz, a levei para dentro da Sala de jay, a joguei para dentro fechando a porta, Jay estava virado de costas

ele se virou, uma mascara de palhaço em seu rosto, ele analisou a menina

Jay: Pequena, você quer viver?

ela acnetiu entre lágrimas

Jay: Tenho um trabalho para você, que vai ser monitorado por Jungkook.

o encarei confuso

Jay: Vai ser striper no meu bar

Kath: OQUE?!

Jay: Cuidado com o seu tom garotinha

Kath: JAMAIS ME REBAIXARIA A ESTE PONTO

bati em seu rosto a calando

Jay: Não estou pedindo, estou exigindo, não vou ficar com uma garota dando sopa por aqui, trabalha ou morre, poderá fazer amigos, mas você fica aqui  e no bar, sua vida me custa dinheiro, então pelo menos retribua

o silêncio reinou

Jay: Apartir desse momento, o garoto tatuado ai é seu mestre.

Kath: Isso é tráfico de mulheres

Jay: Bem vinda ao nosso mundo, aqui traficamos e matamos e é disso que vivemos, não gostou? te matamos

Ela estava chorando, e não era pouco. Jay acentiu, peguei a garota pelo braço e a retirei da sala, Lisa estava nos esperando, entramons novamente na sala, em cima da cadeira havia um par de "roupas", lingerie para ser mais sincero, me virei de costas e ouvi Lisa rindo, depois de longos minutos, Katharinna ja estava vestida com um roupão

Tirei a arma da cintura e logo ela entrou em pÇanico

- não vou atirar em você, apenas se me desrespeitar, peguei em seu braço novamente, apontei uma arma em sua cintura, Lisa foi andando na frente, descemos no elevador, quando chegamos no andar vermelho, como era chamado, logo avistei os pervertidos de meus amigos sentados ao longo das mesas observando qualquwr garota que passasse, Lisa explicou para Katharinna tudo enquanto a menina chorava

Logo de longe vi Mark 

- Lisa, cuida dela

sai caminhando mais rápido ainda segurando a arma

- Garoto, saia já daqui, se não quiser morrer

Mark: Estou na empresa de quem sou filiado, tenho meus direitos

- Se você olhar pra ela, pensar nela ou encostar nela, eu te mato

Ele levantou os braços em falso rendimento

nos viramos de frente para a multidão

- Por que simplesmente não conta a ela?

Mark: Ela odeia gangues, ela perdeu a melhor amiga por causa disso, a garota se envolveu com um gangster e acabou morta.

Ele me olhou sério, senti um frio na barriga

- K-Kim Suan... era sua melhor amiga?

Mark: Por isso não posso contar para ela... Eu matei a garota

- e não sente um pingo de arrependimento, isso me enoja.

Mark: Você sabe que não podia se envolver com alguém da concorrência

- Ela jamais foi concorrência, ela sempre esteve comigo, e você a tirou de mim, agora eu vou tirar Katharinna de você

Ele avançou em mim mas logo apontei sorrateiramente a arma para o garoto

- Não é uma boa ideia.

Lisa: Boa noite a todos! Hoje no palco principal temos uma nova garota, Dixie é o nome dela!

OLhamos para o palco, vi Katharinna sem nenhuma expressão, usando uma lingerie vermelha que fazia seu corpo chamar a atenção de todos, seus dedos percorreram a barra metalizada.

- caralho...

 

 

continua...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...