1. Spirit Fanfics >
  2. Dad's best friend >
  3. Final

História Dad's best friend - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Geeeeente, quanto tempo não???
Vim finalizar essa bagaça, espero que gostem :p
Até...

Capítulo 3 - Final


Sesshoumaru estava com a cabeça a mil, - Que merda estou fazendo? - não parava de se perguntar. Saiu tão rápido da cozinha que nem percebeu que sua afilhada  segira e que agora estava parada em frente a porta  o olhando fixamente. 

— Rin, espere na cozinha por favor. — disse firme. 

— Está tudo bem tio? O senhor saiu tão rápido que ach... — Sesshoumru a interrompeu. 

— Disse para você me esperar na cozinha. 

— Desculpa. —  abaixou a cabeça e saiu chorando do quarto. Mas fez questão que Sesshoumaru a visse chorando antes de sair. 

 

Ele respirou fundo, e passou a mão direita pelos cabelos caídos na testa.  

— Ferrei tudo. — constatou. 

Mais calmo, voltou para cozinha e encarou Rin.  A garota estava sentada em umas das cadeiras, com o olhar distante. Ele puxou uma e sentou-se ao lado dela. 

— Desculpa por gritar com você — disse quebrando o silêncio. Mas a garota permanecia em silêncio, estática. 

Vendo que o seu pedido de desculpas havia sido ignorado, levantou-se e foi para o quarto tomar um banho e se arrumar, a levaria para comer fora. Quando retornou para a cozinha Rin não estava mais lá. Foi até o quarto de hospedes e abriu a porta sem bater. Para sua surpresa ela estava somente de calcinha, os seios fartos e durinhos pareciam apetitosos. Mas os ignorou, entrou e sentou-se na cama. 

— Espero que não esteja pensando em fugir. — disse sarcástico vendo que a menina colocar as roupas que antes estavam espalhadas na mala e também lembrando dos tempos de rebeldia da garota, onde ela fugia quase toda semana. 

— Já superei essa fase, tio me sentiria mais confortável se você saísse. 

— É só você se vestir. Não me incomodo, eu posso esperar. 

— Não pretendo me vestir, vou ficar por aqui o restante do dia. 

— E não vai comer nada. — ela balançou a cabeça em negativa. — É uma pena, ia te levar para comer fora, Kagura só irá chegar a noite, provavelmente seus pais já estarão aqui e por hora não estou com saco para fazer comida. 

Rin fez bico. — É uma pena mesmo. — pôs as mãos para trás, abaixou a cabeça e começou a fazer movimentos no chão com a ponta dos dedos descalços. 

Sesshoumaru levantou foi até ela com a coberta que estava na cama. 

— Você agora é uma mulher, deveria se comportar. — colocou a coberta nos ombros dela. — Espero que você reconsidere, eu agi como um babaca. Me perdoa. 

Rin virou-se para Sesshoumaru e jogou a coberta no chão. Pegou a mão esqueda do padrinho e levou até um dos seios, após depositar a mão dele ali, dirigiu suas mão para o rosto dele o beijou. Sesshoumaru ficou perplexo, as ações de Rin o deixou sem palavras. 

Em um misto de euforia, medo e tesão acabou deixando que ela conduzisse a situação. Ela continuou o beijando, assim que seus lábios se encontraram foi um beijo suave e gradativamente foi ficando mais intenso. Sesshoumaru a medida que o beijo pedia mais, mais ele cedia, já não estava preso a convenções. Queria tirar o máximo daqueles lábios e do prazer que eles estavam lhe proporcionando.  

Vendo que conseguiu o que queria Rin separou os lábios dos de Sesshoumaru, desceu as mãos que estavam em seu pescoço e parou no peitoral dele, encostou a babeça de suspirou. 

— O que estamos fazendo? — perguntou sonsa. 

— Me diz você. — Sesshoumaru ainda estava atônito. — Que porra foi essa? Você me beijou sua fedelha. — Disse quando a ficha caiu. 

— Bom, beijei e parece que você gostou. — ela o apertou por cima do jeans. — Pelo menos tenha decência de dizer que gostou. 

Ele a segurou pelo braço e a trouxe para perto, olhando fixamente em seus olhos desceu a mão até a calcinha da moça e à acaricio sobre a renda. 

— Isso é muito doentio. — constatou, mas a mão continuava a fazer o movimento. 

— Eu não estou aqui para julga-lo. — tentou conduzir a mão dele, mas ele a deteve. 

— Então me diz o que você quer, que eu farei. — ele a jogou contra a parede. 

— Eu quero tudo. 

Ele depositou vários beijos pelo pescoço, e foi descendo até os seios. Pôs na boca o direito e com os dedo brincava com o outro. As vezes lhe dava pequenas mordiscadas, chupava com vontade, enquanto se fartava com aqueles seios as mãos desceram até as nádegas e a apertava, dava tapas e arranhava.  

Tirou a roupa e guiou a cabeça de Rin até a altura de sua cintura, fazendo-a ficar de joelhos.  Estava disposto a ir até o final. 

— Quero que você faça isso por mim. — lançou um olhar sugestivo, mesmo não precisando. E ela o fez, o encarou com voracidade e começou. 

Sesshoumaru delirava a cada movimento, seu corpo estremeceu quando atingiu o clímax. Rin limpou o canto da boca com o polegar, e sorriu para seu padrinho. 

— Vou me arrumar. Espero que você se recomponha, pois estou faminta. 

— Eu não disse que acabou. — ele retrucou tentando dar continuidade a qualquer coisa que aquele momento lhes proporcionavam. 

— Se é assim pode me acompanhar até o chuveiro, preciso de alguém para ensaboar minhas costas.  

Sesshoumaru ansioso por mais, pois se a segui-la para o banheiro, teria dado continuidade se o celular no bolço de sua calça tivesse parado de tocar. 

15:00h 

— Droga 11 chamadas perdidas da sua mãe. — Falou alto, a menina já estava no banheiro. — Como eu não ouvi essa merda tocando. 

 

— Oi, perdão agora que vi as chamadas. 

— Sem problemas, está em casa? Acabamos de atracar no porto. 

— Sim, mas estou de saída a Rin quer comer fora. Ia leva-la para dar uma volta e depois buscar a Kagura no trabalho. 

— Ainda não almoçaram?  

— Culpa minha, não fiz nada pro almoço. Fizemos só um lanche mais cedo. 

— Ta, ela está por perto? Queria falar com ela. 

— Está no quarto, levarei o telefone para você. 

— Esquece, só avisa a ela para comprar alguma coisa para usar hoje a noite, fiz reserva no Mercy para gente, já falei com a Kagura. Temos novidades 

— Então mal posso esperar. 

 

Desliga*** 

 

Disca um novo número*** 

 

— Oi amor, acabei de falar com o.. 

— Eu ia te ligar agora. — disse interrompendo ele.  —  Vamos almoçar no Mercy, já está combinado, vou sair do trabalho mais cedo e buscar a Rin para faremos umas compras. 

— Estamos indo comer, quer que eu te busque? 

— Vim de carro, não precisa. Depois me passa onde vocês vão comer que passo lá. Será compras de garotas. Comprarei algo pra você também. 

— Tipo o que? 

— Uma langerie novinha, do jeito que você gosta. 

— E o que mas? 

— Vestirei e você terá que tirar com a boca. 

— Já estou exitado. 

— Bobo, te vejo daqui a pouco. 

— Te amo. 

 

Desliga*** 

 

 

 

Rin estava atrás de Sesshoumru ouvindo a conversa, chegou de mansinho que ele só percebeu a presença dela quando desligou. 

 — Já está excitado é? — perguntou com deboche. 

— Vá se arrumar, temos que sair. 

— Te esperei no box, mas você não apareceu. 

— Temos que parar com isso. — Ele a segurou pelos braços. — É muito perigoso. 

Ela se desvencilhou dos braços dele e o beijou. 

— Você sempre será meu padrinho e amigo do meu pai. Você sabe onde me encontrar. 


Notas Finais


E acabou!!
O que acharam?

Beijo no core de vocês s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...