História Dama de companhia - Capítulo 55


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Angel, Anna Heartfilia, Aquarius, Aries, Bickslow, Brandish μ, Cana Alberona, Câncer, Capricórnio, Charlie, Elfman Strauss, Erza Scarlet, Evergreen, Gajeel Redfox, Gildartz, Grandeeney, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Irene Belserion, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Kagura Mikazuchi, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Leon, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Meredy, Millianna, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Nashi Dragneel, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sting Eucliffe, Ultear Milkovich, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Fairy Tail, Nalu, Romance
Visualizações 180
Palavras 1.023
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 55 - De volta aos eixos


      Eu fui ao aposento de Mavis, mas seus guardas me informaram que ela estava fora do castelo com seu marido, eles viajaram essa manhã depois do café. Resumindo ela não poderia me ajudar a achar minha aliança, terei que esperar até amanhã é pedir para Natsu ver oque ele pode fazer. Eu me sentei em dos bancos de mármore do corredor, estava cansada desse dia, percebi que só necessitou um dia aqui para eu ficar exausta, e as coisas continuaram desde jeito em menos de uma semana eu enlouqueceria. Fechei os olhos por alguns instantes descansando, até que senti a presença de alguém se sentando ao meu lado. A tempos não via essa figura de longos cabelos azuis tão sorridente como da última vez que nos encontramos.

 

- Princesa Wendy. Que bom que está de volta. - eu não via ela a um bom tempo, fico feliz em vê-la.

- também estou contente com em ter voltado. Não quentava mais ficar com meus avós... mas vamos falar de você. O que aconteceu? - perguntou inclinando a cabeça de forma bem fofa. Mas não entendi sua pergunta.

- que? - indaguei para que ela me explicasse.

- você me parece frustrada. - explicou.

- a isso. Não é nada... é so eu perdi algo muito importante. - algo muito importante, e provavelmente Natsu ficará bravo por muito tempo se eu não encontrar.

- sério? Oque você perdeu?

- um anel. - acho que não é a hora certa para dizer ela que eu me casei com seu irmão, o que faz dela minha cunhada

- iiiii vai ser difícil de encontrar. Mas eu posso ver oque consigo fazer. Como é ele?

Santa Wendy! Será um milagre se ela achar.

- ele é de Ouro, incrustado de rubis e diamantes... - ok eu devo perder as esperanças quem devolveria algo tão valioso.

- nossa...

- então vai conseguir me ajudar? - talvez eu esteja pedindo de mais para um criança.

- claro, eu sou uma princesa, não a nada que eu não consiga. - a claro eu havia me esquecido desse pequeno detalhe.

- mas então no que eu posso ajudar? - ficar aqui sentada não adiantaria em nada.

- só me diga onde perdeu.

Não acho que ela vai encontrar debaixo da minha varanda mas não custa dizer...

~♡~

No dia seguinte eu já me encontrava impaciente, e um pouco nervosa, primeiro aquela maldita aliança sumiu, depois Natsu me proibiu de entrar no quarto dele, ontem depois de estar com Wendy em voltei para ver como aquele idiota estava, mas os infelizes dos seus guardas não me deixaram entrar, disseram que Natsu pediu para ninguém o incomodasse, inclusive eu. Como ele ousa? Eu sou a esposa dele.

- Lucy para de andar de um lado para o outro. Assim você está me deixando tanta. - reclamou Levy sentada ao sofá.

Já fazia uns bons vinte minutos que eu dava voltas no quarto.

- ai! Levy! Eu estou tão brava! - exclamei me juntando a ela.

- calma, vai dar tudo certo. Só não pira.

- eu to tentando... - choraminguei.

Que saco ta tudo dando errado. A maldita aliança, Natsu bravo comigo e eu brava com ele, acho que para completar a desgraça só falta a Lisanna voltar ou a guerra começar, não sei qual é pior.

- sério desculpa, eu me sinto mal vendo você assim.

- está tudo bem Levy. É sério, eu so to... a eu não sei... Quer saber eu to com fome. Vamos comer. - se eu me lembro bem não jantei ontem.

- claro, se isso for te ajudar.

Foi nós nos levantarmos, e alguém passou a bater na porta.

- entre! - gritei.

Então vi aqueles cabelos rosa passar pela porta, com uma cara melhor que a de ontem com certeza.

- Lucy podemos conversar? - perguntou Natsu indicando Levy com um olhar, acho que ela não estava incluída na conversa.

- claro. Levy pode nós dar licença, já te encontro. - minha amiga assentiu e se retirou, então eu voltei minha atenção para o Príncipe em minha frente. - espero que esteja melhor que ontem, digo isso pois não pude saber como você estava ja que me proibiu e entrar em seu quarto. - quis deixar claro meu descontentamento com sua ação.

- sobre isso peço desculpa, mas eu precisava descansar.

- é claro eu iria te atrapalhar muito. - ironizei.

- está tudo bem com você? - perguntou preocupado.

- claro. Por que não estaria?

- não sei, você está agindo estranho.

- não é nada, eu só estou com fome, eu teria ido comer se você não tivesse chegado.

- está bem vou ser breve. Eu so queria te dar isso. - falou me mostrando a amaldiçoada aliança.

- onde você achou?

- Wendy achou. Ela veio me entregar pois tinha achado a aliança da minha mãe enquanto procurava seu "anel" perdido. E antes que tente explicar, não quero saber como você envolveu minha irmã nessa busca. Estou cansado de discussões.

- devo confessar que eu também.

Ele sorriu.

- posso pedir um abraço para minha esposa? - perguntou estendendo os braços onde me aconcheguei.

- acho bem melhor as coisas assim. - murmurei inclinado a cabeça para olha-lo. - você não me respondeu. Você está melhor? - ele sabia que eu me referia a sua insuportável dor de cabeça.

- sim estou, ela diminuiu. - respondeu fazendo careta.

- hummm. Desculpa por ter feito ela piorar. - eu não queria vê-lo naquele estado.

- bom está mesmo me pedindo, peça desculpas direito. - mandou fazendo bico. Eu me ergui até sua boca, eu realmente tinha caído em sua armadilha. - argh! - resmungou em protesto ao final do beijo pois mordi seu lábio inferior e ele odiava isso, a essa era minha vingança por ontem.

- o que? Eu avisei que estava com fome. - brinquei, se bem que não era mentira.

- tá bom gulosa, mas não precisava fazer isso. Se quer tanto me provar a outras formas. - comentou me dando seu sorriso libertino, que eu nem fiz questão de responder.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...