História Damaged - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei antes do que esperavam! haha

Obrigada pelos comentários e espero que vocês gostem desse capitulo ♥

Capítulo 18 - A última festa


Fanfic / Fanfiction Damaged - Capítulo 18 - A última festa

 

Antes da festa começar, Luke estava no jardim, em um lugar afastado, olhando para o lago negro. Toda aquela história sobre Roxanne ainda estava em sua cabeça.

- Green? – ele ouviu e quando se virou viu Brenno vindo em sua direção.

Respirando fundo e voltando a olhar para o lago, Luke apenas resmungou para indicar que estava ouvindo.

- Sabe onde está a Roxy? – Brenno perguntou.

Aquele filho da...

- Não – Luke respondeu seco.

- Se ver ela avise que estou a procurando.

- Com certeza não farei isso.

Breno riu.

- Por quê? Quer me dizer alguma coisa, Green?

Luke pensou se deveria dizer algo e sua raiva estava tão grande que não conseguiu se controlar. Então se virou em direção ao garoto.

- Eu te avisei para ficar longe dela.

- Claro que é sobre isso – Brenno sorriu irônico – Você nunca conseguiria entender o que eu e Roxanne temos

- Vai se fuder.

- Sei que é apaixonadinho por ela, mas vai ter que aceitar...

- Depois de tudo o que fez ainda tem coragem de falar com ela

- É difícil aceitar que perdeu, não é?

- Cala a boca.

- Você realmente achou que ela sentiria alguma coisa por você?

- Cala a boca! – Luke repetiu com raiva, andando até Brenno.

- Você é um bosta. Roxanne só sente pena de você.

Antes que pudesse se controlar, Luke deu um soco bem no meio da cara dele e então os dois caíram no chão dando socos um no outro. Até que Breno, com o nariz sangrando, pegou sua varinha do bolso e a apontou diretamente para o rosto de Luke.

Então os dois sem fôlego se encaravam com raiva sentados na grama.

- O que está acontecendo aqui?! – Dominique apareceu correndo na direção deles.

Nenhum deles respondeu

- Abaixe essa varinha, Brenno – ela disse - não me faça ter que te levar até a diretora McGonagall.

- Sorte você ter uma monitora-chefe do seu lado, não é – Brenno disse a Luke guardando a varinha e se levantando do chão.

- Era você que tinha uma varinha apontada para alguém – Dominique o respondeu.

- Tanto faz – ele disse andando de volta para o castelo.

Luke também se levantou, limpando a grama da sua calça.

- Vá para a enfermaria ver esse nariz! – Dominique para Brenno.

- Eu sei como concertar a merda de uma nariz! – disse indo embora.

- O que aconteceu? – Dominique se virou para Luke - Porque ele estava sangrando?

- Não foi nada.

- Luke...se isso foi sobre o que eu te disse mais cedo...

- Não quero falar sobre isso, Dominique.

- Sua mão está machucada.

Luke olhou para os nós machucados dos dedos da sua mão.

- Tudo bem. Vamos, temos que ir para o jantar antes da festa.

 

Durante o jantar Luke fuzilava com os olhos a outra extremidade da mesa da Grifinória enquanto cutucava sua comida com o garfo. Roxanne estava lá jantando, mas não estava sozinha. A garota conversava com Breno e, Luke reparou com irritação, a mão do garoto logo se ocupou de alcançar a dela.

Já sem nenhum pouco de paciência, Luke disse para Domi e Tiago que estava sem fome e não pensou duas vezes antes de ir para a sala comunal. O lugar estava todo decorado para a festa que aconteceria depois do jantar.

Ele subiu rapidamente as escadas para seu quarto e deitou em sua cama, uma espécie de bolo lhe incomodava o estômago e seus olhos flamejavam com raiva. Não sabia a razão de estar se sentindo de tal forma, só sabia que queria distância de Roxanne e daquele idiota.

Sabia o que tudo aquilo significava, mesmo que não tivesse sentido nada sequer parecido antes. Já havia ouvido conversas alheias e horas de desabafos apaixonados de Tiago para constatar por si mesmo que provavelmente estava apaixonado. Rose estava certa. Mas é claro que não admitiria. Não arriscaria tudo por um sentimento que certamente sequer era correspondido.

- Luke? – a voz de Roxy invadiu seus ouvidos, fazendo com que ele abrisse os olhos com surpresa. O rosto de Roxy apareceu à sua frente - Não te vi no jantar –ela falou enquanto se sentava à frente dele, parecia preocupada – o que houve?

- Estava sem fome – Luke mentiu, a voz carregada de irritação. Roxy pareceu perceber que havia algo errado.

- Porque?

 Luke corou levemente. Queria mostrar indiferença com Roxy por estar magoado, mas estava falhando miseravelmente.

- Não sei... estava cansado.

O aperto que lhe tomava o peito era terrível, mas achava ser melhor assim. Sempre soube que não tinha chances com ela, e já era mais do que hora de se forçar a esquecer de seus sentimentos.

Roxy estava com outra pessoa.

A tristeza que lhe assolou superou a raiva de antes. Luke não queria desistir de Roxy. Luke queria Roxy para si.

Maldito Breno.

- Tem certeza que é só isso? Me diz qual o problema.  

O tom magoado dela fez Luke se lembrar de quando ela estava rindo com Breno. A pontada de raiva retornou.

 - Talvez Breno. Por que não pergunta pra ele? – o tom raivoso de Luke surpreendeu Roxy.

- Breno? Do que está falando? – perguntou. Luke se virou para ela, olhando-a nos olhos pela primeira vez.

- Não se faça de desentendida, eu sei que está com ele. Eu ouvi você conversando com a Dominique e vi vocês no Salão Principal.

Os olhos dela se arregalaram.

 - Luke, você entendeu tudo errado...

- Por favor, Roxanne – ele disse impaciente – eu não sou idiota.

- Eu e a Domi com certeza não conversamos sobre o Brenno.

- Não precisa mentir, ela me contou.

- Então ela mentiu, porque não falei nada com ela sobre isso.

- Eu vi vocês juntos hoje durante o jantar.

-  O que...Espere, isso é ciúmes, Green?

Luke enrubesceu.

- Não! – disse depressa, mas logo um sorriso se abria no rosto de Roxy.

- Então por que está bravo comigo?

- Porque? Porque ele é um bosta que te machucou e agora você quer voltar com ele!

Roxanne gargalhou.

- Meu Deus, Luke. Sim, eu e ele conversamos, eu queria que ele parasse de me encher. Mas acho que não deu certo. Ele realmente tentou dar em cima de mim, mas eu mandei ele se fuder. Foi só isso

- Sério?

- Sério.

Ficaram em silêncio por alguns minutos, se encarando. Luke parecia estar circulando todo o sangue do corpo apenas nas bochechas, enquanto Roxy sorria sem parar.

 - Por que está rindo? – ele perguntou.

- Por que estava com ciúmes?

 Luke engoliu em seco e desviou o olhar.

- Eu...

Não sabia como terminar a frase, e isso nem chegou a ser necessário. Subitamente, Tiago entrou no quarto e Roxy e Luke se separaram rapidamente. Ele nem ao menos tinha percebido o quanto estavam próximos.

- A festa vai começar, galera! – Tiago disse animado, sem perceber o clima estranho ali.

 

No começo da festa, assim que o time da Grifinória chegou ao Salão Comunal  da Grifinória todos que já estavam lá começaram a gritar em comemoração.

Luke e Tiago eram o centro das atenções, como sempre. Comemorando não apenas a vitória, mas também a formatura com seus colegas do 7º ano.

Durante a festa ele olhava algumas vezes na direção de Roxanne e ela lhe dava um sorriso. O que tudo aquilo significava?

Em certo ponto, Tiago puxou Domi, Luke e Roxanne para um canto para falar com eles.

- Nossa ultima festa todos juntos em Hogwarts, sabem o que isso significa, certo?

- Uma volta por Hogsmeade? – Luke perguntou.

- Você lê minha mente.

- Podíamos chamar seu irmão – Dominique disse para Tiago – Rose, o Malfoy e Alice também.

- Crianças! – Roxy gritou para os outros quatro que estavam do outro lado da sala e quando eles olharam fez sinal com a mão para que se eles se aproximassem.

- Já é difícil esconder quatro pessoas de baixo da capa, imagine oito! – Luke disse enquanto os outros se aproximavam.

- O castelo está vazio, não vamos precisar usar a capa – Dominique respondeu.

- Do que vocês estão falando? – Rose perguntou.

- Hum...- Tiago começou, apreensivo.

- Nós damos um jeito! – Dominique respondeu animada, antes que ele continuasse.

- Ah, você que toma as decisões agora? – Tiago riu.

- Algo contra? - Dominique perguntou de modo autoritário.

- Não! Claro que não! – respondeu depressa – Pode mandar no que quiser!

Luke, ouvindo a discussão, revirou os olhos.

- Cara, você precisa se controlar – ele disse para Tiago - Já passou da fase patética há muito tempo, agora é nojento.

- DO QUE VOCÊS ESTAVAM FALANDO? – Rose insistiu.

- Calma, Rosinha – Tiago pediu e os chamou até um canto mais isolado do festa – Bem, os bares em Hogsmeade ficam abertos até às 3 da manhã e hoje é sexta... - ele sorriu marotamente.

 - E daí? – Rose perguntou desconfiada.

- Nós vamos dar uma passadinha lá? – Alvo perguntou interessado.

 – Não, de jeito nenhum! – Rose disse prontamente.

- Eu gostei da ideia – Scorpius disse, recebendo um olhar raivoso da namorada - Ah, Rose...você precisa curtir mais a vida. Se arriscar.

- É tranquilo, fazemos isso sempre – Dominique tentou tranquilizar a prima - Se tomarmos cuidado ninguém vai reparar que sumimos.

 

- Eu não sei....

- Vamos, Rosie – Alice tentou convencê-la – Temos que comemorar. As provas acabaram, as férias estão chegando...

- E a vitória da Grifinória – Alvo completou rapidamente, com um sorriso convencido pra ela.

- Eu entendi, Alvo – Alice respondeu – Não precisa ficar me lembrando.

- Não fique brava, Lice – ele provocou – Posso deixar você segurar a taça se isso fizer você se sentir melhor – riu.

Alice revirou os olhos.

- Vocês tiveram sorte.

- Sorte?!

Rose os interrompeu.

- Se eu dizer que vou vocês param com essa discussão boba? – perguntou.

Alice sorriu e assentiu com a cabeça.

- Então vamos, crianças! – Tiago disse, colocando o braço nos ombros de Dominique.

 

Eles usaram a entrada da estatua da bruxa de um olho só e saíram pela Dedos de mel. Não encontraram nenhum professor ou monitor pelo caminho

Quando eles finalmente saíram da loja, todos pareciam bem animados, com exceção de Rose, é claro, que ainda parecia preocupada.

- Cabeça de Javali ou Três Vassouras? – Dominique perguntou a eles.

- Deveríamos ir ao Cabeça de Javali – Scorpius respondeu – Os professores preferem ir ao Três Vassouras, então a chance de encontrar eles seria menor.

- Se o Malfoy está dizendo... – Tiago respondeu, então saiu andando em direção ao bar.

Luke assentiu, mas antes de ir atrás do amigo, puxou Roxy, a levantou e a colocou em seu ombro, como um saco de batata.

- Luke! – Roxy soltou um gritinho, surpresa e depois resmungou – Me coloca no chão!

Luke a ignorava totalmente então ela batia em suas costas e se sacudia. Em resposta ele a cutucava na cintura, a fazendo sentir cócegas e rir alto.

O restante deles foi logo atrás.

O bar era pequeno, escuro e meio sujo. As mesas eram velhas e de madeira, com velas em cima. Os bruxos ali eram ainda mais estranhos, todos pareciam suspeitos, alguns até mantinham os rostos cobertos.

- Aconchegante – Roxy disse ironicamente enquanto olhava o bar depois que Luke a colocou no chão.

Eles entraram receosos e escolheram uma mesa afastada.

- Eu nunca estive aqui, antes. É empolgante! – Alice disse animada, se sentando ao lado de Alvo.

- Empolgante e meio sujo – o namorado respondeu.

Tiago deu um tapa na cabeça do irmão.

- Para de reclamar, Severo! – ele disse, fazendo Scorpius soltar uma gargalhada incontrolável.

- Não me chame assim! – Alvo reclamou para o irmão e ao mesmo tempo deu uma forte cotovelada na costela de Scorpius para que ele parasse de rir.

Enquanto Alvo e Tiago discutiam, Luke se levantou.

- Vou ir pegar as cervejas. Tentem controlar os Potter até eu voltar.

Antes que ele fosse, Roxanne também se levantou.

- Vou com você – ela se apressou para se aproximar dele e foram juntos até o bar.

 

O estomago de Luke estava se contorcendo. Os dois estavam sozinhos esperando as bebidas logo depois do ataque claro de ciúmes de Luke no dormitório. Por sorte ela era do tipo falante e falava sem parar sobre o jogo da vitória da Grifinória. Roxanne falava sobre quadribol com tanto entusiasmo e ele a olhava com toda a atenção, praticamente hipnotizado. Roxy se aproximava dele cada vez mais, tocando em seu braço sempre que tinha chance.

Luke sentiu que seu coração explodiria em seu peito. Não conseguiria aguentar aquilo por muito tempo. A vontade de beijá-la estava o matando. Luke não sabia quanto tempo conseguiria aguentar sem colocar para fora tudo o que sentia por Roxanne.

Mas pra sua sorte, as bebidas chegaram e ela o ajudou a levá-las para a mesa.

Quando eles chegaram na mesa, Alvo o chamou:

- Luke! Você também acha que consigo ganhar da Alice, né?

Luke que ainda estava pendurado em cada uma das palavras que Roxanne dizia apenas assentiu e murmurou algo em concordância sem realmente prestar atenção.

- Pelo menos ele acredita, já que até meu irmão e meu melhor amigo torcem contra mim– Alvo disse a Tiago.

- Para de choramingar e joga logo, Sev! – Tiago disse, recebendo um olhar irritado do irmão.


A visita deles ao bar se resumiu a assistir Alice e Alvo competirem, enquanto tomavam cerveja e gritavam cada vez que Alice ganhava uma partida. Mas Luke e Roxanne não prestavam atenção em nada daquilo, estavam pendurados nas palavras um do outro.

- Vitória de Alice Longbottom! – Dominique disse como se narrasse um jogo de quadribol.

Alice levantou os braços em comemoração.

- Eu avisei – Scorpius disse a Alvo, recebendo um olhar raivoso em resposta.

Depois que todos fizeram piadinhas sobre Alvo, Tiago tomou seu último gole de cerveja amanteigada e perguntou:

- Vamos dar uma volta por ai, antes de irmos embora? Luke?

Ele conversava com Roxy e levou um susto ao ouvir seu nome.

- Que? – ele perguntou se virando para o amigo.

- Vamos dar uma volta?

- Ah sim, claro.

Todos assentiram. Então se levantaram, pagaram a conta e saíram do bar.

 

Era verão e a noite estava bem quente. O céu estava limpo e por isso as estrelas estavam bem visíveis.

O grupo andava conversando, mas Luke e Roxy ficaram para trás, andando sozinhos.

- Luke, espera – Roxanne o segurou pelo braço, para que parassem de andar,e então o puxou para um beco para que pudessem conversar em particular sem os outros verem – Domi disse que te viu brigando com o Breno, o que aconteceu?

- Não foi nada...

Ele se soltou da mão dela e tentou voltar para onde o grupo estava, mas ela o segurou de novo

- Ela disse que você estava irritado, alguma coisa aconteceu

- Merlin, não, nada aconteceu – ele passou a mão no cabelo, constrangido.

- Sua mão! – ela exclamou estendendo os dedos para ele, segurando sua mão e se aproximando para ver o machucado.

A cabeça de Luke estava girando mais rápido

O Perfume de Roxy. Por que ela sempre tinha que cheirar tão bem?

Luke estava rangendo sua mandíbula e tencionando seus músculos

De maneira rápida ele tirou sua mão da dela.

- Eu tô bem - As palavras saíram agressivas, desleixadas, ásperas.

Ele precisava de Roxy longe dele, o mais longe possível.

Mas Roxy avançou.

Luke estava quase distraído demais pela falta de espaço entre eles

Distraído pelo decote da camisa dela

Distraído pelo vermelho das bochechas dela.

Distraído pelo modo como seu próprio coração batia tão alto agora que podia sentir o sangue bombeando em seus ouvidos

Roxy levantou o rosto para olhar em seus olhos.

- Vai me dizer como você machucou os nós dos dedos?

Luke não conseguia responder.

Ele tinha Roxy bem na frente dele

Seus peitos quase roçando um contra o outro

A mão dela envolvendo seu pulso

Aqueles lábios tão perto.

 “Por que você não pode estar com Roxy?

Por que você não deveria estar?”

Sua cabeça estava girando.

- Foda-se - ele murmurou.

Luke envolveu suas mãos ao redor do pescoço de Roxy puxando-a para ele

E então seus lábios se conectaram

Roxy arfou surpresa antes que sua voz fosse abafada pelo beijo

Luke podia sentir a mudança repentina no corpo de Roxy, os músculos no pescoço relaxando

Ela passou de surpreendida a responsiva

Seu peito rugiu triunfante

Ele podia sentir as mãos de Roxy segurando sua cintura

E então levou-a mais adiante na parede.

Seus lábios ainda mais ferozmente interligados do que antes.

Luke estava puxando o lábio inferior de Roxy tentando ardentemente aprofundar o beijo

Roxy, por sua vez, estava passando a língua ao longo do lábio inferior de Luke

Roxy gemeu com a sensação de deixar Luke deslizar sua língua em sua boca.

Sua pele parecia que tinha sido acesa em fogo

Era ainda melhor do que Luke lembrava.

Ele correu suas mãos pelos cabelos de Roxy enquanto seus quadris amassavam um ao outro.

Luke arqueou as costas para a frente e um grunhido irrompeu do fundo da garganta de Roxy.

Porra

Precisava ouvir isso de novo.

Em resposta, Roxy o puxou ainda mais, entre ele e a parede enquanto seus lábios continuavam famintos

O calor entre eles estava crescendo

Luke sentiu como se seu coração fosse explodir.

Então Roxy abriu as pernas dele com o joelho.

Merlin.

Sua ereção estava firmemente confinada em seu jeans e agora estava  se esfregando contra a coxa de Roxy

Ele gemeu novamente com os pensamentos que sua mente estava conjurando.

E então estremeceu de novo quando os quadris de Roxy caíram contra ele

Ele não sabia quanto mais Roxy  poderia puxá-lo para perto. Quanto mais de seus corpos poderiam estar se tocando.

Mas ela também queria. Merlin, ela também queria.

Com o corpo de Roxy esfregando-se contra ele. Com as mãos dele  movendo-se tão agonizantemente até chegarem a sua bunda.

Roxy gemeu novamente.

Sua mente lembrando que ele infelizmente precisava respirar

Então ele se afastou um pouco e o beijo começou a diminuir.

Tornou-se  macio, suave.

Sua respiração pesada misturando-se entre eles. Olhos fechados, testas descansando juntas

- Puta merda - Roxy murmurou sem fôlego

Os olhos de Luke se abriram com as palavras

Uma onda de preocupação e dúvida subitamente pesando sobre ele

"Por favor, não deixe isso ter sido um erro

Não poderia ser

Pareceu tão certo"

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...