1. Spirit Fanfics >
  2. Damages >
  3. SixTeeN

História Damages - Capítulo 16


Escrita por:


Capítulo 16 - SixTeeN


Do Kyungsoo

Passou-se uma semana desde que Chanyeol voltou ao seu reino para cuidar pessoalmente de alguns dos problemas e desde então fico na companhia de Sehun. O clima de tensão no palácio permaneceu por muitos dias e agora eles desconfiam de Sehun todo o tempo, me sinto mal mesmo que ele não esteja se importando.

Resolvi ir visitar o jardim da vitória. O cemitério do palácio, local onde além da família real, são enterrados, soldados e suas famílias. Apesar de não possuir grandes vínculos ali, ainda sim, são pessoas que morreram pelo reino ou que, no mínimo, trabalharam em função dele.

– Pode ficar aqui Hunnie, sei que não gosta de entrar nesses lugares. – Ele assentiu sem muito ânimo.

– Vou te esperar ali perto do lago, tudo bem?

– Claro. – Ele se afastou e suspirei. Observei a flor azul em minha mão e sorri, tomei coragem, me virei para entrar. Fui andando direto para o lado esquerdo e coloquei onde possuía o sobrenome de Sehun, seus avós estão ali, pois apesar de não serem guerreiros ou qualquer coisa, quando meu amigo se tornou comandante e liderou a proteção do palácio durante uma invasão, sua ação foi tão imediata e sem feridos, o rei lhe concedeu um pedido, poderia ter sido qualquer um, mas ele pediu por um espaço para poder enterrar sua família dignamente e assim foi concedido.

– Majestade. – Me virei a tempo de encontrar Jongin fazendo uma reverência. Desde o dia da discussão não nos encontramos mais. Evitei sair e parece que ele também não esteve muito dentro do palácio. – Desculpe pela intromissão no seu momento de respeito, mas você tem um tempo?

– Sim. Espere até que eu termine. – Ele assentiu e afastou-se indo mais para frente, até pensei que ele poderia ter vindo apenas atrás de mim, mas reparei que parou em frente a outro espaço e colocou margaridas lá. Reconheço bem o local, onde sua avó foi enterrada alguns anos atrás. Ela sempre foi muito querida e amada no palácio, trabalhava lá desde que meus avós eram reis e meu appa pequeno.

Continuei andando até sair na parte de trás onde não são enterradas pessoas, mas possui um jardim cheio de flores representando diversos tipos de sentimentos e também é uma plantação para aqueles que não possuem dinheiro possam recolher ali para prestar suas homenagens. Sentei em um dos bancos de madeira e esperei até que Jongin terminasse, o que não demorou muito.

– O que gostaria de falar comigo? – Ele sentou ao meu lado e respirou fundo.

– Alteza, primeiramente queria me desculpar, não só por aquele dia, mas como no anterior ao qual passei de todos os limites. Eu não deveria ter levantado a voz para você, tanto por ser ômega, quanto por ser um príncipe. Escolhi palavras das quais não deveria e me arrependo profundamente pelos meus atos. Estou aqui para servir ao reino e isso também se estende como proteção e confiança para com os meus líderes. A forma desrespeitosa como te tratei fazem com que eu não tenha cumprido meus deveres.

– Jongin. Posso não ser um grande fã seu e tenho sido negligente desde cedo com você. O meu jeito e aquele episódio te fizeram um pouco mais cauteloso na minha presença, entretanto, mesmo com todos os meus erros, conheço a sua personalidade e sei que ela não morreu. Então com sinceridade me responda uma pergunta.

– Sim senhor.

– Quem está aqui de verdade? Quem está se desculpando por aquele episódio? – Questionei diretamente.

– C-como? – Ele pareceu confuso.

– Você está se desculpando como comandante Kim, que deixou seu dever falar mais alto ou como Kim Jongin, que seus sentimentos ultrapassam os limites? – Encarei Jongin, que riu de lado.

– Vossa alteza é muito sábio, mas faz alguma diferença? Eu me desculpo como ambos. Fiz o meu lado de comandante falar mais alto quando desconfiei de você e até ameacei, isso seria punição de morte, mas também deixei sentimentos confusos tomarem conta de mim quando te beijei. Estive errado em todos os momentos que nos encontramos. – Ele murmurou se envergonhando no final.

– Eu também estive, perdi a cabeça. Sei que as pessoas me pintam como um monstro sem sentimentos, mas a atitude que tive foi irreparável, eu lhe bati no rosto, isso foi um terrível desrespeito. Apesar de eu ser um príncipe, não estou colocando minha posição como pauta. Você é o comandante do exército principal, o rei confia fielmente em você e seu appa é o braço direito do meu, conheço sua família desde que nasci e o meu erro não foi só uma falta de respeito contigo, mas para com eles também. Sinto muito por aquele episódio e quanto ao último também. Todas as pessoas têm coisas das quais não querem divulgar e aquilo era uma delas. Alguns processos são muito dolorosos, mas isso não me faz ter o direito de te inferiorizar na frente de outras pessoas.

– Não se preocupe com isso, penso que estamos desculpados. Jamais encararia aquilo como pessoal. Eu também estava jogando acusações e te intimidando na frente até da sua família. Mudando um pouco de assunto, encontrei algo outro dia, poderia ser de qualquer pessoa, mas por algum motivo você me veio na cabeça, talvez seja importante. – Ele levantou uma corrente, que eu conhecia bem. Minhas mãos tremeram e peguei de sua mão. O colar banhado a ouro branco que eu mal tiro do pescoço possui um pequeno cristal na ponta.

– É meu, minha fonte de vida.

– Kyungsoo... – Suspirei. Jongin nunca me chamava pelo nome, é um tanto íntimo e isso é algo que não possuímos. – Você realmente engravidou não foi? Aquela foto não parece montagem.

– Droga. Eu não gosto de falar disso. Sinto muito Jongin, mas não quero.

– Jamais te forçaria e eu realmente sinto muito por qualquer coisa que tenha acontecido. Perder alguém é uma sensação angustiante, imagina um filho? Alguém inocente, que não tem culpa de nada. – Senti meu coração pesar, lembrar nunca me faz bem. – Tem muitas coisas que soam estranhas, mas não vou mais te julgar. As suas escolhas devem ter um motivo.

– Elas têm.

– Só quero que faça uma coisa. – O encarei. Parecia o mesmo olhar de anos atrás. – Confie mais na sua família. Sei que você os ama muito, talvez tenha medo de algo, mas eles são adultos e sabem se proteger.

– Vou tentar, mas não se preocupe. Está na hora de retornar.

– Você precisa que alguém te acompanhe?

– Sehun está me esperando lá fora, não há necessidade. – Me levantei pronto para ir. – Jongin, obrigado, de verdade. Posso não ser muito que esperam de mim, mas me importo com o reino mais do que pensam.

– Eu sei disso, vou confiar em você alteza, da minha parte não terá mais desconfianças, mas por favor, quando estiver pronto, faça o mesmo.

– O farei, espere por isso.

 


Notas Finais


E essa interação #Kaisoo
O que estão achando disso? Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...