História Damas Sangrentas 1 - Criatura - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Bruxa, Caçador, Drama, Ghoul, Lésbica, Sangue, Vampiro
Visualizações 30
Palavras 1.217
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


*Imagem de personagem: Norah

Capítulo 22 - Simpatia pelo diabo


Fanfic / Fanfiction Damas Sangrentas 1 - Criatura - Capítulo 22 - Simpatia pelo diabo

Nix foi até o quarto de Norah e bateu na porta. Como ela não respondeu, Nix entrou no quarto. A cama de Norah estava bagunçada, mas ela aparentemente não estava no quarto.
— Norah? — Disse Nix.
      Norah estava no teto, com os braços abertos. Seu corpo formava uma cruz perfeita. Ela meditava quando ouviu Nix chamar seu nome. Abriu seus olhos e saltou do teto cheia de pose. Ela adorava se exibir para Nix. Vê-la impressionada era fascinante. Norah sentia-se uma deusa. Forte, rápida, bela e invencível.
        Nix assustou-se quando Norah saltou bem à sua frente e, por pouco, não gritou.
— Está com insônia? Podemos sair por aí e dar algumas voltas, quem sabe. Estou entediada. — Falou Norah animada.
Nix encostou a porta do quarto. Caminhou até o meio do quarto, deu meia volta e olhou para Norah.
— Eu vi Franciele! — Disse Nix.
— Onde? — Perguntou Norah, surpresa.
— No meu quarto. — Respondeu Nix.
— Como assim? Em um sonho? — Perguntou Norah.
— Não. Eu estava acordada. E ela estava bem ali em minha frente, mas era apenas um fantasma ou um reflexo. — Falou Nix.
— O que você viu foi uma projeção astral. Para conseguir realizar uma projeção conscientemente, isso é... Acordada, exige muita energia. E, geralmente, só funciona quando a pessoa sabe bem para onde está indo ou, se tem algum objeto pessoal ligado à determinada pessoa ou lugar. — Disse Norah.
— Franciele pediu para eu criar um feitiço que combinasse projeção e localização. — Falou Nix.
— Ela não disse onde estava? — Perguntou Norah.
— Ela disse que estava há muitos metros abaixo do chão e, que a única saída era um buraco ou um poço. — Disse Nix.
— Ela não deu mais nenhuma pista? — Perguntou Norah.
— Infelizmente, não. — Respondeu Nix.
— Ótimo. Só temos de procurar em... Todos os poços da cidade? — Disse Norah sendo pessimista.
— Já é um começo. Ao menos, até eu criar o feitiço que a Franciele pediu. — Falou Nix.
— Vai precisar de ajuda? — Perguntou Norah. — Digo, para criar o feitiço?
— Sim. - Respondeu Nix. — Mas, gostaria de procurar por aí, para tentar encontrar Franciele. Ela está muito fraca.
— Com certeza, faz tempo que ela não se alimenta direito. — Disse Norah preocupada.
— Por que a Criatura ainda a mantêm viva? — Perguntou Nix.
— Eu sei tanto quanto você. Acredite? — Disse Norah.
— Podemos procurar por aí? — Perguntou Nix.


***

        A mansão dos Silveira tinha dois andares e era uma das mais bonitas da região. Seus jardins eram verdejantes e floridos, com árvores frondosas e uma grande variedade de plantas exóticas. Sua propriedade era guardada por onde São Bernardos. Danilo Silveira era apaixonado por bichos e, além dos onze cães, tinha uma criação de coelhos e porcos-da-índia, duas jiboias e uma coleção de pássaros raros.

— Uau! Você conhece as pessoas que moram aqui? — Norah perguntou a Nix.
— Sim. Eu conheço. — Respondeu Nix. — O dono dessa casa é Danilo Silveira. Um homem muito rico que tem como hobby, colecionar animais de várias espécies. O ano que vem, ele planeja ir à África, buscar um leão.
— Hum... adoro animais. Tenho de ver isso de perto. — Falou Norah subindo pelo muro veloz como cobra.
— Não. Norah espere? Ele tem cães! — Disse Nix.
         Mas Norah ignorou Nix e pulou o muro, entrando na casa do vizinho.
         Nix já estava arrependida de ter ido ali com Norah porque Norah era muito imprudente e nunca pensava antes de fazer as coisas. Agindo sempre dessa forma, é claro, que, as coisas não poderiam acabar bem. Nix deveria estar em casa, trabalhando na criação do feitiço que Franciele lhe pedira e não se metendo em encrenca.

       Norah se aproximou do poço. Quando ouviu um rosnado, virou-se para trás e viu um São Bernardo a encarando. Pronto a atacá-la ao menor movimento brusco.
— Calmo Totó? Sem violência. — Disse Norah levantando as mãos. Se rendendo.

           De onde estava Nix ouviu um cachorro gemer. E, foi correndo até o portão, bem a tempo de ver dois cães fugindo. Muito assustados.

          Norah saltou dentro do poço. Quando a água fria molhou seu corpo, ela tomou fôlego e mergulhou fundo. Não havia nada no fim do poço, a não ser água. Norah emergiu e escalou o poço rapidamente, sem a menor dificuldade. Depois, correu, numa velocidade sobrenatural, até o muro. O escalou e saltou.

— Ai! Você me assustou, Norah. — Falou Nix irritada.
— Desculpe? Vou me lembrar de assobiar na próxima vez. — Disse Norah rindo.
— Hahah. Como ela é engraçadinha! — Falou Nix com sarcasmo.
— Não havia nada de anormal naquele poço. — Disse Norah.
— Talvez, tenhamos sorte com a família Brevonatto. — Falou Nix caminhando.
— A Franciele é louca! — Disse Norah cruzando os braços e, seguindo Nix.
— Por que está falando assim dela, Norah? É desrespeitoso. E, ela não está aqui para se defender. — Falou Nix.
— Como ela consegue nadar todas as noites sem sentir frio ou pegar um resfriado? — Disse Norah tremendo.
— Não me diga que você está com frio?! — Falou Nix rindo.
— Estou morrendo! — Disse Norah.
— Os ghilan sentem frio, então?! — Disse Nix, surpresa com a descoberta.
— Pelo visto, algumas lendas estão erradas. — Falou Norah.
— Ou não. — Disse Nix. — Talvez, isso se deva ao fato de você ainda ser jovem.
— Mas eu vou ser jovem assim para sempre. — Falou Norah.
— Fisicamente... — Disse Nix. – Mas credito que, vá amadurecer algum dia e suas habilidades também.
— Me acha imatura? — Perguntou Norah, encarando Nix.
 Nix não respondeu.
— Eu sempre fui comportada. Nunca chamei a atenção para mim. Falava sempre baixo e fazia tudo o que os meus pais me pediam sem questionar se era certo ou errado. Agora, com todos esses poderes, sinto-me livre para fazer o que eu quiser. — Disse Norah.
— Você sabe que vai ter de deixar sua família, mais cedo ou mais tarde. Não sabe? — Falou Nix.
— Sim. Eu sei. — Disse Norah aborrecida.
— E já sabe para onde vai? — Nix perguntou.
— Se a Franciele sobreviver, vou embora com ela. — Falou Norah.
— Você gosta muito dela, não? — Disse Nix sorrindo.
— Sim. Ela me mostrou um mundo novo. — Falou Norah.
— Não. Eu quis dizer... Você a ama? — Nix perguntou.
 Norah encarou Nix, curiosa.
Envergonhada, Nix disfarçou rápido e olhou para outra direção.
— Franciele e eu fizemos algumas coisas estranhas, algumas vezes. E devo confessar que eu gostei, mas... Ela ama você e eu não sou boba. Não vou me iludir com alguém que nunca poderá gostar de mim de verdade. Quando Franciele e eu estamos juntas, ela fala em você o tempo todo e vive nos comparando, jogando na minha cara que você é melhor que eu. Era por isso que eu te odiava. — Falou Norah.
— Sinto muito. — Disse Nix, sem graça.
— Agora, vejo que você é mais legal que ela. — Falou Norah.
— Você também é legal, Norah. — Disse Nix.
— Mais legal que a Franciele, eu espero. — Disse Norah.
  As duas riram.

            Quando o dia estava quase clareando, as duas voltaram para a casa. Norah revistara mais de dez poços e não encontrara nada.

— Vou ler alguns livros das Butcher e tentar encontrar um feitiço semelhante ao que Franciele descreveu. — Disse Norah tirando sua roupa molhada e enxugando-se numa toalha.
— Boa sorte. Eu acho que já vou para o meu quarto, antes que o Jensen acorde e perceba que eu não estou ao lado dele. — Falou Nix sentindo-se desconfortável com tanta intimidade.
— Oh, claro! Que pena! Eu queria continuar conversando com você. Nos vemos depois, então? — Disse Norah.
— Sim. — Falou Nix.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...