História Damnation - Jikook - Capítulo 43


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Ação, Amor, Assédio, Aventura, Comedia, Drama, Família, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Gay, Insinuação De Sexo, Jeon Jungkook, Jikook, Jimin, Jung Hoseok, Jungkook, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Lemon, Lgbt, Min Yoongi, Ódio, Park Jimin, Romance, Suga, Taichi, Violencia, Yaoi
Visualizações 614
Palavras 1.998
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 43 - Forty-two


Fanfic / Fanfiction Damnation - Jikook - Capítulo 43 - Forty-two

Encolhido como uma bolinha, no canto da cama com as mãozinhas nos ouvidos tentando abafar os sons e gritos que vinham do anda de baixo.

Era assim que Jimin se encontrava, com medo, sentindo seu coraçãozinho acelerar a cada vez que escutava a voz do moreno alterada.

Seus olhinhos já estavam marejados, sua cabeça doía de tanto o mesmo por força em seus ouvidos.

Ouviu-se mais uma vez a voz de Jeon, o fazendo solta um soluço acompanhado de uma lágrima que deu início ao seu choro baixinho.

O fazendo fechar os olhos, tentando conrolar-se, ouvindo seus soluços ficarem cada vez mais alto, na medida que suas lágrimas descia por suas bochechas, criando os astros da mesma.

Com o medo lhe consumindo, e o desespero já dentro de si, Jimin saiu de cima da cama, engatinhando até a ponta, sentindo suas pernas fraquejarem quando pôs seus pés no chão. Olhou para porta, ainda ouvindo as vozes alteradas, suspirando alto com outro soluço a espancar de sua garganta, quase lhe fazendo fraquejar. Segurou-se na ponta da cama, para não cair.

Varreu seus olhos sobre o cômodo, a procura de algum lugar para se esconder, e chora baixinho sem ouvir os gritos que lhe atormentava tanto. Tinha medo que Jungkook briga-se consigo. Medo do moreno lhe deixa na rua onde lhe achou. Apenas pelo seu tom de voz no anda debaixo, fazia Jimin treme-se de angústia de ser rejeitado mais uma vez.

Jungkook, era agora sua única família.

A qual Jimin se importava, que criou um grande laço com o mesmo. Lhe desejando imensamente. Não só pelo desejo carnal. Queria cuida de seu hyung, assim como também queria ser cuidado pelo mesmo.

Só de pensar que não seria mimado pelo moreno, lhe apertava o coração. Como se uma flecha enfia-se em seu peito. Não ter o carinho, a preocupação ou até mesmo as brocas que levará do outro, o fazia ter um vazio dentro de si.

Sim, Jimin se considerava literalmente independente do mais velho. Ficando totalmente vulnerável para Jungkook.

Jeon estava possesso quando saiu do quarto. O que lhe deixava nervoso, com o peito a doer por achar que Jungkook não lhe gostaria mais.

Ou lhe desprezaria.

Olhou para debaixo da cama, e negou. O bichinho teve tá lá. Lembrou-se. Mesmo na sua situação, não entraria mais debaixo da cama com medo de algo lhe puxar o pé.

Seus olhos chegaram no closet, o único lugar ao qual poderia ficar. E, todo desajeitado caminhou até a porta, se enfiando entre as milhares de roupas. Se encolheu no chão, entre um das várias portas, agarrando suas pernas, onde deixou sua cabeça tombar para frente se permitindo chorar baixinho, e achando que não seria encontrado.

Pelo menos era o que queria.

Ouvir aquela gritaria toda, lhe fez lembrar de seus pais. Pelos qual sentia bastante falta. Bom, de sua mãe para ser mais exato. Jimin sentia-se ruim, por não sentir um pingo de saudade de seu pai. Sua mãe sempre lhe falou que apesar das pessoas serem ruins e más, jamais devemos odia-las, ódio não resolve nada. Independentemente do que elas já fizeram.

Mas era inevitável, o pequeno não conseguia esconder que, o sentimento pelo qual despertou de seu pai, foro o puro ódio. Ódio não só pelas agressões, não só pelas palavras que lhe falou antes de fugir de casa. E sim porque o mesmo nunca lhe amou, e nem demonstrou algum sentimento pelo loiro.

Não que ele esperasse isso de seu pai. Ou algum ato de carinho. Não, ele já tinha o suficiente com sua mãe. Ela lhe tava o dobro de atenção que ele poderia receber de seu pai.

Park já sofreu demais nas mãos de seu pai, e pensar na possibilidade de Jungkook lhe devolver para ele, lhe deixava em desespero. Lhe fazendo querer deseja a morte, do que voltar a tê-lo como seu pai, e conviver com o mostro como ele é.

Se não amar o próprio pai for pecado. Jimin tinha a absoluta certeza que iria para o inferno, sem nem ao menos ser julgado por Deus.

°°°
Após uma longa discussão, Jungkook tentava se a calmar, bebendo a água com açúcar que Yany lhe trouxe. Estava ainda mais raivoso que antes, seus batimentos cardíacos estavam acelerados deixando as veias de seu pescoço saltitando em puro ódio que sentia de Min Yoongi.

O mesmo teve a audácia de confirma o que Jeon já sabia. Ainda por cima acrescentou que pretendia fazer muito mais com Jimin.

Aquilo foi a gota da paciência de Jungkook, que voou para cima do baixinho, só que sendo impedido pelos seus seguranças. Que sabiam que deveriam preservá a imagem de seu padrão.

Enquanto Jeon tentava se soltar das mãos de seus serviçais, Yoongi ria cínico pela cena, querendo imensamente ser agredido pelo outro. Fazia questão de provocar-lo, dando tapinhas em seu próprio rosto, pedindo para Jungkook lhe acertar.

E claro, que Jungkook não era nem um idiota para não perceber que era exatamente isso que Min queria.

Seria uma ótima oportunidade para o professor tentar lhe derrubar. Lhe acusando sobre agressão física. E poderia acrescentar o motivo da agressão. Jimin. E foi por ele que Jeon se controlou. Não podia perder o processo da adoção do pequeno. E se o juiz soubesse que Jungkook agrediu alguém, lhe negaria a permissão de Jimin ser seu. O afastando do menor.

Resolveu apenas ficar no bate e boca, chamando a atenção de seus empregados, que colocavam os olhos nas brechas da mansão para presenciar a cena. Jeon podia sentir sua garganta reclamar, mas precisava falar algumas coisas antes que mata-se Min Yoongi com suas próprias mãos.

E era tudo o que mais queria naquele momento.

Quando sentiu que já tinha esculhambado o professor a sua frente, o mandou embora, lhe expulsando de sua casa, o proibindo de pisa os pés ali.

Ousado como Min Yoongi era, ainda se curvou, fingindo segurar na barra de seu vestido, saindo da casa sorrindo largamente para Jungkook.

Jeon prometeu a si mesmo, que Min Yoongi não teria paz em sua vida.

— Tome filho.— Yany estendeu outro copo de água para o moreno, o vendo sorrir de lado em agradecimento, logo bebendo o conteúdo, dando várias goladas.— Melhor se acalmar antes de falar com o menino Jimin.— Falou, recebendo agora o copo vazio do outro. Que suspirou ao lembrar do loiro.

Jungkook nada disse, apenas suspirando ao se levantar, deixando um selar na testa da mais velha, se dirigindo até as escadas.

Ouviu os murmurou dos empregados, não dando a mínima importância. Apenas caminhou devagar até seu quarto, na esperança de encontrar seu loirinho esperando por si. O único a qual faria Jeon se acalmar agora.

Entretanto, quando abriu a porta do quarto dos dois, não o visualizou no cômodo. Jeon agaichou-se, para olhar debaixo da cama, não vendo nada dessa vez, apenas seu celular que o menor tinha esquecido. Pegou o aparelho e jogou em cima da cama. Caminhou até o banheiro, também o encontrando vazio.

Mas o que fez uma angústia em seu peito arder, foi um soluço vindo do closet. Quase que correndo Jungkook adentrou no local, olhando todos os cantos, o procurando. Ouviu os murmúrios baixinhos, vindo do canto da porta de um dos armários.

Em passos vagorosos, Jeon andou devagar até o local onde escutará os soluços, se permitindo prender a respiração ao abrir lentamente a porta, revelando o pequeno ser humaninho encolhido entre as roupas. Sentiu uma pontada em seu peito por vê-lo assim.

Jungkook agaichou-se, ficando apoiado em um de seus joelhos, afastando os cabides para longe, fazendo com que Jimin desce um pequeno sobressalto, revelando seu rosto vermelho e choroso. Mas o que lhe deixava nervoso, era a feição medrosa do loiro.

— Porquê está chorando?— Sussurou rouco, engolindo em seco ao vê-lo tentar se afastar de si.

Jimin estava com medo? Jeon sentiu-se ainda pior por pensar isso.

— Hyung-g...— Falhou sua vozinha, saindo entrecortada. Jimin fungou, deixando mais lágrimas caírem em suas bochechas gordinhas.

— Hey!.— Jeon sorriu mínimo, levando sua mão até o rosto do menor, limpando-lhe as lágrimas.— Não chore.— Tentou sorrir, tentando disfarça seu próprio nervosismo.

Jimin o olhou, cimicerrando os olhos, ao sentir as mãos grandes do mais velho em suas maçãs vermelha. O fazendo olha-lo confuso. Jeon não sabia o que se passava na pequena cabecinha do loiro. Lhe deixando ansioso, e com um certo receio.

— Você não-o vai me devolver ao m-eeu pai?— Murmurou baixinho, voltando a chora.— Não-o devolve hyung!.— Pediu pondo sua mãozinha sobre a do mais velho, que ainda permanência em sua bochecha.— Eu prometo-o ficar comportadinho!.— Soluçou sentindo sua garganta fechasse.— Só... não me abandona-a.— Pediu em um sussurou sôfrego, vendo sua voz morrer, logo em seguida.

Jungkook piscou lentamente, negando freneticamente as proposições do baixinho. Nunca lhe passará pela cabeça lhe abandonar. Ou pior, devolve-lo ao seu pai. Jungkook não era nem louco de fazer tal coisa. Jimin agora fazia parte de si. Algo que Jeon o protegeria, o fazendo ser apenas seu.

Quase que desesperado por aquilo, lhe puxou para seu peito, em um abraço necessitado, sentindo os dedinhos gordinhos lhe apertarem enquanto o mesmo ainda chorava. Jeon sentiu seus olhos arderem em angústia.

— Eu jamais lhe abandonaria...— Sussurou em seu ouvido, passando uma de suas mãos pelas costas do menor. Querendo senti-lo pertinho.— Nem mesmo lhe devolveria a ninguém meu amor, você é do hyung agora.— Beijou o topo de sua cabeça, deixando o cheirinho de bebê entrar em suas narinas.— Só meu...

Jimin rodeou seus braços no pescoço do moreno, ainda soluçando. Deixou escapar um sorriso feliz por saber que seu hyung não lhe deixaria.

Se sentindo idiota por achar que ele o deixaria.

— Promete?— Murmurou abafado, afastando-se para fitar o mais velho.

Jungkook sorriu, passando seu polegar no canto dos olhos inchados do pequeno.

— Prometo.— Disse vendo o menor sorrir.

— De miudinho?— Ergueu seu dedinho em frente seus rostos.

Jungkook riu pela fofura a sua frente. Estraçalhou seu dedo ao do menor, beijando os dedinhos logo depois. Olhou fixamente o loiro a sua frente.

— De miudinho.— Garantiu, puxando o pequeno para outro abraço.

Sentiu o corpinho quente ao seu, o fazendo sorrir, pelo pequeno achar que Jungkook, o lhe deixaria, por algo que nem ao menos o menor tem culpa.

Deixar Park Jimin, estava fora de cogitação para Jungkook. O moreno estava tão vulnerável ao ser de cabelos loiros, dos olhinhos pequenos e das bochechas gordinhas.

Sentia que não conseguiria nem dormir se não sentir-se, o corpinho grudado ao seu. Chegar em casa após uma longa jornada de trabalho, e ver o sorriso iluminado de Jimin, deixando seu dia mais feliz por tê-lo consigo e saber que ficaria o resto do dia, provando dos lábios cheinhos, sentindo as carícias das mãos gordinhas em seu rosto. Aproveitando cada segundo ao seu lado até caírem no sono, onde dormiriam abraçados e acordariam com os sorrisos abobados de ambos.

Até mesmo as birras que o menor fazia, o deixando fofo e adorável como é. O flagra chupando seu dedinho no meio da noite lhe despertando do sono, apenas para ver aquela cena por horas.

Ou, deixá-lo envergonhado, com suas bochechas vermelhas, por lhe ouvir fazendo cocô.

Independente. Era assim que Jungkook se sentia pelo loiro.

— Até mesmo quando eu for desobediente?— Jungkook ouviu Jimin falar, o fazendo sair de seu transe.

— Quando você for desobediente, o hyung irá lhe punir.— Disse calmo, ainda abraçado com o mesmo.— Só que eu nunca, nunca lhe deixarei.

— Não?

— Não...— Sussurou em seu ouvido, sentindo suas mãos suarem, seu peito subir rapidamente, o fazendo engoli a própria saliva, pelas próximas palavras que sairiam de sua boca.— Porque o hyung, gosta muitão de você...— Parou querendo achar suas forças, para dizer aquilo que a tanto tempo, desde a primeira vez que lhe viu. Jeon suspirou fundo, retomando sua coragem.— Eu sou completamente apaixonado por você... Eu te amo, muito meu pequeno.


Notas Finais


muito clichê eu sei, mas foi preciso eu esclarecer os sentimentos de ambos, só então seguir com a fic

até quarta-feira, anjinhos

saraghaen (':


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...