História Damned Souls - Almas Condenadas - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce, Lendas Urbanas, Mitologia Celta, Mitologia Nórdica, Mitologia Romana, Mitologia Romena
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Kentin, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Personagens Originais, Priya, Rosalya, Violette
Tags 1864, Almas Condenadas, Amor Doce, Castiel, Damned Souls, Elizabeth, Época, Estorias, Histórias, Lendas, Magia, Sobrenatural, Terror, Vampire, Vampiresca, Vampiro, Vampiros
Visualizações 84
Palavras 1.750
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, LGBT, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Essa estória é literalmente sobre como era a época antiga ( pelo menos na minha cabeça , então desculpe os erros ) , eu quis escrever uma estória um pouco diferente do que os meus costumes e esse tema me agradou muito espero que vocês gostem desse prólogo tanto quanto eu gostei ao escrever.
Vamos aos avisinhos chatos.

* Essa fanfic é de minha autoria e somente minha.

* Certos personagens não me pertencem mas sua índole e sua personalidade são de minha autoria.

* A fanfic não é movida a comentários e nem a favoritos porém me ajuda a trabalhar melhor quando incentivada.

* Sejam bem-vindos e boa leitura.

- M

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Damned Souls - Almas Condenadas - Capítulo 1 - Prólogo

Em meados do ano de 1864 , em um pequeno vilarejo na Ilha de Valorie na Bulgária onde havia uma jovem de 17 anos na qual se chamava por Elizabeth Lanskaya Petrova. Filha de Lucya Lanskaya Constantinova e Mikael Petro III Petrova.

Valorie nunca foi muito povoada e quando a morte de Mikael e Lucya chegou causou um grande impacto a Vila toda e todos passaram a sofrer ao ver a pequena Elizabeth ao abraçar o corpo gélido de sua mãe estirado ao chão coberto de sangue , na época a pequena tinha apenas quatro anos e não havia entendido o que há de acontecer ali , demorou certo tempo até a doce menina entender que seus pais não poderiam mais voltar e o que tinha acontecido naquela noite certamente teria sido um assassinato na qual as pessoas ao redor evitavam comentar.

conforme os anos Elizabeth passou a ser criada por Vitória uma amiga próxima a sua família que lhe deu abrigo , a mesma na qual já possuía dois filhos gêmeos Alexy e Armin os quais eram conhecidos por serem grandes cavelheiros no vilarejo.

Elizabeth não tinha muito pelo o que reclamar , apenas o que agradecer no entanto ela havia ganhado dois irmãos e Vitória era uma mulher na qual era de muito respeito na aldeia já que seu marido havia morrido em guerra para defender a Bulgária , e ela jamais deixaria nada faltar para sua família.

- Lizzie , Pode me passar a geleia por favor? - Alexy disse ao observar a morena parada em frente a um dos balcões feito de madeira assim como o resto da casa.

- Claro - Ela falou um pouco mais cabisbaixa que o normal , normalmente ela era alegre e seu humor costumava a contagiar o ambiente.

- O que foi? Parece incomoda. - ela abriu um sorriso ao observar o garoto de cabelos tão negros a ponto de serem confundidos ao azul e seus olhos em tons tão cinzas que chegavam ao violeta que lhe causavam certo conforto ao olha-los.

- Percebeu isso apenas comigo te passando a geleia?

- Eu lhe conheço bem , além disso é como minha irmã o que eu seria se não notasse quando está triste?

- Não é nada , Rosa havia me contado de uma estória antiga da sua família ontem e isso me deixou um pouco intrigada.

- Não está dizendo que Rosalya está conseguindo confundir sua cabeça com as suas estórias bobas sobre demônios da noite - ele disse deferindo uma mordida a sua torrada composta de geleia.

- Não acredita nas estórias?

- Você acredita? - ele disse de um modo sútil dando seus ombros e andando em direção a porta a caminho do campo.

Elizabeth apenas balançou sua cabeça afastando seus pensamentos daquelas criaturas medonhas que sua amiga havia tanto falado , ela subiu ao quarto tirando suas vestes de cetim e pegando aquele longo e apertado vestido .

- Precisa de ajuda querida? - Vitória disse ao notar que a jovem se contorcia tentando apertar o corselete.

- Eu não aguento mais essas vestes.- balbuciou.

- Tenha paciência , é apenas uma época.

- Uma péssima época.- Vitória abriu um sorriso após terminará de apertar o corpete e ajeitar os cachos da doce garota.

- Por que não sai um pouco? O dia está lindo , eu vou ter que ir até o centro para comprar mais geleia e algumas sementes para a nossa colheita- ela assentiu brevemente- Alexy irá me falhir se continuar a comer desse jeito.

...

- Não acredito que você está tão mal assim - Armin falou ao olhar seu irmão após ver a sua espada ao chão pela milésima vez .

- Eu odeio isso você sabe - o moreno disse ao se jogar ao chão.

- Deveria contar a mamãe que não gosta disso.

- Está louco? Como ela irá me olhar ao saber que o seu próprio filho não irá seguir os passos do pai.

- E que quer ser um artesão e bom... - Armin disse soltando uma risada não prosseguindo a sua fala já recebendo um olhar nada bom de Alexy.

- Nem ousse em falar isso que está pensando.

- Não é tão ruim assim , não faça tempestade em copo d'água.

- Estamos em 1864 , é péssimo.

- O século é péssimo , mas você não pode ficar se mutilando por isso é a mãe quem estamos falando ela vai entender. - Armin disse vendo o olhar de seu irmão percorrer a um jovem não muito longe dali , para ele aquilo era extremamente estranho mas era de seu irmão de quem estavamos falando o rapaz no qual sempre esteve ali para ele e ele sempre estaria ali do seu lado mesmo que não concordasse com seus sentimentos e mesmo que ambos não merecessem.

- Tem razão...

- Falou com a Lizzie hoje? - Ele tentou mudar o assunto tentando deixar seu irmão mais confortável.

- Ah sim , ela estava cabisbaixo falando algo sobre demônios da noite.

- Vampiros?

- Coisa da Rosalya , sabe como são os ancestrais dela.

- O que? Aquela estória velha sobre os caçadores?

-Os demônios da noite.

- Bruxas eu compreendo vampiros não , nunca ouvi falar em vampiros no nosso vilarejo e nem em qualquer outro lugar são apenas lendas mal contadas para assustar crianças que não comem seus legumes.

- Sabe é o que me faz pensar o motivo pelo qual ninguém gosta de falar sobre esse assunto e como algumas mortes que aconteceram foram estranhas e sem explicações , não te perturba o fato de ninguém falar sobre isso- Armin olhou seu irmão por alguns segundos logo lhe dando um leve tapa.

- Vai me dizer que está acreditando nisso?

- Não , mas é hipocrisia pensar que no meio de tantas bruxas queimadas a fogueira um vampiro não come escondido com medo das chamas. - Armin pareceu pensar sobre as palavras de seu irmão e logo negou se levantando.

- Isso é ridículo , vamos para casa comer algo.

Elizabeth pairou sobre a janela da velha casa de madeira de rosalya , logo a observando adentrar sobre o quarto seus cabelos agora bagunçados eram de um loiro tão claro a ponto de parecer platinado , sua pele era branca como a neve e seus olhos eram de um âmbar tão amarelado que aparentava ser dois pares de ouro.

- Pode me ajudar? - ela disse se referindo ao corselete , a morena apenas assentiu e apertou o mesmo.

- Se levantou agora?

- Problemas de família , não conseguir me pousar cedo. - ela falou tentando ajeitar seus cabelos lisos , que apesar de serem bonitos não eram comuns devido a época.

- Eu também não consegui dormir direito eu fiquei pensando sobre o que me disse e agora eu me sinto um pouco confusa sobre tudo isso.

- São apenas estórias Lizz , não pense muito nisso.

- Não acredita?

- Claro que acredito , mas não acho que sejam iguais as estórias que meus pais me contam.

- E se o acidente que aconteceu com a minha família fosse culpa de um vampiro?

- Lizz você só tinha 4 anos , e a vizinha Eleonor disse que havia um homem no qual estava cercando sua casa para cobrar seu pai.- O pai de Elizabeth , Mikael era um homem de negócios e muitas vezes suas vendas não eram tão boas e para sustentar sua família por vezes precisava ir atrás de ajuda o que acabava sempre de forma ruim.

- Você não entende Rosa , eu me lembro desse homem vagamente era um vulto avermelhado foi tão rápido que eu nem ao menos consiguirá ver o seu rosto e eu me lembro de não haver rasgos em meus pais pois quando... Quando abracei minha mãe não havia marca de faca ou de qualquer outra arma só havia sangue. - ela falou um pouco mais falho que o normal a platinada colocou um de seus cachos atrás de sua orelha e a a abraçou.

- Pare de pensar nisso , não faz bem a você eu sei que é difícil se lembrar disso e mais ainda não se lembrar mas Lucya iria querer que você seguisse em frente era a sua mãe tudo o que ela queria era te ver feliz Elizabeth e o seu pai ele sempre lutou para que pudesse cuidar de vocês duas pense neles assim não pense em como eles morreram , pense em tudo o que fizeram por você e como você chegou até aqui.

- Me desculpe - foram sua últimas palavras antes de soltar um grande suspiro e limpar um lágrima que surgiu em meio ao seus olhos.

O Tempo passou rapidamente , Rosalya e Elizabeth passaram o dia na velha igreja ajudando a fazer os preparativos para festa de outono era uma das festas mais importantes do vilarejo na qual comemorava a colheita agradecendo por todo o alimento adquirido no ano e se preparava para o tenebroso frio de inverno. O Sol ja estava se pondo em poucos dias a neve estaria caindo sobre Valorie , era época na qual todos na pequena vila se refugiavam em suas casas para se proteger do imerso frio da estação e nas famílias na qual as colheitas não haviam sido boas haviam doações da igreja para que o povo não passasse fome no inverno.

Elizabeth suspirou ao andar nos bosques desertos , a noite ja havia caído e algumas estrelas davam sinal no céu ela adentrou em sua casa composta de madeira e lampiões e simplesmente subiu para seu quarto vendo que todos ja estavam pousados pelo horário , ela tomou um banho quente e vestiu sua simples camisola na qual mais aparentava ser um vestido branco feito de cetim , ela caminhou até seu quarto apagando as luzes mas se surpreendeu ao ver a janela aberta já que Vitória sempre fechava todas janelas antes de se deitar. " Talvez ela tenha esquecido " passou pela cabeça de Lizzie , ela deu entre ombros e fechou a mesma na qual entrava um vento gélido e se assustou quando ouvirá um ruido alto vindo da parte debaixo de sua casa... Ela respirou tomando coragem e descendo as escadas com cautela para não fazer ruídos na madeira antiga , ela andou até o meio daquela grande sala observando todos os detalhes possíveis que tinham ali naquela escuridão porém quando notou ja era tarde ela se assustou ao ver um vulto a jogar contra a parede e a atacar , a pancada sobre a parede havia sido tão forte que Lizzie só conseguia se recordar de algo ruivo em sua aparência e depois desmaiou sobre o piso frio amadeirado.


Notas Finais


Se gostou comente , sua opinião importa muito
*Críticas para melhorias sempre serão bem-vindas.
Bjs
-M


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...