História Damned Souls - Almas Condenadas - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce, Lendas Urbanas, Mitologia Celta, Mitologia Nórdica, Mitologia Romana, Mitologia Romena
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Kentin, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Personagens Originais, Priya, Rosalya, Violette
Tags 1864, Almas Condenadas, Amor Doce, Castiel, Damned Souls, Elizabeth, Época, Estorias, Histórias, Lendas, Magia, Sobrenatural, Terror, Vampire, Vampiresca, Vampiro, Vampiros
Visualizações 52
Palavras 1.470
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, LGBT, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura pessoas ❤️

Capítulo 4 - I Remember You


Fanfic / Fanfiction Damned Souls - Almas Condenadas - Capítulo 4 - I Remember You

Elizabeth haverá de se trancar no quarto , ela tinha tanto medo que não abriará aquela porta para ninguém nem para o ruivo e tão menos o platinado na qual havia criado certo vínculo , haviam 2 dias que a mesma estava trancada no quarto a tristeza por perder sua família era tanta e ao saber que talvez o suposto assassino de seus pais estaria no cômodo ao lado não ajudava a superar seus medos , ela se mantinha apenas bebendo a água da pia que havia ali no simples banheiro do quarto a dor era tanta que seu corpo tão pouco sentia sede quem diria fome , ela mal pregava os olhos a noite , não conseguia entender nada do que estava acontecendo estava confusa e atenta e algo em seu coração a fazia a sentir como se estivesse quebrada , como se sua vida não tivesse mais razão.

- Elizabeth? - a voz do ruivo estava firme , seu corpo se arrepiou ao escutar aquela voz então ela pegou as cobertas como uma criança e se cobriu contando  com que aquele fino pedaço de pano a protegesse. - Eu sei que está me ouvindo nós temos que conversar abra a porta. - ela fechou seus olhos e negou , não , ela não iria abrir aquela porta a morena virá Lysandre saindo a pouco tempo ela não arriscaria abrir a porta e ficar só com aquele assassino. - Se você não abrir eu mesmo abrirei!

- Deixe-me! - ela gritou com a voz trêmula , mas era tarde o cheiro de seu medo já estava em toda a casa.

- Eu não vou machucar você.

- Não é possível me machucar mais!

- Você irá morrer de fome , pare de ser tão idiota você está fraca perdeu muito sangue precisa se alimentar se não nunca ira sair daqui!

- Talvez eu queira morrer. - o ruivo soltou um riso.

- Abra a porta e eu mesmo cuido disso , se é o que deseja. - sua voz foi irônica , Lizzie fechou os olhos contando calmamente a dor havia tomado todo seu corpo ela suspirou caminhando até a porta e uma imagem de sua mãe lhe veio a cabeça e pela primeira vez ela sentiu paz ela não tiverá  medo de morrer pois sentia que quando morresse não estaria só ,então ela girou a maçaneta e fechou seus olhos com força , mas ficou surpresa ao sentir seu corpo sendo puxado.

- O que está fazendo? - ela falou falho , logo tontiando então Castiel a pegou em seu colo e desceu as escadas.

- Eu não impedi da minha irmã matar você pra você se matar de fome.

- Do que está falando? - ela o olhou confusa , ele a colou em uma cadeira da empoeirada messa e a encarou.

- Você não lembra mesmo?- ela negou rapidamente , ele respirou fundo e tocou seu pescoço ele sabia que isso poderia a matar mas não resolveria nada se a mesma se jogasse a morte além disso ele ja tivera feito isso com outros humanos a mordida de um vampiro não serve apenas para se alimentar é muito além disso , é uma forma de conexão é o momento no qual o sangue de sua vítima se torna o seu , é quando a pele é rasgada e tomada por suas pressas se tornando um só ... Era hora na qual você poderia fazer sua vítima sonhar ou então lhe mostrar uma lembrança , servirá como uma despedida e uma forma de alívio antes de esgotar ou quase retirar sua vida, mas para algumas situações era algo necessário.- isso vai doer um pouco , mas você entenderá melhor.

Então ele atacou seu pescoço , o gosto de seu sangue passará como água em sua garganta mas ele precisava manter o foco e então ele buscou em suas lembranças o pior dia de sua vida , o dia no qual tudo forá perdido e quando encontrou pode finalmente esclarecer tudo aquilo que estava escuro , ele se soltou rapidamente de Elizabeth antes que a matasse a lembrança havia sido entregue agora Elizabeth continha uma das imagens na qual forá apagada de sua mente des de a morte de sua mãe até a estaca enfiada no coração daquela amarga vampira.

- Eu ... Não estou entendendo... Não foi você , você , você salvou a minha vida? Mas por que fez isso?

- Minha irmã ja tinha muito sangue em suas mãos , a vida dela não valhia a de uma inocente.

- Qual era o nome dela?

- Aurora. - ele falou abaixando seu olhar , Castiel não tinha arrependimentos mas não suportava olhar para Lizzie e ver sua irmã morrendo pela suas mãos isso o tornava vulnerável , o agressivo e inquebrável vampiro tinha um ponto fraco e ele estava em sua frente.

- Por que me trata tão rude?

- Você faz parte de algo no qual eu gostaria que nunca houverá a acontecer.

- Eu lamento por sua perda , mas você também faz parte de algo que eu não gostaria que tivesse ocorrido. - o ruivo a olhou por alguns segundos e negou pegando um pedaço próximo de pano e álcool e jogando nos furos que houverá feito.

- Coma , e se quiser ir para casa logo lhe aconselho a comer bem nos próximos dias .

- Dias?

- Foi você quem procurou por isso se estivesse se alimentando bem ao invés de me fazer passar raiva já estaria em casa.

- Preciso que avise a meus irmãos que estou bem. - ela disse brevemente.

- O que? Não , vão pensar que te sequestramos.

- Traga meus irmãos aqui , apenas para vê-los por favor. - ela o encarou com seus par de olhos dourados.

- Nem pensar , veja isso com Lysandre não é problema meu.

- Onde ele está? Ele nem está aqui! Se você não for eu irei.

- Vá em frente se você morrer não irá adiantar nada , ele foi caçar coelhos.

- São servos eu não me alimento de coelhos - o platinado falou encarando o seu amigo.

- Ótimo , agora ela é problema seu.

- Ele lhe atacou de novo? - Lysandre disse ao observar os furos recentes no pescoço de Lizzie.

- Não , ele apenas estava me ajudando.

- Isso não ajuda ninguém Elizabeth , ele poderia ter matado você não o deixe fazer isso , você está muito fraca. - o platinado disse calmamente.

- Está tudo bem , ele não me machucou ele apenas tentou me mostrar uma lembrança.

- Lembranças em sonhos são feitos para que a morte não seja tão atordoante para vítima , se um vampiro não souber controlar sua sede e foco pode acabar com a sua vida isso é necessário confiança.- Elizabeth negou dando um sorriso e se levantou olhando naquela bela heterocromia que Lysandre tinha em seus olhos.

- Eu estou bem , só preciso de comer algo e de um favor.

...

- Está nevando muito , espero que ela esteja bem procuramos por todos os cantos mas não a encontrei em lugar algum. - falou Alexy com o coração na mão , ele já estava convencido que Elizabeth estava morta mas não se permitia pensar sobre isso e ele não pararia de procurar por sua irmãzinha.

- É minha culpa , eu a mandei buscar lenha ela não deveria ter ido só. - Vitória falou chorando Armin a abraçava tentando manter sua mãe calma.

- Nós vamos acha-la eu prometo. - disse Armin , logo após ouvir a porta sendo batida ele se levantou indo em direção a ela e vendo um homem de cabelos esbranquiçados e olhos estranhos o encarando.

- Você deve ser o Alexy , certo?

- Armin.

- Ah desculpe...

- Olha eu estou um pouco ocupado agora. - Armin disse já fechado a porta mas um pé atrevido impediu-o de fazer isso.

- É sobre Elizabeth , tenho sua atenção?

- O que sabe sobre minha irmã?

- Encontramos ela a alguns dias jogada no bosque , a neve estava começando a cair e seu corpo ja estava praticamente coberto por ela então achamos mais seguro levá-la para nossa casa antes que morresse , ela também estava com uma ferida inflamada e muito frágil está sobre meus cuidados até que fique melhor , nossa casa não é muito longe daqui mas não é bom que ela se esforce no momento vocês podem visitá-la se quiser mas não gostamos muito de visitas então evitem em ir em muitas pessoas a casa é simples e bem antiga.

- Como sei que posso confiar em você?

- Não sabe , mas acredite se cheguei até aqui foi porque alguém pediu.

- Pode nos levar até lá? Quero vê-la.

- Sem armas na minha casa. - Lysandre falou ao observar a espada na cintura do rapaz.

- Tudo bem , mãe avise a Rosalya que a encontramos e Alexy vamos logo deixe sua espada , precisamos partir.


Notas Finais


Se gostou deixa um comentário
Bjs
-M


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...