História Dançando sobre flores - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Seuldy, Taekook, Vkook, Yoonmin
Visualizações 29
Palavras 1.909
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eai amigos, tranquilos?
Demorei mas atualizei hohoho. Espero que gostem, e perdoe qualquer erro. Boa leitura!

Capítulo 2 - Salvos pela Tia Emi


                                                                   Dançando sobre flores
                                                                                       
Jeongguk

Todo mundo já tinha saído da academia, praticamente. Depois de duas horas escutando sobre ''se posicionar da forma correta'', ''praticar mais o alongamento'', o usual. Como sempre, da mesma forma que eu era o primeiro a chegar, eu era o último a sair, mais especificamente até o fechamento. Depois que os alunos iam embora, ficava somente alguns funcionários lá, as vezes para comer na lanchonete, as vezes para receber o pagamento, (a Tia Emi sempre me conta tudo) então, um deles iam sempre me chamar quando fossem fechar definitivamente.

Eu fico é escutando música no fone e tentando encaixar qualquer passo de balé que eu saiba. Não é lá grandes coisas, mas gosto de ficar atoa, por mais que eu talvez esteja fugindo dos meus problemas, te qualquer forma, me tranquiliza bastante. Eu gosto, ué.

Me olhava no espelho enquanto estava me posicionando para fazer o passo ''Adagio''. Não era difícil, é só necessário sustentar uma das pernas no ar, e é claro, algo tinha que atrapalhar. Resmunguei nervoso quando a música parou e meu celular vibrou no bolso traseiro da legging, retirei-o de lá e olhei. Claro, uma mensagem do grupo, pra variar. Na verdade, nem sei porque deixo as pessoas me colocarem em grupos. Só visualizo e fica por isso mesmo. Abri a mensagens e comecei a ler.

     Jimin chato-fofo: ''Bora ir hoje na casa do Jeon hoje?''

     Yoongi meu docinho: ''Já disse o que eu te disse sobre isso, Jiminnie.''

Eca. As vezes esses dois são tão fofinhos sem perceber que eu fico até agoniado, meu pai amado.

     Eu: '' É, gente. Eu tô aqui, e seria legal se vocês me perguntassem se eu estaria de acordo com a vinda de vocês, sabe.''

     Jimin chato-fofo: ''Beleza, tamo indo.''

Eu não vou nem tentar discutir. Deixar eles plantado lá em casa não vai ser tão ruim assim, tenho um coração bom mas as vezes judiar é necessário, né não? Na real, eu até broxei. Tirei os fones do ouvido e suspirei. Dei uma última olhada no espelho e peguei meus pertences. Quando saí da sala, enxerguei de longe que a luz de alguma sala estava ligada. Parecia ser no terceiro ou quarto andar. Estranho, na verdade. 

Obviamente, como eu sou mais curioso do que deveria ser, eu fui atrás do famoso quarto de luz acesa. Subi o segundo, e terceiro andar. Parecia que aquelas salas tinham multiplicado, que medo. Ou era uma alguma doideira minha ter visto alguma luz ou era lá pro sexto andar, ou seja; Eu ia deixar acesa mesmo, minha obrigação é sair da minha sala e cuidar bem dela. Me enganei quando senti um ventinho mais frio que o normal das outras salas, vindo de (ironicamente, ou não) uma sala que aparentemente estava aberta, e é claro, com a luz acesa.

Me aproximei da porta e tentei escutar algo, podia ter um casal de adolescentes transando ali, quem sabe. Ai, credo. Dá nojo só de pensar. Suspirei de leve e abri a porta. Ah, é claro. A sala de patinação, Jeon Jeongguk. Ali, na pista de gelo claramente era o bonitão de mais cedo. Yah, acho que Taeyong. Talvez Tae... Ah, só sei que tem Tae, no nome. Taehyung! Isso, acho que é Taehyung, real oficial.

Peguei na maçaneta porta e fechei a mesma. Me encostei na coisa de madeira, e arrepiei um pouquinho ao sentir o ar frio entrar em contato com minha pele que não estava coberta; Eu sou muito friento. Sorri minimamente ao ver o quão dedicado o Kim parecia ser com o esporte. O rosto bonito, que ficava mais ainda concentrado me deixa com um sentimento estranho.

O nariz dele é bonitão, meu deus. Parece um escorregador, meu deus, é realmente muito bonito. Saí da transe que me encontrava quando o barulho dos patins se deslizando pela pista de patinação parou, tirando minha atenção. E nossa. Como era bonito a imagem daquele guri alto saindo da pista de gelo ainda ofegante, vendo o gelo sendo triturado pelas lâminas dos patins bonitos que calçavam os pés do tal Taehyung.

     — Jeongguk? — me chamou. Talvez eu esteja meio surpreso por ele ter lembrado do meu nome.

     — Taehyung.— disse seu nome— Vim te chamar pra ir embora. A academia já está fechando— desencostei da porta, estalando os dedos das mãos.

     — Droga — meteu a mão na testa— Esqueci que fecha as quatro. Vou me trocar, é rápido, juro. Se não quiser me esperar, pode ir. Obrigado por avisar— sorriu sem mostrar os dentes. Bem, pelo menos tá confirmado que seu nome é mesmo Taehyung.

     — Tá tudo bem, eu espero sim, mas mesmo assim, não demore. Vou estar aqui em frente— disse e saí dali sem esperar sua resposta. Ainda é meio estranho ter que encarar aquele nariz bonito, e conversar com Taehyung. Ele parece ser uma pessoa legal e tudo, mas a gente se conhece á algumas horas. Como eu disse; é estranho.

Deve ter se passado só uns quinze minutos, no máximo, e Taehyung já estava na porta, ofegante talvez por ter corrido um pouquinho para não demorar mais que já havia demorado. Gostei, me obedeceu direitinho.

     — Demorei?— neguei com a cabeça— Então... Vamos?— assenti, e começamos a descer a escada. Não conversamos durante o percurso, mas eu estava me sentindo confortável até então.

Uma coisa que eu estava estranhando, é que nosso caminho não tava ficando mais claro, sabe. A recepção costuma estar iluminada. Por deus, não me diz que...

     — Presos, na academia que ficamos enfurnados o dia inteiro.— escutei a voz bonita do de cabelos castanhos proferir.— Só pode estar de brincadeira! — foi até a porta de vidro e tentou abri-la, sem sucesso.

     — Só o que me faltava, fracamente — resmunguei — Calma, eu vou resolver, espera aí.

Peguei o celular do bolso da mochila e disquei o número da Tia Emi. Esperei, e esperei mas o ela nunca atendia. Ok, eu estava começando a entrar em desespero. Olhei rapidamente para Taehyung, que parecia ter desistido de ir embora da academia, e eu entendia ele. Mas mesmo assim, poderia ser perigoso deixar o Jimin e (provavelmente) Yoongi lá em casa, sozinhos com minha mãe. Suspirei pesado e me sentei ao lado de Taehyung, estávamos no chão, no momento. Liguei mais uma vez para Emi, e finalmente, a Tia atendeu.

     — Tia Emi!— exclamei, aliviado. — É, acontece que eu e meu...—olhei para Taehyung tentando achar um adjetivo bom para usar— Amigo, ficamos presos aqui na academia. É Tia, presos...—suspirei — Trinta minutos? Tá tudo bem sim, não tem problema. Obrigada!— desliguei a ligação.

     Suspirei aliviado, e tornei-me a falar: — Ei, fica tranquilo — sorri sem mostrar os dentes, tentando tranquilizá-lo —Uma das funcionárias que eu conheço vai vir aqui ''soltar'' a gente.— fiz as aspas com as mãos, finalmente arrancando um sorrisinho dele.

E que belo sorrisinho, devo ressaltar.

     — É...— cocei a nuca com a mão direta — Que tal a gente conversar?

     — Meu nome você já sabe. — concluiu por si só — Patinador, vinte e dois anos, seu Hyung. — olhou 'pra mim eu deu um sorrisinho de lado. Tá me estranhando, só pode.

     — Meu nome, você já sabe. — imitei-o — Bailarino, vinte anos, seu Dongsaeng. — suspirei — Eu não tenho nada pra dizer sobre a minha vida não, sabe. Basicamente, minha vida é o Balé, eu com certeza poderia me dedicar boa parte do meu tempo praticando.

     — Acho que você meio que já faz isso, Jeongguk. — se levantou do chão, estendo a mão para mim.

E não que eu esteja reparando muito nele, mas que aquela mão é bonita, é. Os dedos longos, com a cor bonita que o Kim possuía na tez amorenada, quase que dourada pelo refletir do sol. Sei que é estranho o que eu vou dizer agora, mas as mãos deles pareciam perfeitas pra cuidar das flores que tinham no jardim lá de casa. 

Com certeza, ele deveria estar achando estranho eu ficar encarando a palma direita que no momento ainda estava se encontrava estendida para mim. Pisquei os olhos rindo desengonçado e aceitei seu apoio. Só pra constar, a mão dele era bem macia. Ele era quase 10/10, bem top.

     — Acho que seria uma boa ideia se a gente comesse alguma coisa da cantina, a portinha tá aberta mesmo.

     — Não tem como a gente pagar, gênio. — revirei de leve os olhos.

     — Tem sim! — pegou sua carteira e retirou dali uma certa quantia de dinheiro — Aqui. É só deixar na bancada com um bilhetinho e pronto. Resolvido, sou um gênio mesmo, obrigada pela sábia observação.

Eu não sabia se ria por ele estar falando como um velho de setenta anos cursado em filosofia que contava sempre as lições da vida, ou por ele ter sido bem inteligente mesmo com a ideia. Ou eu sou muito burro, né. Provavelmente a segunda opção mas a gente finge que já sabia da forma de pagamento, né não?

Basicamente, Taehyung pagou tudo. Me pagou uma latinha de fanta uva, e uma empada de frango. Enquanto ele, pegou um achocolatado e uns biscoitos de leite com formatos bonitinhos. Aqui, podemos perceber já uma diferença; provavelmente, ele prefere comida doce, e eu salgada. Ah gente, não tem nada melhor que comer uma batata frita com um suco de uva, refri, que seja. Infelizmente, eu não posso comer essas bombas calóricas quem nem um doido todo dia. Mas eu realmente não consigo chegar em algum lugar, o garçom chegar e eu pedir:

''Ah, eu só gostaria de uma saladinha mesmo.''

   Não, valeu. Tipo, não mesmo. Eca. Broxante, eu mandava a pessoa sair da mesa e pegava uma pizza de calabresa e comia tudinho sozinho. 

Depois de algum tempo, o som da porta se abrindo nos despertou do silêncio (a gente tava comendo, eu nunca deixo de comer pra falar com alguém não, nananinanão.) Meu deus, trinta minutos nunca foram tão demorados. Tia Emi abriu a porta e saiu caçando a gente diretamente no mini café que estávamos, ou mini cantina. Como quiser, é um lugar com mesinhas e comidas que vendem pra gente comer lá. Explicação 10/10 né, eu sei obrigada.

Salvos pela Tia Emi. 

Depois de um esporro é claro, no fim das contas, Taehyung foi embora de ônibus e eu de carona com a Tia Emi. Provavelmente, Jimin e Yoongi estão lá em casa, a quase uma hora me esperando. Entrei em casa já esperando toda a falação na minha cabeça.

     — Ora, ora ora! — provocou Jimin — Quem é vivo sempre aparece não é mesmo? 

     — Jimin, não provoca... — Yoongi aconselhou o namorado.

É, eu acho que eles são namorados, qual é. Quase que óbvio hihihi. 

     — É, Hyung. Não provoca — disse irritado — Mãe, cheguei. 

     — Ei, não vai abraçar o Hyung aqui não? — olhei para o canto da sala e ali encontrei Hobi Hyung, gente. Se pá a Seungwan tá aqui também. Um sonho?

     — Annyeong, Hobi!  — dei um abraço apertado no citado — Te abraçar é sempre bom. — me soltei de seu abraço.

     — Ah, pois muito que bem.  — disse Jimin, se levantando do sofá  — Também gostaria de um abraço, sabe.

     — Vai ficar querendo. 'Cê me irritou muito hoje, Jimin. Não merece nem um beijinho de ''pra você se sentir especial''. — bufei  — Sai do meu sofá.

Depois disso, dei um breve beijinho na bochecha de Yoongi-Hyung e me sentei ao lado de Hoseok. Gente, o Jimin tava muito chato hoje. Assim, mais chato que o normal.

Mas se teve algo que eu aprendi hoje, foi que: O nariz do Taehyung parece um escorregador que eu preciso escorregar nele um dia.



     

 

                                                                                 


Notas Finais


Por favor me contem o que acharam aaaaaaaaaaaaaa
Perdoem de verdade a demora. Vou tentar atualizar com mais frequência. O Taekook de ''verdade'' vai demorar só mais um pouquinho pra dar vida. Se não vai ser tudo muito rápido e vai confundir a cabecinha de vocês sdjcfhrioe espero realmente que vocês tenham gostado.

Até a próxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...