História Dance Central: Freedom Dreamer - Capítulo 36


Escrita por:

Visualizações 8
Palavras 1.693
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Luta, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Leiam as notas finais quando terminar o Ep!
O capítulo 36 também tá EPICO, ÉPICO!

Capítulo 36 - Capítulo 35 - Sangue Azul (Parte 1)


Fanfic / Fanfiction Dance Central: Freedom Dreamer - Capítulo 36 - Capítulo 35 - Sangue Azul (Parte 1)

Depois da semana escolar finalmente ter passado era sábado.

Estranhamente, Mac-Coy tinha sumido. Como faziam as tardes as vezes, Lil'T e Lila subiram no muro da casa da Mãe de Taye para conversar.

- Eu estou a ponto de dar alguns passos e ir pegar essa Clair!

Lil'T andava pelo muro como uma corda bamba, confiante que sua atitude não não deixaria cair.

- Não, Lil'T, não vai precisar! Parece que a Mãe dela descobriu que ela andou batendo em outras pessoas também... mas eu dei o troco!

Enquanto Lila estava sentada, balançava seus pés.

- Espero que a Mãe dela tenha acabado com ela.

- Eu não aguentei mais ficar quieta e tive uma ação.

- Parece que você retomou sua atitude! Falando sobre atitude... o que você decidiu do Coy?

- Com certeza, T! Sobre ele? Eu não sinto nada além de amizade, certeza!

- Eu ainda ando pensando...a DCI tá quieta demais últimamente!

- Você quis dizer o Dr. Tan, né? Já parece ser suspeit-

Derrepente, a cabeça de Lila apertou de tal forma que sua visão borrou um pouco. A dor fez ela cair para frente, mas Lil'T a segurou antes.

- Eita, tá tudo bem? Você quase caiu!

- Eu sei lá, eu senti como se um dos meus pais tivesse precisando de ajuda, m-mas eu não vejo nenhum deles a muito tempo...

Tentando aliviar a dor Lila massageou as têmporas com seus olhos fechados.

- Wow, parece meio psíquico! Como se você pudesse sentir seu pai pela força do pensamento.

- Esquece! Não é nada! É-É melhor a gente ir, vai anoitecer.

Enquanto o tempo se passava, Rasa estava em seu escritório, fazendo seus afazeres como sempre. Mesmo tendo Lima como sua melhor amiga de todas e os outros agentes como amigos também, ele sentia falta de uma pessoa. De uma hora para outra, sua cabeça se direcionou a um velho amigo, que tragicamente acabou sumindo em uma das primeiras batalhas da DCI contra Dr. Tan.

Ele sabia de algo que ninguém sabia além do Agente Mo, e da Agente Lima.

Ele resolve chamar o mesmo que estava treinando com Glitch em uma das salas como cada equipe tem sua sala, e obviamente eles estavam no Estudio da Hi-Def:

Computador: Agente Mo, compareça ao escritório de Rasa imediatamente.

- Ih, Mano! O que você fez?

- Que eu me lembre, Irmãozinho, nada! Mais é melhor eu me apressar.

Mo andou até ao escritório de Rasa, que por sinal não era assim tão longe. O mesmo estava escrendo em grandes papeladas quando Mo

bateu na porta e Rasa abriu:

- Mo, sente se.

- Tá bom, eu já me sentei. Aconteceu alguma coisa Rasa?

- Você se lembra do que eu disse sobre seu Pai, não é?

- Claro... você disse que ele sumiu enquanto fazia uma batalha com você e a Lima contra aquele velhote.

- Certo. O que eu quero dizer pra você é que, não seria hora de contar para a Lila?

- Eu tambem estava pensando nisso esses dias. Ela pensa que ele abandonou a gente, mais não deve ter raiva dele.

- Eu tenho suspeitas de que Dr. Tan ainda o mantém vivo. Mas como prisoneiro ou algo assim. Eu mandei Dare para ir espionar as coisas e passar informações para mim há algum tempo mas tive que mandar Mac-Coy faz alguns dias, mas até agora eu não recebi respostas de ambos.

- Mano, parece meio louco... mas, você não pensa em quem sabe atacar?

- Com certeza e pegar nossos agentes de volta. E é claro, secretamente. Vamos tentar fazer isso longe dos olhos de Dr. Tan. Mesmo que estejamos na área dele.

- Sim. Parece que ele vai ter grandes problemas agora.

- A Hi-Def e a Riptide podem começar com isso? Eu vou passar essa missão para Li-

Em alguns segundos antes de Rasa terminar sua frase, Lima entrou no escritório.

- Oi Rasa, vai precisar de mim para alguma coisa?

- Como sabe disso? Não estava escutando atraz da porta, né?

Rasa deixou uma risada escapar e Lima também riu um pouco, um pouco corada:

- Não não! Eu apenas uma premonição. Eu sei o que quer fazer.

- Você pode comandar a Riptide e Hi-Def?

- Sim, eu vou chama-los agora mesmo.

Em poucos minutos Lima reuniu Emilia, Bodie, Glitch e Mo na DCI Headquarters, e na cidade a noite já tinha caído.

- Vocês devem estar se perguntando porque eu chamei vocês aqui. A missão é a seguinte: Após a primeira missão contra Dr. Tan, um dos agentes acabou sendo raptado e mesmo tentando rastrea-lo não tivemos sucesso. Nós mandamos Dare e ela também não manda sinais a um tempo, achamos que ela foi raptada também. Mac-Coy também foi para lá há alguns dias e conseguimos rastrea-lo mas antes disso, sem nenhuma dica sobre o doutor. O que vocês tem que fazer é ir até o local, descobrirem onde eles estão, e salvar eles. Mas eu ouvi por fontes que ele renovou a sua segurança então tenham cuidado!

Levem a Boomie! Boa sorte!

Existia na DCI uma outra máquina e que não era muito usada mais em casos de agentes sumidos era realizado o teletransporte nela, onde eles poderiam parar no local ou perto dele, e sabendo disso Lima colocou os quatro ali dentro, e Glitch segurava a Boomie e na viagem eles conversavam:

- Qual é, gente. Essa missão vai ser muito fácil! Nós buscamos Dare e o Coy como campeões e voltamos como vencedores!

- É, mas aquele velhote reforçou toda a segurança e eu não acho que vai ser amigável não.

- A Cherlock Emilia tá certa! A gente não tem que temer nada, Glitch.

- Parece que a gente tá chegando!

Todos acabam caindo em cima de um chão bem duro, um em cima do outro.

- Tão me esmangandooo, socorro!

Glitch estava com o rosto todo vermelho porque Bodie e Mo caíram em cima dele ao mesmo tempo. E Emilia fez um comentário disso rindo muito:

- Vai matar o garoto!

- Foi muito mal, Carinha!

Bodie completou Mo rindo e dizendo:

- Droga, a gente caiu em cima dele.

- Beleza aqui estamos! Agora, temos que chegar até lá embaixo sem ninguem nos ver!

Glitch tosse um pouco e se levanta como os outros.

- Tive uma ideia. Bodie você ainda tem aquela corda elastica? Vocês amarram ela em mim e eu desço até lá pelo chão. Bem... teto!

- Tá bem aqui!

Bodie tira do bolso uma corda preta com um suporte de borracha e amarra na barriga de Emilia com cuidado, agindo rápido, Mo pega uma adaga especial que cortava tudo e surpreendentemente aquele teto não era nada resistente, cortou como papel.

- Caras, me desçam devagar. Nem pensem em me deixarem se espatifar lá embaixo.

Ela estampou um sorriso de determinação enquanto os garotos, todos com as mãos na corda a deciam pelo buraco que Mo tinha feito.

Quando Emilia chegou lá dentro como uma ninja silenciosa, já pode ver câmeras espalhadas por todo o lugar e Dr. Tan só não atacou de imediato por estar bem ocupado. Dando colpes rápidos ela chutou todas as câmeras e não tinha nenhum

robô por ali. Ela colocou os pés no chão e puxou a corda duas vezes:

- A barra tá limpa.

Todos eles desceram.

- Tem muitas salas por aqui...precisamos nos espalhar de novo. Cada um pega um radio!

Como Bodie ordenou cada um ficou com um radio e eles se espalharam.

Em outro lugar Jay se perguntava quando aquela tortura iria acabar.

- É hora de outro teste, Jay!

Ele era analisado todos os dias da sua vida desde que foi raptado, de várias formas, e hoje era o dia em que Tan tentaria de qualquer modo roubar toda a "energia especial" que tinha no sangue de Jay. Tudo que ele podia ver e sentir eram as agulhas grossas, uma em cada pulso ligada a canos e de canos a uma bolsa como aquelas de soro, deitado naquela sala com luzes fortes e a maca fria de metal. A comida que ele recebia era escassa e dormir com dor realmente não era confortavel.

Dr. Tan se aproximou de Jay com um sorriso maldoso no rosto. Com suas mãos que mais pareciam garras, ele prende Jay pelas pernas na maca. Logo depois, pegou na bandeija de metal ao seu lado a agulha com o líquido que imobilizava Jay e a única coisa que ele podia fazer era deixar grunhidos de dor escaparem, as vezes gritos.

Curiosamente, o sangue de Jay não era vermelho, era azul, azul neon. Mas nem sempre ficava dessa cor, apenas quando algum tipo de força se ativava nele.

Mas Tan achou o que queria.

- Tudo está indo muito bem. Parece que seus colegas da DCI cansaram de te procurar Jay! E eu finalmente consegui aquela sua curiosa energia e sangue!

- Eu nunca perco a esperança, seu velhote desgraçado.... eu tenho filhos e eles irão vir atraz de você, acredite...

- Duvido muito! Eles provavelmente tem raiva do Pai que os abandonou.

Ele pegou a bolsa de sangue e a guardou numa geladeira, conectando o cano a outra bolsa.

- NÃO! Se eu pudesse me livrar daqui, você já estaria com a garganta cortada. Não do jeito literal mas....eu espero que meu sangue te cause um estrago enorme!

- Ah, vai. Mais não um estrago negativo!

Logo logo Dr. Tan aplicaria no momento certo aquilo que tirou de Jay em si mesmo. Aquele liquido era extremamente poderoso.

As equipes Riptide e Hi-Def estavam tendo sucesso sobre a missão. Acharam Dare e Mac-Coy em diferentes salas e dessa vez com um chip na nuca e não o capacete. O doutor havia progredido e muito, mas como tirariam aquilo da equipe D-Coy?!

Derrepente os 6 agentes escutaram vozes robotizadas e um som muito alto de sirene.

Robôs: Alerta! Agentes da DCI estão no prédio, Alerta!

- Em nome de Tan, vocês serão destruídos com sucesso.

Fazendo o característico "T" como sinal nos braços, Dare e Mac-Coy controlados pelo chip declararam uma briga a Bodie e Emilia.

- Não queríamos machucar vocês, mais é preciso!

Começou Bodie.

- Boomie, Get Low do Lil Jon.

Completou Emilia, com uma voz totalmente épica.

CONTINUA....


Notas Finais


Algumas coisas:
* O sangue do Jay (Jayden) é azul neon como o da foto, e não aparece na pele dele não kkkj
* Eu tava vendo algumas coisas sobre o Mo e o nome dele é Mason, não Montreal (O do Glitch é Jordan mesmo)
É isto ^ - ^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...