1. Spirit Fanfics >
  2. Dance Practice >
  3. Dois.

História Dance Practice - Capítulo 2


Escrita por: pr1soner

Notas do Autor


FINALMENTE!
Aí está a parte 2 e final. Sem enrolações, vamos direto para Jeongguk seme!

Capítulo 2 - Dois.


Jimin cerrou os olhos para Jungkook e sorriu, apalpando a parede às cegas e achando o interruptor, apagando a luz em seguida. Voltou com as mãos para a nuca do mais novo, afagando seus cabelos enquanto o sentia se acomodar em suas pernas — fazendo Jimin finalmente perceber que havia sentado no balcão —, envolvendo sua cintura com as mãos fortes. Park Jimin encarou a boca semiaberta do mais novo, prestando atenção em cada detalhe, querendo sentir aqueles lábios levemente rosados nos seus de novo.   

Jungkook percebeu a forma como o mais velho o fitava e sentiu-se surpreso com a tonelada de desejo que seu olhar possuía. A respiração se misturava. Jeongguk sentia o leve aroma de pasta de dente vindo da boca do mais velho, causando-lhe uma sensação boa na pele. Mas ele não se moveu; esperaria Jimin tomar a iniciativa.  

E ele o fez.  

O ruivo o puxou pela blusa e encostou os lábios vagarosamente nos do outro, abrindo a boca alheia com a sua, brincando e pedindo passagem com a língua de forma sedutora enquanto Jungkook cedia facilmente, fechando os olhos assim que o contato foi feito. Firmou mais os lábios e iniciou um beijo lento, passando a língua com calma na outra e sentindo o moreno apertar sua carne, o puxando para mais perto.  

— Como você faz isso? — Jimin sussurrou entre as bocas, sentindo Jungkook suspirar com o afastamento.

— Isso o quê? — o mais novo levou os dedos para baixo da blusa do ruivo novamente, passando as unhas curtas em toda a sua extensão enquanto parava o beijo com uma mordida no lábio, arrastando-o com os dentes. Pressionou o quadril no do mais velho e encostou ambos os membros, causando um leve atrito entre eles. Jimin gemeu baixinho, de uma maneira quase inaudível. 

— Exatamente isso... — ele se referiu ao gemido, sorrindo envergonhado logo depois. — me deixa tão submisso de uma hora para a outra.

Jungkook desceu os lábios para seu pescoço, selando a boca na pele sensível enquanto roçava na região, causando frios involuntários na espinha de Park Jimin.  

Eu não consigo te tirar da cabeça, sabia disso, hyung? — Jungkook sussurrou, fazendo cócegas com o hálito no pescoço do mais velho — Desde aquele dia... que droga, Jimin, o que você fez comigo? — ele praguejou brevemente, descendo as mãos e apertando as nádegas com firmeza. — A todo segundo você me faz pensar em como deve ser te possuir, entrar em você... te ter submisso à mim, — ele riu baixo contra a pele do mais velho, o arrepiando por inteiro. — e isso me deixa ainda mais viciado em você.  

As palavras de Jeongguk atravessaram a epiderme de Jimin, fazendo-o fechar os olhos com força enquanto sentia uma corrente elétrica se alojar em seu sistema nervoso. Ele se sentia endurecer a cada sílaba pronunciada.

— Achei que tivesse dito que nunca tinha feito isso antes — o ruivo disse baixo, sentindo os dentes de Jungkook roçarem devagar no seu pescoço. O mais novo riu.

— Eu disse que nunca tinha dado pra ninguém.  

Aquelas palavras atingiram Jimin, fazendo uma pontada de ciúme surgir mas logo ir embora assim que sentiu Jungkook apertando suas coxas enquanto mordia o lóbulo da sua orelha, brincando com o piercing que existia ali.

Ele era cheio de surpresas, afinal.  

Jeongguk continuou a trilha de beijos até a clavícula do mais velho, se incomodando com o excesso de pano que ainda havia entre os dois.

— Tire a camisa. — Jeon soou necessitado, enquanto era acompanhado por um olhar curioso.  

— Não quer fazer isso por mim? — o mais velho arqueou uma sobrancelha, em tom sugestivo.

Jeongguk sorriu de lado e olhou para baixo — diretamente para calça de Park Jimin —, onde o volume já era perceptível.

— Prefiro cuidar de outra parte. — Jeon mordeu o lábio inferior e voltou a encarar o mais velho, que podia jurar sentir a pele pegando fogo.  

Sem mais espera, Jimin segurou  a barra da própria blusa e passou cabeça, revelando logo mais abaixo seu abdome definido, fazendo Jeon engolir em seco e passar a língua nos lábios. O mais novo se perguntava como que havia conseguido ficar tanto tempo perto do mais velho sem camisa naquele dia do ensaio. Que visão pecaminosa ele era.

Sentindo o triplo de necessidade, Jungkook atacou os lábios fartos de Jimin novamente, mordendo com força o inferior quando sentiu Jimin apalpar suas nádegas e aperta-las, deixando Jungkook imediatamente duro quando seu quadril foi de encontro com o do mais velho. Jimin gemeu de forma arrastada quando sentiu Jeon se movimentar em seu membro, fazendo movimentos para baixo e para cima entre suas pernas, o fazendo se segurar com força na camisa do mais novo. Quem olhasse de fora, veria claramente Jeongguk investindo em Jimin ainda de roupas, simulando uma penetração.   

Aquele era o cúmulo.  

Meio trêmulo e extremamente desesperado, Jimin segurou a blusa de Jungkook e a puxou pra cima, fazendo-o relembrar de todas as pintinhas minúsculas que o maknae possuía no peito. Seu desejo era beijar cada uma delas, mas sua necessidade falava mais alto. Colou sua pele na do mais novo novamente, ambos os peitos unidos agora, e enlaçou as pernas em sua cintura, obrigando Jungkook a senti-lo, querendo o ouvir gemer nem que fosse apenas em seu ouvido. Mas quem acabou gemendo foi ele.

— Shhh, hyung. Alguém pode nos ouvir. — Jeon disse entre a pele do mais velho, enquanto acariciava seu pênis ainda por cima da calça, observando a cabeça do ruivo pender para trás.

Jungkook parou por uns sgundos e se concentrou nas roupas de Jimin, querendo tirar todas elas rapidamente. Aquela não era uma boa noite para provocações. Colocou os dedos por dentro da calça do mais velho e a desceu pelas coxas do mesmo, enquanto o ruivo levantava o quadril para facilitar o trabalho, tão ansioso quando o outro.  

Estando livre das calças, Jimin observou o mais novo o encarando como se fosse devora-lo. E ele gostou disso. Jungkook se reaproximou rapidamente, enterrando mais uma vez o rosto no pescoço do mais velho, enquanto dirigia a mão para parte interna de suas coxas.  

— Você é fodidamente gostoso, Park Jimin. — Jungkook sussurrou outra vez na noite.  

Jimin sentiu os dedos quentes de Jungkook em uma região mais do que perigosa de suas pernas, subindo cada vez mais e parando somente quando a mão cobria totalmente seu membro. Ele soltou um grunhido ao perceber o quanto estava excitado sem Jungkook precisar fazer muita coisa.  

O mais novo venceu os limites da boxer e tocou no ruivo, segurando todo o seu membro com a mão, iniciando uma carícia leve e vagarosa de sobe e desce.

— Jeon... que inferno, não tão devagar... — o mais velho mordeu o lábio inferior, agoniado com a demora do mais novo.

— E qual vai ser a graça se acabar rápido demais? — ele sustentou o olhar no do mais velho, observando-o fechar os olhos por causa dos toques.   

Jimin estava prestes a gemer quando sentiu a boca do mais novo colada na sua novamente, sugando seu lábio inferior enquanto o sentia passar o polegar em sua glande, fazendo uma de suas pernas ter um pequeno espasmo. Gemeu nos lábios de Jungkook e desceu os dedos trêmulos até sua calça, descendo-a até os joelhos do maknae. Sem esperar muito mais, tocou Jungkook por cima da cueca, o acariciando de forma sedutora enquanto o sentia arfar e endurecer em sua mão, aumentando a velocidade de seu aperto no membro do mais velho. Jimin sorriu satisfeito e extasiado e, sem o mais novo esperar, segurou o pênis do Jungkook, o masturbando de maneira rápida, querendo mostrar o quanto precisava dos toques dele daquela maneira.

No segundo seguinte, ambos masturbavam o outro ao mesmo tempo, mantendo os olhares fixos, por mais difícil que fosse.

Jimin respirava com dificuldade enquanto observava os lábios entreabertos de Jeon a sua frente, o pedindo silenciosamente para que continuasse — mas não por muito tempo. Ainda haviam coisas importantes a fazer.

— Eu quero você. Agora. — Jimin soou desesperado, sentindo o pré-gozo do mais novo espalhar-se em seus dedos. Ele parou imediatamente as carícias, sendo seguido por Jeongguk.

Jimin abaixou totalmente a boxer de Jungkook, livrando-se daquele último maldito pedaço de pano. Ele precisava do corpo do mais novo totalmente grudado ao seu novamente, sem nenhuma interrupção.

Segurando com força as coxas do mais velho e colando os lábios no seu de novo, Jungkook desceu Jimin do balcão, fazendo seus pés tocarem novamente o chão. Jeon rapidamente voltou a colar no corpo do mais velho, friccionando os membros rígidos enquanto o beijava uma última vez antes de virá-lo de costas, o deixando de cotovelos apoiados no mármore frio.  

— Você sabe que não podemos fazer barulho, não é? — Jungkook sussurrou acima de Jimin, tendo uma bela visão —mesmo no escuro — de suas costas totalmente nuas.   

O mais velho assentiu, fechando os olhos brevemente, sabendo que doeria por causa da falta de preparo, apesar da sua vontade de sentir o mais novo ser maior.  

Jungkook passou os dedos pelas costelas de mais velho, contemplando sua vista. Sempre imaginou Park Jimin naquela posição para ele, mas nunca pensou que pudesse ser tão prazeroso apenas olhar. Ele parou as mãos na cintura do ruivo, segurando com firmeza enquanto direcionava o pênis para sua entrada, sujando-a com todo o seu líquido já expelido. Jeon forçou a ponta para dentro, arfando ao sentir as paredes internas de Jimin apertando seu pênis enquanto o enfiava por inteiro. Levantou a cabeça e soltou o ar dos pulmões pela boca, emitindo um som totalmente erótico.  

Jimin mordeu o lábio inferior quanto sentiu a invasão, apertando os dedos no mármore gelado enquanto a sensação de ser rasgado ao meio lhe dominava. A princípio, não era tão bom assim, mas ele sabia que Jungkook faria valer a pena. Ele sempre fazia.

Jeongguk, após terminar de se acomodar e dar um tempo para o mais velho se acostumar com a dor, movimentou-se bem lentamente, retirando seu pênis pela metade e colocando outra vez, observando Jimin arquear as costas e gemer, direcionando a própria mão para a boca em seguida.

Aquela era, certamente, a melhor visão que Jeongguk poderia ter.

Com a primeira estocada, Jimin fechou os olhos com firmeza, sentindo Jungkook ir fundo dentro de si e forçando a não gritar.   

E foi quando ouviram o barulho de uma porta abrindo, que pararam tudo o que estavam fazendo.  

Jungkook sentiu o coração pular e saiu do mais velho rapidamente, puxando Jimin — ainda sem entender muita coisa — para se esconder entre o armário e o balcão. Ouviram passos lentos até a cozinha, e logo em seguida, o som da geladeira se abrindo. Jungkook, mesmo nervoso, ainda sentia uma vontade enorme de se aliviar, e ter Park Jimin na sua frente com os cabelos bagunçados e as mãos apertando seus ombros não estava ajudando muito. 

A mão de Jungkook foi diretamente ao pênis de Jimin, circulando sua glande com o polegar enquanto via o mais velho morder o lábio inferior com força, sabendo que provavelmente o xingaria mais tarde por estar o torturando daquela maneira. Eles poderiam ser pegos por qualquer deslize.

Inclusive pelas roupas jogadas no canto do balcão.  

Mesmo assim, ainda acho que deveríamos começar a ensaiar desde agora... — uma voz, provavelmente Seokjin, distante ecoava na cozinha escura, fazendo o nervosismo de Jimin crescer a cada vez mais. Apertou os ombros de Jungkook, sentindo-se prestes a explodir com as carícias deliciosas que o mais novo fazia. A sensação de saber que aquilo era errado o deixava mais excitado.

— Ainda há tempo, esse evento é daqui a um mês... — uma segunda voz, ao que parecia ser Namjoon, se fez presente. — Quando acordarmos, de manhã, avisamos à eles.

Jimin ouviu Seokjin fazer piada, ao que parecia, com o fato de ''já estarem acordados'', enquanto caminhavam até a pequena sala de estar e se sentando no sofá, mas tudo pareceu um borrão quando Jeongguk parou o que fazia e pegou Jimin no colo, cruzando as pernas do mais novo em sua cintura e o apoiando na parede, o beijando de forma faminta logo depois. Sua língua travava batalha com a outra, parecendo brigar pelo mesmo espaço. Seus dedos apertaram as coxas do ruivo enquanto perigosamente direcionava seu membro para a entrada do mais velho, o ouvindo sussurrar um ''não''.

— Espera eles saírem... — Jimin tentou soar convincente, mas tudo indicava que ele permanecia preocupado.

E Jeongguk? Bem, ele não deu ouvidos.

O moreno dirigiu os lábios para a boca inchada do ruivo novamente, apenas encostando ao dizer:

— Se eu não foder você agora, não vou foder mais. — Jeon sussurrou, fazendo ambos os lábios roçarem. — É isso o que você quer, Jimminie-hyung?

Jimin negou com a cabeça, tentando vencer a vontade incontrolável de beijar o garoto em sua frente.

— Além do mais, — Jeongguk apertou-se mais contra o corpo de Jimin, o ouvindo gemer quando forçou sua glande para dentro — você não faz ideia do quanto eu quero comer você agora.

— Jungkook... não faz is...  

O corpo inteiro de Park Jimin se sentiu estremecer quando Jungkook o invadiu de uma só vez, apertando suas pernas com força enquanto fundia totalmente no mais velho, o fazendo bater as costas na parede. O ruivo mordeu o lábio inferior tentando conter o gemido, mas quando sentiu Jungkook estocar fundo e sem aviso prévio, gemeu da forma mais ''alta'' que aquele momento pedia, sentindo a mão quente de Jungkook tampar sua boca.

— Eu não posso ficar com a mão na sua boca enquanto tento te segurar, hyung. — Jeon advertiu, sem parar as estocadas, vendo pequenas lágrimas brotarem nos olhos fechados do mais velho. Ele sorriu de lado. — Você quer que eu pare?

— Não! — Jimin choramingou quase que imediatamente, se lembrando de que não poderia mais aumentar o tom de voz.

— Então quietinho.

Jeongguk voltou a segurar a cintura do mais velho com as duas mãos, encarando-o sem desviar o olhar um segundo sequer. Ele não conseguia aguentar mais. O estocou pela quarta vez com força, rangendo os dentes e amaldiçoando a presença dos outros dois a alguns metros de distância, o impedindo de gemer da forma que queria.   

E, é claro, ouvir Jimin gemer da forma que ele queria.  

O ruivo mordeu novamente o lábio já dormente, o castigando ainda mais enquanto se segurava no mais novo, subindo e descendo do jeito que conseguia em seu membro. Sentiu seu ventre formigar e direcionou o rosto para o pescoço do garoto à frente, sentindo seu cheiro enquanto Jungkook investia ferozmente.

Ele enlouqueceria a qualquer momento.  

Segurou os cabelos da nuca do mais novo e os apertou, gemendo baixinho em seu ouvido quando o sentiu acertar sua próstata. Jimin pôde sentir Jungkook se estremecer por completo ao ouvi-lo gemer de forma tão erótica.

Um som de cadeira sendo arrastada os acordou do transe. Jungkook tratou de diminuir o ritmo — contra o seu querer —, sabendo que o dono das unhas que arranharam seu ombro não havia aprovado a sua ação.

— ... até porque está tarde demais. Vamos deitar, podemos ver isso tudo amanhã. — a voz de Namjoon se fez mais perto.

Jungkook subiu uma mão novamente para boca de Jimin e, logo depois de cobri-la, estocou forte na próstata de Jimin uma vez, o sentindo morder seu dedo indicador. Estocou pela segunda, ainda ouvindo as vozes tão de perto, mas que pareciam distantes ao seu ouvido.  

Jimin se sentia prestes a explodir entre os dois a qualquer momento, querendo gritar, se debater mesmo sabendo que não podia. Mas quando o glorioso som de uma porta sendo fechada ecoou pelo corredor, ele arfou alto, sentindo a barriga de Jungkook roçar em seu membro enquanto metia nele sem piedade alguma, acertando sua próstata varias vezes seguidas.

Jungkook sentia as pernas formigarem, os braços doerem, e mesmo assim não parou. Queria ver Jimin gozando na sua frente.

Jungk...ah! — Jungkook, arfante, observou o mais velho direcionar a mão para o próprio pênis, querendo aliviar-se o mais rápido possível. O moreno o impediu, segurando seu pulso com uma das mãos enquanto o forçava mais na parede para continuar o suspendendo. 

— Jeon... por favor... — Jimin gemeu de forma manhosa, contorcendo o corpo enquanto sentia o moreno segurar seu membro, permanecendo imóvel. Todos os músculos de Jimin reagiram àquele singelo toque, o fazendo ir à loucura. Ele já sabia o que o mais novo queria ouvir. 

— Me toca, Jeon. — ele disse, segurando a mão do moreno com a sua. - Eu quero que você me toque.

 Obedecendo quase inconscientemente, Jungkook começou a masturba-lo, com pressa. O membro molhado de Jimin escorregava na palma da sua mão, fazendo o ruivo revirar os olhos por baixo das pálpebras e soltar o ar presente nos pulmões, sentindo que seu limite estava por vir.   

 Não demorou muito para Jimin se desfazer na mão de Jungkook, o fazendo gemer o nome do mais novo como uma súplica, deixando o outro se deliciar com o som saindo da garganta do outro.  

No momento em que Jimin atingiu seu orgasmo, Jeongguk sentiu as paredes internas apertarem seu membro com força, o fazendo não precisar estocar mais de duas vezes para atingir seu limite também, gemendo ruidosamente no ombro de Park Jimin.  

Os dois foram ao chão; Jungkook acabou por apoiar as costas na parede, trazendo o ruivo — ainda mole — para seu colo, ambos sujos e ainda ofegantes demais para conversar por dez minutos. Estavam exaustos.

— Em qual quarto estão suas coisas? — Jimin foi o primeiro a se pronunciar, quebrando o silêncio entre os dois.  

— Suga-hyung. Por que? — o moreno levou as mãos para o cabelo de Jimin, o acariciando. 

— Dorme comigo hoje? Estou sozinho. — Jimin sorriu — Taehyung foi para o quarto de Hoseok.

Ambos riram com aquela frase sugestiva, mas Jeongguk logo o encarou e assentiu.

— Claro que eu durmo. Mas agora, nós realmente precisamos de um banho. — fez menção de levantar, sendo acompanhado pelo mais velho. 

Recolheram as roupas jogadas no chão e foram em direção ao banheiro, ainda nus. E de mãos dadas.  

                        

                                                                              

 

Jimin afundou em seu travesseiro assim que voltou do banho, sentindo-se estranhamente feliz. Olhou para o teto e sorriu com as lembranças de minutos atrás, um frio enorme correndo em sua espinha.

Ele tinha Jeongguk e, ele esperava, só para ele.

Fechou os olhos e deixou a exaustão tomar conta do seu corpo, o deixando completamente mole. Foi quando Jungkook entrou no quarto, o leve aroma de sabonete se alojando no recinto. 

O colchão afundou nas laterais e Jimin abriu os olhos, observando o mais novo engatinhar até o seu lado e deitar-se de frente para ele, os cabelos úmidos devido ao que tinham feito também durante o banho, sem aguentar a presença um do outro sem roupa.

Jimin subiu o travesseiro, apoiando agora as costas nele, e fez sinal com os dedos para Jeon se aproximar mais. O mais novo sorriu e cedeu, indo em direção ao peito do ruivo e descansando a cabeça ali, envolvendo sua cintura com o braço enquanto sentia o outro afagar seus cabelos, fazendo um carinho singelo. 

— O que é isso que estou sentindo, hyung? — Jeon perguntou, sua voz sendo o único barulho com o ar condicionado.

Jimin não soube o que responder. Apenas apertou o mais novo em seus braços e suspirou, sabendo claramente do que ele falava. 

— Eu não sei, Jungkookie... — ele disse, simplista. — eu não sei.

Jungkook fechou os olhos e beijou o peito do mais velho, distraidamente. A sensação de estar ali com Jimin o causava borboletas no estômago o tempo inteiro.  

— Eu estou com medo de falar cedo demais. — o moreno segurou a blusa do mais velho, apertando com os dedos enquanto sentia seu cheiro. 

— Não precisa dizer agora... — Jimin entendeu o mais novo, enterrando o rosto em seus cabelos e embriagando-se com o aroma natural. — Park Jimin percebeu seu coração acelerar com a necessidade de tirar aquilo do peito mas, com coragem o suficiente, deixou a voz sair: — mas eu acho que te amo, Jeon.

Jeongguk paralisou.

Os olhos se arregalaram com a surpresa das palavras, fazendo minutos passarem sem ele dizer nada.  

Sentiu o mais velho se acomodar para dormir acima de si, lhe sussurrando um ''boa noite'' antes de fechar os olhos e se aprofundar naquele sono, deixando o mais novo para trás, desperto demais para pregar os olhos. Jungkook ergueu a cabeça e encarou o garoto de lábios grossos, se perguntando como tal beleza era capaz de ser exposta nesse mundo.  

Eu acho que te amo, hyung. — Ele disse contra os lábios do mais velho, sentindo-se aliviado. Sorriu timidamente e roçou sua boca na dele, apenas o suficiente para dizer as últimas palavras daquela noite: — Mas não se preocupe. Eu prometo lhe contar assim que você abrir os olhos.

 


Notas Finais


ATÉ QUE ENFIM CONSEGUI!
Obrigada por ter lido até aqui, eu particularmente amei esse capítulo *~*
Aviso aos navegantes: a próxima será chanbaek! E Rebecca, isso é tudo culpa sua por ter me perturbado tanto.

Meu twitter pra caso alguém queira me xingar, mandar hate ou elogiar é @jeonlogic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...