1. Spirit Fanfics >
  2. Dance with me - Vmin (BTS) >
  3. Lar (nada) doce lar

História Dance with me - Vmin (BTS) - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Lar (nada) doce lar


Fanfic / Fanfiction Dance with me - Vmin (BTS) - Capítulo 14 - Lar (nada) doce lar

Kim Taehyung acordou com um barulho alto vindo de seu celular. Identificou sem demora devido ao som único da risada de Choi Minho — membro do seu grupo favorito de K-pop — que havia colocado como alarme e toque para chamada. Ao pegar o celular e levantar com cautela do colchão, para que não acordasse Jimin, olhou para o visor e suspirou ao ver o nome de seu pai. Ele não só havia respondido a mensagem com um curto e grosso "abra a porta", como também havia ligado dezenas de vezes, porém apenas daquela Taehyung acordara.

— Pai? — disse em um tom de voz falsamente calmo. Taehyung estava amedrontado por dentro.

— Eu lhe enviei uma mensagem há trinta minutos. Estou te esperando do lado de fora do seu dormitório faz tempo! — respondeu Jungsik em um tom severo, diferente do filho.

— Me desculpe, vou abrir.

Encerrou a chamada por ali. Desde pequeno Taehyung aprendeu a nunca ousar levantar a voz para o pai, aquilo jamais poderia sequer passar pela sua cabeça.

Ao colocar o smartphone sobre a mesa da cozinha, o Kim mais novo caminhou até a porta.

— Meu carro está nos esperando lá embaixo. Desça — Jungsik disse antes mesmo que Taehyung pudesse abrir a boca.

— Mas… — Tentou começar.

— Sem "mas"! — Cortou o mais novo e se pôs a falar. — Eu cansei da sua falta de responsabilidade, Kim Taehyung. Venha, agora. — Vociferou enquanto fazia menção a bater nos ombros do filho. O Kim mais novo apenas caminhou até seu celular, o pegou e saiu com cuidado do dormitório.

Taehyung caminhou em silêncio até o carro do pai enquanto o ouvia resmungar. Ao entrar no veículo, aproveitou enquanto Jungsik se matinha distraído mexendo no rádio e xingando aquele aparelho "inútil" — de acordo com o próprio homem — para enviar uma mensagem a Jimin.

"Jiminnie hyung, eu tive que sair. Não sei quando volto! Espero que tenha um bom dia <3"

Pensou bem antes de colocar o coração. Não queria parecer bobo demais, porém acabou o deixando ali, por fim. Enviou a mensagem e bloqueou a tela do celular, o colocando sobre o próprio colo em seguida.

Taehyung não sabia para onde estava sendo levado, apenas percebeu que se tratava da própria casa quando reconheceu o lago que havia perto do lote. Pai e filho saíram do carro e seguiram em silêncio até dentro da sala de reuniões do Kim mais velho.

— Você vai me explicar ou vou ter que tirar as palavras da sua boca? — Começou Jungsik assim que Taehyung se sentou a sua frente.

— Me desculpe, pai. Eu estava muito estressado com a seleção, imaginei que seria bom me distrair — Taehyung disse.

— Se distrair? Você é meu filho, acha que tem tempo para se distrair? Taehyung, você está com seu futuro nas mãos, mas parece que vai amassar ele e o jogar na lata de lixo — disse aumentando o tom de voz aos poucos. — Eu não vou aturar isso mais. Você é um mimado! — Vociferou.

Taehyung ouviu aquelas palavras repetidas vezes em sua cabeça. "Mimado". Quando? Quando havia se tornado aquilo? Será que Jungsik poderia responder tal pergunta? QUANDO? Taehyung nunca havia sido mimado por ninguém ao seu redor, além de sua tia. Desde pequeno sentiu falta de carinho e amor familiar. Quando havia se tornado um mimado? No momento em que abriu mão de um final de semana livre de preocupações, apenas para de sentir mais leve?

Pensou em responder aquilo, mas no fim optou por se calar. Nada que dissesse pareceria certo aos olhos de Jungsik, então não havia motivos para sequer tentar.

— Me desculpe — disse Taehyung finalmente, mantendo as aparências e abaixando a cabeça.

— Não, Taehyung! Não é apenas com um pedido de desculpas que irá se redimir. Eu tomei a decisão e a partir de agora seus treinos voltarão a ser monitorados, até que a seleção ocorra e que tome jeito.

Taehyung rapidamente levantou a cabeça. Monitorado? Por quem?

— Mas, pai… — Tentou.

— Não, Taehyung! Eu já disse, a decisão está tomada! Kim Namjoon treinará com você aos fins de semana, como sempre foi. Você fará um diário de treinamento até a data da seleção e tudo será passado para mim. E se isso não for capaz de fazer você ser um dos meus, então eu mesmo terei que te dar um jeito.

• • •

— Hyung, eu disse que não precisa me acompanhar até lá. Eu faço terapia há muito tempo… — Jungkook dizia enquanto Taemin arrumava a corrente da bicicleta. — E, aliás, é seu último dia livre.

— Essa coisa sempre solta. — Lee resmungava, mas sorriu assim que percebeu que finalmente conseguira atingir seu objetivo de arrumar a corrente da bicicleta. — Pronto — falou ao se levantar. — E sobre o que disse… Eu faço questão de ir! Você é meu amigo, quero fazer algo por você. Vai ser legal passarmos meu último dia liberto da universidade juntos.

— Você já faz muito por mim… — Desviou o olhar até as mãos de Lee, que estavam vermelhas devido ao esforço, e também sujas.

— Isso não é nada. — Taemin esconde os braços atrás do próprio tronco. — Vamos, anda logo e sobe nesta coisa.

Jungkook deixou uma risada escapar de seus lábios ao notar a relutância do mais velho, porém não demorou a fazer o que lhe havia sido pedido. Jeon teve coragem de contar para Taemin sobre sua ansiedade apenas algum tempo depois de se conhecerem, logo que Lee revelou notar uma diferença no comportamento do mais novo. Jungkook tinha certeza de que seria bom contar para mais alguém, mostrar sua verdadeira face a alguém, e não confiava fielmente em nenhuma outra pessoa a não ser Taehyung e Taemin.

Logo após Jungkook finalizar seu atendimento e se despedir de Taeho, seguiu com seu hyung até um restaurante próximo.

— Jin's WWH — Jungkook repetiu o nome do restaurante enquanto olhava em volta. O ambiente era muito bonito.

— Eu gosto muito deste lugar — disse Taemin enquanto caminhava até uma das mesas. Costumava ir muito naquele restaurante junto de Jimin, conhecia bem o local.

— Você vem muito aqui? — Jungkook se sentou e arrumou a postura. Taemin sorriu, era fofo.

— É a primeira vez que venho após um longo tempo.

— Hm, só de olhar para esse cardápio eu já sinto fome — Jungkook disse enquanto admirava cada prato do cardápio, quase chegava a salivar.

— Pode escolher alguma coisa que goste, eu pago — disse Lee.

— Uau… — Jungkook sorriu. — Isso é muito gentil, mas espero que não esteja flertando! Comida não me convence. Ou talvez sim, só um pouco…

Taemin soltou uma risada e negou com a cabeça.

— Não estou — disse seguro e piscou um dos olhos.

— Certo.

Jungkook levantou um dos dedos e fez seu pedido, junto de Taemin. Não demorou muito para que a comida chegasse e ambos caíram de boca naquele monte de coisas deliciosas. Como Jungkook ainda estava no ensino médio, beberam somente um refrigerante e conversaram sobre diversas coisas. A diversão era garantida enquanto estavam ao lado um do outro.

— E depois que eu sai do banheiro, fiquei caminhando com um pedaço de papel agarrado no sapato até o final do período. — Jungkook finalizou sua história enquanto observava Taemin rir aos montes. Não se conteve e acabou por ceder, acompanhando o amigo.

— Você é muito doido — disse Lee.

— Ei! Não ria, eu fui caçoado naquela época. — Fez um bico manhoso com os lábios.

— OK, sinto muito — disse Lee enquanto parava aos poucos de rir.

— Nossa, passou muito rápido o tempo, acho que preciso ir para casa — Jungkook falou após olhar para o celular. — Quer carona na bicicleta?

— Não, está tudo bem. — Sorriu. — A universidade não é muito longe daqui.

— Tudo bem. Tome cuidado no caminho! Tchau, hyung! — se levantou e acenou, caminhando até a saída do lugar e chegando perto de sua bicicleta.

Ao destravar seu veículo, Jungkook sentiu algo lhe atingir, que na verdade descobriu ser alguém após se virar para olhar.

— Me desculpe! Eu atingi você? — A moça balançava as mãos no ar parecendo procurar o corpo atingido.

— Está tudo bem, não me machuquei. Precisa de ajuda? Parece perdida.

— Na verdade, eu estou. Eu uso óculos, mas fui assaltada poucos segundos atrás e eles acabaram quebrando. Não consigo enxergar bem sem eles, por isso te atingi — falou em um tom bem apreensivo.

Jungkook pensou por alguns segundos, até chegar em uma solução.

— Eu posso acompanhar você até o ponto de ônibus mais perto. — disse o rapaz.

— Faria isso? — perguntou sorridente e aliviada a menina.

— Claro. — Sorriu. — A propósito… Qual é seu nome?

— Me chamo Kim Chungha — respondeu a garota.

— Sou Jeon Jungkook. Venha, vou te ajudar.

• • •

Taehyung encarava o rosto de seu pai enquanto pensava nas palavras ditas por ele anteriormente. A senhora Jeon havia convidado o Kim mais novo para tomar café da manhã "em família" e disse em alto e bom som que não aceitaria "não" como resposta. O clima não era dos melhores e Taehyung até mesmo pensava em levantar daquela cadeira e correr para fora, mas desistiu após ouvir o barulho de algo abrindo.

Jungkook entrou pela porta principal e caminhou até a mesa enquanto se desculpava pelo atraso. A sessão de terapia havia acabado rápido, porém alguns imprevistos — e o café da manhã junto de Taemin — acabaram atrasando o garoto.

— Filho? Demorou hoje. Sente-se — disse a senhora Jeon.

— Obrigado, mãe, mas já comi — disse Jungkook. — Hyung, posso falar com você?

"Fui salvo", pensou Taehyung.

— Claro — se levantou rápido e caminhou para fora da sala de jantar, seguindo Jungkook.

Ao entrarem no quarto de Jeon, Taehyung se sentou sobre a cama e suspirou aliviado.

— Salvei sua pele — disse risonho o mais novo e Kim concordou enquanto também ria baixinho.

— Obrigado por isso — disse e juntou as mãos, ainda risonho. — Como você está? — perguntou Kim.

— Bem. Não tive nenhuma outra crise depois daquela! Me sinto um pouco mais leve agora. — Sorriu.

— Me sinto feliz ouvindo isso — disse o hyung em um tom aliviado.

— E você? Quer me falar o que veio fazer aqui? — perguntou Jeon em tom manso, não queria parecer intrometido.

— O de sempre, sabe? Ele agiu de forma seca e agiu como se eu estivesse errado. — Jungkook suspirou ao ouvir as palavras do hyung. — Bem, que tal a gente conversar por mensagem? Eu preciso ir.

— Tudo bem! Até mais tarde. E não se esqueça de me mandar mensagem — disse Jungkook.

— Eu prometo que vou me lembrar.

Taehyung se levantou da cama e virou para o mais novo. Os dois sorriram um para o outro e se despediram. Como estavam bem mais próximos, até se abraçaram por um longe período.

Kim saiu da casa de Jungsik com alguns pensamentos lhe rondando. Por um lado, se sentia ofendido ao ter sido chamado de mimado, e também ao notar que Jungsik ainda lhe via apenas como lutador, e não como filho. Por outro, não ficou irritado com a noticia de ter Namjoon novamente ao seu lado, estava feliz com aquilo já que sentia falta do homem.

Estava dividido, muito dividido, porém de uma coisa tinha certeza absoluta: se antes já não era fácil, dali para frente seria ainda pior.

Ao chegar no dormitório, a primeira coisa que fez foi mandar mensagem para Jungkook e seguir até seu armário. Jimin provavelmente estava no banho, então Taehyung pegou sua bolsa, deixou um bilhete em cima da mesa e saiu. Mais um dia de treinamento se iniciaria… Daquela forma que aproveitaria o último dia sem aulas: treinando.


Notas Finais


Minha ícone entrou na história #ChunghaQueen 😔

Olá, babes! O que acharam desse capítulo? E da participação da Chungha :3? Ela é minha solo utt, minha paixão (junto do Hoseok, jisung e... Do Minho KKK) eu gosto de colocar meus utts na história 😔👉👈

Bom, espero que tenham gostado! ^^

📍Twitter: @hxby_
📍Instagram: @yascoim
📍Wattpad: mochiy_


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...