História Dancing in the moonligh - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias It: A Coisa
Personagens Benjamin "Ben" Hanscom, Beverly "Bev" Marsh, Edward "Eddie" Kaspbrak, Georgie Denbrough, Henry Bowers, Michael "Mike" Hanlon, Pennywise - o Palhaço Dançarino ("A Coisa"), Personagens Originais, Richard "Richie" Tozier, Stanley "Stan" Uris, William "Bill" Denbrough
Tags Castit, Finn, Finnwolfhard, Itacoisa, Itcast, Richie, Richietozier, Tozier, Wolfhard
Visualizações 5
Palavras 1.635
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Mistério, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Primeira fic no spirit vei, scrr

Para esta fanfic, eu me inspirei na música de Grace Vanderwall, Moonlight. A tradução, acho que combina perfeitamente Richard falando com Alisson, se encaixou bem com minha fanfic.

1. Todos os personagens — com excessão de Alisson Borning — Foram criados por Stephan King, a única que eu criei foi Alisson;

2. Eu vou procurar ser fiel tanto ao livro quanto ao filme, por isso, em alguns momentos eu vou reescrever — Com minhas palavras, sem copiar do livro — Acontecimentos do Filme e do Livro;

3. Esta Fanfic tem a intenção de acrescentar um personagem à mais na história — Você/alisson — Por isso, a base é o romance entre Rich e Ali, porém também terão ocorridos dos outros personagens;

4. Comentem todo o tipo de coisa, podem ser aleatórios ou críticos, qualquer comentário me incentiva à continuar;

5. Galera, procurem realmente ver a tradução da música acima pois terão frases fofas ao longo da fic vindas dela;

6. Então, se você pretende ler o livro de Stephan King "it" Não fique com receio de que aqui contenha spoilers, pois como eu disse, eu reescrevo com minhas palavras e com uma personagem à mais, por tanto, de uma forma ou outra, óbvio que está diferente do livro de alguma forma;

7. Como todos sabemos, plágio é crime!!! Esteja ciente disso.

8- está fanfic, agora, está disponível no spirit e no wattpad

Capítulo 1 - One


Fanfic / Fanfiction Dancing in the moonligh - Capítulo 1 - One

[✧ 1 ✧] 

Alisson era a garota morena, de olhos tão castanhos que, às vezes, aparentavam ser meio avermelhados à luz do sol, de boca rosada carnuda e um sorriso intenso.

Alisson Borning tomava um banho relaxante de banheira, despejando a água quente por todo seu corpo, brincando com as bolhas de sabão que ali se formavam.

Hoje Alisson iria passar na casa de Beverly, sua melhor amiga, para buscá-la, assim indo para a escola juntas. 

Borning pensava em tudo que teria de fazer hoje naquela relaxante banheira branca de seu banheiro. Primeiro ela buscaria Bev; Depois iria para a escola, o lugar considerado um inferno para Ali e Beverly, onde Borning era chamada de drogada (Pelo fato de sempre estar com as pálpebras leves, mas é apenas seu jeito) e Bad liar (já que mente bem para se safar de encrencas). Já Bev era chamada de Vadia por beijar Bill, o garoto gago, em uma peça da escola; Então ela teria química e iria sentar-se em dupla com seu melhor amigo: Eddie Kaspbrak; Na terceira aula ela teria sua primeira aula com Beverly, a de Inglês; Logo depois seria o intervalo de trinta minutos; As duas últimas aulas seriam com Beverly também E por último, seu favorito, suas aulas de dança, nas quais ela era muito boa e se esforçava cada vez mais.

Alisson Borning era super estudiosa, por isso se dava bem com Eddie Kaspbrak que, sempre fora seu melhor amigo. Ambos até já tinham se visitado alguns fins de semana, a mãe do Kaspbrak gostava da amizade de ambos. Mas, apesar de amigos, Alisson não falava com os outros otários e os otários nem sabiam da amizade dos dois. Não por ambos esconderem, apenas por não ter motivo para falar.

O único que sabia da amizade dos dois era Richard Tozier, já que era melhor amigo de Eddie e, tinha um penhasco secreto por Alisson.

Apesar de nunca terem trocado palavras reais, o de óculos era gamado em Borning. 

Um de seus outros segredos sujos era o tempo que passava observando a morena. Ele à observava de longe sempre que possível. De vez enquanto ia até à quadra e ficava escondido nas arquibancadas olhando a garota em suas aulas de dança. 

Richard não era pervertido, só gostava de analizar cada milímetro de Alisson.

Terminando seu banho, Alissom Borning levanta-se da banheira e caminha enrolada na toalha até seu quarto. Ele era grande e espaçoso, era o cantinho da Borning.

Ela olha ao redor, observa tudo nele. Seu teto lilás junto às paredes, o carpete roxo, a mesinha de vidro com notas de uma música, o ukulele bege encima da cadeira, seus armários pretos, sua cama de casal branca e seu criado mudo preto, com o abajur e seu caderno de desenhos encima.

Alisson era uma garota telentosa, ela cantava, dançava, escrevia, desenhava e tocava seu ukulele com uma alegria contagiante. Mas o que ela mais ama é a dança, ela queria ser uma dançarina, mas é uma área complicada de se investir: Ou você é muito famoso e ganha muito dinheiro em competições, ou você não é nada. Não tem meio termo, o esforço de Alisson era em dobro.

Os pais de Alisson eram batalhadores, o pai, Alexander Borning, principalmente. Ele à ensionou à lutar e persistir naquilo que ama. Ele já teve de trabalhar em três empregos diferentes e nunca parava em casa, mas graças à isso eles são muito bem de vida e, agora, ele conseguiu um cargo importante, um que ele queria, um que ele ganha bastante, por isso tem apenas um emprego agora, mas ainda trabalha bastante. E sua mãe: Catherine Borning, a mulher que trabalha e ainda cuida da casa, às vezes deixa de fazer algumas coisas para si mesma só pela filha. 

Quem vê essa família, não sabe o quanto ambos já sofreram no passado com a falta do pai, noites sem dormir, ele andava sempre cansado e emburrado. Mas o esforço valeu à pena, já que agora são muito bem.

Olhando atentamente cada centímetro de suas roupas, Ali tira do armário, uma camiseta justa preta, com flores vermelhas desenhadas perto do ombro esquerdo e um shorts jeans. Além do tênis ALL star e sua meia branca com tirinhas pretas. Sendo assim, ela pega sua mochila, coloca nela os materiais necessários e seu caderno de músicas. Desçe as escadas e olha em volta. Não tinha ninguém em casa.

Ela pega sua maçã e anda até a porta, à chaveando e, finalmente, indo em direção ao apartamento de Beverly.


[✧ 2 ✧]


Alisson mordia a maçã e olhava todos os detalhes da cidade de Derry, passou por ruas desertas e praças um tanto abandonadas com pouquíssimas pessoas pelas ruas.

Ela avista o apartamento bege claro de Beverly se aproximando, com aquelas escadas grandes e pretas.

Ela se aproxima, atravessando a rua e, assim, chegando ao prédio de Beverly. Ela avista a ruiva sentada à escada com sua mochila nas costas e um cigarro dentre seu dedo indicador e dedo do meio.

Ao ver Alisson, Beverly joga o resto no chão e desce as escadas rapidamente.

— Você fuma quando está nervosa ou ansiosa. — Alisson à encara enquanto andam — O que houve?

— Nada importante... — Beverly olha para o chão e Alisson insistia em olhá-la nos olhos.

— Beverly — Ela diz precisa.

Beverly revira os olhos, talvez triste ou feliz (?) pela amiga à conhecer bem.

— O mesmo de sempre... — Beverly olha para Alisson que entende.

— Seu pai... — Continuam à andar até a escola — O que houve dessa vez?

— Ele... ele... arg — Beverly tenta explicar-se — Ele usa meu psicológico e me controla, Ali. Eu cheguei dois minutos mais tarde porque falei com Ben sobre um trabalho e ele apertou meu braço, tão forte mas tão forte... — Ela mostra o hematoma roxo — Eu sei lá, Ali. Tenho medo do que ele possa fazer.

Alisson não diz nada, apenas abraça a amiga de lado. Depois de uns minutos em silêncio Alisson solta:

— Eu acho que seu pai é um tipo de aviso... — Ela diz pensando bem.

— Como assim? — Beverly questiona à Boring, que sempre fora meio doidinha.

— Ele pode ser seu obstáculo na vida... sabe... — Ela gesticula — A vida é feita de vários deles e, geralmente, tem um central. Ele pode ser seu obstáculo, se você ganhar dele em algum momento, você se verá livre e estará pronta para seu dever na terra.

Borning viajava, mas geralmente falava o que fazia sentido, ao menos na cabeça dela.

— É... — Beverly parou para pensar — Mas... o que exatamente?

— Bem... várias coisas podem acontecer... — Borning olha para cima pensando em um exemplo — Pode ser que seu pai seja o pior da sua vida, mas que se você vencer dele em algum momento pode ser mais forte e enfrentar o resto, estando preparada para tudo... tipo... — Ela pensa — Já sei! E se você se casar com um homem machista que te bata. O que você faz?

— Eu termino. — A ruiva diz óbvia.

— Veja bem: Você o ama mais que tudo no mundo, Bev. Mas ele é ruim pra você, mesmo que seu psicológico diga o contrário — Borning explica — Isso pode ser um exemplo: Você ama seu pai, não pode simplesmente se desfazer dele. Mas se fosse com um homem, apenas termine.

Beverly olha para Borning séria e Alisson a olha também. Ambas riem ao notarem ao assunto que chegaram.

— Você é tão viajona! — A ruiva diz.

— Ou simplesmente brilhante. — Borning diz convencida.


[✧ 3 ✧]

Ambas chegam à escola, arrumam algumas coisas em seus armários e se direcionaram cada uma à sua sala.

Alisson avista Eddie, seu melhor amigo e parceiro de laboratório e, rapidamente, abana para o mesmo. Eddie estava com Rich. O sujeito de óculos (gatinho aos olhos de Ali) alto e magro, de cabelos negros e bagunçados. Ele não se falavam muito, eram apenas “Ois, Tchaus” e coisas do tipo.

— Oi, Ali! — Eddie se aproxima de Ali junto à Richie.

— Oi Eddie! Oi Rich! — Ela acena sorrindo.

— Então, eu vou indo pra aula de Inglês — Viu? Poucas palavras — Tchau Eddie! Tchau Borning!

—Então, Eddiezinho — Ela tira os cadernos de química — Animado para as férias em uma semana?

— Nem um pouco! — Eddie responde — Vou ter que aguentar Tozier fora da escola!

— Mas oque tem? Ele não é legal? — Ela ri — Quer dizer, é seu melhor amigo.

— Ah, sim. — Ele gesticula — Mas ele vai querer ficar jogando Street Fighter, e eu vou ter que ir junto, e minha mãe disse que a radiação pode dar...

— Câncer? — Ela ri — Parece que tudo dá câncer.


[✧ 4 ✧]


Com reviradas de olhos intensas o sinal soa, fazendo todos os adolescentes da escola de Derry se amontoarem nos corredores tentando ir para suas casas, enfim, saindo da escola. Alisson e Richard foram os últimos à sair da sala de ciências, eles estudavam na mesma sala em algumas aulas, mas não se falavam.

Richie termina de arrumar as coisas antes de Alisson e, passa pela porta. Antes de ir ao encontro dos otários, ele olha pela porta e olha nos olhos de Alisson uma última vez no dia. Ou não se ele fosse vê-la dançar hoje. Enfim ele sai da sala indo ao encontro dos otários.

— Fala ae manezada! — Ele brinca cutucando Stanley.

— Para, Richard! — Stanley revira os olhos.

— O nome “Richard” só é sexy quando uma garota bonita fala — Ele ri.

— Ei! Richard! Esqueceu o caderno embaixo da mesa! — Alisson corre até o moreno com um caderno azul na mão.

— Viu? — Ele pega o caderno sentindo as bochechas arderem pela presença da Borning — Valeu Alisson — Ele agradece.

— Nada. — Ela vira-se e anda até o outro lado — Até outro dia, otários!

[❥]








Notas Finais


Uns avisos importantes:
1- Esta fanfic foi publicada por mim no wattpad, aí notei que muitos usam spirit e pensei em trazer fics a vocês também :3

2- É minha primeira fic no spirit, peguem leve comigo sksksksksk

Na vdd é só isso, beijao


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...