História Dando uma chance ao amor. - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Chris Hemsworth, Robert Downey Jr., Tom Hiddleston
Personagens Tom Hiddleston
Visualizações 12
Palavras 12.061
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ei pessoinhas.

Capítulo 12 - Um dia perfeito!


Fanfic / Fanfiction Dando uma chance ao amor. - Capítulo 12 - Um dia perfeito!

Ao desembarcarem quase duas horas depois,tom olha como o lugar estava cheio e como tinha tantas pessoas diferentes,tomam água com o clima bem quente como tom percebeu na hora por ser acostumado ao clima frio,eles pegam as malas tranquilos,tom estava de óculos escuros então passou despercebido na multidão,alguns fãs o reconheceram,e ele parou rapidamente para uma foto mas seguia depressa com eles para pegar um táxi,recepcionados pelo senhor sorridente os levando numa viagem bem demorada pelo famoso trânsito de São Paulo,eles falavam dos pontos de referência bem famosos naquele estado,museus e Parks.

Tom olhava impressionado como era grande a cidade,se lembrou muito da sua cidade e de nova York por serem grandes metrópoles mundiais mas olhava eles se afastando da capital da cidade grande chegando em bairros mais simples e calmos,e o carro descendo uma grande ladeira parando antes de virar a esquina em frente do portão preto da casa vermelha simples de dois andares,tom olha curioso ao saírem do carro e se despedem do senhor dividindo a corrida,pegam as malas e se viram pra senhora sorrindo em frente ao portão.

–oi mãe,quanto tempo–Caroline diz sorrindo indo até a ames que vai até ela a apertando em seus braços o que a surpreendeu retribuindo emocionada.

–oi filha,que bom que pode vir–dona Paula diz em seu ouvido se afastando um pouco beijando seu rosto alisando que ri.

–claro,não posso faltar num dia especial pra lai–Caroline diz sorrindo.

–ei tia também estou aqui–Débora diz rindo.

–menina Débora oi,não me liga mais não é?–a senhora diz batendo de leve na cabeça da loira que a abraçando.

–foi mal tia,fico ocupada e esqueço–ela diz se afastando.

–greg,continua bonito–Paula diz abraçando o moreno.

–obrigado,é bom ver a senhora–Gregory diz em seu português com um sotaque ainda forte,retribuindo.

–er..mãe–Caroline avisa apontando pro namorado tímido ainda olhando em volta.

–e claro que não esqueci de você tom..realmente é bonito,me deixe te ver de perto–a senhora diz se aproximando o olhando bem de cima a baixo o deixando meio nervoso.

–obrigado,eu acho–ele diz sorrindo de leve.

–muito bem,vamos ver se realmente é bom pra minha filha–dona Paula diz ficando séria.

–mãe–Caroline a repreende indignada,eles riem.

–tudo bem,eu entendo mas com o promeiro ano em que estamos juntos chegando  já mostra como estamos bem–tom diz suave,a senhora sorri.

–é mesmo né?,passou tão rápido–ela divaga o abraçando que retribui calmamente.

–mas menino,seu abraço é muito bom como minha filha disse–a senhora diz impressionada e olha a filha que ri mais com eles.

–eu disse–Caroline diz.

–e eu digo que devemos abraçar mais não é linda?–tom diz beijando o rosto dela que sorri assentindo.

–bom estamos indo,vejo vocês depois,thau tia–Débora diz acenando com o namorado segurando suas malas.

–thau–eles dizem olhando eles irem pra casa rosada no outro lado que era a casa dos pais da loira.

–vamos entrando meninos–Paula os chama indo pra porta aberta,eles pegam as malas entrando e ela fecha.

–mãe o quarto está pronto?–Caroline pergunta olhando tudo nostálgica o lugar bem simples mas arrumado passando pela garagem preta e branca com os cestos de baskete no alto das paredes que seu sobrinho adora e olha a bola no canto do piso quadriculado.

–sim deixei tudo arrumado lá–a senhora diz indo com eles pra pequena sala vermelha e branca com sofás cremes e a televisão na parede e a escada pros quartos,o casal se olham assentindo deixando as malas de lado.

–se sentem e descansem,tom meu filho aceita um café?–dona Paula ofecere o olhando que se sentava com a namorada.

–seria bom mas prefiro um chá,sua filha não gosta se eu fico com cheiro de café ao beija-la–tom diz sorrindo pra ela que ri.

–mas você é uma fresca hein menina?,não deixa nem o menino provar um cafezinho–a senhora reclama indignada indo pro corredor da cozinha.

–sou mesmo–Caroline diz alto rindo,tom nega com a cabeça rindo.

–você vai adorar o chá da minha mãe é o melhor–ela diz beijando o rosto dele.

–se for como o seu,sempre tomam algo quente a essa hora?–ele pergunta curioso,era fim de tarde.

–não,percebi que é coisa do pessoal mais velho e que são do Nordeste,as amigas dela chegam e ela já oferece café–ela diz sorrindo,ele assente sentindo um cheiro diferente e bom,em minutos a senhora trás duas xícaras.

–aqui tom,um chá fraquinho de capim santo você vai gostar–ela diz lhe entendendo a xícara azul e branca e o da sua filha.

–obrigado–ele diz sorrindo pegando.

–mãe você guardou minha xícara–Caroline diz sorrindo pra sua xícara do Loki preta e branca com o personagem estampado,a senhora assente e não entende eles rindo.

–qual é a graça?–a senhora pergunta sem entender.

–olha o personagem na xícara mãe..o tom que fez no filme–Caroline  diz rindo olhando o amado que ri mais provando seu chá,a senhora se aproxima olhando bem.

–oxi,esse homem de chifres com cara de mau é você meu filho?–ela pergunta surpresa olhando o objeto pra graça deles.

–sim,sou ator e tem que interpretar bem o personagem e já que o loki é assim,faz parte da caracterização..está correto linda?–tom pergunta em dúvida com a palavra e Caroline assente tomando seu chá.

–ah é que você é um menino tão sorridente não combina–dona Paula diz curiosa se sentando ao deles que sorriem divertidos.

–é que você não entende dessas coisas mãe,sabe que o ator tem que dar vida ao personagem e como dizem os britânicos são ótimos em fazer vilões,tom foi bem elogiado pela atuação,ali não é ele,é o loki,tente assistir uma vez pra ver–Caroline diz sorrindo mexendo no cabelo dele que sorri sempre gostando da admiração,a senhora ouve atenta pensativa.

–sabe que eu não gosto dessas coisas mas vou tentar já que meu genro está no filme–dona Paula diz dando uma chance a filmes hollywoodianos que ela não gosta,o casal sorri assentindo.

–bom realmente estou preferindo chás brasileiros,está muito bom senhora Paula–tom diz sorrindo terminando seu chá,a senhora sorri mais animada.

–e sinto em dizer pequena mas o dela é melhor que o seu–ele continua olhando sua amada que termina também.

–eu falei,e o que ela faz é natural,pra ela chá cura tudo–Caroline diz olhando a mãe.

–e cura menina fresca–a senhora diz séria. 

–nem sempre–Caroline diz revirando os olhos,tom ri baixo.

–ok,mas me diga foi difícil criar ela?como ela era na infância?–tom pergunta curioso pra sogra.

–Thomas não precisa sabe disso–Caroline avisa com vergonha.

–shii eu quero saber–ele diz pegando a mão dela,seus pais falaram demais dele agora é a vez dela,a senhora ri.

–não foi difícil,ela sempre foi uma criança responsável,não dava trabalho,ficava sozinha em casa enquanto eu não chegava do trabalho,ajudava nas tarefas como o irmão dela,tinha medo que ela ficasse como a irmã dela,uma maloqueira pra não dizer outra palavra–dona Paula diz sorrindo,ele ouvi atento entendendo e Caroline fala no ouvido dele o que é essa palavra que alguns jovens passam por essa fase e a olha surpreso.

–nossa mas ela parece tão calma–tom diz sem entender lembrando da cunhada que ele falou algumas vezes com ela,a achou inteligente e simpática como seu cunhado.

–agora meu filho,quando mais nova vivia me deixando preocupada ficando na rua até tarde da noite mas até hoje vai pras baladas deixando meu neto sozinho que vem ficar comigo mas não tenho o que reclamar é uma boa mãe e sempre viaja com ele pelo menos–a senhora responde calma,ele assente sabendo que a cunhada é festeira e falou das viagens.

–e como essa mocinha era na escola?,ela não me disse muita coisa–tom pergunta mais curioso.

–muito bem,boa aluna,eu não podia ajudar muito mas os irmãos dela ajudavam quando ela tinha dúvidas,mas eu ficava de olho no boletim e sempre ia nas reuniões,os professores a elogiava,tinha boas notas,mas me diziam que ela falava demais em sala–a senhora diz olhando torto pra filha que finge que não é com ela.

–você falando muito pequena?–ele pergunta incrédulo.

–antes daquilo ter acontecido né lindo?,e claro não podia perder as fofocas que rolavam na sala,e eu já falei que eu falava quando o professor não estava explicando mãe–Caroline diz pela milésima vez o que sua mãe custava a acreditar a olhando desconfiada,ele segura o riso.

–e você nunca foi pra diretoria?ou tomou er..advertência né?–tom pergunta em dúvida.

–sim,e teve aquela história que quase tomei advertência porque a minha"amiga" disse que eu xinguei a orientadora sendo que foi ela,quase que eu apanho né dona paula–Caroline responde e olha a mãe.

–já pedi desculpas,criança mal educada tem levar uns tapas pra lembrar que o que fez é errado e você tem uma língua bem afiada–a senhora diz séria.

–mas eu sou educada e a dona Neide dava medo você acha que eu teria coragem de xingar ela em voz alta?tenho amor a vida–Caroline diz sem ligar.

–claro isso mostra como pensava em palavras feias–Paula diz em reprovação pra filha que dá de ombros foi a tanto tempo,tom achava graça.

–ah e você nunca ficou de recuperação?,é isso que fazem quando não tem boas notas e tem que recuperar né?–ele pergunta curioso.

–sim,acho que fiquei umas três vezes,mas não no fim do ano pra não perder as férias–Caroline diz rindo nostálgica.

–mas você não tinha boas notas?–tom pergunta confuso.

–sim mas nessas vezes eu não quis fazer as provas,uma vez de inglês e história,e as outras de inglês e física no mesmo dia mas eu não fui–Caroline diz calma.

–é,isso me lembra que eu fiquei louca da vida quando ela me disse,mãe estou de recuperação mas não se preocupe eu recupero–dona Paula diz a olhando feio que ri.

–mas porque você não quis fazer as provas linda?estava doente?–ele pergunta sem entender.

–porque eu não quis ir pra escola nos dias,eu não me importei porque gosto dessas matérias e recuperei nota mais do que se eu tivesse feito todas as provas,já que valia dez e eu tirei nove em todas–Caroline  diz sorrindo.

–que coragem,como conseguiu se formar assim?–ele pergunta rindo.

–ué sou boa aluna,só foi essas vezes,e eu te disse pra min o que importa é ouvir a explicação dos professores e ler minha anotações que passo de boa,já que eu nunca gostei de estudar em casa–Caroline diz rindo.

–isso é pura iresponsabilidade,pra mim só foi influência dos seus amiguinhos que você via jogando bola na rua até tarde,aposto que seu namorado foi um bom aluno né tom?–a senhora diz séria e pergunta pro genro.

–fui sim,nasci em uma época que os pais eram rígidos com os estudos e me formei com ótimas notas,tanto nas escolas quanto na faculdade,e na escola de Teatro–tom diz sorrindo alisando o cabelo dela.

–viu?,um menino direito–dona Paula diz sorrindo e olha torto a filha.

–afss você fala como eu não tivesse feito o mesmo–Caroline reclama.

–claro se eu não tivesse colocado vocês numa boa escola,esquece,fico feliz que meus filhos tiveram um bom futuro apesar das dificuldades,criei boas crianças sei disso–a senhora diz sorrindo pra filha que sorri.

–deixa eu levar essa louça pra pia e terminar de temperar a comida,ah tom vou te mostrar um álbum de fotos dela quando bebê–a senhora diz pegando as xícaras  com eles se levantando.

–ah não–Caroline reclama alto olhando o amado pedindo ajuda que ri.

–não me olha assim eu também passei por isso agora é a sua vez,vai ser ótimo dona Paula vai precisar de ajuda?–tom diz a olhando que fecha a cara e oferece ajuda na cozinha.

–não precisa querido obrigada,deixei tudo encaminhado sabendo que vocês vinham,podem descansar–a senhora diz sorrindo indo pra cozinha.

–lindo me salva desse constrangimento por favor–Caroline pede pro namorado.

–não eu também fiquei constrangido,vai ser uma troca justa–ele diz beijando o rosto dela que faz bico chateada.

–mas vem cá,porque realmente você faltou nos dias de prova?,uma boa aluna não faltaria só porque é inteligente e se garante–ele diz ficando sério,ela desvia o olhar suspirando.

–sabe,foi naqueles dias que tudo parecia desmoronar,eu tentava ficar bem mas as vezes nem queria sair do quarto pra nada mesmo tendo algo importante pra fazer–ela diz meio baixo séria,ele assente entendendo a abraçando a beijando lentamente e se separam ouvindo a porta ser aberta e passos se aproximando,o homem de uniforme social com mochila nas costas.

–a minha menina veio mesmo–o homem diz meia idade diz animado.

–coroa e aí?–Caroline diz animada indo abraçar o homem que era um verdadeiro índio com seus cabelos negros até o pescoço e sua pele chamativa.

–quanto tempo hein?,não me liga mais,me esqueceu foi?–o homem pergunta brincando.

–desculpa estava bem ocupada e você também é–ela tenta se desculpar se afastando um pouco,feliz em ve-lo.

–ah esse aqui é o tom,deve ter ouvido sobre ele,tom ele é o namorado da minha mãe George–ela diz o virando pro namorado que levanta.

–é um prazer em te conhecer–tom diz sorrindo educado oferecendo a mão.

–prazer,então é você o famoso que está namorando a minha menina?–George pergunta sério apertando sua mão o olhando de cima a baixo.

–não é um famoso que está aqui,apenas um homem apaixonado por essa mulher linda–tom diz sorrindo a trazendo pra ele que sorri.

–acho bom,a faça feliz hein rapaz?..sua mãe está aí né?–o senhor pergunta a olhando que assente sorrindo,ele assente sorrindo tira sua mochila e perdura no prego da parede e vai pra cozinha e o casal já ouve risadinhas.

–nossa,você não me disse que tinha um padrasto pequena–tom comenta alisando o cabelo dela.

–eu só não queria entrar no assunto pois a vida inteira nunca gostei dos caras que minha mãe nos apresentava e realmente não eram cara legais aconteceu tanta confusão por causa disso,uma vez queríamos até fugir de casa–Caroline responde baixo alisando o rosto dele.

–nossa..mas dele você gostou então?–ele pergunta curioso.

–sim ele é um cara legal,não gosto de ver ele como padrasto e sim amigo e eles estão há oito anos juntos se não me engano,e todos gostam dele–ela diz sorrindo de leve.

–que bom,e porque você chama ele de coroa se ele não usa uma?–ele pergunta confuso,ela ri.

–é uma expressão lindo,como se chama alguém mais velho,no português alguém que usa coroa nos lembra alguém com experiência e idade,e o Jonathan o chamou assim quando o conheceu quando era pequeno e o apelido ficou–Caroline explica sorrindo.

–legal uma nova expressão,ele parece ser um cara legal e ele tem um sotaque diferente–tom diz pensativo ao que percebeu,sua sogra tem um sotaque diferente por ser da Bahia e o senhor também tem outro som na voz.

–é o sotaque mineiro,ele é de Minas Gerais,você vai perceber que tem vários sons aqui com pessoas de vários lugares do país e do mundo–ela diz sorrindo.

–deve ser legal ter toda essa imersão de culturas diferentes em um único lugar–ele diz sorrindo a beijando de leve.

–sim,nos faz valorizar o nosso país,e não ter nenhum tipo de preconceito porque além de ser errado estaríamos ofendendo a nós mesmos–ela diz sorrindo alisando o rosto dele que assente pegando a mão dela beijando.e olham dona Paula aparecer.

–está quase pronta a comida,podem ir tomar um banho pra comer–ela diz sorrindo.

–está cheirando muito bem senhora Paula,está batendo uma fome–tom brinca elogiando sentindo o cheiro bom,elas riem.

–tudo bem mãe já voltamos,vem lindo–Caroline diz sorrindo levantando pegando sua mala,ele pega a dele e acenam pra ela subindo a escada toda branca vendo um grande corredor com vários cômodos.

–vamos ficar nesse lindo,era do meu irmão agora é de hóspede–ela diz o guiando pro lado direito no segundo quarto depois do banheiro como ele viu e entram no quarto não tão pequeno abrindo a porta marrom,uma cama de casal com roupa de cama azul claro e um guarda roupa preto grande e deixam as malas  ao lado pegando toalhas pra eles abrindo a mala dela onde ela deixou.

–ali é o quarto da minha irmã quando ela vem–ela diz apontando o último quarto do corredor a direita.

–o do casal 20 é ali–ela diz indo até o lado esquerdo apontando pro último que estava aberto e se via o grande quarto com sacada a frente da casa,ele ouvia atento.

–lá em cima tem a lavanderia e olha isso–Caroline diz apontando pra escada que ia pro andar superior e passa a mão sobre a porta do quarto ao lado.

–uau muito bonito,era o seu quarto não é?–tom pergunta impressionado,olhando a porta que era bege,em cima o símbolo 9 3/4 do Expresso de Hogwarts,o nome dela bem grande,e o aviso de get out,e um desenho de elementos químicos escrito only scientists,no centro uma pata de gato com os nomes dos gatos dela que faleceram,tico e teco,e em baixo até o fim da porta parecia um mar,corais,esponjas do mar,algas,no centro um peixe leão,um cavalo marinho,e numa anêmona um peixe palhaço e um bluethander com fundo azul marinho,tudo feito a mão.

–sim por isso comprei uma porta bege para ser como uma folha em branco,fiz há quatro anos o rascunho e deixei perfeito a três,meu filho foi meu consultor de cores–ela diz rindo baixo lembrando,ele ri.

–nossa tudo você transforma em obra de arte–ele diz a olhando.

–bom me distrai,e você não viu meus cadernos de escola e de faculdade,todos rabiscados ou com desenhos–ela diz sorrindo,tom sorri encantado a abraçando que o leva pro banheiro simples mas ajeitado,fecham a porta e se perdem no banho em meio aos azulejos cinzas não demorando muito,saem do banho indo pro quarto,separam roupas leves e se trocam,tom separa seu belo smolke preto e vermelho e pendura no cabide do guarda roupa para não amassar,e olha ela penteando o cabelo em frente ao espelho.

–como você é bonita–ele diz ficando atrás dela beijado seu ombro.

–e você esqueceu seus óculos–ela diz rindo se virando pra ele o beijando de leve.

–não,está na mala–tom diz simplesmente olhando ela começar a pentear seu cabelo.

–o que você achou?–Caroline pergunta arrepiando o cabelo dele.

–sobre o que?daqui?–ele pergunta em dúvida,ela assente deixando o pente sobre a mala do lado.

–bom e aconchegante–ele diz sorrindo de leve a abraçando cheirando seu pescoço que ri arrepiada.

–é,trabalhamos muito pra deixar assim–ela diz beijando o rosto dele que assente entendendo o que ela disse pois por muito tempo sua família não tinha um lugar decente pra viver,descem a escada de mãos dadas e vão pra cozinha sentindo o cheiro bom,na cozinha colorida a mesa posta com pratos e talheres e copos sobre a mesa grande com seis lugares.

–e ai qual é o rango coroa?–Caroline pergunta pra ele também de após o banho no banheiro de baixo e estava com roupa leve também,e os olha com dona Paula que mexia na panela.

–podem se sentar e se preparem pra comer um ótimo feijão tropeiro,rapaz já comeu esse feijão?–George pergunta deixando uma panela pequena no meio da mesa,tom nega se sentando ao lado de Caroline. 

–você vai adorar lover,é típico de Minas,nesse feijão tem tudo que há de bom e o coroa cozinha muito bem–ela diz animada levantando a tampa e tom olha o feijão encorpado com carne seca,bacon e farofa.

–obrigado minha linda,é como eu digo a comida une a gente–o senhor diz rindo,eles riem.

–parece bom,e cheira bem–tom diz sorrindo,eles sorriem e dona Paula deixa a panela que mexia ao lado das outras na mesa,carne de panela com batata e cenoura e senta com George,se servem com arroz,e conversam calmamente com os senhores quando saber mais sobre o tom que respondia sorrindo provando a ótima comida,e diz que está acostumado com a comida brasileira que sua amada faz e que ele aprendeu a fazer,ficando mais a vontade.

–estava realmente bom,estou cheio–tom diz sorrindo de leve terminando e bebe água em seu copo.

–isso se chama sustancia rapaz–George diz sorrindo levantando ao terminar também.

–aqui um suco de abacaxi pra aliviar o estômago,e minha linda suco de soja de maçã como você gosta–ele continua abrindo a geladeira pegando uma jarra e uma caixa de suco,leva pra eles os servindo que assentem sorrindo,Caroline toma seu suco agradecida pois não gosta de abacaxi.

–que bom,como eu sentia falta da sua comida coroa–ela diz sorrindo.

–e da minha não?,sua ingrata–sua mãe reclama levando as louças pra pia,eles riem.

–nossa mãe,sabe que eu adoro sua comida,não se compara–ela se finge de sentida.

–vou fingir que não entendi o deboche–dona Paula diz começando a levar a louça,George leva as outras louças rindo beijando o rosto dela,o casal ri,Caroline pisca pra ele e o levando pra fugir de mansinho.

–pode parando ai,nem pense em fugir Caroline,vou terminar aqui e mostrar pra ele suas fotos–dona Paula diz os olhando de lado.

–ah fala sério dona Paula–ela reclama sem acreditar.

–pode deixar sogrinha,eu seguro ela–tom diz rindo.

–nossa que ótimo namorado eu tenho–Caroline se finge de ofendida.

–tem mesmo,agradeça–ele diz sorrindo a levando pra sala deixando os senhores rindo lá,eles se sentem no sofá e ela liga a TV.

–faz tempo que não assisto televisão,olha como está chata a programação lindo–ela diz entediada mudando os canais e fala que passava tanta coisa legal quando ela era criança,ele entende e reconhece os desenhos que ela assistia mas eles concordam que Netflix está sendo uma única boa opção hoje em dia e riem das propagandas sem noção.

–mãe por favor–Caroline pede olhando sua mãe aparecer com George e abrir a gaveta do raque pegando um álbum bem conservado.

–para de reclamar menina,suas fotos são lindas–a senhora diz sem ligar e vai pro lado do genro que segurava o riso.

–lindo não olha–ela diz vendo ele segurar o pequeno livro de fotos.

–tá,me ignorem–ela diz cruzando os braços virando o rosto como se sua mãe não comentasse sobre suas fotos com momentos vergonhosos,tom olhava achando lindo as bagunças que ela fazia,como ela era fofa e gordinha quando bebê,ouviu a sogra contar da foto do aniversário de Laís em que ela estava chorando porque sua amada tinha enfiado a mão no bolo o que até fez ela rir.

–que maldade pequena–tom diz rindo.

–eu não tenho culpa,o bolo era de chocolate e tínhamos 4 anos–Caroline tenta se justificar sorrindo,ele nega com a cabeça olhando as outras fotos e ouve sua sogra dizer quando realmente sua amada fez besteira e junto com o irmão a ensinando a fazer cambalhota na cama mesmo com a mãe proibindo e quase machucou sério o pescoço,e das vezes que ela quebrou os braços,uma vez o direito jogando bola a noite com os irmãos,e o esquerdo numa brincadeira com os amigos na rua e uma menina do nada a derrubou quando se assustou com um gato no meio da rua,ele ouvia sem acreditar entendendo que ela disse que sentia falta de ser criança e aquela felicidade genuína,sua sogra contava  sobre uma criança tão alegre mas que depois parou de brincar e sair de casa,ele achava bom que ela voltou a brincar e aproveitar as coisas simples da vida,ele pensa satisfeito e triste olhando a última foto daquela criança de sete anos no carrossel sorrindo ao ouvir que ela não permitiu mais fotos serem tiradas e sabe como ela é bem retraída quando tem que tirar fotos mas sabe que ela superou e aquele sorriso voltou.

–bom é isso acabou,morreu Caroline?–dona Paula pergunta ao fechar o álbum.

–sim morri–ela diz emburrada.

–como ela é dramática gente–tom diz rindo beijando o rosto dela mas entende o que ela sente,ela tenta não sorrir.

‐vamos subir pra descansar,boa noite pra vocês–Caroline diz levantando.

‐boa noite–George diz sorrindo.

–Boa noite depois a gente assiste aquele filme agora é hora da minha novela–Paula diz sorrindo se sentando com o namorado.

–combinado,boa noite–tom diz sorrindo pegando a mão dela voltando pro quarto,ajeitando a mala no guarda roupa e pegam suas escovas.

–você ficou chateada de verdade pequena?–tom pergunta se olhando no espelho escovando os dentes.

–não–Caroline diz colocando pasta na sua escova,ele a olha desconfiado cuspindo um pouco.

–tem certeza?–ele pergunta sério voltando a sua escovação,ela acena com a cabeça continuando também.

–tudo bem lindo,você queria saber mais da minha infância,foi uma troca justa não se preocupe eu gosto de lembrar daqueles momentos,acho que hoje eu posso ri deles–Caroline diz suave cuspindo um pouco também.

–que bom,vocês eram loucos na infância hein?–tom diz rindo baixo lembrando das histórias,ela ri.

–isso se chama aproveitar a vida meu lindo–ela diz ligando a torneira depois de uns minutos.

–de um jeito perigoso,eu nunca cheguei a me machucar sério ou quebrar um osso–ele comenta lavando com ela a sua escova.

–não tínhamos muitas opções para nos divertir além de ir pra rua brincar para não fazer bagunça em casa,fazer o que?,e se machucar faz parte–ela diz simplesmente guardando a escova na bolsinha que trouxe e ele também coloca.

–pode ser,e pensei que sua mãe me contaria porque você tem medo de gansos–tom diz curioso pegando o fio dental com ela que o olha pensando no único bicho que tem medo.

–porque ela não estava no dia,e todos que estavam já esqueceram disso,quer esquecer também lindo?–Caroline pergunta fechando a cara se virando pro espelho.

–não tem como,você adora bichos e logo de ganso que é inofensivo você tem medo me deixa mais curioso e também porque você adora o pato Donald,e o patolino–tom tenta insistir também olhando,ela suspira olhando seu pijama do looney tunes.

–porque são patos legais e não gansos medonhos,lover se eu contar você vai rir desse medo bobo–ela tenta dizer passando o fio dental.

–e meu medo de tubarões também é bobo como todos os medos linda,só existe na nossa cabeça–ele diz calmo a imitando,ela o olha e assente e eles terminam a limpeza e ele a olha esperando o que ela diria pegando a bosinha o puxando pela mão o levando pro quarto.

–ok..foi numa tarde em que eu fui pra um sítio não muito longe daqui,com uns amigos vizinhos,minha irmã,a lai,e foi legal mas eu criança tonta olhava tudo curiosa,as árvores,os animais–ela começa guardando a bolsinha na gaveta do guarda roupa e se vira pra ele sentando na cama que ouve atento.

–era um lugar grande,e eu fiquei um pouco para trás distraída olhando um lago com tartarugas e gansos,e não percebi vendo as tartarugas um ganso vir atrás de mim e fiquei assustada porque nunca tinha visto um antes e me apressei em alcançar o pessoal mas ele ainda me seguia me deixando com medo e todos riram de mim,pronto pode rir–Caroline diz fazendo bico com ele segurando pra não rir.

–viu?não é bobo,só não foi uma boa primeira impressão de um animal que você nunca viu,você teve motivo pra ter medo já que era criança relaxa é normal,eu não tenho motivos pro meu medo é pura fobia–tom diz rindo baixo tocando o rosto dela que sorri.

–talvez mas eu não consigo ver um outra vez,sempre penso que vai me seguir como naquele dia–ela diz beijando o rosto dele que ri mais a beijando lentamente e se separam devagar,ela pega uma coberta colorida no guarda roupa e passa pra ele o esticando na cama,e ligam o pequeno abajur na tomada ao lado da cama e desligam a luz do quarto e se deitam bem cansados.

–o que foi?–Caroline pergunta sem entender com ele alisando seu rosto se concentrando no canto da sua boca.

–nada..é que sua covinha é fofa–tom diz sorrindo ainda alisando,ela o olha meio confusa.

–mas você também tem covinha lindo,e bem mais visível que a minha–ela diz sorrindo tocando o rosto dele.

–mas a sua só aparece quando você sorri e acho lindo por isso–ele diz beijando o canto da boca dela,ela sorri surpresa.

–obrigada,nunca percebi isso–Caroline diz encantada o beijando que retribui contente a apertando em seus braços,se separam devagar e ela deita sobre o peito dele para desancar do dia cheio.

De madrugada,Caroline acorda,as vezes tinha insônia acordando no meio da noite,ainda estranhando o ambiente olha tom dormindo com os braços em volta dela,ela alisa o braço dele perdendo o sono,beija o rosto dele e se afasta um pouco descendo devagar da cama,calsa o chinelo que trouxe e pega uma blusa de frio e sai do quarto não querendo acordar ele,olha tudo escuro e silencioso e sobe a escada abrindo a portinha vendo que nada mudou,a lavanderia no mesmo lugar coberta pela grande telha naquele cômodo e mais a frente a pequena horta de temperos e chás que sua mãe gosta na parte descoberta,vai pro banco no muro que separava a lage da do vizinho,e fica olhando a rua iluminada como gostava daquele bairro mas já tinha outro lugar pra chamar de lar ela pensa lembrando do tom,e distraída por uns minutos ouve passo e vê logo ele aparecer vestido com uma blusa de frio coberto com um capuz.

–ei pequena porque está aqui nesse frio?–tom pergunta indo até ela que se vira.

–não é nada lindo,só não consegui voltar a dormir,não queria te acordar–ela diz sorrindo.

–tudo bem,da pra ver tudo daqui,e como o céu está lindo–ele diz olhando em volta e pro céu estrelado com lua minguante e a abraça que sorri.

–sim,sempre gostei de vir pra cá pra pensar,e a lua sempre foi uma grande amiga,é raro ter esse céu mas adoro quando tem,porque não percebem como o céu é lindo?–ela diz beijando o rosto dele se sentando ao seu lado.

–como eu adoro que você admire essas coisas tão simples,eu já te disse que te amo?–tom pergunta sorrindo.

–hoje não–ela diz rindo o beijando que ri.

–te amo demais minha linda–ele diz segurando o rosto dela a beijando devagar que leva a mão pro rosto dele alisando retribuindo.

–eu que te amo mais lindo,acredita que vai ser o nosso primeiro ano de namoro?–Caroline pergunta sorrindo se afastando.

–é,e foi ótimo não é?,e agradeço que seja compreensiva com a minha vida corrida,é tão bom estar com você–tom diz suave passando o braço em volta dela a trazendo pra perto.

–e é bom estar com você lindo,você é maravilhoso e mostrou que poderíamos dar certo,e claro que entendo mesmo sendo ocupado faz tudo ser tão leve,sempre faz surpresas e não deixa a nossa relação de lado,me pergunto se mereço alguém como você meu lindo–Caroline diz deitando a cabeça sobre o ombro dele.

–merece porque nós dois nos merecemos,e nos amamos certo?–ele diz suave beijando a cabeça dela.

–muito certo,você está quentinho–ela diz suspirando o apertando mais no abraço,ele ri.

–foi só a insônia pequena?–tom pergunta a olhando que assente sorrindo.

–tem certeza?,está nervosa que sua prima vai casar?–ele pergunta alisando o braço dela.

–não,eu fico feliz por ela–ela diz simplesmente.

–eu sei eu sei mas err..alguma vez você já se imaginou casada,sabe véu e grinalda,é assim que falam né?–ele pergunta em dúvida.

–é sim,eu nunca pensei nisso,sempre tive o sonho de menina em conhecer o homem perfeito para formar uma família mas casar?,percebi que não garante a felicidade ou  fortalecimento da nossa relação–Caroline diz suspirando.

–entendo mas seria lindo você toda de branco e eu te esperando no altar–tom diz suave beijando sua testa.

–seria um sonho mas é muito fantasioso lover,o que vale é o compromisso do casal em minha opinião,a felicidade está em um anel brilhante?–ela pergunta meio séria tocando o rosto dele que a olha surpreso ficando mudo olhando sua mão direita,ela sorri pegando a mão dele beijando sobre sua aliança.

–olha,nossa relação é ótima e bem sincera,sempre tentamos nos compreender,sabe que eu sou sincera e direta e eu vou ser,se você me pedisse em casamento eu diria não–Caroline diz séria apertando suas mãos,ele ouve calado entendendo,ela percebe que ele ficou chateado.

–mas não é porque é você lover,eu também diria não se fosse outro,eu só quero que você saiba pra evitar constrangimentos ok?,eu adoraria ter tudo com você,aquele casamento dos sonhos e seria ótimo tenho certeza mas eu realmente não acho necessário,eu não sonho com isso–ela tenta dizer alisando a mão dele.

–tudo bem mas eu sonho com isso–tom diz meio chateado alisando o cabelo dela que sorri.

–eu sei e eu te amo por ser esse homem romântico e fofo,eu faria tudo pelo homem que eu amo até me casar pra ver ele feliz mas você não acharia incômodo eu aceitar casar com você porque pra mim tanto faz,não porque eu realmente desejo?–ela o questiona sorrindo de leve.

–é seria,temos que aprender a ceder não é?–ele diz sorrindo.

–sim,temos que concordar em algo e é certo que concordamos que queremos ficar juntos mas não precisamos de rótulos para provar que nos amamos certo?–Caroline pergunta sorrindo o beijando de leve que sorri.

–certo,desejamos ficar juntos e nos amamos é o que importa–tom diz calmo aprofundando mais a trazendo pra ele mexendo em seu cabelo,ela ri se afastando um pouco o olhando encantada.

–vem,vamos voltar a dormir que temos um dia cheio–ela diz sorrindo levantando pegando a mão dele que assente a abraçando de lado.

Com mais algumas horas de descanso,tom acordava como sempre cedo umas seis horas,e já sentia o cheiro de café da sogra e o som de rádio bem alto,estava tranquilo na cama mexendo no cabelo de sua amada enquanto olhando seu celular,falou com sua mãe que estava bem,viu suas redes sociais,que estavam dizendo que o viram no aeroporto de São Paulo,com fotos postadas dos fãs que o reconheceram mas pensaria nisso depois,ele sente ela se mexer.

–bom dia linda,dormiu bem?–tom pergunta alisando seu cabelo.

–bom dia lindo,dormi bem–Caroline diz baixo passando o braço sobre ele ainda de olhos fechados.

–estou vendo,dormiu bastante mesmo acordando no meio da noite que estranho–ele comenta olhando o celular.

–é não sei porque..aí não cheiro de café e amado Batista logo de manhã,quanto tempo isso não acontece?–ela reclama sentindo o cheiro e ouvindo a música e cobre a cabeça com a coberta,ele ri.

–para de reclamar o cheiro está ótimo e vou provar hoje hein?–tom diz sorrindo.

–aí não lindo,já estou enjoando só de pensar–ela diz o olhando ao se sentar.

–dramática,já falei com a minha mãe,já sabem que estou no Brasil mas depois da cerimônia eu falo alguma coisa ok?–ele diz beijando o rosto dela que assente.

–ah e a Laís enviou uma mensagem que vem te buscar pra terem um dia de mulheres no spa até a hora do casamento,vai me deixar sozinho pequena?–ele pergunta fazendo manha,ela ri.

–você vai ficar com os meninos com certeza,é só aquele dia de noiva lover,as madrinhas e a noiva vão se embelezar e fofocar até dar a hora,nos vemos lá–Caroline diz o beijando de leve que assente.

–tudo bem vai ser ótimo..ei vai aonde?–tom pergunta sem entender com ela levantando da cama rápido.

–estômago embrulhado,deu ânsia não falei–ela diz rápido saindo do quarto,ele olha sem entender deixa o celular de lado indo atrás dela,ela estava lavando o rosto respirando fundo.

–tudo bem?–tom pergunta preocupado,ela o olha.

–sim só foi a ânsia,odeio não conseguir vomitar–Caroline diz baixo passando a mão no rosto.

–ok,vou pegar nossas coisas pra um banho,tenta tomar um ar–ele diz alisando as costas dela que assente,ele sai e pega as toalhas deles e a bolsinha de escova de dentes.

–melhorou?–ele pergunta entrando no banheiro deixando o que trouxe na pia,ela assente o beijando de leve e fecham a porta fazendo sua higiene matinal e terminam calmamente vestindo roupas leves,ela uma regata azul e short preto,ele uma polo listrada e short jeans e descem pra cozinha.

–oi,bom dia–eles dizem vendo o casal na mesa tomando café e os olham.

–bom dia–eles dizem.

–que cara é essa filha?,o mal humor matinal de sempre?–dona Paula pergunta vendo a cara desanimada dela se sentando com o namorado.

–sim mãe mas hoje o motivo é meu estômago embrulhado,deixa pra lá ainda é cedo–Caroline diz cansada.

–ah é?,então come que passa,tem tudo que você gosta depois toma um remédio–a senhora diz sorrindo pra mesa,eles sorriem se servindo,tom elogia o café,prova o cuscuz achando bom e diferente,Caroline come frutas e pão com queijo e chá,não sabia porque sua barriga ficou estranha mas estava melhor.

–benza deus,como esse menino come bem diferente de certas pessoas–a senhora elogia o genro adorando a  comida e olha torto a filha que revira os olhos.

–não tenho culpa se não gosto de certas comidas,se eu não gosto eu não gosto ué..e ele está sendo educado não é lover?–Caroline diz entediada e pergunta pro namorado comendo tapioca,ela só gosta da doce,ele a olha.

–não,realmente está bom–tom diz com a boca um pouco cheia fazendo eles rir.

–viu?–a senhora se gaba.

–affs lindo concorde comigo–Caroline pede sem acreditar.

–não nesse caso linda–ele diz beijando o rosto dela que ri negando com a cabeça,eles terminam indo arrumar a bagunça,tom ajuda a arrumar a mesa com George,elas lavam e secam a louça.

–lindo,vai ver se está passando algo legal pra gente assistir–Caroline diz terminando de secar a louça,tom a olha indo pra sala.

–oh mãe,eu vi as bebidas nas geladeira você sabe que enquanto o tom estiver aqui nada de exagerar–Caroline avisa baixo de cara fechada.

–ela sabe disso não é querida?–George diz sério. 

–claro que sei,até parece que tem vergonha de mim menina–a senhora diz meio irritada mas chateada,Caroline revira os olhos.

–nunca tive vergonha da senhora,mas eu conheci a família dele e são uns amores,eu não quero que ele pense que aqui só tem loucos mais do que já são,não dê vexame–ela diz meio séria,eles assentem olhando ela ir pra sala.

–ei linda está passando chaves,quero ver como é no Brasil–tom diz animado lhe entendendo a mão.

–nossa ainda passa?–Caroline se pergunta confusa e pega a mão dele se sentando ao lado dele que ri alisando seu cabelo e ficam assistindo aquele seriado que mesmo naquela língua tom achou graça e em minutos distraídos,eles ouvem alguém entrar com os passos fortes.

–tia quero bolacha..e é verdade que aquela ridícula está aqui?–eles ouvem a voz forte e o jovem negro muito alto de uniforme de futebol entra e bate na porta.

–porque não fala na cara o idiota,e ainda continua vindo pedir bolacha–Caroline diz rindo levantando.

–oh sua anã quanto tempo,nem pra avisar..e é verdade que..–ele não termina a abraçando e percebe tom.

–é sim,é o tom namoramos a um ano–ela diz o virando pro namorado que levanta.

–como vai?William não é?além de ser meu segundo nome me lembra meu colega–tom diz sorrindo  oferecendo a mão que will aperta curioso por ele saber português. 

–prazer em te conhecer mano sou fã,e que colega é esse?–ele pergunta sem entender.

–o tonto,o príncipe William é claro,ele é da Inglaterra e estudou com ele–Caroline diz rindo.

–nossa sério?–William pergunta surpreso.

–sim mas nunca quis privilégios–tom diz sorrindo.

–uau,obrigado por poder vir senão teria que ir com essa bicha feia pro casamento–o jovem diz rindo dando um pedala na cabeça da prima que reclama.

–como se eu quisesse ir com você seu horroroso–Caroline retruca cruzando os braços virando o rosto.

–nossa quanto amor–tom diz rindo.

–sim muito amor‐os primos dizem fazendo um toque rindo,e William vai pra cozinha acenando.

–e aí coroa,tia quero bolacha–eles ouvem ele dizer.

–no armário,você não tem vergonha menino trinta anos nas costas–Paula o repreende mas ele apenas ri,o casal na sala ri.

–tchau pra vocês até o casamento–Wiliam diz voltando com o pacote de bolacha na mão.

–thau–eles dizem acenando olhando ele sair,e o celular de Caroline toca em cima do raque e ela pega lendo a mensagem.

–bom lindo,daqui a pouco a Laís vem pra irmos pro spa–ela diz deixando o aparelho onde estava e se vira pra ele que entende.

–ei Caroline–ela ouve seu sobrinho dizer entrando na porta que sua mãe tem mania de deixar aberta.

–ei jow–ela diz animada o abraçando.

–tom você veio–o rapaz diz se virando pra ele.

–oi rapaz–tom diz sorrindo o abraçando.

–oi nega como vai?,tom bom te ver–Bruna diz sorrindo abraçando a irmã.

–é bom te ver também–tom diz beijando o rosto dela a analisando,pequena como sua amada e seus cabelos cacheados.

–daqui a pouco vai começar a produção não é nega?–bruna pergunta pra irmã que assente,e os senhores vão pra sala.

–jow meu xuxuzinho–Paula diz animada.

–oi vó,oi coroa–o jovem diz abraçando eles.

–vó tem doce?–ele pergunta fazendo eles rir.

–só vem me ver pra isso menino?,tem na bolsa vai pegar–a senhora diz negando com a cabeça,o rapaz se anima subindo a escada.

–e ai minha gente?,vejo que estão animados pro dia–a voz de Débora se faz presente entrando com o namorado os cumprimentando animada que sorriem assentindo e na mesma hora ouvem carros estacionando.

–deu a nossa hora–Caroline diz sorrindo,elas assentem.

–fomos deixados de lado hoje mano–Gregory diz olhando tom que sorri olhando elas irem pra garagem,Laís e carlos entram com o pequeno Bernardo no colo que dormia,segurando a bolsa dele no ombro.

–oi gente,ei car que bom que veio–Laís diz animada.

–claro que não iria faltar–Caroline diz abraçando Carlos pegando o bebê sorrindo.

–que bom que pode vir tom obrigado,essa menina louca não podia faltar e claro é bom te conhecer–Carlos diz sorrindo.

–o prazer é meu,não podia faltar a um compromisso importante de família–tom diz sorrindo analisando o moreno de cabelo bem cortado mas vai uma mecha branca em seu topete,Carlos sorri olhando a noiva abraçando a tia.

–bom tia fui expulso por minha noiva e não posso ve-la até dar a hora,posso ficar aqui?–ele pergunta.

–claro menino–a senhora diz,Caroline passa o bebê pro namorado que sorri,ela sorri achando lindo.

–ei Laís,cadê aquela vaca?–eles ouvem perguntarem la fora.

–são elas?–Caroline pergunta sorrindo pra prima que assente,e vai pra porta.

–ei suas piriguetes,sentiram minha falta?–ela pergunta pras mulheres no segundo carro,colegas de escola e melhores amigas da sua prima e se davam bem,elas gritam.

–e ai,é verdade que está namorando o maravilhoso do tom hiddleston?–elas perguntam,ela cruza os braços as olhando torto as fazendo rir.

–é claro que sentiram a sua falta car–Laís diz rindo ao sair com os demais e elas olham tom sair a abraçando por trás e elas gritam mais.

–tom,como você é lindo,eu amo o loki–Evelyn diz sorrindo.

–não,eu que amo esse olhos lindos–Raissa diz.

–baixem o fogo meninas,ele vai poder falar com todos mais tarde–Laís avisa sorrindo,tom as olhava sem reação sorrindo sem graça.

–mas e aí essa baixinha brava tem ciúmes?–Jeane  que também foi criada com Caroline como primas pergunta sorrindo.

–ela não tem motivos pra isso não é pequena?–tom diz sorrindo.

–claro,esse homem lindo me ama e só eu posso fazer isso–Caroline diz sorrindo se virando pra ele que segura seu rosto a beijando que sorri ao beijo as fazendo gritar e bater palmas.

–pronto agora ela beija ele só pra nos fazer inveja–Evelyn reclama sorrindo.

–o Marcos vai adorar saber disso–Caroline retruca as fazendo rir.

–pronto gente chega,ou vamos perder o horário–Bruna avisa sendo a mais velha pra botar ordem,elas assentem,Laís beija o noivo e o filho em seu colo e vai pra direção junto com Bruna.

–até logo,fica mais linda do que já é–tom diz beijando ela de leve que assente alisando seu rosto e vai pro carro junto com sua irmã e sua amiga,e elas acenam pra eles na porta que acenam devolta olhando os carros saindo.

Enquanto eles passam o resto da manhã calma,as mulheres aproveitavam o tratamento de beleza e Aline também chega lá levada por seu marido,e ficaram fofocando sobre os homens,suas vidas e claro o assunto principal como Caroline e tom se conheceram e como levam o namoro tão bem,ela respondia sempre encantada em falar sobre seu amor.

Na casa da mãe dela,os homens jogavam vídeo game que Jonathan pôs pra rodar na sala,enquanto o pequeno dormia,Carlos falou que sua namorada os apresentou na nona série e desde então estão juntos,tom ouvia sorrindo entendendo o porque deles querem muito a presença dela,Leandro chegou com sua esposa Taís e o pequeno cachorrinho akita deles snow,a moça curiosa com o que soube do marido,tom olha eles e sorri vendo o cunhado com o boné que presenteou,os cumprimenta educado e conversam se conhecendo mais e almoçam numa bagunça animada,depois dona Paula sai com a nora pra se encontrar com a mãe da noiva sua irmã Rita que mora na rua ao lado e iriam pro salão de beleza fazer cabelo e maquiagem deixando os homens sozinhos.

Carlos fazia ligações pra monitorar os preparativos da cerimônia no salão se estava tudo certo,Eduardo foi lá e trouxe seu terno e do sobrinho no fim da tarde algumas horas antes do grande momento,e eles foram se arrumar,tom se arrumou calmamente sabendo que deu tudo certo no spa as mulheres estão bonitas e sua amada experimentou o vestido e ficou ótimo mas teve que afrouxar um pouco nada demais,ajudou Jonathan com a gravata,pegou seu celular e de sua namorada e uma bolsa dela é guardou com um chinelo para ela usar se começar a machucar o pé,esperaram Leandro aparecer e que os levaria em seu carro branco,e olha eles saírem da casa ao lado,seu cunhado em um terno cinza lindo,e Taís em um vestido prata,ele sorri educado ao lado de Jonathan e entram no carro indo pro lugar da cerimônia,o noivo já tinha ido minutos antes com o cunhado,o filho,george,Paula .

Na viagem de meia hora,o bairro bem residencial com muito verde para em frente à um lugar bem grande e aberto com fachada chamativa,já se via uns carros estacionandos nas vagas e Leandro faz o mesmo e descem do carro recepcionados pelos funcionários do buffet os guiando para dentro que não acreditaram ao verem tom,um homem pediu para confirmar o nome deles na lista e falam seus nomes.

–sem fotos por enquanto–tom diz meio sério olhando ao redor a recepção toda decorada com fotos do casal e a mesa de doces com o nome deles e tinha um cheiro bom em todo lugar e entram no lugar espaçoso iluminado,um lustre brilhante no teto,o tapete vermelho até o altar no outro lado do salão,com com mesas e cadeiras em cada lado do tapete,lírios enfeitando cada mesa,se ouvia uma música suave numa pista improvisada atrás do altar e tinha um palco e o Dj mexendo nos equipamentos para conferir,o grupo perto do altar estavam conversando sorrindo,além do noivo,george e dona Paula,Eduardo,Gregory que foi com Wiliam,os pais do noivo,Hugo o cunhado da noiva e Raul seu sobrinho de seis anos também de terno para combinar com os padrinhos e o noivo,olham eles curiosos,Jonathan já foi falar com o primo.

–então esse homem bonito está namorando a minha pequenina?–a senhora dos olhos bem puxados e cabelos negros longos destacados em sua pele branca de vestido azul água pergunta analisando tom.

–é sim tia–Leandro diz sorrindo apertando a mão da tia que segurava Bernardo que olhava tudo curioso.

–e qual é o seu nome?–a senhora pergunta pro moreno meio nervoso com os olhos penetrantes dela como sua amada disse ela dava medo quando ela era criança.

–Thomas,pode me chamar de tom,a senhora é muito bonita como a sua irmã–tom diz sorrindo pegando a mão dela beijando de leve que sorri.

–muito gentil mas não me compare com essa ridícula–rita diz e olha torto a irmã mais nova,Paula faz careta virando o rosto usava um vestido lilás,tom sorri querendo rir,não importa a idade irmãos sempre brigam ainda mais irmãs ele pensa em suas irmãs,e cumprimenta os pais do noivo,e o pai de Laís,um mulato de bigode que ela puxou muito a aparência,e agora era só esperar.

–cadê a alicia que não chega?,mãe?–Carlos pergunta nervoso pra mãe.

–calma filho deve ser o trânsito–a senhora de vestido rosado diz e pega o celular da bolsinha e mexe um pouco.

–aqui,olha é o trânsito em dez minutos chegam–ela diz mostrando a mensagem,ele olha e assente meio nervoso,sua sobrinha tinha que está a tempo pra ser a florista.

–ei Carlos,você falou do com ele?–tom pergunta indo até ele e aponta pro Dj.

–sim falei,está tudo combinado,realmente vai fazer isso?–ele responde ainda sem acreditar no que ele sugeriu a alguns dias,tom assente confiante,certo do que vai fazer,a irmã do noivo chega com o marido e a filha aliviando um pouco ele e mais convidados chegam,parentes do noivo e padrinhos e madrinhas por parte do noivo,e amigos da noiva cumprimentam educados recepcionados pelo noivo agradecido pela presença,tom se distraía com os amigos da noiva e que disseram que foram colegas de Caroline e os acharam bem simpático,e conhece mais tios de sua amada e não estendia porque um era chamado de gordo sendo que ele é magro mas era agradável e falante,e entendia como sua amada ficava,eles são tão extrovertidos que assusta.

A música abaixa e são avisados que a noiva está chegando e eram pra se organizar,os padrinhos presentes vão pra entrada do salão cheio e fazem fila um pouco antes do tapete vermelho,e todos ficam ansioso esperando,o senhor Valter ir trazer a filha que chegaria de limusine com as madrinhas de honra,e que eatava sendo uma agitação as mulheres ouvindo música tentando aliviar o nervosismo da noiva ao chegarem.

–quanta mulher bonita gente–o senhor diz sorrindo olhando elas que riem,saindo uma de cada vez com ele as elogiando e claro sua filha mais velha.

–e minha pequena Caroline bom te ver–ele diz a olhando bem quando saiu.

–obrigada tio–ela diz o abraçando forte era como um pai,e ela acompanha as outras para dentro.

–e minha pequena princesa está linda–ele diz pra sua caçula segurando sua mão,o vestido branco liso com detalhes de rosa em pedras prateadas,um decote discreto tomara que caia,cabelo com ondas bem preso com uma pequena coroa o seu véu não muito longo e seu pai lhe estende o seu buquê de lírios.

–obrigada pai–Laís diz emocionada pegando e segurando o seu braço esperando o momento pra entrar,tom esperava ansioso vendo Aline entrar e ficar ao lado do marido bem na frente,Evelyn entrar e ficar ao lado do noivo,Jeane entrar e ficar ao lado do namorado,Raissa entra ficando ao lado de Eduardo na frente também,Débora entra ficando ao lado de Gregory,e sua cunhada entrar e ficar ao lado de William,todas lindas de vestido vermelho.

–que cunhado bonito eu tenho gente..–Bruna comenta se virando e analisando tom que sorri sem graça com as risadinhas.

–olha tom,se quiser um dia largar a minha irmã eu estou disponível–ela brinca piscando.

–eu ouvi isso hein?–tom ouve a voz de quem ele queria ver.

–estou brincando nega,que menina séria não sabe brincar–Bruna reclama fazendo eles rir.

–sei,oi meu lindo–Caroline diz sorrindo pra ele paralisado a olhando bem,estava perfeita aos seus olhos,maquiagem discreta iluminando o seu rosto,batom vermelho,cabelo bem preso num penteado traçado no meio com presilhas,e seu vestido vermelho claro de alça,brilhante e rodado na saia e se vai seu salto preto não tão alto.

–oi,você está linda,tem certeza que não vai ofuscar a noiva?–tom pergunta sorrindo lhe estendendo o braço,ela segura rindo.

–não,minha prima é linda e ela está perfeita–Caroline diz sorrindo,ele sorri beijando seu rosto,e ouvem a marcha nupcial tocar indicando que vai começar e se preparam cada casal começam a andar pro tapete vermelho devagar com todos olhando e os fotógrafos e a equipe de filmagem capturando cada um deles,Carlos esperava nervoso no altar com o mestre de cerimônias já preparado,os padrinhos da noiva ficam de um lado e os do noivo do outro.

Olham a pequena Sofia com um vestido fofo jogando pétalas de cesto pelo tapete e vai pro lado da mãe,e todos ficam esperando a grande entrada da noiva,que aparece ao lado do pai radiante e sorriem andando pelo tapete e os noivos se olhavam tão emocionados ao se aproximarem,sogro e genro se cumprimentam,e o pai beija a testa da filha desejando felicidades e se afasta indo pro lado da esposa na mesa que já chorava emocionada,e os noivos se ajoelham pra começar.

–falei que ela estava linda–Caroline  diz baixo pro namorado,ela tentava não chorar.

–realmente está–tom diz baixo sorrindo beijando o ombro dela,e escutam todo o discurso sobre a decisão de viver pra sempre com a mesma pessoa e que tem que estar certos desse passo e como é importante o respeito mútuo na relação,e por fim fazem os votos dizendo sim,e o homem pergunta das alianças e eles olham pra entrada Raul trazendo em um pequeno cesto emocionando sua tia entregando pra ela que beija seu rosto.

–como o ryu está lindo–Caroline diz baixo super emocionada,adorava seu priminho.

–ryu?,não é Raul?–tom pergunta baixo sem entender.

–sim mas Raul é nome de velho,prefiro chamar ele de ryu–ela responde baixo sem ligar,ele nega com a cabeça rindo baixo.

–com essa aliança eu mostro para você Carlos como te amo,como sou agradecida pelos nossos momentos,bons e ruins mas superamos tudo juntos,nossa mais de dez anos juntos não é amor?–Laís diz emocionada num micriofone segurando a mão do noivo que sorri emocionado.

–mas olha a gente agora,estamos completos com o nosso amor e nosso bebê,você me fez ser a mulher que sou hoje,e eu te digo você nasceu pra ser meu homem–ela diz o olhando nos olhos colocando a aliança dourada na mão esquerda dele e beija em cima,todos batem palmas felizes,e ele pega o microfone.

–com esta aliança eu te mostro Laís,como te amo,como agradeço por ter me dado tudo que eu homem deseja,amor e o maior dos presentes nosso filho–Carlos diz emocionado a olhando e olha seu filho no colo da avó olhando pra eles curioso.

–vamos ficar juntos pra sempre minha vida porque nosso amor é grande e único,você me fez um homem,você nasceu pra ser minha mulher,eu era bobo no começo e não sabia como agir mas tive uma ajuda especial,e eu sabia que amaria essa Cruella cruel–ele continua brincando se referindo ao seu cabelo fazendo todos rir batendo palmas,ele tira a luva dela colocando a aliança.

–estou falando de você hein car–Carlos brinca beijando a mão de Laís,e olha de lado Caroline piscando,ela ri emocionada,seu namorado lhe entrega um lenço rindo também.

–então pelo poder investido a mim,eu os declaro marido e mulher,pode beijar a noiva–o mestre de cerimônias diz sorrindo,e o casal se beija como se fosse o primeiro beijo com todos batendo palmas,os padrinhos parabenizam o casal e fazem fila pra assinar o caderno de testemunhas e ao terminar os funcionários desmontam o altar depois de uma sessão de fotos com os padrinhos,dando espaço pra pista,eles vão se sentar um pouco enquanto os noivos cumprimentam os convidados e tirando fotos,e os parentes e amigos vão pra recepção tirar fotos pro álbum em frente à decoração sobre o casal.

Depois Caroline e tom vão pra mesa reservada pros padrinhos,as crianças presentes corriam pelo salão.

–foi lindo não é lover?–Caroline pergunta alisando o cabelo dele que sorri.

–foi e ainda não acabou mas me diga,ele falou da cruela cruel por causa do cabelo dele sempre foi assim?–tom pergunta curioso.

–sim é natural,sabe genético,você lembra da vampira né?–ela pergunta,ele assente mais curioso.

–então ele nunca gostou de ter nascido com isso e sempre pintava mas a lai pediu pra ele deixar aparecer pra hoje porque ela acha bonito–Caroline diz o beijando de leve.

–isso é fofo–tom diz tomando seu drink servindo pelos funcionários. 

–ei galega,olha o que seu filho está fazendo–Caroline avisa sua prima olhando Raul mexendo com a Sofia correndo atrás dela pra puxar seu cabelo,Aline que falava com o marido e sua prima e primo e olha percebendo.

–Raul o moleque arteiro–ela grita com ele levantando pra para-lo,Hugo negava com a cabeça em reprovação.

–pequena o que significa isso do que você chamou ela?–tom pergunta sem entender a palavra.

–nada lindo,é só como chamamos alguém que nasceu aqui mas que parece gringo sabe?–Caroline diz sorrindo,ele assente pensativo,Aline era loira e muito branca ele pensa.

–ah até pra isso vocês têm um nome,estou sempre aprendendo–ele diz beijando o rosto dela a vendo bem tranquila,realmente não teve ninguém que ela achasse inconveniente para estragar o dia,Aline volta com o filho emburrado,e começou a servir salgados típicos que animou o menino.

–prova lindo,é muito bom–Caroline diz sorrindo pegando uma coxinha colocando na boca dele que morde em dúvida mas sorri adorando.

–muito bom,como não tem na Inglaterra?–ele se pergunta pegando mais,ela ri.

–ter tem,mas é difícil achar e com esse sabor–ela comenta.

–da pra fazer quando a gente voltar?–tom pergunta sorrindo.

–claro é simples fazer,e eu aprendi com a minha madrinha–Caroline diz alisando o cabelo dele.

–eba como eu te amo–ele diz alegre beijando ela.

–não me suja lindo–ela diz rindo pegando o guardanapo limpando o rosto dele.

–desculpa–ele diz beijando o rosto dela sem estar com massa no rosto,os brasileiros riam disso olhando,a música animada que tocava abaixa e todos olham pros noivos indo pra pista,ficou tudo escuro só com os holofotes acenos iluminando o lugar.

–senhoras e senhores,agora venham acompanhar a dança dos noivos mas antes uma palavrinha de um convidado especial,tom hiddleston vai é que é sua parceiro–o Dj em sua mesa diz animado pelo microfone,todos ouvem curiosos,Caroline e Laís olham sem entender,tom sorri e beija o rosto de sua amada levantando indo até o palco improvisado passando pelos noivos,fala rapidamente com o Dj que lhe entrega um microfone que encaixa na orelha e ele pra frente do palco ajeitando o microfone ao redor do rosto a frente de sua boca,e os holofotes o iluminam e suspira um pouco nervoso com o que vai fazer.

–gostaria de parabenizar os noivos,sei como é bom estar apaixonado e estar com alguém especial em nossas vidas,e queria dizer que hoje além de ser um dia especial pra esse casal de boas pessoas,também é o dia do primeiro de muitos anos que estou com a mulher mais linda que conheci,Caroline ei pequena não esqueci–tom começa brincando piscando pra ela que sorri,fazendo todos entenderem e soltar um oh.

–mas claro que não é só isso,é que surgiu a oportunidade de uma ideia que eu tive pra homenagear duas mulheres incríveis,então Laís pelo seu dia e por nunca ter julgado a nossa relação desde o início e pequena pelo nosso dia,vou cantar uma música que vocês adoram e que é do meu como vocês dizem conterrâneo Ed Sheeran,espero que vocês gostem..obrigado Carlos–ele continua as olhando e olhando o noivo que sorri,elas entendem sem acreditar,todos batem palmas e assobiam e esperam,tom olha o Dj que assente e se inicia aquela melodia linda e os noivos se preparam,tom olha sua amada a chamando com a mão que vai até ele que começa a cantar.

–I found a love for me..darling just right in and fallow my lead..(eu encontrei um amor pra mim..querida apenas se joga de cabeça e me siga)–tom começa a cantar suave descendo do palco indo até ela encantada indo pra pista.

–well I found a girl,beautiful and sweet..I never knew you are the someone waiting for me...cause we were just kids when we fell in love,not knowing what it was,I will not give you up this time..(bom,eu encontrei uma garota,bonita e doce..eu nunca soube que você seria aquela esperando por mim..porque éramos apenas crianças quando nos apaixonamos,sem saber o que era,eu não vou desistir de você dessa vez)–ele continua a olhando nos olhos parando a sua frente enquanto os noivos dançavam suaves.

–but darling,just kiss me slow,you heart is all I own and in your eyes you're holding mine..(mas querida,apenas me beije devagar,seu coração é tudo que eu tenho,e nos seus olhos você está segurando o meu..)–tom canta suave a trazendo pros seus braços que o abraça emocionada.

–baby,I dancing in the dark with you between my arms,barefoot on the grass,listening to our favorite song when you said you looked a mess,I whispered underneath my breath but you heard it..,darling you look perfect tonight..(amor,eu estou dançando no escuro com você em meus braços,descalços na grama,ouvindo nossa música favorita quando você disse que você parece uma bagunça,eu sussurrei bem baixinho mas você ouviu..,querida você está perfeita essa noite–ele canta suave o refrão beijando a cabeça dela e se afasta a segurando pela cintura que segura seus ombros,se preparam para outra parte.

–well I found a woman,stronger than anyone I know,she shares my dreams,I hope that someday I'll share her home(bem,eu encontrei uma mulher,mais forte do que qualquer pessoa que eu conheço,ela divide meus sonhos,eu espero que algum dia eu compartilhe seu lar)–ele canta suave tocando o rosto dela e a girando de leve.

–I found a love,to carry more than just my secrets,to carry love,to carry children of our own...we were still kids,but we're so in love,fighting against all odds,I know we'll be alright this time...but darling just hold my hand,be my girl,I'll be your man,I see my future in your eyes(eu encontrei um amor,para carrgar mais do que meus segredos,para carrregar amor,para carregar as nossas crianças..mas ainda somos crianças,mas eatamos tão apaixonados,lutando contra as possibilidades,eu sei que vamos ficar bem dessa vez..mas querida apenas segure a minha mão,seja a minha garota,eu vou ser seu homem,eu vejo meu futuro nos seus olhos)–tom canta suave e pega a mão dela aproximando mais seus corpos.

–baby,I dancing in the dark,with you between my arms,barefoot on the grass,listening to our favorite song,when I saw you in that dress,look so beautiful..I don't deserve this,darling,you look perfect tonight..(amor eu estou dançando no escuro com você em meus braços,descalços na grama,ouvindo nossa música favorita,quando eu vi você naquele vestido,parecendo tão linda...eu não mereço isso,querida,você está perfeita essa noite)–ele continua suave deslizando devagar pela pista com os outros casais os acompanhando na linda música com a parte instrumental tocando.

–baby..I dancing in the dark,with you between my arms,barefoot on the grass,listening to our favorite song,I have faith in what I see,now I know I have met an angel in person and she looks perfect,I don't deserve this,darling, you look perfect tonight..(amor..eu estou dançando no escuro com você em meus braços,descalços na grama,ouvindo nossa música favorita,eu tenho fé no que eu vejo,agora eu sei eu conheci um anjo em pessoa,e ela está perfeita,eu não mereço isso,querida,você está perfeita essa noite)–ele termina de cantar suave com a melodia acabando e a aperta em seus braços,se separam sorrindo um pro outro,tom seca suas lágrimas querendo cair e a beija devagar e ouve palmas e assobios dos noivos até que ficaram muito felizes com a homenagem que também fala da história deles.

–obrigada foi lindo–Caroline diz chorosa no ouvido dele o abraçando forte,ele tira o microfone sorrindo.

–de nada,faço tudo por você,me espere na mesa–ele diz baixo a beijando de leve,ela assente olhando ele ir pro palco ainda sobre aplausos e ela vai pra mesa.

–muito lindo,bela voz e ótima música senhor hiddleston mas a festa ainda não acabou,vamos animar gente–o Dj diz tocando uma música eletrônica,quando tom volta pro lado da namorada que o beija tão feliz por ter um namorado tão fofo.

A comemoração continua,e começa a ser servido um churrasco com tudo que tem direito,e Caroline ria da empolgação do namorado provando uma comida diferente mas saborosa,ela só ficou comendo algo mais leve,frango por gostar muito,com o estômago ainda estranho ficando sem muito apetite depois,tom estranhou mas ela estava aparentemente bem,esquece se concentrando na comida,e com o pessoal na pista dançando,ele que gosta muito de dançar a chama.

–mas lindo meu pé está doendo,por isso que eu odeio salto–Caroline tenta dizer tomando suco de limão.

–tudo bem,trouxe seu chinelo vou pegar–ele diz beijando o rosto dela que assente,tom vai até o guarda volume que tinha na entrada do salão onde podia guardar os pertences que você não queria carregar na hora,pega a bolsa dela e volta pra mesa com um pouco de dificuldade tendo alguém sempre querendo uma foto ou autógrafo e ele tenta dar atenção,tinha até uma caneta no bolso,olha sua amada tirando os saltos massageando os pés.

–aqui minha linda,está doendo muito?–tom pergunta preocupado ficando ao lado dela.

–não lover,já aliviou–ela diz sorrindo de leve,ele assente lhe entregando os chinelos leves, e deixa os saltos na cadeira com a bolsa,e ele a guia pra pista e ela fica animada ouvido o bonde do tigrão e vendo seus irmãos,seus primos e amigos se preparando para dançar,eles adoravam muito quando criança e sempre dançam nas festas que estavam juntos,era nostálgico,até Gregory que estava acostumado com essa turma estava empolgado,tom ficou meio perdido no começo mas pega o ritmo da coreografia engraçada e cheia de energia,e ficava impressionado como o grupo era sincronizado e sabiam a coreografia e ficam animados quando começa a tocar,a dança da mãozinha,olha a onda,teve até Macarena,e sua amada tinha razão com eles ela se divertia,ele pensa a olhando tão feliz dançando,mesmo com os outros fazendo uma roda pra olhar eles e tudo sendo gravado,com eles ela perdia a vergonha,ele riu muito com dançando com eles e conclui que latinos sabem o que é dançar,ele pensa voltando pra mesa pois ela cansou.

–uhul arrasaram,e esse gringo sabe requebrar–Hugo comenta sorrindo,era muito tímido pra dançar,o casal sorri sem graça e tomam um pouco de água com um pouco de descanso,e o bolo de casamento azul e branco com os bonecos dos noivos no canto do salão foi servido,e eles se distraem com a sobremesa e brigadeiros e cajuzinho típico,e tom adorou experimentar e falou que ela também tem que fazer quando voltarem,ela ri concordando.

E o Dj anuncia que a noiva vai jogar o buquê,e as solteiras ou as mulheres que querem se casar já gritam indo pra pista pro horror dos parceiros,tom olha sua amada se lambuzando de bolo sem ligar pra confusão e da de ombros,não era mais relevante esse assunto e presta atenção em Laís jogando o buquê e sua amiga Raissa pega a deixando feliz gritando muito,tom ri com Caroline olhando também,e são avisados que a cabine de fotos que era em forma de uma cabine telefônica londrino perto da entrada do salão,o que tom achou graça puxando sua amada pra ir pra fila,e tiram fotos engraçadas com os assessórios que tinham na cabine,e pegam a foto que sai na hora,montagem de três fotos como lembrança,ela tira foto com as primas e seus irmãos,tiram com Débora e Gregory,e o casal tira uma última foto com os noivos pros demais convidados tirarem fotos,e voltam para a mesa rindo.

Era quase dez da noite e foram se despedir dos noivos que também se despediam dos convidados,eles vão pra recepção e tinha um livro pra escrever algo pro casal e escrevem no livro colorido e seguem pro estacionamento,com eles dividindo os carros voltando querendo descansar e acenam pros casais indo pra casa da frente e pra casa vizinha dos sogros de Leandro,tom e Caroline dão boa noite pros senhores indo pro quarto.

–está cansada?–tom pergunta deixando o salto dela perto da cama.

–um pouco mas foi ótimo–Caroline diz sorrindo de leve,ele assente abrindo a gaveta guardando a bolsa dela.

–sim mas tira esse vestido e toma um banho pra relaxar e dormir bem–ele diz se virando pra ela alisando seus braços,ela assente indo com ele pro banheiro ao pegar as toalhas,se despem calmamente,ele a ajuda ela desfazer o penteado e não bagunçar muito o cabelo e aproveitam a água relaxante se olhando sorrindo e terminam vestindo um pijama leve.

–lindo eu tenho algo pra você,quer dizer pra nós dois mas não sei se vai se comparar com a surpresa que você fez–Caroline diz mexendo no bolso de uma blusa dela no guarda roupa,ele olha curioso passando seu desodorante e o guarda devolta esperando o que viria,ela se vira pra ele com uma caixinha de veludo verde e entrega pra ele que abre e sorri.

–não é algo extraordinário mas achei que seria algo simbólico pra gente,dois corações partidos que se completam–Caroline comenta sorrindo.

–eu achei lindo,o que importa é o significado linda,isso vai nos lembrar do dia que viajamos pela primeira vez,adorei obrigado–tom diz sorrindo pegando a peça delicada com corrente de ouro branco,o coração foi polido e repartido ficando metades perfeitas em volta de prata pra ter onde a corrente segurar,tom levanta o cabelo dela e coloca a sua metade.

–ficou linda–ele diz colocando a dele,e eles encaixam cada metade como um quebra cabeça e se beijam bem felizes com o dia especial,desligam a luz pra deitarem.

–você foi muito fofo hoje–Caroline diz deitando sobre seu peito que passa os braços em volta dela.

–eu só quis tornar especial o nosso dia,fico feliz que tenha gostado–tom diz suave alisando as costas dela.

–sim você é maravilhoso,por isso estava estudando a letra daquela música–ela diz beijando o peito dele.

–tinha que ser perfeito–ele diz alisando o cabelo dela.

–e foi–ela diz o olhando que segura seu rosto a beijando devagar e se aconchega nos braços dele.

–linda,estava pensando numa coisa e tenho medo de falar–ele diz de repente alisando seu cabelo.

–o que?–ela pergunta baixo já querendo dormir.

–bom er..acho que seria bom a gente tentar uma nova etapa da nossa relação–tom diz baixo hesitante beijando a cabeça dela.

–tipo o que?–Caroline pergunta baixo de olhos fechados.

–o que acha de você vir morar comigo?–ele pergunta meio nervoso esperando o que viria.

–seria ótimo e...o que?–ela que estava com sono dizia distraída e pergunta sem acreditar se afastando um pouco com o sono a deixando.

–lindo porque isso agora?,é poque eu falei que não aceitaria me casar?–Caroline pergunta confusa. 

–não é só isso,mas se você não quer se casar,porque não a gente morar juntos?,você já se sente em casa lá–ele diz sorrindo de leve pegando a mão dela que o olha surpresa e pensativa. 

–nossa mas sem nos casar nem nada–ela diz alisando o rosto dele.

–percebi que não importa como você disse temos o nosso compromisso e não precisamos de rótulos certo?–tom diz sorrindo tocando o rosto dela.

–mas e o meu apartamento?–ela pergunta sorrindo lembrando de sua propriedade.

–você pode deixar pra alugar se isso te deixa mais tranquila,não precisa se livrar dele–ele diz beijando o queixo dela.

–ok,você tem certeza disso?–Caroline pergunta em dúvida.

–absoluta,você é a mulher que eu amo e quero te ver quando chego em casa morrendo de saudade,isso é um sim?–ele pergunta animado alisando a mão dela.

–um talvez,e os meus filhos?–ela pergunta sorrindo querendo rir.

–sabe que eu adoro eles,são meninos bonzinhos não tem problema–tom diz suave a beijando de leve.

–então sim vai ser ótimo,vamos resolver tudo quando a gente voltar–ela diz sorrindo beijando seu rosto que a abraça forte bem contente. 

–certo,não sabe como eu te amo–tom diz a beijando lentamente que ri baixo retribuindo.

–sei sim você é incrível,e acho que a convivência não vai ser problema–ela diz sorrindo. 

–não mesmo,já nos acostumamos com o jeito um do outro,vamos conseguir juntos–ele diz animado beijando a testa dela que sorri o abraçando,ele a aperta em seus braços suspirando leve por ela ter aceitado.



Notas Finais


A música perfect da jus ao nome não é gente?
Até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...