1. Spirit Fanfics >
  2. Danganronpa: Hello Despair! (INTERATIVA!) >
  3. Knockin' On Heaven's Door (Batendo nas portas do céu)

História Danganronpa: Hello Despair! (INTERATIVA!) - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


ATENÇÃO:

Se sua personagem morrer, não se preocupe. Ela voltará mais tarde nos especiais. :>

Seu e-handbook: https://docs.google.com/document/d/1wPCJd4E3hknABYK0qklpkXF6fX6J6ryy4XPkwKBgA1Y/edit?usp=sharing

Servidor do discord: https://discord.gg/Zan7xsUj4U

Ficha de relações: https://forms.gle/iQijfCzujqRhQ7dt5 (pra mandar crushes, amigos, inimigos, etc.)

Não se esqueçam das perguntas no final :>

Capítulo 17 - Knockin' On Heaven's Door (Batendo nas portas do céu)


O dia começou estranho. Passaram-se quatro dias desde que a doença se espalhou e, felizmente, ninguém mais, exceto os alunos já doentes, contraíram a doença do desespero. Shin havia acordado com o cobertor por toda sua cabeça. Ele o empurrou de lado e sentou-se no chão, onde havia passado a noite dormindo. Seus olhos imediatamente foram para Koshiyama, que estava dormindo na cama.
Ao se levantar, o garoto rapidamente verificou o Ultimate adormecido, um pouco preocupado de que ele pudesse estar morto. Ele não pôde evitar, mas se sentiu um pouco mal- Ele era bastante protetor com o irmão e um pouco emotivo. Era o mínimo que o garoto de cabelo rosa poderia fazer por Tsukiya, depois de tudo que ele havia feito por ele. Ele estava mais chateado consigo mesmo do que com o outro garoto também, por ser tão descuidado...
Sinceramente, Shin só queria ficar o dia todo na cama e talvez chorar um pouco, a pressão de ter que falar com as pessoas tanto o afetando mais do que aparentava. No entanto, ele simplesmente não podia ser fraco quando alguém precisava dele. Não era hora de ser sensível, agora. Além disso, ele cometeu um erro ontem à noite... Algo que não deveria ter feito. Mas estava tudo bem mudar um pouco, ele estava... Se sentindo um pouco diferente hoje. Shin decidiu então ir em frente e fazer algo de bom para seu companheiro temporário de dormitório. Trazê-lo para um café da manhã não seria tão difícil.
Ah, mas primeiro... Shin precisava cuidar de seu probleminha.

-
Shin mordeu a maçã, que havia sido trazida da cozinha. Shin estava tocando suavemente o braço de Koshiyama, para acordá-lo.
O menino adormecido acordou, com calma, logo após ser tocado pela primeira vez, e seus olhos demoraram alguns segundos para se acostumar com tudo. Tudo o que ele viu foi- Shin? Embora... Dois longos rabos de cavalo caíam da cabeça dele em uma maria-chiquinha?, quase tocando o chão. E também, seus seios, que não estavam lá ontem, ao menos pelo que ele se lembrava.

[Koshiyama Yuu]
"Bom Dia."

Koshiyama olhou para Shin, esperando algum tipo de explicação. Shin parecia tão entediado como nunca pareceu antes. Havia algo um pouco... Diferente. Ela simplesmente inclinou a cabeça.

[Shin Fujikawa]
"Eu trouxe o café da manhã para você."

[Koshiyama Yuu]
"Obrigado.. Você está diferente hoje."

[Shin Fujikawa]
"Sim? Sim... Por favor... Dê-me alguns segundos para pensar...
.
.
.
 Eu sou... uma garota? Mas só hoje.. "
 
[Koshiyama Yuu]
"Só hoje? Por quê?"

Koshiyama calmamente comeu seu café da manhã.

[Shin Fujikawa]
"Porque me sinto como uma menina hoje... eu..."

[Koshiyama Yuu]
"Então você tem tipo, gênero fluído?"

[Shin Fujikawa]
"Acho que essa é a palavra... Eu... Trouxe seu café da manhã aqui porque me senti muito mal por ontem, não gosto de ser rude com as pessoas."

[Koshiyama Yuu]
"Ah, você não deveria se preocupar com isso, você estava apenas razoavelmente chateada, eu não guardo rancor por isso."

[Shin Fujikawa]
"Eu realmente não me importo se você está bem com isso, eu ainda me sentia horrível mesmo assim, rancor guradado ou não."

[Koshiyama Yuu]
"Entendo.. De qualquer maneira, obrigado pelo café da manhã."

[Shin Fujikawa]
"Isabeli me ajudou com isso, ela já está acordadas..."

[Koshiyama Yuu]
"E quanto aos outros?"

[Shin Fujikawa]
"É um pouco cedo... E ...Obrigada pela paciência comigo, acho difícil falar com as pessoas..."

[Koshiyama Yuu]
"Sério? Você faz um bom trabalho em não deixar transparecer."

[Shin Fujikawa]
"Eu fico muito ansiosa e não consigo pensar direito... É que nos últimos dias as pessoas precisaram de mim, então... Não é como se eu tivesse tempo para ficar triste ou entrar em pânico... Ah, mas sinto um pouco mais confortável perto de você do que a maioria das pessoas por agora. "

[Koshiyama Yuu]
"Então você se colocou de lado por eles, que interessante. Fico feliz que você se sinta assim comigo, gostaria de conversar mais com você."

O menino se levantou e terminou o café da manhã. Shin também se levantou.

[Shin Fujikawa]
"Eu não fui completamente honesta também... Tsukiya não é meu, verdadeiramente... Irmão de sangue. Embora digamos que somos... Eu apenas fugi de casa muito jovem, e Tsukiya... Me levou para a casa dele. Isso é... Tudo que você precisa saber. E... Isabeli não é a única acordada... "

[Koshiyama Yuu]
"Então, é por isso que você é extremamente protetora sobre isso. Hmn.. Ah, quem mais era?"

A garota corou um pouco, um pouco envergonhada sobre sua personalidade protetora.

[Shin Fujikawa]
"Eu não sou assim de propósito... Ayumi... Ela estava voltando para o quarto dela, e ela estava com uma cara séria, então eu decidi falar com ela. E... uhmn ...Parece que Misaka não dormiu a noite toda. Ela está muito mal... Principalmente por causa de todo o choro. Então... Pensei que talvez pudéssemos fazer uma parada lá, talvez você possa acalmá-la um pouco..."

[Koshiyama Yuu]
"Oh, claro, vou ver se posso fazer alguma coisa por ela. Você já verificou os outros?"

[Shin Fujikawa]
"Eu não pude fazer isso... Os quartos deles estão trancados... O que deve significar que eles ainda estão dormindo. Misaka é a única acordada."

[Koshiyama Yuu]
"Ok bom, vamos ver como ela está agora, vou tentar mantê-la calma."

[Shin Fujikawa]
"Sim, vamos lá..."

---

[Misaka Hatsuno]
"Você não entende- À noite, ouvi um barulho de algo caindo e pensei- Como alguém em uma cadeira de rodas pega as coisas quando elas caem? Alguém já pensou nisso? "

Misaka começou a soluçar novamente. E não só ela, mas Shin agora também.
Os dois estavam chorando.

[Koshiyama Yuu]
"Normalmente eles têm outra pessoa para levar para eles. Acho que as pessoas que usam cadeiras de rodas e seus cuidadores pensam nisso, mas- Shin, por que você está chorando também?"

[Shin Fujikawa]
"Porque... Ela tem razão... O mundo é tão injusto... E me deixa triste ...Que ela está triste ..."

Nesse momento, Ayumi entrou na sala, parecendo preocupada.

[Ayumi Miyami]
"Todo mundo... Estou muito preocupada. Sayuri ainda não acordou, ela trabalhou muito na noite passada... Então eu não posso pedir a ela. Mas Kiyomi parece... Deprimida... E não abriu a porta dela ainda. E... Tem um... Cheiro estranho lá dentro. Eu acho que ela vomitou... Ela deve estar muito doente... "

[Shin Fujikawa]
"Você quer que eu chute a porta?"

[Ayumi Miyami]
"Por favor... Estou preocupado com ela."

Ayumi parecia muito preocupada. Ela estava um pouco cansada de tanto trabalho, mas ainda tentava ajudar a todos de qualquer maneira.
Shin então começou a sair da sala, limpando o rosto o melhor que pôde. Ela notou alguém na porta, aquele aluno estranho que se chamava de "O Homem Ímpar". Ele estava fora da sala, encostado na parede. Foi uma visão estranha, mas... Não há tempo para isso. Ela chutou a porta com um chute rápido e eficiente e, surpreendentemente... Abriu.
Embora, aquelas portas parecessem tão resistentes... Abriu.
Apesar de a garota mais baixa dali estivesse ansiosa para entrar, Shin entrou primeiro, com calma. Tudo o que Ayumi pôde sentir foi o braço da garota de cabelo rosa, quando ela esbarrou nele.

[Shin Fujikawa]
"Ayumi, você pode esperar lá fora?"

Shin perguntou calmamente, em um tom doce e quase maternal. Mas era tarde demais. Ayumi tinha visto isso.
O corpo de Kiyomi. Uma faca, apunhalando seu peito, suas roupas, cheias de sangue seco, como se tivesse sido brutalmente esfaqueada. Ela parecia... Tão pacífica em sua morte. Eles mal ...Tiveram tempo ...Para conhecê-la ...Isso não era justo ...
Embora soubesse que não deveria, Shin não conseguiu conter um soluço, caindo de joelhos.

Um som ecoou por toda a escola. Um toque.

"Um corpo foi descoberto!"

"Por favor, faça o seu melhor e investigue a morte de sua querida amiga!"
---

O menino deu um sorriso calmo para Ayumi.

[Koshiyama Yuu]
"Ayumi, por favor, leve Shin com você por enquanto, vocês dois tentem se acalmar. Vou chamar Isabelli para vir e ver o que podemos fazer sobre isso. Você pode fazer isso?"

[Ayumi Miyami]
"...Sim eu posso..."

Koshiyama saiu da sala, ele sabia que eles precisavam dela.

[Shin Fujikawa]
"... Desculpe. Não sei o que deu em mim, estou bem. Você deveria ir... Dar uma olhada nos outros alunos doentes... Acordá-los ...Acordar ..."

A garota disse, limpando o rosto.

[Shin Fujikawa]
"Eu deveria ...Ficar por aqui e ajudar. Por favor? Eu estou bem."

Ayumi estava preocupada com Shin, mas o olhar suplicante que ela deu a ela a convenceu de que talvez fosse o melhor. Ayumi também se sentiu um pouco enjoada - Ela precisava sair de lá. E... Verificar Yume. Ela queria confiar que Shin ficaria bem.

[Shin Fujikawa]
"Além disso... Não seria bom deixar o corpo sozinho ..."

[Ayumi Miyami]
"Você está certa. Por favor... Cuide-se. Vou verificar todos." 

E então Ayumi correu para fora, com uma mistura de emoções em seu peito. Ela entendia Shin.
Como elas poderiam ficar paradas quando sua colega de classe morreu?!


Notas Finais


PERGUNTAS DO CAPÍTULO:

Ps:Essas perguntas são importantes para você poder fazer parte e pra eu poder escrever sua personagem melhor! Algumas perguntas vão mudar, e outras não.

1. O que sua personagem acha dos personagens que ela falou com ou viu nesse capítulo?

2. Você acha que sua personagem foi escrita bem? Como ela poderia melhorar?

3. Oh não! Kiyomi acabou de morrer! O que sua personagem irá fazer??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...