História Danganronpa Vh: Hetalian despair - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Danganronpa The Animation, Hetalia: Axis Powers
Personagens Alemanha, América (Estados Unidos da América), Áustria, Belarus (Bielorrússia), China, Dinamarca, Hungria, Inglaterra, Japão, Kugelmugel, Mônaco, Monokuma, Polônia, Romênia, Taiwan, Ucrânia, Vietnam
Tags Ameripan, Asakiku, Danganronpa, Hetalia, Kikuwan
Visualizações 25
Palavras 1.663
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, LGBT, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Tá assim bem curto porque eu quero...

Espero que gostem do capítulo, tenha uma boa leitura e me desculpa por qualquer erro ortográfico.

Capítulo 18 - Dois coelhos em uma cajadada só


Fanfic / Fanfiction Danganronpa Vh: Hetalian despair - Capítulo 18 - Dois coelhos em uma cajadada só

Mais um dia... Desde que o Monokuma deu o quarto motivo, as coisas ficaram estranhas... Tipo, o Roderich e Chung estão comendo com a gente. A Chung eu já sabia o motivo, mas o motivo do Roderich é um tanto quanto engraçado... A Eliza está obrigando ele a comer com a gente.

São nove horas da manhã. Já já iremos ter a nossa partida de Uno com a Lucille. Eu sinto que irei perder várias e várias vezes, pois eu irei jogar com a melhor adolescente apostadora do mundo...

Como tinha nada para fazer, eu fui fazer algo que já devia ter feito há muito tempo. Fui até a biblioteca e ele estava lá. Arthur Kirkland estava lendo um livro, provavelmente Harry Potter, na empoeirada biblioteca.

— Arthur... — Chamo por ele e ele não me responde — Arthur... Arthur... Arthur... Art-

— O que é, seu idiota!? — Gritou batendo as mãos na mesa — Qual a parte que você não entendeu que eu não quero falar com você!?

— Arthur... Eu vim falar sobre o segredo que estava guardando... — Respirei fundo — Depois que eu acordei naquela sala secreta, eu ouvi um barulho e fui ver o que era.

— Sério que era só isso!? — Perguntou o tsundere.

— Não... Eu vi o Yao conversando com o Monokuma...

— Conversando sobre o quê? — Ele pareceu interessado.

— Eu não entendi direito, mas é algo relacionado à benefícios para o Mastermind...

— Hm... Não podemos tirar conclusões precipitadas — Falou com a mão no queixo.

— Estamos bem agora?

— Sim. Eu até entendo o motivo de você não ter falado para mim.

— Sabe? — Perguntei surpreso.

— Sim! Você é muito idiota e não queria falar, pois você não sabia no que eles estavam falando direito, certo?

— Sim...

— Você é mesmo um idiota — Arthur olhou para a hora no relógio da biblioteca — Olha a hora! Vamos loga para a Sala de Recreação!

Fomos para a Sala de Recreação, ela estavam um tanto quanto diferente. Ela estava lotada de comida, além de todas as cadeiras estarem em um círculo fechado. Lucille estava sentada em uma cadeira que parecia um trono e então falou:

— Então, vamos começar? — Perguntou com um sorriso... Um sorriso de que iria ganhar tudo... E foi o que aconteceu...

Era derrota atrás de derrota. Roderich era um dos que não estava aceitando perder para a Lucille. Lucille só fazia rir da nossa cara.

— Ai ai, você são tão divertidos — Falou Lucille.

— Tú sabe que se continuar com isso, você vai ser a vítima do próximo assasinato, sabe? — Perguntou Ehren.

— Claro que eu sei, mas eu não tenho medo — Respondeu Lucille.

— Como assim? — Perguntou Eliza.

— A minha mestra, Celestia Ludenberg, me ensinou a mentir muito bem para as pessoas. Teve um dia que ela me falou: "Lucy, a mentira deve ser usada além de enganar outras pessoas, quando estiver a beira da morte, use as mentiras para enganar o seu coração." Até hoje eu uso essa filosofia — Falou Lucille com um sorriso.

— Então você não tem medo de morrer-aru? — Perguntou Yao.

— Nada disso! — Falou Lucille — Antes que eu me esqueça, podem me chamar de Lucy — Ela colocou um puxe quatro... Vai começar de novo...

Era por volta das duas da tarde, havíamos desistido de jogar, então concordamos em jogar umas oito da noite. Estranhamente, a Lucy pediu para a gente escolher uma carta do jogo para ser a nossa favorita... Eu escolhi qualquer carta de cor verde, assim como a Natalya com a cor vermelha, a Mei com a cor amarela e o Roderich com a cor azul, já Ehren, Eliza, Chung e Arthur escolherem puxe dois sendo de cor verde, amarelo, vermelho e azul respectivamente, Yao ficou com um muda cor e a Lucy ficou com um puxe quatro... Ela ama essa carta...

...

— Kiku, você pode mesmo fazer isso? — Perguntou Arthur.

— Sim. Tenho certeza de que nada vai dá errado, pelo menos, eu irei salvar alguém... — Falei. Peguei o Alter Ego e o coloquei debaixo das minhas roupas, e fui rumo ao meu destino, a Sala Secreta.

Ao chegar na sala, eu coloco o Alter Ego em cima da mesa e pego o cabo que havia lá.

— Senhor Kiku? — Chamou Alter Ego. Eu digitei: "Sim? Algum problema?" — Nada não, eu só queria saber se isso vai lhe causar problemas? — Eu digitei: "Claro que n, Monokuma nem vai saber que foi eu" — Assim espero — A inteligência artificial sorriu para mim — Espero que você, o meu mestre e os outros saiam daqui, assim o meu sacrifício não vai ser em vão — Eu não sabia o que dizer para ele. Alter Ego era meio que um amigo para a gente e um filho para o Ehren. Sem saber o que dizer, eu digitei: "Iremos sentir saudades sua" — Não precisa mentir para mim, mas se estiver falando a verdade, obrigado. O tempo que passei com vocês, foi o melhor desde a minha criação.

Saí da Sala Secreta com um pouco de peso nas costas. Estava andando até ouvir um grito, um grito que parecia ter vindo da cozinha.

Cheguei na cozinha cansado de tanto correr. Olho e vejo a Mei com o dedo cortado e o Arthur com uma cara de "foda-se".

Levamos a Mei para Enfermaria e lá, colocamos o curativo certo nela... Percebi algo de diferente naquela sala... No frigobar que havia lá, a primeira fileira estava sem bolsa de sangue e a segunda fileira estava lotada, o que tem de diferente é que na segunda fileira, está faltando uma bolsa de sangue... O que será que pode ter acontecido...?

Eu, Mei e Arthur fomos para o meu quarto, não entendi o motivo de irmos para o meu quarto, mas fazer o que, né?

— Por que estamos aqui? — Perguntou Mei.

— Sabe... Vai demorar para a nova partida de Uno... Tem um gay — Apontou para ele mesmo — , uma hétera até que se prove o contrário — Apontou para a Mei — e um bissexual... Acho que nós três sozinhos vai ser beeeeem prazeroso.

— Quê? — Não estava entendendo o que estava acontecendo.

— Aaaaah entendi... — Falou Mei tirando a BLUSA!?

— Mei, por que você está fazendo isso!? — Perguntei.

— Ué, Kiku? Acho que você sabe o que é um treesome — Falou Mei.

— Eu não vou fazer isso! — Falei.

— Vai sim! — Falou os dois se jogando em mim...

...

Estaria mentindo se dissesse que eu fui abusado... Eu amei... Foi a melhor coisa da minha vida...

Após terminarmos, fomos em direção da Sala de Recreação até ver uma cena...

— Pare de falar merda, seu urso idiota! — Gritou Natalya. Natalya e Eliza estavam gritando com o Monokuma.

— Ué? Eu posso não dá uma dica de assassinato? — Perguntou Monokuma.

— Dica de assassinato? — Perguntou Arthur.

— Olha só! Kiku, Mei e Arthur, deixem eu dá uma dica para vocês: Que tal vocês se fingirem de morto nos seus assassinatos? Isso seria beeeem mais fácil de vocês passarem no Julgamento de Classe! — Falou Monokuma.

— Que dica inútil! — Falou Mei — Ninguém aqui vai matar!

— Sei não em... Upupupu — O urso sumiu...

— O que ele queira dizer com isso? — Perguntou Ehren.

— Isso não importa! Vamos logo perder mais uma vez para a Lucy! — Falou Natalya. Percebi que Yao não estava com eles.

— Cadê o Yao? — Perguntei.

— Ele disse que iria na frente — Falou Eliza — Eu até estranhei, mas eu deixei de lado.

— Certo.

Seguimos até o nosso destino, a Sala de Recreação. Tudo estava como de costume, Eliza estava brigando com Roderich; Mei, Ehren e Natalya estavam conversando; Arthur na dele assim como a Chung; e eu estava na minha, seguindo até a sala...

Ao chegar na sala, eu abri a porta. Eu, Eliza e Natalya entramos logo... Mas mal sabíamos que iríamos encontrar aquilo...

Lucy... Estava no chão... Toda pálida e com os olhos... Sem vida... E também estava sorrindo... Não muito longe dela, estava uma enorme poça de sangue... E nela estava Yao com uma estaca de madeira no seu estômago... Ele estava com o mesmo olhar que o da Lucille... Sem vida...

Yao Wang, o Lutador de Artes Marciais de Nível Super Colegial e Lucille Bonnefoy, a Apostadora de Nível Super Colegial... Estavam mortos bem na minha frente... O assassino matou dois de nossos amigos...

— Não! — Gritou Eliza caindo no chão.

— ... — Natalya e eu ficamos calados sobre a situação que estava diante de nós...

— O que foi Eli- AAAAH! — Gritou Mei.

— Meu Deus... De novo não... — Falou Ehren caindo no chão... Arthur e Roderich também haviam entrado só que dessa vez, eles estavam calados...

— I-isso é u-um corpo...? Não! S-são dois corpos... — Falou Chung logo desmaiando — Chegay! Oh! Dois corpos! Ching Ling e Jabami Yumeko 2.0 morreram... Mas que pena Kyahahahahaha! — Falou a Jill...

— Cala a boca! — Gritou Eliza...

Ding dong, ding dong...

O urso sádico preto e branco apareceu em uma das telas que havia naquela sala e disse:

— Um corpo foi encontrado! Depois de um certo tempo, que eu recomendo que vocês devam usar com sabedoria, o Julgamento de Classe irá começar! — A tela desligou.

E essas foram a quarta e quinta vítima desse jogo da morte... Até quando isso vai continuar... Será que devemos sentir esperança...?

[...]

Vivos: 9/16

• Kiku Honda.

• Natalya Arvoskaya.

• Mei Xiao.

• Ehren Edelstein.

• Yekaterina Brangiskaiya.

• Elizaveta Hédeváry.

• Yao Wang.

• Roderich Edelstein.

• Trần Chung Liên.

• Arthur Kirkland.

Mortos: 7/16

• Alfred F. Jones.

• Ludwig Bielschmidt.

• Feliks Łukasiewicz.

• Mathias Køhler.

• Vladimir Ardelean.

• Lucille Bonnefoy.


Notas Finais


Ixi... Alto Rego vai se sacrificar para eles saírem... Que pena...

Espero que tenham gostado do capítulo e até~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...