História Danganronpa:hope is a lie - Capítulo 11


Escrita por:

Visualizações 4
Palavras 5.551
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Mistério, Policial, Romance e Novela, Survival, Suspense
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 11 - Cap4-no limite da razão(class trial)


Pov’s anna.

Estávamos todos parados naquela sala, olhando aterrorizados para o corpo de yue que estava morta no chão daquele quarto no porão, eu não podia acreditar que algo assim aconteceu, houve um assassinato enquanto estamos desmaiados, então quem poderia fazer isso? E porque a yue?

Yukiteru:guu…-parecia querer vomitar- com licença eu acho que tô passando mal-se retirou do porão.

Sandra:ahhhgh….p-porque??- disse tremendo de medo.

Rito:isso não faz sentido nenhum, como isso aconteceu?

Hideshi:vamos investigar pessoal, deve ser difícil isso acontecer enquanto estávamos em harmonia, mas devemos fazer isso agora não é anna?

Anna:...-decidi não responder.

Nana:buu…-ela estava chorando em um canto-yue…

joel:o que ela veio fazer aqui, não tem nada nessa sala.-foi então que todos olharam em volta e viram que era uma sala pequena e sem nada por lá, então pra que era essa sala?

Nana:e ainda tem mais, essa sala devia está trancada.

Rito:será que ela achou a chave que abria esse local?

Monokuma:vocês só saberão se investigarem!-falou ele surgindo do nada.

Max:o monokuma, fazia tempo que não via esse urso maldito.

Monokuma:pois é né, eu sai de férias enquanto vocês brincavam de ser amigos, mas acho que isso não durou muito não e mesmo.

nana:então você apareceu aqui pra tirar com a nossa cara?-ela estava nervosa.

Monokuma:isso também, mas mais importante vim entregar o arquivo monokuma pra vocês começarem a investigar.

Então nossos monopods vibraram e eu dei uma olhada nele, o arquivo havia chegado então dei uma olhada.


Vítima: yue

Local da morte:porão do castelo

Causa da morte:esfolamento, morreu um tempo depois.

horário da morte:?

A vítima apresenta um corte horizontal na garganta, que foi seu ferimento fatal, e tem um pedaço de sua saia rasgada por algum motivo.


Anna:isso é muito estranho, parece que o horário e o mistério dessa vez.

Hideshi:vamos investigar alguns locais, que tal, anna?

Anna:melhor nos separarmos, temos que ter mais eficiência nessa investigação, já que ficou um grande espaço em branco no tempo que estávamos desacordados.

Hideshi:hum..tem razão, vou investigar com o rito e a nana.

Anna:joel e o yukiteru, virão comigo.

Joel:tem certeza que eu vou ajudar? Sabe eu sou só um ajudante de cozinha.

Anna:você será útil, chame o yukiteru e me encontre no depósito.

Povs rito

Rito:vamos ficar com o corpo como sempre.

Hideshi:o arquivo monokuma dá ênfase à saia rasgada dela, porque será?

Nana:acho que ele quis destacar que essa pista era importante.-falava de forma chorosa limpando as lágrimas.

Rito:olharei os bolsos dela, você vê o ferimento.

Dito e feito ambos começaram a investigar o corpo.

Hideshi:os ferimentos estão iguais os descritos no arquivo monokuma.

Rito:no bolso dela não tem nada, além do mais ela não está com a chave da porta.

Nana:será que o assassino levou a chave com ele?

Hideshi:tem algum motivo para ele fazer isso?

Pista 1:arquivo monokuma.

Pista 2:ausência da chave

Rito:aqui nessa sala não tem nada para investigar, ela está vazia.

Hideshi:hum…

Nana:o que foi hideshi?

Hideshi:tem algo debaixo do corpo da yue.

rito:o que?-então nos levantamos um pouco ela e nana tirou a coisa que estava debaixo dela.

nana:um livro, e ele está em branco!

Hideshi:hum...já vi esses livros, mas porque ela está com eles?

Pista 3: livro em branco.

Rito:de qualquer forma ela descobriu algo com esse livro, acho que devíamos tentar descobrir também.

Hideshi:se houvesse alguma forma de fazermos isso.

Então decidimos ir para o refeitório para ver se encontrávamos algo.

Sandra: oh, os detetives chegaram!

Rito:hum... o que foi?

sandra:eu e o max viemos dar uma olhada no refeitório e encontramos algo.

Nana:nos mostre!!

Sandra nos levou até perto de uma lixeira próxima ao banheiro.

Rito:que cheiro horrível!

Max:ai dentro tem um líquido estranho e pastoso, e ele tem esse cheiro forte, e coincidentemente na cozinha, na pia tem uma panela com requisitos desse líquido.

Hideshi:acho que isso vai servir como pista.

Pista 4: líquido na lixeira.

pista 5: panela com resto do líquido pastoso.

Povs anna

Yukiteru: o que viemos fazer aqui?

anna:quero dar uma olhada em uma coisa.

Nos aproximamos de uma estante com refrigerantes.

Joel:acho que entendi, acha que a causa de termos desmaiado foi por causa de alguma coisa no refrigerante?

Anna:isso, acredito que isso poderia facilmente fazer o hideshi de suspeito já que foi ele que trouxe o refrigerante, a não ser que…

Joel:o que?

Anna abriu um refrigerante aleatório e falou-beba.

Joel:o-ok-ele bebeu e após 20 segundos começou a adormecer-droga porque estou com tanto son….-desmaiou.

Yukiteru:isso e sério?

Anna:sim, se esse refrigerante aleatório o fez desmaiar significa que todos os refrigerantes estão com alguma substância sonífera.

Peguei um líquido próximo desse lugar, li a bula e abri ele próximo ao nariz de joel.

joel:agh...o'que? Já acordei?

Anna:usei esse líquido estimulante para te acordar, tem vários na estante de remédios.

joel:entendi, então os refrigerantes estão cheios de entorpecentes, porque?

Yukiteru:como o assassino teve tempo para fazer isso?

Anna:não sei, mas ele calculou tudo.

Pista 6: refrigerantes entorpecidos.

*muito bem seus desgraçados, está na hora do julgamento, se reúnem na frente da porta vermelha e esperem segunda ordem.*

Yukiteru:pera ai, isso não foi rápido demais?

Joel:maldito urso, não investigamos direito e já está nos chamando.

Anna:o que ele planeja?

Então não demorou muito para todos estarem reunidos no corredor da porta vermelha onde está o elevador para a sala do julgamento de classe.

Sandra:descobriram alguma coisa, anna?

anna:o suficiente, mas acho que está faltando alguma, de qualquer forma vamos descobrir isso durante o julgamento.

Rito:acho que tivemos bem menos pistas em relação a casos anteriores.

Hideshi:também tem o fato de o monokuma nos chamar tão cedo, não deu tempo de olhar mais coisas.

Nana:acho que ele quer dificultar esse caso.

então todos nós entramos no elevador, e ele começou a descer. Desta vez, yue honda havia sido assassinada, uma jovem garota prodígio da matemática, nós não éramos próximas o suficiente, mas sua aura intelectual dava para sentir a distância, por isso pude considerar ela um gênio, ela talvez quisesse descobrir algo para nos ajudar a sair daqui, mas alguém a impediu, e a matou…

E agora estamos aqui, mais um julgamento de classe debateremos até não podermos mais  para descobrir quem é o assassino, que está entre nós. Chegamos a sala do julgamento, estava diferente desta vez, nas paredes estavam texturas de números e equações, com o fundo branco.

Monokuma:para nos adaptarmos ao caso, eu mudei a sala de julgamento para tudo ficar mais dinâmico, espero que gostem!

Joel:vê se cala a boca e começa logo o julgamento, pois eu quero saber quem foi o desgraçado ou desgraçada que começou isso!-falava com ódio apontando o dedo indicador para o monokuma.

Monokuma:hai, hai, acho que vocês estão com pressa, então vamos pular a parte onde eu explico as regras, deixarei vocês começarem logo com isso!- disse ele e então pulou em seu trono e se sentou.

Julgamento de classe em sessão.

Sandra: eu sei que já participamos disso três vezes mais...dessa vez por onde iremos começar?

Max:temos poucas pistas não é?

Hideshi:certamente, as únicas que temos

são:

Pista 1:arquivo monokuma.

Pista 2:ausência da chave

Pista 4: líquido na lixeira.

pista 5: panela com resto do líquido pastoso.

Pista 6: refrigerantes entorpecidos.

Yukiteru:só seis pistas? Como iremos trabalhar com isso?

Nana:primeiro devemos considerar as circunstâncias do caso, e assim podemos fazer uma ligação com as pistas.

Rito:nana está certa, vamos começar pelo corpo!

Anna:tem algum mistério nele?

Rito: como posso dizer, o arquivo monokuma fala sobre uma parte da saia dela está rasgada, dando ênfase que pode ser algo importante.

Hideshi:talvez ela estivesse tentando fugir do assassino e ele acabou á segurando.

sandra:então podemos dizer que ela foi pega de surpresa.

Rito:hã, como assim?

Sandra:talvez ela tenha se encontrado com o assassino, pensando que ele só queria conversar, mas quando ela notou suas intenções, começou a correr e o assassino só teve tempo de segurar a saia dela que em seguida rasgou.

Anna:podemos considerar isso.

Max:sandra está certa, antes de nos encontrarmos com rito nana e hideshi na cozinha, eu vi a porta da biblioteca do 1 andar aberta, e próximo a porta, um pedaço de tecido quadriculado.

Yukiteru:então antes de estar  aquele porão, ela estava na biblioteca.

Pistas adicionadas:

Pista 7: pedaço de tecido da saia de yue.

Pista 8: yue na biblioteca.

rito:bom, pra ela ir para a biblioteca ela devia ter passado pelo refeitório não é mesmo?

Hideshi:então podemos considerar que ela nos viu desmaiados antes de ir pra lá.

Anna:ou seja, o assassinato não ocorreu logo em seguida após desmaiarmos.

Joel:mesmo assim, o horário continua sendo um mistério.

Nana:me pergunto se vai adiantar discutirmos o horário, tipo...do que adiantaria saber o horário se todos estavam desmaiados excerto o assassino.

Max:o que isso significa?

Hideshi:significa que só vamos descobrir o horário se descobrirmos quem é o assassino, que e onde queremos chegar.

Anna:por enquanto já descobrimos algo, agora devemos discutir porque ela iria ao porão do castelo?

Rito: e como ela conseguiu uma chave pra abrir aquele local, já que supostamente ele estava fechado durante minha investigação com o hideshi.

Nana:além de que, não achamos a tal chave no local do crime.

Sandra:talvez o assassino tivesse pegado a chave dela após matá-la, mas porque?

Anna:acho que já sei o porque:

1- porque o assassino pegaria a chave de yue?

A- não deixar pistas

B- criar um mistério no porão.

C-incriminar rito e hideshi.

Acho que já sei….

----------------------break-----------------

anna:o assassino tirou a chave dela para poder incriminar hideshi e rito, já que supostamente eles disseram que aquela porta no porão estaria trancada.

Max:oh, entendi, queria jogar a culpa em um dos dois!-falou surpreso.

Joel:foi o'que ela acabou de dizer-disse sem graça.

Hideshi:como não sabemos onde está a chave, podemos considerar a afirmação da anna.

Rito: me pergunto o que teria dentro daquele porão para yue ir até lá.

Sandra:acho que podemos considerar três fatores em relação ao porão.

Anna: exatamente, esses fatores são: 1-nunca teve nada no porão. 2-Yue tentou se esconder nele para fugir do assassino.3-já teve algo lá, mas o assassino pegou.

Rito:vamos tentar descartar a maioria desses fatores até restar o verdadeiro.

Hideshi: o primeiro fator não pode ser, porque senão, não teria motivo para o porão estar trancado!

Rito: a segunda tenho dúvidas, porque ela fugiria para o local que ela supostamente teria a chave, se tivesse poderia ter se trancado lá, ou talvez…

Anna:quem tinha a chave era o assassino...era isso que iria dizer rito?

Rito:exatamente isso-falou com uma expressão de surpresa- mas se fosse isso quando yue fugiu para lá, significa que a porta já estava aberta.

Yukiteru:caramba, então quem tinha a chave então?

Sandra: a yue, e a resposta está no terceiro fator. Como ela foi a biblioteca ela se encontrou com o suposto assassino não é?

Anna:acho que entendi, se considerarmos uma das pistas que encontramos como falsa, talvez isso faça sentido. E essa pista é:

1-qual é a pista falsa?

a-o tecido da saia

b- o líquido na lixeira

c-os refrigerantes entorpecidos.

Eu sei a resposta….

---------------------break------------------

anna: o tecido da saia, já que supostamente o assassino poderia ter botado aquele tecido ali, dando a impressão que yue tentou fugir.

Sandra:isso, e ele até deixou a porta da biblioteca aberta para poder o max ver que tinha algo estranho no chão da biblioteca.

Nana:se for assim, significa que, yue e o assassino foram juntos até o porão?

anna:sim, e o que tudo aponta.

Hideshi: ambos foram ver o que tinha dentro do porão, e antes que yue falasse algo, o assassino a matou e  tirou o que tinha no porão.

Rito:minha mente começou a clarear, como não deu para investigar muita coisa, acabou que não sabemos o que é e onde está a tal coisa do porão.

Yukiteru:tem razão, por isso terei de perguntar algo, EI MONOKUMA!-gritou olhando para o trono do urso.

monokuma:não precisa gritar, eu tô bem aqui, o que você quer?

yukiteru: por qual motivo nossa investigação foi curta?

Monokuma:ooh, eu estava esperando alguém perguntar, muito bem, escutem que isso vai mudar o rumo do jogo.

Anna:”o que ele está planejando?”

Monokuma:como vocês notaram, houve um assassinato sem sequer haver um motivo, então, eu adicionei um motivo ao julgamento, mas para esse motivo valer eu teria que diminuir o tempo de investigação de vocês!

Hideshi:o que seria esse motivo?

Monokuma:eu chamo ele de imunidade, consiste em uma simples regra: qualquer um pode ser o assassino!

yukiteru:o'que?

Joel:mas que merda você tá falando?

sandra:explique mais monokuma!

Monokuma:e simples, se vocês votarem na pessoa errada, só ela será executada, e o assassino estará livre, ou seja, vocês continuarão vivos mesmo se errarem, se quiserem é só escolher uma pessoa aleatório para ser executada, que eu termino esse julgamento de classe com vocês ainda vivos, pupupu.

joel: O'QUE?? quer dizer que algum de nós vai servir de Bode expiatório?

monokuma:tipo isso, ok, podem continuar, lembrem que tem limite de tempo, se não descobrirem quem e o assassino, terão que votar em alguém aleatório para morrer no lugar de vocês!

Hideshi:isso é… insano demais!

rito:droga, não quero votar em um dos meus amigos que não fizeram nada.

anna:acalme-se pessoal só precisamos investigar mais, que assim chegaremos a algum suspeito.

yukiteru:anna tem razão, vamos nos unir e descobrir todo o mistério.

Nana:que tal do início?

anna:”tenho que ajudar a todos a descobrir o assassino, por isso, usarei todos os meus recursos.

No stop debate

Max:como definiremos um assassino…Se todos estavam desmaiados.

Sandra:talvez o assassino fingiu estar dormindo.

Joel:impossível, todos tomaram o mesmo refrigerante .

Nana:então como o assassino teria acordado antes da gente, nem tem como isso acontecer!

Anna:você está errado!

-----------------------break----------------

Anna:na verdade existem alguns estimulantes fortes no depósito, o assassino pode ter pego de lá para ele poder usar para acordar antes de todos!

Joel:pera ai anna, então como ele usaria se ele estava desacordado?

Rito:eu tenho a resposta disso, bem que eu desconfiava “daquilo”...

1- como o assassino preparou para acordar com o estimulante.

A-derramou no chão e fez o cheiro se espalhar antes de ficar desacordado.

B- botou o líquido na panela que estava no fogão.

C-botou na lixeira no corredor.

Já sei.

------------------------break---------------

Rito:o assassino pode ter deixado na panela que estava no fogão, e ter ficado próximo a ele antes de desmaiar, assim ele sentiria o estímulo primeiro, e antes que qualquer pessoa sentisse o cheiro também, ele jogou o líquido na lixeira do corredor.

Anna:então, só tem uma pessoa que estava próxima ao fogão e que poderia ter acordado com o cheiro primeiro.

Faça a acusação

Quem pegou o estimulante, botou numa panela no fogão e ficou próximo a ela enquanto estava desmaiado?

-sandra

-joel

-hideshi

-rito

-max

-nana

-yukiteru


Só pode ter sido você……

----------------------break-----------------

Anna:joel, você que estava assando o bolo, e estava próximo ao fogão antes de todos desmaiarem, só você pode ter sido você que sentiu o cheiro primeiro e ter sido acordado.

Joel:OOQUEEEEEEEEEEE!?!?!?!?-falou prolongando sua fala.

Hideshi:tem razão, que eu me lembre ele havia botado outro bolo pra cozinhar no forno, portanto ele foi o que ficou na cozinha.

yukiteru:verdade, ele deve ter acordado primeiro.

Joel:e-eu não fiz nada seus idiotas, não fui eu!-falava nervoso com uma veia aparecendo na cabeça.

Nana:p-prove joel, não tem como não suspeitar de você já que ficou todo esse tempo na cozinha.

Joel:pra informação de vocês eu acordei com um pano amarrado no meu rosto que estava cobrindo meu nariz, não tem como eu ter acordado.

Sandra:e porque não disse isso antes, sua afirmação só fez você ser mais suspeito.

Joel:aaaaaaahhhhhh!-ficava cada vez mais nervoso.

Max:acho que achamos o assassino.

Joel:espere, não fui eu, eu posso não uma prova mas eu tenho certeza e convicção que não fui eu!

Hideshi:m-mas não temos como discutir isso, você era o que estava na cozinha.

Rito:”todos estavam acusando o joel, mas eu acredito que não seja ele, mas como eu vou defendê-lo?”

Povs rito

Rito:não fiquem apenas acusando pessoal, lembre se que esse caso não se passou apenas no porão ou na cozinha, e eu sou testemunha de que não foi o joel que cometeu esse ato.

Yukiteru:é o que você testemunhou rito?

Rito:a resposta é simples:

1-porque joel não é o assassino:

a-porque ele diz que não é o assassino.

b-porque ele nunca mataria alguém.

c-porque ele só ficou na cozinha.

Eu já sei a  resposta.

-------------break-----------------

rito:eu fiquei com o joel a manhã toda, e pela tarde já sabíamos que ele sequer saiu da cozinha, então como ele pode ter ido ao depósito e entorpecido os refrigerantes, e isso não pode ter acontecido ontem também, já que nós também tomamos esse mesmo refrigerante ontem e nada ocorreu, então isso só pode ter acontecido entre á manhã até as 13:00 da tarde.

joel:rito está certo, ele ficou comigo arrumando a bagunça de vocês mal agradecidos enquanto vocês iam brincar.

Yukiteru:ha, desculpe então joel…-disse triste.

Sandra:f-foi mal.

Hideshi:acho que acusei a pessoa errada, desculpa.

joel:e-ei seus lixos não fiquem com essas caras depressivas, isso já passou então se não importam, vamos descobrir quem é o assassino.

anna:isso ai, nada pode nos abalar no momento.

max:então quem foi que ficou próximo ao fogão além do joel para poder ter sido acordado.

Anna:além de ter amarrado um pano no rosto dele para ele não sentir o cheiro.

Hideshi:isso está ficando difícil, será que não estamos lidando com mais uma pista falsa?

Nana:impossível, eu lembro muito bem que todo mundo tomou aquele refrigerante, todos com certeza desmaiaram e alguém acordou por causa do líquido do estimulante que estava no fogão.

Povs anna

Anna:até agora não definimos o que poderia está no porão, isso acaba dificultando o porque do assassino ter agido.

Yukiteru:só teríamos uma explicação se talvez o assassino já soubesse o que tinha lá e ele simplesmente só queria que ninguém visse o que tinha.

Rito:...-ele estava pensativo.

Nana:acho que só poderíamos definir que é o assassino vendo o álibi do que cada um e o que eles estavam fazendo de  manhã.

Max:porque?

Nana:bom porque se for pra acusar alguém, tem que ser alguém que estava separado de todos e que tinha tempo para entorpecer todos os refrigerantes.

Anna:bom ponto nana, se for assim acho que temos um suspeit….-hã, não consegui terminar de falar.

Yukiteru:hm...anna?

Anna:”então e por isso, e por isso que rito está pensativo, ele já descobriu tudo, olho pro hideshi e depois pro rito”.

Hideshi:....-ele preferiu ficar em silêncio.

nana:o-oque está havendo?

Joel:porque do nada esses três ficaram em silêncio?

anna:se me permite,rito…-ele apenas mexeu a cabeça em sinal de sim, ainda com a cara de assustado dele.

Hideshi: então, você já sabe quem é o culpado anna?

Anna:sim, já sei, só não queria que fosse essa pessoa…

O assassino estava separado de todos no periodo da manhã de hoje, e assim eel pode entorpecer o refrigerante.

Faça uma acusação…

-rito

-nana

-joel

-hideshi

-sandra

-max

-yukiteru.

O culpado é você…..

-----------------------Break----------------

Anna:o assassino e  o hideshi…-falei sem emoção e todos começaram a estranhar.

Joel:o……..que…….-ele não sabia o que falar.

Sandra:i-impossível.

Max:peraí não posso acreditar, não pode ser ele não é hideshi?

Hideshi:....-ficou de cabeça baixa.

Yukiteru:isso é sério, o cara que resolveu três julgamento e o assassino?

nana:não, não.-começa a chorar.

Anna:”eu queria acreditar nisso, mas é para onde tudo aponta, o culpado é…”

Rito:nossa anna, eu te dei a deixa e você ainda erra o culpado.

Anna:hã?-falei sem entender o que ele quis dizer com isso.

Hideshi:o que está dizendo rito?

Rito:que o culpado na verdade….sou eu!

Todos nesse momento ficaram assustados, não estavam entendendo aonde rito queria chegar.

Anna:do que você está falando rito, você é algum cúmplice?

Rito:cúmplice? O hideshi nem concordou com a sua afirmação, ele não é o assassino, eu que sou!

Anna:mas foi o hideshi que ficou na casa de banho durante a manhã, ele podia ter entorpecido os refrigerantes, mas você tem álibi, já que estava jogando queimada com os outros.

Rito:tem razão, e se eu te disser que eu entorpeci tudo ontem a noite?

Anna:o'que?- ele não está fazendo sentido.

joel:isso não faz sentido rito, porque você cometeu um assassinato se depois vai se entregar?

Rito:desde o início, eu fiz tudo para ser descoberto, isso ocorreu por causa do que eu achei naquele porão.

nana:achou? Você tá dizendo que você entrou lá?

Rito:sim, ontem a noite eu encontrei algo lá, era algo muito desesperador que eu fiquei louco.

Anna:mas a porta não devia está trancada?

Rebuttal showdown

Anna: não tem porque ter sido você!

-a porta não estava trancada?

-então como você entraria?

rito:eu menti dizendo que ela estava trancada.

Advanced

-se você sabia que não estava trancada o hideshi também saberia não é?

-já que ele foi investigar o castelo com você.

Rito:eu que girei a maçaneta da porta, notei que ela estava aberta, mas decidi mentir pro hideshi dizendo que ela não estava, pois pressenti algo aterrorizante atrás da porta.

Essa e a minha resposta...

-------------------Break------------------

nana:hideshi, fale algo!!-disse ela nervosa com ele- o que rito está falando é besteira, ele só quer proteger o hideshi.

Rito:não mesmo, o que estou falando é a pura verdade.

Anna:”que reviravolta é essa, no final, tudo que pensei que estava certo estava errado.”

Rito:esse são todos os meus argumentos para provar que eu sou o assassino, e então, pelas caras tristes de vocês, deixem que eu repasso o caso.

Conclusão de argumento

1- o assassino e hideshi investigaram o porão do castelo, e lá acharam uma porta que o assassino disse para hideshi que estava trancada.

2-na mesma noite, o assassino foi até o porão e viu o que tinha na sala,algo desesperador, e ele não queria que mais ninguém visse.

3- o assassino queria tirar o que havia no porão, mas para isso ele devia desmaiar todos já que ele acreditava que uma hora ou outra, yue honda iria até essa sala. Por isso tomou essa decisão desesperada ao invés de esperar a noite para quando todos estiverem dormindo.

4-ele entorpeceu os refrigerantes na mesma noite e no dia seguinte houve a confraternização no refeitório, todos desmaiaram, inclusive o assassino, mas antes de ele desmaiar ele andou até a cozinha, derramou um líquido na panela e ligou o fogo para o cheiro ficar mais forte, além de amarrar um pano de prato no rosto de joel que estava próximo a ele.

5-o assassino acordou e se livrou do líquido estimulante. Ele viu que yue estava na biblioteca.

6-eles conversaram e então yue disse que queria ver o tal porão já que ela descobriu que não havia uma chave para aquele lugar

7-o assassino relutante, levou a garota para lá, antes que ela pudesse ver o que tinha naquela sala, o assassino sacou uma faca e cortou o pescoço dela, a deixando caída lá até a morte.

8-o assassino tirou tudo que havia lá, e arrancou um pedaço da saia de yue, e colocou no chão da biblioteca, dando a impressão que ela tentou fugir dele a partir da biblioteca.

E a pessoa que planejou tudo isso foi, eu mesmo, rito!

----------------------Break-----------------

Nana:não pode ser…

Max:isso é….

Hideshi:.....

Todos estavam em silêncio, inclusive eu, não pude acreditar no que eu ouvi.

Rito:pronto contei tudo, foi mal pessoal, tive que matá-la para ela não sentir o mesmo desespero que eu.-dizia ele rindo.

Joel:nada faz mais sentido.

Sandra:então, é assim que tudo acaba.

monokuma:oh, vejo que já chegaram em um consenso, bem, vocês já podem votar, eu vou até criar mais um motivo, se os votos empataram, eu posso até executar esse dois se ainda estiverem em dúvida.

anna:não é isso que eu iria querer….

nana:hideshi seu covarde, você não está falando nada, nem sequer defendeu seu amigo.-dizia chorando.

Hideshi:....-em silêncio e de cabeça baixa.

Monokuma:podem começar a votar, pupupu.

Hora da votação.

Hideshi-3

rito-5

--------julgamento de classe- fim-----

estava um clima pesado na sala, ninguém sabia dizer o que acabou de acontecer, eu só sei que eu estava muito confusa, tanto que votei no hideshi.

Rito:vamos pessoal, sorriam, vocês descobriram o assassino, não vão ter que matar alguém aleatório.-dizia com um sorriso no rosto.

Joel:idiota, continuo não acreditando que você não é o assassino.-estava cabisbaixo e falava sem um pingo de vontade.

Nana:*shuif,*shuif-limpava as lágrimas.

Hideshi:.....-ele não falou nada faz tempo

rito:embora eu esteja muito arrependido do que fiz, foi necessário para ela não ser corrompida pelo desespero, e eu me livrei do que tinha lá, vocês também estão a salvo.

Sandra:você sequer nos diz o que tinha lá.

Rito:se eu contar, do que o assassinato irá valer? Pensem nisso.

Anna:rito…-começou a escorrer uma lágrima do rosto.

Rito:aliás, tenho algo para te falar anna-chegou próximo ao meu ouvido e sussurrou-na sala de murais, atrás do papel de inscrição no clube de beisebol, tem algo que você precisa saber.

Anna:ok..-disse sem graça.

Rito:muito bem, monokuma, pode começar!

max:peraí, o monokuma não Falou se acertamos o culpado-e mesmo, eu havia esquecido.

Nana:monokuma, nos diga se acertamos!

monokuma:isso só depois da punição do ultimate marinheiro, vamos dar nosso melhor nessa execução.

Yukiteru:o que? isso não é justo!

anna:r-rito!!-falei soluçando.

Rito:adeus pessoal, vocês me deram muita esperança para fugir daqui, mas eu fui corrompido, eu mereço isso.

Então monokuma bate seu martelo no botão, rito seria executado...

hora da punição.

Rito estava no meio da gente, ele olhou para todos nós desconfortável, do teto surgiu um gancho que pegou ele pelo pescoço e o puxou para outro lugar.

Na televisão surgiu onde ele estava, era no meio do oceano, e ele estava amarrado no mastro de um barquinho de madeira, de longe um enorme navio de guerra começa a atirar contra ele, errando os tiros e só fazendo o barquinho balança.

Surgem mais três navios de guerra atirando e errando os tiros, então todos o navios foram em direção ao barquinho, cercando ele, todos os navios esmagaram o barquinho onde rito estava e depois os quatro explodiram, criando algo como uma explosão de bomba atômica.

-------------------FIM-------------------

todos olhavam chocado para as cenas que vimos, nosso amigo havia sido executado, na verdade, era a quarta vez que vimos algo assim novamente. Não sei se eu aguentaria mais uma vez isso acontecer, eu estava sem acreditar que aquilo ocorreu com rito, meu coração está apertado, e nem sei o que farei agora, a tristeza tomou aquela sala até...

Monokuma:bom, como vocês pediram, irei falar a verdade.

Todos olharam para monokuma esperando ele falar se acertamos.

Monokuma vocês....erraram!!

Anna:o que?

Nana:n-não pode ser.

Max:então no final o assassino era…

Monokuma:hideshi akira, o ultimate sortudo, e assassino de yue honda a ultimate matemática. Vocês estavam tão perto de descobri-lo, mas aí rito persuadiu vocês a acreditarem que foi ele, apenas para proteger seu amigo, que tolo, mas ao mesmo tempo, que homem corajoso-falava fingindo uma expressão triste.

Joel:não pode ser, rito, seu grande idiota...eu sabia, eu sabia que ele estava mentindo-falava nervoso, ele parecia que ia explodir de frustração.

Sandra:ele aproveitou esse motivo do monokuma para ir no lugar do hideshi, ele aproveitou essa oportunidade para proteger seu amigo, acabamos sendo enganados pela lábia dele.

Yukiteru:por isso achei a atitude dele tão repentina, ele se entregar como  o verdadeiro assassino e ainda criar um caso falso onde ele ligou todas as pistas, merda, como não pude perceber, me sinto um tolo agora- yukiteru aparentava um semblante de alguém sem rumo, ele não era tão amigo de rito, mas ele estava começando a admirá-lo, morrer por alguém, isso estava muito além de uma amizade sólida, algo que envolve o espíritos das pessoas que você e mais próximo.

Max:então, o que realmente aconteceu, explique para a gente hideshi!- falava aumentando a voz pouco a pouco, estava claro que ele podia a qualquer momento partir para cima de hideshi, mas ele precisava saber o porque de hideshi fazer isso.

Anna:realmente existiu algo desesperador naquela sala que você quis que ninguém soubesse.-eu falava com ele com certa angústia, eu queria gritar com ele agora.

hideshi:sim, rito não tinha certeza, mas ele interpretou meu ato como um ato de desespero, e ele assinalou isso com o porão, ele notou que eu menti sobre aquela porta estar trancada, ele apenas decidiu jogar o meu jogo.-era a primeira vez que ele falou depois de tanto tempo, e ele estava falando com medo de nossas reações.- antes que eu pudesse abrir aquela porta, eu ouvi sussurros, eu imediatamente não queria entrar naquele lugar, por isso menti sobre ele estar trancando, para que ninguém tivesse motivo para ir lá, mas eu fui lá a noite, e achei algo..

Anna:diga-nos a verdade, o que você achou…-eu comecei a ficar curiosa, eu pensava que a partir de agora, tudo ia se conectar.

Hideshi:havia um laptop em cima de uma mesa, e ele estava ligado e estava com um arquivo de áudio aberto, o que reproduzia sussurros, e o laptop não tinha nada a mostrar, excerto um arquivo de vídeo.-ele falou enquanto abaixava sua cabeça, suspirou e continuou- o conteúdo do vídeo era um atentado em uma escola, em que alunos estavam se matando de forma desenfreada, e enquanto o vídeo passava, dava pra ouvir sons estranhos, e isso fez minha cabeça ficar agitada, rapidamente desliguei o laptop rapidamente, mas já era tarde aquilo floresceu meus sentimentos de desespero, e me fez ficar com dores de cabeça.

Yukiteru:então, a culpa foi do tal vídeo, mas isso foi o bastante para te causar uma lavagem cerebral, e tipo...você querer matar alguém.-era a mesma dúvida que eu tinha.

Hideshi:não, mas isso foi o bastante para yue querer matar-nesse momento todos sentiram um frio na espinha, o que hideshi quis dizer com isso?

Sandra:ei, ei, como assim? A yue?-como ela, eu estava confusa, embora era melhor continuar a ouvir do que contestar.

Anna:por favor continue, quero todas as respostas que tiver.

Hideshi:yue havia planejado um assassinato, pois ela descobriu essa sala, como, ela deve ter achado respostas no livro em branco, de qualquer forma, ela havia aproveitado que eu estava na casa de banho, e como todos pensavam que ela só estava perambulando, ela aproveitou para entorpecer os refrigerantes.

Joel:como assim, como você sabe disso?

Hideshi:ela me contou, aliás foi ela que me acordou com a panela com aquele líquido, isso por algum motivo bizarro.-tudo começou a ficar mais estranho.-ela disse que o vídeo do laptop tinha respostas, e eu as possuía, enquanto ela acabou se tornando o desespero após assistir o vídeo, talvez algo ligado ao livro em branco, ela disse sobre o primeiro que assistir saberia tudo enquanto o segundo reencarnaria o desespero, ela achou que tinha sido a primeira, mas ela se enganou, e isso a tornou uma insana, depois da nossa conversa ela disse para irmos para o porão, onde ela disse que queria descobrir o mistério daquele laptop, mas quando chegamos lá, ela sacou um faca e tentou me atacar, e eu apenas revidei, e acabou terminando nisso…-eu, não sabia o que pensar sobre isso.-e no fim, eu criei todo esse caso, mesmo sem querer que isso aconteceu, me descul...não, não precisa me desculpar, eu matei yue e deixei rito morrer, eu não mereço perdão nenhum, só peço que não continuem nesse jogo, não façam o sacrifício de rito ser em vão, por causa dele, ganhamos mais uma chance.

Nana:então, isso é tudo…-ela não parecia mais brava com hideshi-entendo, prometo viver ao máximo agora, farei isso porque é isso que o rito iria querer.

yukiteru:isso aí, ele foi um grande homem, ele acabou me inspirando a confiar em meus amigos, posso ser egoísta de só pensar dele assim agora, mas eu que não havia percebido a grande pessoa que ele foi.

Anna:sim, mesmo com o trauma ele tentou se aproximar da gente, além de sempre nos ajudar, tanto no julgamento quanto na investigação, ele dava valor para a gente, e ele não queria que hideshi fosse executado por um acidente.-falei a ultima palavra com certo pesar, eu pensava também na situação da yue eu sentia pena por isso acontecer com ela, já que ela só queria nos ajudar. Meus olhos começaram a lacrimejar.

Max:ele é um exemplo de masculinidade, mais macho até do que eu, e sei que ele está no céu dos homens musculosos agora, nos olhando.-falava com determinação, ele parecia bem animado, mesmo assim lagrimas escorriam do seu olho.

Joel:ele era um idiota e medroso, e isso o fazia diferente de nós, e essa mesma personalidade que nos fez sermos amigos, ele com certeza será lembrado por mim, OBRIGADO POR ME AJUDAR NA COZINHA RITOOOO!!!!-dizia com uma cara chorosa, mas se segurando, ele realmente considerava rito como seu amigo.

Monokuma:muito bem, acho que isso acabou durando demais não é mesmo, de qualquer forma, ainda temos que terminar uma certa coisa não é mesmo?-ele deve estar falando da…-a graduação!

Sandra:ha, e mesmo, significa que o hideshi está livre?

Monokuma:sim, o ultimate sortudo hideshi akira, conseguiu se graduar na academia da esperança sem que todos seus colegas fossem executados, graças ao motivo. muito bem, você ganhou o jogo da matança, embora ele ainda vai continuar, você está livre hideshi!-falou enquanto caia balões coloridos do céu, e soprava uma vuvuzela.

Hideshi:então, e isso….no fim acabei cometendo um assassinato..

Anna:você já explicou o porquê, nós o perdoamos, e você achará uma forma de se perdoar, aliás o próprio rito te perdoou.

o clima acabou ficando mais leve na sala, e todos esbanjaram um sorriso no rosto, de certa forma, eles estavam felizes pelo hideshi.

Hideshi:p-pessoal….-então depois de ficar sério o julgamento todo, tendo o perdão de seus amigos, ele começou a chorar, tentava enxugar as lágrimas mas elas continuavam a sair.

Então, a parede à direita da sala se abriu, e revelou um corredor com uma porta no final, aquela era a saída.

Monokuma:apenas o ganhador pode sair, então, dirija-se até lá hideshi, tenha umas ótimas férias.

Hideshi então andou pelo corredor em direção á porta, ele parecia excitar em andar até lá, mas mesmo assim ele achou força para nos deixar e seguir em frente, todos nós ficamos olhando até o momento que ele abriu a porta e do outro lado havia uma forte luz, mas não podíamos ver o que tinha além…

Esse foi o quarto julgamento em que sobrevivemos no final, mas o número de pessoas diminui a cada caso, agora restou apenas:eu, nana, max, yukiteru, sandra e joel. Três pessoas partiram dessa vez:yue, rito….e hideshi. Eu prometo que irei descobrir o mistério deste lugar e de porque estamos aqui, eu prometo que vou tirar todos daqui, não quero que mais nada ocorra, só quero sair daqui com meus amigos...hum…!!

Anna:”e estranho eu pensar neles dessa forma agora, sempre fui afastada e só me importava com a investigação, com minha ansiedade para sair daqui, mas agora vejo o que e mais importante, realmente, eu mudei muito..”

A porta por qual hideshi passou se fechou assim como a parede que tinha o corredor, e nós ficamos encarando por um tempo, sem motivo algum apenas olhamos e refletimos pelo que passamos até agora.

Joel:hum...bem…-falou ele quebrando o silêncio-o julgamento acabou e até o monokuma já foi embora, que tal se sairmos e eu fazer um chá para todos?

Sandra:acho uma boa ideia, embora eu não esteja com fome, eu preciso de algo para beber, um chá cairia bem.

Yukiteru:não vejo porque não, vamos lá pessoal, não podemos ficar tristes para sempre, ainda temos o amanhã.

Anna:isso aí, ainda temos muito o que investigar, mas por agora, relaxar seria uma boa, foi um dia cheio e já são 1 da manhã.

Max:caramba, nem sequer estou com sono, acho que é o estresse.

nana:nem eu estou com sono, então, vamos todos nos dirigir para o refeitório.

E assim nós entramos no elevador para saímos daquele local, por algum motivo eles ficaram um pouco mais animados, e estavam conversando enquanto o elevador subia, eles queriam superar nossas perdas para conseguir seguir em frente, e eu devia fazer o mesmo, amanhã é um novo dia…..


Estudantes restantes:6q



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...