História Danger, cranky potterhead - Capítulo 1


Escrita por: , Mrs_H e Sazi

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V)
Tags Beautyvhope, Flex, Harry Potter, Hopev, Taehope, Taeseok, Vhope, Vhopeinhogwarts
Visualizações 285
Palavras 4.336
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, LGBT, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oular ♡ olha só quem apareceu novamente ~ eu mesma com a @Sazi com S de sensacional <3 essa é a nossa segunda collab, mas a primeira (quem sabe possa haver mais lá na frente xkanxjsjx) desse projeto liiiiindo que eu mal entrei e já considero pakas :') nem preciso dizer que sou a mais suspeita pra falar de vhope, e quando se trata de vhope e Sazi na mesma frase, ah meu bem, não tem pra ninguém.

Só queria dizer que nem eu e a Amora (a Sazi me chama assim e eu acabo me referindo da mesma forma para com ela) somos fãs de HP, por isso não adentramos muito esse universo. Desculpa se ficou algo muito genérico ~ apesar de que eu duvide que tenha ficado, uma vez que eu tenha pedido ajuda dos universitários Babu (te amo, mainha) e da @Kimalgenz. Desde já eu agradeço as duas pela paciência e disponibilidade em me ajudar <3

Seguindo os agradecimentos, gostaria de parabenizar a @Lah_jiminnie pela capa maravilhosa e também a @smaxyjjk pela betagem. Vocês são ótimas *w


Vamos lá! Sazi falando. Sou péssima com notas, mas queria dizer que foi um desafio gostoso escrever essa fic com um universo que eu não estava adaptada. Mas gostei bastante ainda mais com a amora Juzona que só faz hino e me deixa ainda mais animada para escrever junto dela. Espero que gostem dela e que dêem boas risadas e se animem com o final. Aquela carinha. Nos dedicamos para que ficasse algo leve e gostoso de ler com aquele toque nosso que combina tão bem (minha escrita e a dela).

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Danger, cranky potterhead - Capítulo 1 - Capítulo Único

TaeHyung encarava incrédulo o melhor amigo, totalmente indignado com o que ele havia dito. Não pode ser, pensou, após ver Park Jimin levar sua barrinha de cereal diet diretamente para a boca e agindo como se aquilo fosse a coisa mais normal do mundo.

— Você está dizendo que mudou de ideia sobre os shipps e que agora shippa Harry e o Cedrico? Logo para mim? O mais Drarry stan? — TaeHyung como um perfeito debochado perguntou, tendo em resposta um balançar de cabeça em afirmação — Vem cá, isso não tem nada a ver com a sua paixãozinha platônica não, né?

— O quê? — Park olhou imediatamente para o amigo — Claro que não! De onde você tirou isso? — o loiro praguejou TaeHyung e a sua maldita habilidade em deduções. Estava tão na cara assim? Riu de nervoso.

— Não se faça de desentendido, Park Jimin! Semana passada você disse que estava mudando para Grifinória, e agora sem mais nem menos me solta uma dessas? — Puxou o livro que descansava embaixo do cotovelo alheio, não escondendo a sua indignação.

 

— Mas o que o cu tem a ver com as calças? — Riu da própria pergunta — Digo, não existe sentido no que você está falando…

— Não faz sentido? Deixa eu clarear as coisas para você: — Tae puxou todo o ar de seus pulmões e soltou — Jeon é lufano e shippa isso aí… E você, meu caro Park, é gamadinho nele.

— Eu não sei do que você está falando, Tae. — Apressou-se em morder a barrinha e em seguida desviar o olhar.

— Ah não? — O castanho suavizou sua expressão em conjunto da voz, atraindo novamente o amigo, este que agora se encontrava preocupado — Ok, então. — Sem demora começou a guardar seus materiais na bolsa que estava ao lado.

— Tae, por favor, não começa! — Jimin se pronunciou — Lembra do que vimos hoje em filosofia? O ser humano vive em constante mudança, não tem nada de errado em mudar… — Engoliu seco, vendo o mais alto se levantar — Onde você está indo?

— Vou sentar do outro lado da sala. Eu não me misturo com gente que troca o shipp por crush… Qual é, Jimminie, o Cedrico morreu, pelo amor de Deus.

— Mas eu prefiro ignorar essa parte. — Disse ele, totalmente convencido.

— Eles também mal tiveram interação, ai que desgosto. Eu não te criei assim!

— Para de drama, hyung, é só um shipp.

— Mas você shippava Drarry comigo, cacete! Você gostaria se o HoSeok tivesse influência sobre meus shipps? Urrgh!  Além do mais, isso é a gota d’água, seu grifinório safado — Tae bateu a mão na mesa —, daqui a pouco vai me trocar pelo Jeon também, não duvido nada.

— Mas o HoSeok hyung nem gosta de Harry Potter. — Jimin achou finalmente um brecha para sair daquele climão.

— Ata! — Foi a vez do Kim rir de nervoso — Saiba que o Hobi ama HP, e que ele é mais potterhead que nós dois juntos. — TaeHyung nem pensou no que ia falar, simplesmente saiu dizendo aquelas coisas sem um pingo de verdade e, claro, não pensando nas consequências que poderiam surgir. Mas ele não ligava. Para falar a verdade, já tinha até uma solução para que, no futuro, não viesse ser chamado de mentiroso — E isso é muito bom, significa que não preciso de você pra ir em evento comigo. — Cruzou os braços.

Jimin estava visivelmente abalado, ele a princípio achou que o amigo não reagiria daquela forma. Entretanto, como tudo tem um porém nessa vida, ele se esqueceu que TaeHyung era um sonserino. Um sonserino que odiava ser contrariado, para variar. Estava prestes a argumentar novamente, mas escutou seu nome ser chamado por aquele timbre um tanto conhecido.

— Jimin-ssi, sei que você quer muito maratonar Harry Potter de novo, mas o que acha de vermos algo diferente hoje? —  TaeHyung arregalou os olhos no mesmo momento e encarou o baixinho que estava mais vermelho que um tomate. O Park apenas fechou os olhos em desespero, maldita hora para Jeongguk aparecer —  Poderíamos assistir Game of Thrones, sei lá. Ah, oi Tae. — sorriu.

— Você é um traidor, Jimminie. —  Tae ressaltou, recolhendo sua bolsa e se distanciando dos dois.

Sem entender nada, Jeon apenas deu ombros. Ele sabia mais do que ninguém — uma vez que era colega de HoSeok e este lhe contava dos maus bocados que o castanho o fazia passar  — que TaeHyung era um bicho meio fora da casinha, e que mais cedo ou mais tarde, aquilo tudo iria se resolver. Pelo menos era o que ele acreditava ao levar em consideração os anos de amizade com o Park.

》》》

— Fala pro seu amiguinho dar o fora da vida do Chim, ele está estragando a nossa amizade! — TaeHyung dizia com firmeza enquanto gesticulava as mãos, e uma delas tinha empunhada uma faca afiada. HoSeok estava preocupado, afinal, era para o mais novo estar cortando os vegetais ao invés de ameaçar espetar o Jeon.

— Meu amor, esquece isso. Aposto que não é nada sério, você vai ver. — Tentou desconversar, entretanto, foi em vão. TaeHyung não tirava as palavras de Jeongguk da mente.

— Nada sério? —  Largou a faca em cima da bancada, o que de certo modo fez o Jung se acalmar —  Ele disse com todas as letras que queria assistir Game of Thrones ao invés de maratonar Harry Potter de novo! Assim, eu não tenho nada contra GoT, você sabe que eu até assisto às vezes… O grande x da questão é que o puto do Jimin está fazendo maratona da nossa saga preferida com outra pessoa! — bufou, e em seguida cruzou os braços. HoSeok apenas se divertia internamente —  Eu não admito isso… Ele está me trocando aos poucos, amor. Acredita que ele veio dizer que não shippa mais Drarry? Isso depois de dizer que não pertencia mais a casa de sonserina e sim a de grifinória.

— Grifinória é uma boa casa, nenê. Quer dizer, eu acho, hahaha. — Respondeu o moreno  enquanto secava a última xícara que estava no escorredor de louças — Sabe que eu não entendo nada disso.

TaeHyung se mantinha na mesma posição e encarava os pés descalços, muita coisa se passava em sua cabeça. Ele não queria ter agido daquela forma para com seu melhor amigo, mas simplesmente não aceitava o fato dele ter deixado a casa que ambos escolheram juntos e ainda, como se não fosse o suficiente, ter se apaixonado por um lufano. Aquilo era inadmissível!  O Kim tinha a intenção de se acalmar, todavia, acabou mais puto que antes.

— HoSeok, eu quero pedir uma coisa a você. — Quebrou o silêncio instalado ali, e nem precisou que o mais velho concordasse, apenas continuou — Jimin me deixou e agora eu não tenho mais com quem conversar sobre HP.

— Meu bem, foi você quem deixou ele… — Jung ainda mantinha a atenção na panela de molho.

— Isso não importa, o fato é que eu não tenho mais ninguém par- — Foi interrompido.

— Você disse pro Jiminzinho que não precisava dele, não é? Porque eu sou potterhead, assim como você. E agora você quer que eu de fato me torne um para que, mais tarde, você saia com a sua razão intacta?

— Claro que não! — Se defendeu.

— Uhum, e o GD é o nosso vizinho… — HoSeok tampou a panela e foi para perto do namorado — Eu conheço você tanto quanto conheço a palma da minha mão, Tae. E eu sinto muito, mas não vou poder fazer o que pediu. Eu não gosto, sabe disso. Além do mais, eu trabalho e também tem a faculdade. Não tenho mais tempo para ficar maratonando filme e decorando feitiços… Sinto muito, mas dessa vez você terá que engolir o orgulho e pedir desculpas ao Chim. — Apertou a bochecha do mais novo.

TaeHyung portava um semblante irritado, que não demorou para se desmanchar e aos pouquinhos se transformar numa faceta pidona, com um bico que demonstrava o quão emburrado ele era.

— Vamos, não será tão difícil assim, hum?

— Você não precisa ler os livros e nem assistir tudo de uma vez, além do mais, eu posso te dar spoilers. — HoSeok suspirou em descontentamento, sabia o que viria pela frente.

— Posso saber qual o preço que eu pagaria caso eu me negasse? — Viu o castanho abrir um sorriso no mesmo momento. Ah, o que ele não fazia por TaeHyung.

— Eu ia te pôr pra dormir no sofá. — Riu enquanto encurtava a distância entre os dois.

— Você sabe que não pode me dar ordens na minha própria casa, né?

— Eu não pensei só no “sacrifício”, amor… Acredite em mim, o prêmio está a altura. — Sorriu sacana antes de atacar os lábios alheios.

Um beijo calmo e ao mesmo tempo sensual, bem característico no relacionamento daqueles dois. TaeHyung fora prensado no balcão atrás de si e não demorou para enroscar os braços ao redor do pescoço alheio.

》》》

— Eu não acredito que estou rodeado de pessoas como eles, hyung! Juro que pensei que Jimminie seria fiel para com a nossa amizade, mas não. Tinha de ter um lufano nojento para atrapalhar o meu dia e claro, a minha relação com o Park. – HoSeok e TaeHyung estavam sentados à mesa jantando, e o Kim ficaria por ali naquela noite na casa do mais velho. O próprio insistiu que ficassem juntinhos para ver se o mais novo se acalmava da discussão que teve com o melhor amigo — Ele merece uma punição e o Jeon também… Irei jogar aqueles dois na privada depois de um feitiço de encolhimento. É isso! Mas ainda é pouco. — HoSeok não sabia se isso era possível, mas ficou apenas observando o mais novo que se levantou e passou a  andar de um lado para o outro na sala de estar quase fazendo um buraco no chão de tão nervoso que estava.

Detestava ver seu menino assim, tanto porque não era legal para o mais novo viver dentro desse mundo de uma forma negativa. Não que ele criticasse o seu gosto, mas a questão era que tudo tinha limites e o Kim não os conhecia muito bem, por isso, sempre discutia com o amigo como se ele fosse o pior inimigo e precisasse aniquilá-lo. Essa parte não era legal e o mais velho precisava dar um jeitinho nisso. Suspirou ao ver que o outro estava caminhando em direção ao banheiro da casa, provavelmente para tomar um banho após a refeição. Não tardou e logo seguiu ele. Quem sabe não podia ajudá-lo a desestressar?

— Amor, as coisas não precisam ser assim, você vai ver que logo o Jimin-ssi irá compreender o erro dele. – O Jung dizia enquanto seguia o mais novo, que nem ligava – Assim como você o seu... – Essa parte ele disse baixinho, claro que não queria arranjar briga com a fera que era seu namorado em um momento como aqueles. Não quero ser encolhido e jogado na privada, pensou consigo mesmo e riu do próprio comentário que fizera.

TaeHyung estava tão tenso que nem notou quando o mais velho entrou no banheiro ao seu lado. Já HoSeok se sentia chateado, ele gostava de ver e ouvir o castanho rir pelos cotovelos e não tramando vinganças. Rapidamente pensou em algo, não deixaria que a irritação de Tae se perdurasse por muito tempo.

TaeHyung sentiu o baque surdo e aquela dor pouco acentuada e rápida assim que suas costas bateram de encontro a parede gélida do banheiro. A porta mal fora aberta e ele já estava sendo jogado na mesma como se não pesasse o tanto que pesava e como se o perigo de escorregar e bater sua cabeça no sanitário não existisse. O Kim não teve tempo de raciocinar ou se situar bem do que estava acontecendo, tudo o que tinha em mente era um plano para se vingar do Park. Sua ficha caiu quando sentiu o perfume do hyung perto de si e também do calor que este emanava por estar perto. Praguejou-se após perceber o quão tolo estava sendo a ponto de preocupar HoSeok.  A adrenalina começou a ser liberada em sua corrente sanguínea como nunca, como se ela houvesse – de uma hora para outra – substituído a liberação de oxigênio. Seu coração estava mais do que acelerado e ele podia sentir a taquicardia momentânea dando a ele a impressão de que seu coração sairia pela boca a qualquer momento. Uma sensação boa e ao mesmo tempo perigosa, já que ele não estava preparado para o surto e para o que vinha a seguir. Só teve tempo de registrar os olhos felinos daquele homem de tez pecaminosa e de sorriso que o levou a se perder. HoSeok foi em sua direção com tudo.

TaeHyung era mais alto, por isso teve de abrir um pouco as pernas, ficando da mesma altura para poder acolher entre elas o corpo magro e bem torneado de seu hyung. E HoSeok nem se importou com a altura ou o que quer que fosse, seus lábios foram em direção aos do Kim com uma intensidade avassaladora, de uma forma sedenta que o mais novo não estava esperando. Os lábios de seu hyung pareciam mais doces e quanto mais que ele provava, mais ele queria e aquilo se tornaria o seu novo vício. Ele tinha plena certeza disso.

Os lábios eram quentes e um pouco úmidos, deixando o beijo ainda mais gostoso e molhadinho, fazendo com que a saliva não escorresse do canto das bocas, mas que desse a elas um deslizar ainda mais intenso. Bem daquele jeitinho. As bocas tinham se tocado mais uma vez; se provaram, se chuparam e se morderam a vontade antes das línguas entrarem em ação, fazendo toda a diferença naquele beijo que já era gostoso apenas com aquilo. E quando elas se encontraram, os dois gemeram baixo.

Elas passavam uma pela outra, deslizando, depois se enroscavam e se separavam apenas para voltarem ao ritmo frenético de se reconhecerem e explorarem uma a outra intensamente. Às vezes um chupava a língua alheia, causando alguns gemidos dengosos, ocasionando um tesão puro. Uma leve dormência começou a acometer aquelas bocas, mas eles não se separaram nem por um minuto. Movimentando suas cabeças para lados opostos para que não ficassem sem ar, prensando seus narizes sem querer. Se separar daquele enlace não era uma opção e eles não seriam loucos de se largarem justo naquele momento em que nada parecia importar.

E os corpos? Ah, eles estavam tão unidos a ponto de não haver nenhum espaço entre eles. As mãos firmes e grandes do Kim apertavam a cintura um pouco fina do mais velho, marcando ele de forma segura, as pélvis estavam coladas e aquilo fez com que eles ficassem ainda mais quentes e tudo ficou ainda mais envolvente quando Tae, num gesto desesperado, desceu sua boca para o pescoço do Jung, deixando um chupão enorme ali. HoSeok não se incomodou com aquilo e TaeHyung não estava nem ao menos raciocinando. Tudo o que o moreno fizera em resposta foi arranhar a nuca do mais novo, a fim de marcá-lo também.

Tudo isso enquanto se empurrava ainda mais contra o mais velho, ora se roçando, ora apenas procurando mais contato. Os dois desejavam que aquelas peças de roupas sumissem, queriam estar em um lugar melhor, de preferência em uma cama e se provando de uma forma mais completa. As mãos de TaeHyung começaram a passear pelo corpo do seu hyung, passando-as da sua cintura até suas nádegas cheias e apertando ali, fazendo com que o Jung soltasse um gemido arrastado ao pé do seu ouvido. HoSeok sabia que ele fazia de propósito, ele queria deixar aquele rapaz à beira do desespero.

— Meu anjo, o que acha de deixar aquela situação chata para lá e a gente pode fazer aquilo que você gosta? — o Kim sorriu de uma forma maliciosa com as falas do outro. Ele adorava o que o seu hyung estava lhe propondo, mas não podiam ficar naquele local, prestes a cair — O que você prefere? Deixar que essa bobagem estrague seu dia ou fazer?

E parecia que tudo aquilo estimulava mais e mais o Kim, a ponto dele descer suas mãos as coxas torneadas, não deixando de arfar por marcar de forma firme. O calor subia, o tempo pareceu ter parado, o que era maravilhoso. Os membros estavam duros e incomodando demais. HoSeok suspirava e às vezes soprava de leve ao pé do ouvido do Kim só para deixá-lo ainda mais louco. E não somente isso, enquanto o Kim admirava a silhueta de coxas e maltratava seu pescoço, ele tratava de lamber a orelha do mais novo, ponto extremamente sensível para ele. TaeHyung estava mandando a sanidade para longe.

Os dedos finos de HoSeok  acariciavam os fios presentes na nuca do Kim e vez ou outra puxava-os. Não precisava ser delicado e sabia que o outro não se importaria caso viesse lhe machucar um pouquinho. Tae subiu os lábios em busca dos do namorado que, por sua vez,  confessou a si mesmo que estava amando aquele ósculo quente. Seu baixo-ventre estava dando sinais de que estava acordando, ainda mais porque o outro, agora bem atrevido, estava apertando suas nádegas cheinhas, enquanto deixava que sua língua fosse chupada por si. HoSeok decidiu que também queria brincar e desceu uma de suas mãos, ousando apertar com força a bunda farta do Kim por cima do jeans colado, fazendo com que o mesmo soltasse um gemido arrastado. A ereção de TaeHyung já dava sinais de vida, diferente da de HoSeok, que estava mais do que pronta.

— O que acha da minha resposta, hyung? — HoSeok sorriu animado com a pergunta que Tae fizera.

— Vamos para o quarto. Certas coisas só na cama.

— Deixa o TaeTae te chupar, hyung? — O castanho pediu com jeitinho, fazendo um biquinho, mas não deixando a carinha de safado lhe tomar, o que deixou o mais velho mais duro ainda.

— Por que não deixa o hyung brincar primeiro hein, TaeTae? — HoSeok sorriu ladino, vendo o outro soltar uma risadinha nada casta. TaeHyung deu de ombros e fez que sim, dando carta branca.

– Pode brincar o quanto quiser, hyung. — Respondeu manhoso. — Pode brincar, garanto que é uma delícia. – TaeHyung disse baixinho, arrancando um risinho do mais velho ali. Se acomodaram melhor na cama, as coisas estavam esquentando e o Kim não podia negar que queria logo brincar do jeito que amava com o seu amado.

– Levante o quadril para o hyung, sim? – TaeHyung até riu de nervoso, estava dando trabalho ao hyung que queria lhe deixar tão bem. E mesmo com toda a vergonha do mundo, ele elevou o quadril e deixou que suas roupas passassem por suas pernas, revelando um membro teso e gotejante.

HoSeok sorriu e, pelo jeito com que o mais novo lhe olhava com aquela carinha corada, mesmo não sendo a primeira vez tendo seu pau enterrado na boca de um homem, lhe deixava louco. Não faria por menos, ele era bom nisso e TaeHyung merecia uma distração.

O membro melado de saliva entrava e saía da boca de lábios bonitos e fininhos, lábios estes que estava bem firmes em volta do pau mediano e grosso, cujas veias saltadas eram saboreadas assim como o gosto do mesmo. Tão rosadinho, quentinho, duro do jeito que ele gostava de ficar apreciando e tão gostoso, do jeito que ele gostava de pôr na boca. Sua boca não era estocada, ela quem se movia por toda a extensão, fazendo aqui e ali, um barulho erótico e bem-vindo aos ouvidos de quem recebia o boquete. Boquete este que era bem feito e cá entre nós, um dos melhores que se podia fazer.

O moreno mantinha seus olhos bem abertos e fixos no mais novo, que suspirava e ofegava, tremulando com as sensações, enquanto aproveitava o gosto daquela extensão quentinha deslizando perto de sua garganta, ele mantinha a mesma relaxada, já que gostava de sentir a cabecinha inchada e gotejante bem fundo. Gostava da sensação de engasgar de vez em quando e gostava mais ainda do amargo ou agridoce – dependendo do dia – que gotejava daquele músculo suculento. Ele salivava, ah, salivava muito, só de ver o mais novo assim, ofegante e completamente entregue. TaeHyung apertava os lençóis abaixo de si e gemia dengoso com o sexo oral. Ao longo da vida tinha recebido um boquete ali e outro aqui, mas ninguém se comparava a HoSeok, que praticamente o levava ao paraíso. Ele fazia com que o membro escorregasse todinho para dentro de sua boca, ali ele dava uma ou duas apertadas com os lábios, só para sugar depois com vontade e sentir o gosto que vinha das gotas que saíam. Depois ele o tirava todo e estocava sua boca com o mesmo indo e vindo, indo e vindo, com vontade e força. Gostava de chupar a glande todinha, passando a língua molhada na fenda ou tentando empurrar a pontinha da mesma ali. Era gostoso e não machucava, TaeHyung gemia baixinho. Tinha receio de ser escandaloso, mas o Jung queria tudo de si.

— Amor, me deixa ficar por cima, vai... — Tae pediu mas HoSeok não parecia querer tirar aquela maravilha de sua boca, contudo o Kim era insistente; — Eu quero agora!

O Jung se acomodou melhor em cima da cama e deixou que o Kim ficasse por cima dele, na famigerada posição de meia nove. Era disso que TaeHyung gostava. Sorriu animado com a posição nova e se aprontou para fazer aquilo que sabia que deixava o seu namorado nas nuvens, e era também uma forma de o recompensar pelo oral que começou bem feito e que terminaria melhor ainda.

Salivou de desejo e não demorou, abocanhou o falo do outro e subiu os lábios para a glande, chupando somente ali. O Jung soltara um gemido longo e dengoso, ainda mais por sentir o outro arranhando de leve o interior de sua coxa e, se fosse somente ali, até tudo bem, mas não. O Jung fazia questão de, também, apertar suas nádegas, isso porque ele trouxera o corpo do outro mais para cima do seu, quase encaixando na sua cintura, isso para ter melhor acesso ao que quisesse. E seu foco era apertar e maltratar o outro. Chupar HoSeok era muito gostoso, ele tinha um gosto bom, que ao ver do mais novo era tentador. Cuidou da glande com cuidado, sabia que ali era bem mais sensível. Porém, não queria dar atenção somente àquela parte e assim logo abocanhou o falo todinho.

— Oh, hyung, que delícia… Juro que será muito bem recompensado, e não falo somente por causa do filme, hum… — O mais novo soltou enquanto apertava os lençóis com vontade.

Um depois o outro, ambas as bolas do mais velho receberam o devido trato. Ele observava a devoção que o Kim tinha em o chupar assim, em arranhar a pelinha com os dentes para provocar, em passar a língua pela entrada enrugada e rosada só para sentir o gosto do outro. HoSeok olhava de baixo o quanto TaeHyung gostava de pôr seu pau na boca como se aquilo fosse um doce. Aliás, estava doce. E isso o fazia ver que o mais novo era um profissional daqueles, de uma forma que não passava nojo ou qualquer outra sensação que não fosse prazer. E para um apaixonado como o Jung, não tinha nada melhor do que mergulhar naquela sensação. Tão quente e firme, tão complexa.

Mas ele também não parou por aí, apertando e apalpando as nádegas do seu menino enquanto afundava o pau delicioso na boca, sem medo de se engasgar ou muito menos ser feliz. Amava aqueles orais. Seria uma longa noite, pelo visto.

》》》

— E depois de assistirmos pela milionésima vez o último filme, fomos a uma convenção e olha, fiquei admirado por ele ainda não ser sócio de quem é responsável pela organização do evento… Ele gastou boa parte das economias com mais itens de coleção. — HoSeok se queixava para Jeongguk, que apertava os botões do micro-ondas — No passado eu me achava um otaku fanático, mas cheguei a conclusão de que o meu eu antigo é fichinha perto dele. — Riu, apontando para o namorado que estava deitado no colo de Jimin.

— Você não precisava se render, hyung. Eles voltariam a se falar sem ajuda nenhuma… É sempre assim.

HoSeok apenas riu em resposta, ele sabia disso. Entretanto, a recompensa era muito atrativa e ele não poderia recusar de forma alguma aquela proposta.

Quando a pipoca ficou pronta, o Jung em companhia do Jeon, foram para a sala novamente, onde TaeHyung se gabava do quanto era sortudo por ter um namorado como Jung HoSeok.

— Pelo amor de todas as entidades, HoSeok, escolhe a casa certa. Caso contrário eu te colocarei pra fora, junto com ele. — Ameaçou enquanto encarava descaradamente Jeongguk, que apenas revirou os olhos.

— Tae, não começa. — Pediu Jimin, temendo que o amigo viesse surtar novamente.

— Me poupe, essa criatura só está aqui porque Hobi hyung cismou que ele deveria estar aqui.  — Se exaltou minimamente.

TaeHyung já não ia muito com a cara de Jeongguk por ele ser do time do Capitão América e por ele estar sempre na sua frente em todas as matérias, o fato dele ser lufano e ainda por cima estar arrastando asas para o seu melhor amigo só piorava tudo.

— Você é tão infantil, TaeHyung, pelo amor… Chega a ser irritante. — Jeon pigarreou.

— Meu anjo, vai tomar no cu. Não era nem pra você estar aqui, lufano seboso.

— Tae! — Jimin se manifestou, não deixaria aquilo continuar de forma alguma.

— Você é outro seboso também, falsiane que muda de casa mais do que muda de cueca. — Rebateu o Kim.

— Olha só, o rei do playground está irritado. — Jeongguk jogou lenha na fogueira, com o intuito de acabar de vez com o clima ali, a ponto de serem postos para fora.

— Não vou gastar minha saliva com um trouxa como você.

— Parem, por favor! — Jimin mais uma vez tentou intervir, contudo, era inútil.

Ambos os garotos estavam numa discussão que, a qualquer momento, poderia se tornar uma briga com direito a pancadaria. E HoSeok? Bom, HoSeok chegou a conclusão de que se aquela turma carregasse uma placa com o aviso de “cuidado com o potterhead", ele nunca e, em hipótese alguma, teria se deixado levar pelos encantos de TaeHyung.

 


Notas Finais


Não deixem de comentar o que acharam, por favor ;-; todo mundo sabe que eu sou a mais insegura do site ~ amo vocês, obrigada por lerem até aqui o/ <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...