1. Spirit Fanfics >
  2. Danger Line >
  3. Algumas explicações

História Danger Line - Capítulo 15


Escrita por:


Capítulo 15 - Algumas explicações


Fanfic / Fanfiction Danger Line - Capítulo 15 - Algumas explicações

Paul:

Ficamos com as caricias por um tempo e achei melhor a soltar essas correntes que a estavam a prendendo. Não sei o que está acontecendo comigo, mas meu senso de responsabilidade está me incomodando já, ela era diferente... Não vou usar métodos grosseiros com ela.

— Chérie? – Chamei a atenção dela.

— Hum... – Ela me respondeu num tom preguiçoso.

— Vou te soltar... – Comuniquei a ela.

Ela me encarou como se não acreditasse no que eu estava falando, mas não tiro sua razão admito que não sou uma "pessoa" estável ou confiável, mas tem que ser assim.

— Por que isso Paul? – Ela me questionou.

— Meu resto de responsabilidade está me incomodando petit amour.

Com um movimento rápido da mão soltei as algemas de Lana e a coloquei sentada a minha frente.

— Não sabia que você tinha essas coisas – ela esfregava o pulso, mas não tentou se afastar de mim.

—Sim eu tenho... Às vezes eu uso... – Me levantei colocando minha camisa e voltei a deitar ao lado dela puxando-a para um abraço que ela não rejeitou — Lana posso te fazer uma pergunta?

— Pode sim Paul...

— Por um a caso o Claude te contou para que ele está te treinando? Ou ele deixou essa tarefa para mim?

— Ele não me disse exatamente Paul... Mas você também não nos dá oportunidade para poder conversar.

— Okay, vou te contar... Não vou entrar em detalhes, mas vou te contar... Já te contaram a profecia? – Perguntei a ela.

— Por cima... – Ela me disse meio insegura.

— Preste atenção... – Me acomodei melhor na cama e fiz ela se encostar em mim e a cobri com o edredom que estava ao nosso lado na cama para que ela ficasse confortável. — No começo eu e o Claude atraímos você e a sua família para uma brecha no tempo com uma mistura de magia e alquimia... Por que existe uma profecia que dizia que você teria o poder de trazer de volta a vida um mal... Para ser mais exato um demônio, o nome dele é Fenriz... – Ela se mexeu como se estivesse incomodada com algo — Quer que eu pare?

— Não... Continua... – ela se aconchegou em mim.

— Okay... – Me arrumei novamente e voltei a narrativa... — Nós não imaginávamos quem passaria pelo portal que abrimos, poderia ser uma pessoa idosa ou uma criança com a idade do seu irmão mais novo, porém o que nós apareceu foi uma família inteira, pela qual eu tomei a responsabilidade de proteger e descobrir quem era a pessoa especial e não foi muito difícil descobrir quem era, já que todos os métodos de manipulação que tentei com você não funcionaram, então descobri quem seria a chave para a libertação de Fenriz – respirei cansado enquanto ela me avaliava. Refletindo sobre o que eu estava falando. — Não pense que estamos ajudando aquele demônio por vontade própria... Ele conseguiu um jeito de aprisionar almas de entes queridos nossos... – Ela me olhou com uma cara meio cética — Lana chérie vamos lá até esses dias você não sabia que era uma bruxa e se está pensando em Josette já te explico...

— Tudo bem Paul, prossiga – ela respirou para se manter concentrada e paciente no que eu dizia a ela.

— Bom voltando... Ele começou quando sequestrou a alma da filha do Fred, ele foi o primeiro com quem Fenriz fez contato, ele ordenou que Fred espalhasse a notícia que ele voltaria e se vingaria dos descendentes daqueles que formaram a primeira Ordem... A formação original era: O Senhor dos Elfos, O Lider Alpha, O Imperador Dos Bravos, O Mestre Da Ordem Mágica e por fim O Governante Dos Homens. Ou seja... Aqueles que são a nova Ordem que estão tentando reverter o processo de banimento são filhos ou descendentes daqueles que a formaram...

— Existem outras “classes magicas, porque só essas cinco fazem parte da ordem? – ela me perguntou curiosa.

— Cada país tem uma cede da ordem que é composta pelos mais poderosos e numerosos da região. – respondi simplificando e ela concordou com um asceno de cabeça. — Calardan é novo senhor dos elfos e filho de Hellaio teve a alma de sua rainha Aya tomada. Fred novo lider alpha bisneto de Henri II teve a alma de sua filha Jane, a mais nova levada. Kylum ainda é o imperador dos bravos teve sua xamã e irmã gêmea Keyla foi levada. Claude mestre da ordem magia sobrinho de Orion ficou sem a mãe Madaleine. Já deu pra entender né? – Ela me encarou me forçando a falar sobre a minha parte. — Tudo bem eu falo... E eu que sou bisneto do Conde Brown I que nem sempre foi um vampiro tive que suportar ver a alma de Josette levada e ser abusada por aquele demônio até que eu propus o acordo de trazer a descendente de Annabel à bruxa que morreu para prendê-lo em troca ele devolvesse as almas roubadas, mas ele disse que só devolveria a metade de uma até o processo ser concluído e como Josette me ajuda nas pesquisas e não tinha nenhum poder mágico para sobreviver porque ela não mantinha os hábitos de uma vampira, então ela não tinha forças o suficiente para sobreviver por muito tempo, então foi escolhida para voltar. E desde então nós te procuramos! Perguntas?

— Não sei se tenho ainda... É muita informação para absorver... – Ela me disse pensativa.

— Se eu fosse você dormiria um pouco... Quer que eu te leve para seu quarto chérie?

— Eu quero... Preciso pensar um pouco em tudo que você acabou de falar... – Ela me olhou com firmeza enquanto eu a levei ela para o quarto dela e a coloquei sobre a cama. — Paul... O que esse tal de Fenriz é capaz de fazer?

— Destruir tudo que você conhece e o que não conhece também. – Respondi sincero.

Ela ficou me olhando preocupada, enquanto ficou sentada de frente pra mim.

— Lana quer que eu pegue seu pijama de bolinhas? – Perguntei para descontrair.

— Hey como você sabe que eu tenho um assim? – Ela me encarava surpresa.

— Sei todas as roupas que você tem! – Sorri para ela na tentativa de distraí-la um pouco.

— Seu pervertido! – Ela retrucou;.

— Toujours Chérie... Toujours. Eu a encarei

Ela riu e se levantou caminhando até a porta do quarto a abrindo de vagar indicando para que eu me retirasse. Eu me levantei e fui caminhando até ela e parando na sua frente, ela sorriu e ficou na ponta dos pés e deu um beijo no canto da minha boca.

— Au revoir Paul. – ela medisse meiga.

Sorri.

Ela retribuiu o sorriso e saiu correndo em direção a própria cama com a camisola esvoaçando com os movimentos leves que ela fazia, eu por minha vez me apressei e voltei para o meu quarto, mas a minha vontade era de dormir com ela nos meus braços.

¨¨¨¨

Lana:

Deitei na minha cama enquanto o Paul ia embora, Ele me assustou com tudo aquilo, mas o pior de tudo foi saber o motivo da minha presença aqui.

Eu quero falar com a Josette.

Quero saber como ela se sente e quero que ela me conte mais sobre esse tal Fenriz. Quero saber tudo o que puder sobre esse demônio, fazer o que eles estão me pedindo é uma loucura, principalmente de Fenriz é poderoso como Paul me falou. Eu estou suando frio com tudo isso e acho q não vou conseguir dormir agora... Me levantei e fui em direção ao banheiro, tomar um banho quente ia ser bem útil para me acalmar e me ajudar a refletir sobre tudo isso

Fiz a banheira se encher com água quente com mágica... Afinal essas aulas para dominar os meus poderes tinham que servir pra alguma coisa. Entrei na banheira e afundei lá pensando em tudo que ele me falou...

Kylum e Calardan são mais antigos do que parecem.

Eles devem carregar um fardo extremamente pesado nas costas, só pelo fato do peso de desfazer o trabalho dos seus ancestrais, de ter que liberar um demônio que pode destruir tudo que eles conhecem e toda a vida na terra, já era algo bem terrível, mais que isso eu diria... Acho que nem tenho como definir o quanto isso é ruim... Agora, ter esse fator agravante de terem seus familiares presos deve ser terrível para o sofrimento que eles estão passando, sabe-se lá o que esse demônio está fazendo com aquelas mulheres, eu imagino a impotência que eles sentem, a angustia, a preocupação em seus corações... Ter que lidar com isso não é algo que nenhum ser existente merece. Preciso saber o que elas estão passado, Josette pode me falar um pouco sobre isso amanhã. Eu espero.

Fiquei submersa por um tempo e terminei meu banho, quando eu fui pro quarto Shane estava sentado na minha cama.

— Lana posso dormir aqui hoje? – aquela bochecha rosada me matava, automaticamente imaginei minha família na mesma situação sobre a qual estava refletindo.

— Claro pequeno... E a mãe e o pai? – eu me sentei ao lado dele.

—Tão bem... Tão juntos na a lareira. – Ele abriu um grande sorriso.

— E o Richard? – os olhos dele ficaram distantes como se estivesse lembrando de um fato muito antigo.

— Com a Josette na cozinha. – ele bateu as mãozinhas como se tivesse lembrado de uma coisa mágica.

— E você já quer dormir? – sinceramente duvido.

— Não! – Ele disse esperto.

— O que você quer então? – perguntei passando a mão naqueles cabelinhos.

— Toca viiiiolãoooo? – Ele me pediu manhoso.

— Você lembra que eu sei tocar? – eu fiquei confusa.

— Sim... Pu que não ia lemba Lana? – Ele é muito lindo... Mal consegue falar

Os olhos dele brilhavam para mim e não tive alternativa a não ser acatar à vontade dele. Peguei o violão e comecei a cantar uma música qualquer com ele.

Cantamos todas às músicas infantis que eu sabia que ele gostava, até ele começar a esfregar os olhinhos com aquelas mãozinhas gordas.

— Quer dormir Shane? - Perguntei

— Não. – Ele respondeu quase tombando para o lado.

— Certeza? – Peguei-o no colo e levei pra cama deitando-o junto comigo.

— To sem sooooooono. – Ele reclamou abrindo o bocão de sono.

 — E isso me pareceu um bocejo.

— Não. – Ele virou e se aconchegou em mim e apagou.

Eu segui seu exemplo, eu aconcheguei ele melhor nos meus braços e fechei os olhos e esperei o sono...

¨¨¨

"Eu estava parada olhando para o horizonte quando ouço passos se aproximando... Olho para o lado e vejo o Paul estendendo a mão para mim e quando estou prestes a segurar então vejo uma multidão se aproximando com tochas acesas e armados vindo em minha direção, olho para direção do dele  mas ele não está mais lá.

Perdi minha chance.

Comecei a correr as vezes olhando para traz vendo soldados à cavalo me seguindo prestes a me matar, quando eu novamente olho pra frente vejo um penhasco a minha frente, um enorme abismo negro pronto para me receber, me chamando convidativamente.

Sem olhar para traz eu me lanço pelo penhasco, sei que não há volta, vou caindo sendo engolida pela escuridão a minha volta... Quando olho para o lado vejo os membros da Ordem me fitando como se eu fosse uma coisa de outro mundo e que faria mal a eles.

Olho para o outro lado e vejo Paul observando a minha queda e sorrindo maravilhosamente, tento pedir ajuda, mas ele só me observa. Quando estava prestes a morre ele segurou-me em seus braços me dando um abraço terno. Olho por cima de seu ombro e vejo um homem mais ou menos com a idade de Richard me olhando, ele tem uma aparência tão frágil, mas sinto medo de olha-lo. Ele sorri para mim com uma fileira de dentes alinhados e brancos, Paul me abraça protetor. Então tudo some e eu não consigo mais enxergar nada devido a escuridão, eu me dou conta que estou morta."



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...