1. Spirit Fanfics >
  2. Danger Line >
  3. O sofrimento de Josette

História Danger Line - Capítulo 16


Escrita por:


Capítulo 16 - O sofrimento de Josette


Fanfic / Fanfiction Danger Line - Capítulo 16 - O sofrimento de Josette

Acordei assustada... Fazia um tempo que eu não tinha esse pesadelo, mas dessa vez aconteceu outras coisas... Deve ser influência das histórias que o Paul anda me contando, olhei para o lado e vi que Shane dormia sossegado, fiquei olhando para o meu irmão vendo sua expressão calma, comecei a imaginar como seria doloroso ter a alma de quem você ama sendo levada por um demônio... É revoltante. Ninguém merece esse tipo de coisa.

Levantei da cama e fui à cozinha tomar um copo com água para me acalmar um pouco... Lá na cozinha sentados estavam conversando Paul e Josette, que estava chorando muito.

Paul se aproximou dela e a abraçou com uma expressão de dor no rosto... Ver isso só me deixou preocupada. Eles estavam sofrendo muito e isso tudo estava ligado de alguma forma a mim. Tenho que ajuda-los de alguma forma... Não creio que apenas libertando Fenriz isso vai estar resolvido, creio que Paul está escondendo alguma coisa de mim.

Vi Paul beijando a testa de Josette e saindo para o jardim pela porta da cozinha deixando Josette sozinha. E nesse momento eu sinto vontade de conversar com ela de verdade d saber qual é a real. Entrei na cozinha encontrando uma Josette de iris vermelha e marejada...

Será que ela está nervosa?

Só vi Paul com a íris vermelha quando ele estava nervoso ou usando seus poderes de vampiro, me aproximei um pouco mais e com cautela...

— Josette? – chamei seu nome num tom preocupado.

Quando ela ouviu minha voz suas lagrimas sumiram, seus olhos voltaram ao habitual cinza e um sorriso apareceu no seu rosto.

— Lana... O que faz aqui? – Ela perguntou meio sem jeito.

— Vim tomar água. E não sorria assim pra mim. Sei que você não está bem. – Encarei ela por uns instantes — Posso conversar com você?

Ela me olhou meio preocupada.

— Não se preocupe Josette eu já sei de tudo. – Disse a ela tentando acalma-la.

Os olhos dela voltaram a marejar e sua íris aos poucos mudou de cor voltando ao vermelho.

— Te deixei brava Josette? – Perguntei receosa.

— Não Lana... Por que pensa assim? – Ela me encarava com um sorriso triste.

— Seus olhos... – Respondi sem jeito.

— Eles ficaram vermelhos de novo? – ela deu um sorriso fraco.

— Sim... – ela me indicou uma cadeira e sentou-se a minha frente.

— Oh... Não é isso... Geralmente quando isso acontece é quando ficamos desatentos com os nossos poderes e eles assumem nos deixando em nossa verdadeira forma. Quando um vampiro tem emoções muito intensas os olhos ficam em sua forma de expressão mais forte ficando da cor vermelha. Isso acontece com toda criatura mágica que se camufla, mas os vampiros são humanos então o que altera são a cor dos olhos, a força, a velocidade entre outros, mas lobos por exemplos ficam em seu estado animal...

— Oh... Entendi Josette não sabia disso, obrigada por me explicar. – Eu sorri, mas estava pensando um jeito de introduzir o assunto. — Josette, eu queria te fazer umas perguntas, porém eu acho que elas vão te fazer mal... – Olhei para os meus pés.

— É sobre Fenriz não é? – Seu olhar era calmo, mas ela fez uma cara de dor, e eu assenti com a cabeça.

— É necessário... Pode fazer as perguntas que você achar que deve Lana. – Ela disse corajosa.

Sorri para ela.

— Obrigado Josette. O que eu realmente quero saber... É como você se sente? Como realmente são as coisas com a parte da sua alma que está ligada a Fenriz? A sua opinião sobre tudo isso? – Perguntei ligeiramente aflita.

— Bom... Lana... Não é fácil passar por isso, mas eu tento suportar pelo Paul, ele é a única família que me resta... Tenho que cuidar dele. Ter a alma separada em duas partes é doloroso. É quase insuportável às vezes... Richard e Shane tem me ajudado ultimamente já que Paul anda ocupado... – Ouvir isso me fez sentir mal, pois ele está sempre ocupado comigo... —... A parte que está aqui à maioria do tempo sente dor, mas não demonstro, as vezes é tão forte que se torna físico, gerando alguns hematomas. – ela levantou a manga do seu vestido e me mostrou cortes e roxos espalhados.

— Que horror! – eu disse espantada — Eu sinto muito.

 — Mas o que me realmente me machuca é a parte que fica lá... Fenriz não é... Digamos... Gentil. Ele é cruel e tem um tipo de fixação por mim... Não que as outras almas não estejam sofrendo tanto quanto eu ou até pior. – os seus olhos marejaram em pensar nas companheiras — Mas ele gosta de me torturar... Mesmo estando preso ele é incrivelmente poderoso, e a pesar de parecer frágil ele não é. Ele machuca minha alma de forma que meu corpo padeça junto. Parece que ele nutre algum tipo de raiva de mim... Não o vejo fazendo isso com as outras...

— Mas assim... É que eu não entendo como é uma alma? Como ela fica em outro plano? E se ele está preso, como ele consegue machucar vocês? – eu preciso entender o processo pra saber o que fazer pra ajuda-la.

— Bom uma alma é basicamente "luz", mas quando se quer capturar a alma você a transforma em matéria... Isso é quase impossível... Só pessoas muito poderosas conseguem então minha alma é basicamente uma réplica do meu corpo e nela contém a essência da minha existência, e da mesma forma ele faz isso com o próprio corpo. Ele mantem o corpo seguro no local em que foi preso e usa a alma para ter contato conosco, porém ele não sente a mesma dor que eu, pois seres superiores a nós conseguem enxergar a alma e manipula-la de forma livre.

— Mas ele não é um demônio? Como ele pode ser superior? – Eu estava inconformada.

— Demônios são superiores em tudo aos seres mágicos... Lana já leu a bíblia?

— Não muitas vezes... Devo assumir... – lembrei que sempre fugia das aulas de catequese.

— Na bíblia diz que demônios são a terça parte dos anjos que se juntaram a Lúcifer... Eles são anjos caídos, Lana eles nos veem da mesma forma que os anjos... Sabem todas as nossas fraquezas, nossos pecados e usam isso contra nós.

— Entendi, mas o que ele faz com você? – perguntei antes mesmo que pudesse conter as minhas palavras.

Ela fez uma cara completamente triste e lagrimas começaram a rolar pelo seu rosto interruptamente.

— Josette o que ele faz? – Estava me sentindo culpada em força-la a me dizer algo, mas eu precisava saber o tipo de monstro que eu estava lidando.

Seu olhar ficou vago e ela abaixou a cabeça.

— Ele não abusa de você, não é? – Meu tom ficou levemente alterado de raiva quando me toquei no que ele fazia.

Ela não me respondeu

O ódio subiu em mim como nunca antes eu quis matar esse Fenriz como ele ousa fazer isso a Josette? Eu levantei e fui para perto dela para abraça-la.

Além de machuca-la ele abusa da alma dela?

— Josette você sente isso aqui enquanto ele faz isso? – O ódio transpareceu na minha voz e pude entender porque Paul estava daquela maneira.

Ela assentiu sem graça.

— Por isso Paul fica tão nervoso... Por isso ele sofre... Parece que Fenriz só faz isso para atingir Paul. Parece que é pessoal... – Ela disse visivelmente triste.

— Mas ele te agride de outras formas enquanto faz isso? –  perguntei.

— Ele me machuca o tempo todo Lana... De todas as formas que você possa imaginar... Ele é sádico. – Ela olhava para as mãos que estavam sobre o seu colo.

— Josette...

Nem sabia o que dizer a ela...

Simplesmente a abracei, e ela chorou por muito tempo no meu ombro.

Fenriz tem que morrer...

Só não sei como ainda!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...