História Danger Love - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Yaoi
Visualizações 379
Palavras 983
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um cap hj, pq tô na atividade ^^
Obrigada pelos 26 favoritoooos, amo vcs 💜

Capítulo 13 - Inevitável.


Fanfic / Fanfiction Danger Love - Capítulo 13 - Inevitável.

                               Yoongi P.O.V

Eu não sei porque ela fez aquilo, muito menos porque ela disse aquilo. Por um tempo apenas á observava. E ela fazia o mesmo. Eu á queria mais que tudo, dava pra ver isso em meu olhos.

— Mariana? — disse ainda com ela em minha frente me encarando.

— O que?

— Eu quero você. — disse pegando ela no colo e jogando ela na cama.

Comecei a beija-lá com todo meu amor e desejo. Nosso beijo era desesperado e quente, totalmente necessitado. Desci meus lábios até seu pescoço, onde mordi e chupei a pele, fazendo-a soltar pequenos gemidos sôfregos. Queria cada vez mais. Comecei a tirar a blusa dela, e vi ela corando.

— Não tenha vergonha. — disse passando a mão em seus cabelos.

— Por você. 


Logo ela estava só com roupas íntimas. Tirei minhas roupas e fiquei apenas de cueca. Coloquei minha mão no fecho do sutiã dela, e o tirei. Os seios da mesma, eram grandes. Logo dei varias mordidas e chupões pelo corpo dela. E a mesma gemia fraco. Logo cheguei em sua intimidade. Olhei pra ela, e a mesma balançou a cabeça, em sinal positivo. Retirei sua calcinha e em seguida retirei minha cueca. Levantei, fui até o guarda roupa e peguei uma camisinha. Logo penetrei. Vi ela fazer cara de dor no começo, e então esperei ela se acostumar, logo ela começou á gemer.

— S-Suga... Aah... Mais rápido!

Comecei a me movimentar mais rápido, e os gemidos da menina eram cada vez mais autos. Era tão apertada e gostosa. Comecei a brincar com a garota, e alterar os movimentos, hora rápido, hora devagar. A mesma parecia cansada da tortura, já que seus olhos imploravam por mim.

— Yoongi-Ah, por favor. Eu quero você fundo em mim.

Foi meu limite, entrei fundo na garota, e a mesma soltou um gemido alto. Algumas estocadas depois, chegamos ao nosso limite e gozamos. Cai ao lado dela. Viramos um para o outro e nos beijamos. Vi ela sorrir. Como eu amava o sorriso dela.


   

                        Mariana P.O.V



Eu ainda não acredito. Nós transamos mesmo? Acho que sim. Mesmo eu amando Yoongi, no começo não queria, porque sou virgem, e sentia um pouco de vergonha. Mas depois vi o quanto ele me queria, e o quanto eu queria ele. No final das contas, vi que ele era inevitável. No final das contas, aquilo foi ótimo. Logo eu e Yoongi dormimos, abraçados. Graças a Deus, no dia seguinte era final de semana.

No dia seguinte...

Pela primeira vez na vida, Yoongi tinha acordado primeiro que eu. Ele estava na cozinha, fazendo café da manhã.

— Bom dia, Oppa. — disse sentando na bancada da cozinha.

— Bom dia, meu amor. — disse ele beijando minha testa.

— Hum... Não sabia que cozinhava.

— É... Mas eu sei me virar, Jin Hyung me ensinou.

— Aaah, sim.

Fui no quarto e peguei meu celular. Havia duas chamadas perdidas do Principe Jin.

— Bem, por falar no Principe, ele me ligou. Porque será?

— Sei lá. Retorna ué. — disse ele colocando o café da manhã na mesa.

— Hum... Depois eu ligo, agora eu vou comer, porque tô com fome.

— Gorda. —  disse Suga rindo.

— O que o senhor disse, Min Yoongi?

— Nada não, pode comer Little Fera!

— Ok, Oppa. — disse colocando comida na boca.



Ele cozinhava muito bem. O principe ensinou direitinho a ele. Acabei de comer e tomei meu banho. Aproveitei que tinha levado roupa e vesti. Quando estava saindo, ele me segurou pelo braço.

— Você gostou de ontem? — me perguntou ele sério.

— Eu adorei, foi mágico. — falei o beijando.


Acho que depois dessa, nossa amizade não será mais a mesma. Porque ainda penso em amizade? Tá na cara que nós já somos mais que amigos. Entrei em casa e minha mãe estava sentada no sofá.

— Estava na casa de Yoongi, né?

— Sim, Omma. — ela me olhou assustada.

— Me chamou de Omma? Sempre foi mãe.

— Sei lá, deu vontade de chamar assim. — disse lançando um sorriso doce.

— Está muito feliz... O que aconteceu na casa de Yoongi?

— A-Ah, n-nada.

— Opa, não quero me entrometer em assunto de casal. Por falar nisso, vou lá ver o meu "Peguete" como você diz. Tchau Mari.

— Tchau Omma.



Achei que minha mãe ia surtar, mas ela reagiu bem, Graças aos céus.  Me sentei no sofá e retornei Jin.

    

                                 Ligação on.

— Olá príncipe Seokjin. O que eu fiz para receber a sua ilustre ligação?

— Eu disse que majestade. Mas, bem... Eu preciso de um concelho Mari!

— Pode falar, majestade.

— Eu sou... Gay... E gostando do... Namjoon.

— Meu deus. Isso é desde quando? Vocês sempre foram muito proximos, e ele parece gostar de você.

Eu percebi faz algum tempo. Acho que a uns 2 meses. Tem certeza, Mari? Deveria contar pra ele?

— Sim, claro. Aposto que ele sente algo por você, da mesma forma que você sente.

— Obrigado. Você e a melhor amiga do mundo. Agora vou lá falar com ele.

— Tchau príncipe. 

E majestade. 


                             Ligação off.


Que lindo. Kim Seokjin e Kim Namjoon. Nam...Jin. Isso, Namjin. O shipp deles. Aposto que isso vai dar certo. Não é certo dizer que se amam, mas sentem algo forte. Já vi olhares de Namjoon para cima de Jin, mas sempre tive receio de perguntar se era gay, ele poderia se ofender.

                              [...]


Depois de um tempo, adormeci. Acordei, era quase sete da noite, dormi o dia inteiro. Olhei o celular e tinha uma chamada perdida do meu pai. Eu não queria saber de perigo e nem nada. Então não retornei a ligação. Desci as escadas e fui para casa de Yoongi, como sempre, já que não tinha nada pra fazer. Quando entrei, vi algo que realmente não queria.


Notas Finais


Bjuuuus da louca ^.^ 💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...