História Dangerous - Imagine Park Jimin - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Ação, Assassina, Bts, Imagine, Imagine Jimin
Visualizações 116
Palavras 2.311
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus fofinhos!
Estão preparados pra mais um capítulo?
Então, boa leitura!

Capítulo 23 - Jeon Jungkook


 

Como já imaginava, assim que fecho a porta atrás de mim logo a voz baixa porém alterada surge com as palavras que já imaginava ter que lidar hoje. 

 

- O que é isso? Você por acaso ficou maluco Jimin? Uma garota que além de ser estrangeira tem esse estilo maluco! 

- O que? Você esperou a garota sair pra falar mal dela omma. 

- Não interessa garoto! Não se envolva com essa garota Park Jimin, ou irá se arrepender amargamente. 

- O que a Sara tem de diferente é o que eu acho mais bonito nela, e sobre me envolver, cabe somente a mim decidir isso.

- Filho, não faça isso com você mesmo. Imagina o que vão falar por aí.

- Eu não estou nem aí pra o que pensam sobre mim.

- Mas eu estou! Se você não preza pelo nome da família, eu sim! Já não concordo nem com esse seu cabelo. 

- Eu gosto do meu cabelo assim omma, não é você quem tem que dizer o que é certo ou não! Já tenho 24 anos, estou bem crescido. 

- Não parece! Com essa cabeça de um adolescente, você nunca vai se tornar um homem! 

- Eu nunca vou me tornar um homem se continuar seguindo suas ordens a vida toda! 

 

Cansado daquela discussão inútil decido pegar um moletom e sair, assim evitaria falar mais coisas de que vou me arrepender depois.

Pego um ônibus e vou para a casa de Hobie, a única pessoa que sabe exatamente pelo que estou passando. 

 

- Você precisa falar pra ela Jimin...

- Mas como eu vou falar isso? 

- Cara, vocês são dois adultos e da pra ver que ela gosta de você. 

- Olha só quem fala... Está apaixonado pelo mesmo cara a quase um ano e não fala pra ele.

- Mas é diferente Jimin... Taehyung é um pouco difícil de lidar.

- Hobie, acorda! Ta na cara que ele é gay! Só você não vê isso. E além disso, vocês se combinam... 

- Você acha? - dá uma pausa pensativo. - Heyy, estávamos falando de você! O assunto hoje é você! 

- Eu não sei como chegar nela pra dizer isso. 

- Você mesmo disse que quase se beijaram hoje, se não fosse pela bruaca da sua mãe já estariam se pegando. 

- Não fale assim da omma, Hobie! Você é um falso mesmo em! 

- Ah Jimin! Você acha mesmo que eu não sei que ela fica falando mal de mim por eu ser gay?

- A omma tem dificuldade com assuntos da atualidade... 

- Não consigo nem imaginar a cara dela quando a Sara disse que é jogadora de Poker.

- Ah... sobre isso... Ela não disse.

- O que!? Então o que ela disse? 

- Ela viu que a omma não parecia ser muito tolerante, então disse que estuda pra dar aulas de arte. 

- Não acredito. - deu um tapa em sua própria testa. - Jimin, essa garota gosta mesmo de você. A Sara não é do tipo que se esconde pra agradar alguém. 

- Eu sei disso, achei muito legal da parte dela... 

- Legal? Jimin, se você não for agora atrás dessa garota eu mesmo vou! 

- Você nem gosta da fruta. 

- E até então eu achava que você também não. 

- O que ? Como assim? 

- Jimin, convenhamos, você tem jeito. 

- Só eu não estava sabendo disso?

- Pelo jeito sim! Desde sempre achei que você fosse...

- Hoseok! Eu não sou gay! - disse pausadamente.

- Se você está dizendo então eu acredito. Vai logo atrás dessa menina. 

 

Sem demorar muito na casa de Hoseok, logo me dirigi para a casa de Sara, precisava dizer logo tudo o que estava guardando desde a primeira vez que vi aquela garota.

Mandei algumas mensagens e liguei, mas nada dela. Foi quando toda essa coragem se esvaiu assim que a vi saindo de casa abraçada a um cara de cabelos rosa escuro e entrando em um carro, tá aí o motivo de não responder nenhuma de minhas mensagens, minha única vontade era de socar a cara daquele homem que nunca havia visto na vida. Não consegui pensar em absolutamente nada a partir dali, só quis ir embora para evitar que minha noite acabe pior do que já está. 

 

 

{Sara on}

Ao entrar em casa me surpreendo novamente, realmente ainda não me acostumei com a nova cor de cabelo de Jungkookie, ficou incrivelmente bonito, tanto que as vezes perco o foco quando estamos conversando. 

Desde que me aproximei de Jimin, nossa amizade não continuou como antes, provavelmente Kookie percebeu que eu estou completamente perdida por Jimin e simplesmente se afastou, afinal, não tivemos nada além de sexo casual e uma amizade fiel quando precisávamos. 

 

- Vamos noona. Preciso comprar algumas coisas. 

- Onde?

- Só vamos!

- Okay. - segui o garoto e fomos até o mercado 24 horas. Ele começou a pegar milhares de besteiras nas prateleiras e jogar dentro do carrinho. - Está tudo bem Jungkook? 

- Sim. 

- Jungkookie. - Parei na frente do garoto. - Você não está bem... 

- Noona, podemos falar sobre isso depois? 

- Está bem... - dei um sorriso acolhedor para meu maknae que me retribuiu fraco, eu sabia que não estava nada bem. Peguei alguns petiscos salgados e chocolate, ao colocar tudo no carrinho recebo um sorriso mais sincero de meu garoto que não parece nada ingênuo com esse cabelo. 

 

Chegando em casa, estranhei o fato de não ter ninguém, isso é muito raro, ainda mais porque Namjoon e Yoongi são mais caseiros que os outros, provavelmente devem ter saído juntos, já que hoje é sexta-feira.

Jungkook não falou mais nada desde que chegou, apenas pegou algumas besteiras e foi para seu quarto, sei que algo não está certo, ele não é assim, então peguei minhas coisas e fui atrás. Me deparei com um Jungkook que realmente não conhecia, o garoto chorava em sua cama como uma criança que perde a mãe no mercado, sem pensar duas vezes corri para acolhê-lo em meu colo. 

 

- Calma... Eu estou aqui. - digo depositando um beijo em sua cabeça. 

- Esse é o problema noona... Você sempre está aqui. - falou a última frase baixinho. 

- Não estou entendendo Kookie.

- Não é nada... eu só preciso de um tempo. 

- Por favor, não faça isso, eu estou aqui com você pra o que você precisar. 

- Você não pode me dar o que eu preciso noona.

- Do que você está falando Jungkook? 

- De você noona. Você não pode ser minha, esse é o problema! 

- Kookie, eu... - minhas palavras morreram exatamente porque não sabia o que falar.

- Não é só isso, é um conjunto de fatores... 

- Então me conta. 

 

O garoto respirou fundo por varias vezes e enfim suas lágrimas foram parando de escorrer pelo rosto. 

 

- Noona, me desculpe por isso. 

- Não precisa se desculpar... Mas se quiser alguém pra conversar eu estou aqui. 

- Eu quero que você esteja aqui.

- Então me fala o que está acontecendo. - suspirou e começou a falar. 

- Estou passando por alguns problemas de família, meu pai nunca foi de se importar comigo e agora parece que de uma hora pra outra resolveu se intrometer. Isso vem me chateando muito. 

 

A partir daquelas palavras, entendi o quanto Jungkook é sensível e o motivo de às vezes ele ser tão carente. 

 

- Me desculpe encher você com essas coisas, noona. 

- Kookie, eu estou aqui porque quero estar, mesmo que você não quisesse eu iria continuar aqui. - pensei por alguns segundos antes de falar. - Já sei, vem comigo. Não esqueça das coisas que compramos! 

 

Peguei as chaves do carro e todas as besteiras que havia comprado. Antes de sair resolvo dar uma olhada no celular, já que fazia algum tempo desde que olhei, acabei me assustando com a quantidade de ligações perdidas e mensagens de Jimin. 

 

{kakaotalk}

Jimin • 

“Sara, preciso conversar com você.”

“Você está em casa?”

(21:30)

“Bom, de qualquer forma estou indo aí.” 

(22:23)

 

Então ele veio aqui? Que horas foi isso, eu nem sequer lembro de ter ouvido a campainha tocar.

Vendo todo esse desespero, acabei ficando preocupada e resolvi ligar de uma vez para Jimin. 

 

- Alô? - diz com a voz fraca. 

- Jiminie! Está tudo bem? Me desculpe, só vi as mensagens agora. 

- É eu percebi... Estava ocupada não é...

- Sim, estava com Jungkookie. O que aconteceu? Você está bem? 

- Jungkook é?... - disse em tom duvidoso. - Eu estou bem sim, e sobre isso, deixa pra lá, não era nada. - disse frio. 

- Jimin-ah, eu te conheço. O que aconteceu? 

- Não foi nada de importante, pode continuar o que estava fazendo. Amanhã nos falamos. 

- Não fique bravo comigo, Kookie precisa de mim hoje... 

- Por que está dizendo que está com Jungkook quando não está? Não precisa mentir pra mim.

- Não estou mentindo Jiminie, estou com Jungkookie agora mesmo. 

- Tá bom Sara, olha só, depois a gente se fala. 

- Okay. Tchau.

 

Filho da puta! Desligou sem nem ao menos se despedir, certeza de que tem algo errado. Mas melhor deixar pra lá por enquanto, afinal, Kookie precisa de mim. Ou será que deveria ir atrás do emburradinho? 

 

- Quem era? 

- Jiminie. 

- Ah... Claro. - bufou. 

- Kookie, é impressão minha, ou você tem algum problema com Jimin? 

- Problema nenhum. Só odeio o fato dele ter te tirado de mim... Então na verdade eu tenho sim.

- Ele não me tirou de você, pare de ser dramático. 

 

Ficou quieto depois de minha última frase, acho que peguei um pouco pesado, mas agora já foi. Dirigi até o haneul Park, lá tem uma vista incrível da cidade de cima do morro, da ate pra ver a ponte Banpo e o rio Han, a noite está agradável então acho que foi uma boa escolha. 

 

- Por que me trouxe aqui? 

- Eu gosto de observar coisas bonitas quando estou triste, achei que faria você se sentir melhor também... 

- Você é muito fofa, noona. Obrigado. 

- Eu quero ver você bem. 

- Eu ficarei. 

 

Observamos por longos minutos aquela bela paisagem, essa cidade fica linda de noite, mas não chega nem aos pés da minha amada Los Angeles. Isso me fez lembrar da última vez que estive na placa de Hollywood com Jackson, sinto muita falta dele, mesmo cercada de “amigos”.

 

- No que você está pensando? 

- Na minha antiga cidade... Fazia algo parecido quando precisava pensar. E você? 

- Em como você fica linda distraída assim, queria ter uma câmera agora... 

- Jungkookie pare, eu... 

- Eu já sei! Você gosta do Jimin. Eu não me importo. - Me interrompe e diz olhando para o horizonte. 

- O que? Eu não gosto do Jimin! -  ri soprano. 

- É claro que gosta. Tá na cara! Mas eu não me importo, quero que você seja feliz com quem você quiser. - eu não sabia mais o que dizer, apenas continuei observando o horizonte. - Eu vou começar a desabafar agora, já avisando que se você dormir eu vou jogar coca na sua cara. - soltou seu sorrisinho de coelho. 

- Okay, prometo que não vou! - abri alguns petiscos e começamos a comer.

- Minha omma faleceu quando eu ainda era muito pequeno, desde então passei a ter que viver com meu pai, que é um verdadeiro bosta, bebia mais do que respirava, me tratava mal e me lembro de varias vezes em que ele agrediu minha mãe quando era viva, foi uma infância bem dolorosa e na adolescência foi muito pior, cada dia que passava era uma humilhação diferente, e aí, conforme eu fui crescendo vi que não precisava mais passar por tudo aquilo. Yoongi era meu vizinho, nos tornamos próximos por Yoongi ter invadido minha casa algumas vezes pra evitar que meu appa me matasse de tanta pancada, nos tornamos tão próximos que ele quis me tirar daquela situação, foi então que ele vendeu a casa antiga e com a ajuda de um seguro que minha omma deixou compramos a casa onde moramos. Essa é minha história até agora... 

- Yoongi é um bom homem...

- Bom, agora parece que o bosta do meu pai descobriu sobre esse seguro que eu peguei, como ele não sabe quanto eu consegui na época, está achando que eu estou bem de vida por causa dessa grana e agora quer porque quer se aproximar de mim, como se todo o sofrimento que eu passei não fosse nada. 

- É isso que pessoas ruins fazem, se aproveitam das outras. 

- O pior é que o filho da puta está morrendo, e eu como o trouxa que sou não sei o que fazer, se ajudar estarei sendo ingênuo e sei que ele só quer me usar, agora se eu não ajudar e ele morrer vai pesar minha consciência de não ter ajudado. Apesar de tudo ele ainda continua sendo meu pai. 

- Kookie, eu realmente não sei o que te dizer pra ajudar. É uma escolha muito difícil e você não tem muito tempo pra pensar...

- Por favor não fale sobre isso com mais ninguém, apenas o Yoongi sabe de tudo. 

- Eu não vou falar, pode confiar em mim.

- Eu sei que posso... E me desculpe por dizer aquelas coisas, estava de cabeça quente e acabei não pensando direito. 

- Está tudo bem. Eu só quero que se sinta melhor.

 

Passamos um bom tempo por lá, observando e falando besteiras, nos damos muito bem como amigos apesar de tudo. Sei muito bem sobre a “queda” que Jungkookie tem por mim, não é como se eu pudesse fazer algo pra mudar isso, mas me sinto mal do mesmo jeito.

 


Notas Finais


Obrigada por lerem!
Me desculpe qualquer erro, se tiver por favor me avisem.
Beijos e até o próximo capítulo! 🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...