História Dangerous (hiatus) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Visualizações 116
Palavras 3.679
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha quem voltou!
Não me matem, matem a internet que escolheu não funcionar ( por três lindas semanas)

Boa leitura.

Capítulo 4 - I'm not Savannah


Fanfic / Fanfiction Dangerous (hiatus) - Capítulo 4 - I'm not Savannah

8 de dezembro de 2014, Toronto - Canadá, 7:53 AM

 

Pov. Alana Evans

 

Abri os olhos bruscamente pelo barulho alto de alguma coisa batendo. Olhei em volta e vi Freya voltando do banheiro para o colchão dela, mas todas as meninas já haviam acordado com o baralho que possívelmente ela fez ao fechar a porta do banheiro.

Meu corpo estava pesado pelo fato de todas nós termos ido dormir mais de quatro horas da manhã. Me levantei e mesmo com sono, sorri pelo fato de que o banheiro estava livre, peguei as mesmas roupas que cheguei aqui, ou seja, o vestido preto da festa e entrei para tomar banho. Não levei mais de dez minutos já que haviam as outras lá fora, e diferente da vadia mor, lê-se Freya eu tinha consciência que todas precisavam usar o banheiro.

- Foi esperta em entrar no banheiro primeiro Alana! - Scarlett disse quando me viu sair do banheiro e logo entrou pelo fato de que ela era a primeira da fila.

- Sophie, tem alguma escova de cabelo por aqui? - ela ascentiu e apontou para uma em cima de um colchão.

Fui em direção a escova, porém uma mão a pegou primeiro e eu subi meu olhar para a pessoa que pegou, e dei de cara com Freya me olhando ironicamente, querendo arrumar briga provavelmente.

- Será que você poderia me dar a escova? - pedi esticando minha mão e Freya sorriu para mim.

- Eu até poderia. - ela esticou a escova e quando eu fui pegar ela puxou devolta para ela - Mais eu não quero, lindinha! - ela disse ironica e virou as costas.

- Vagabunda! - eu disse alto para ela escutar.

- O que disse? - ela se virou para mim e eu ri chamando atenção das meninas que estavam na fila para o banheiro.

- Olha fofa, desde que eu cheguei aqui, essa já é a segunda vez que você me pergunta o que eu disse. - parei e voltei a falar - Será que você ta ficando surda ou só ta se fazendo? - ela me fulminou com o olhar e eu revirei os olhos.

- Vadia! - ele praticamente gritou e eu mantive meu sorriso no rosto, já era isso que fazia ela perder a paciência.

- Já perdi as contas de quantas vezes me chamaram disso e eu provei que não sou uma igual a você! - ela perdeu a paciência e veio para cima de mim puxando meu cabelo.

- FREYA! - uma garota gritou e saiu correndo tentando tirar ela de cima de mim.

- Me solta garota, me solta! - eu gritei e puxei o cabelo dela também, nessa hora vi Scarlett sair do banheiro e arregalar os olhos vindo tentar nos separar.

- Ou você solta ela Freya, ou eu grito até um dos meninos aparecerem e você for castigada! - ouvi a voz da Scarlett e logo em seguida Freya me soltou.

- Que gritaria foi essa aqui? - a porta se abriu revelando o Chris olhando todo o quarto e parando o olhar sobre eu e Freya.

- A culpa foi dela Chris! - Freya apontou para mim e o Chris me olhou.

- Primeiro que para todas vocês, meu nome é Christian! - soltei um riso baixo - E segundo que eu não perguntei de quem era a culpa, e sim que gritaria era essa! - Freya abaixou a cabeça com as palavras do Christian - E por último, Alana vem comigo. - ele deu espaço para mim passar e quando eu saí ele fechou a porta começando a rir.

- Essa garota é uma vadia! - ele gargalhou com o que eu disse e eu o olhei - Ta rindo do que?

- De você. - ele disse e foi parando de rir aos poucos - Que o Justin não desconfie que nós somos amigos! - ele balançou a cabeça.

- Não somos amigos Christian! - ele me olhou confuso - Você esperava mesmo que eu, ficasse amiga de um dos sequestradores que me trouxeram para esse lugar? - apontei ao redor e vi a fisionomia do Chris mudar.

- Eu não - eu interrompi a fala dele.

- Não interessa! - levantei meu dedo - Você estava junto e me obrigou a vir para cá, então não se iluda achando que só porque eu falo com você significa que somos amigos. - ele abaixou a cabeça - Não somos amigos, ninguém de vocês são meus amigos, eu nunca vou perdoar o que vocês fizeram, nunca! - eu disse convicta e ele assentiu indicando para mim entrar de volta para o quarto.

- Avise elas que mais tarde eu volto. - assenti e me virei entrando no quarto e escutando o barulho da porta se fechando atrás de mim.

- Aposto que você tomou uma bronca daquelas fofinha. - Freya disse sorrindo assim que me viu - Se você fosse inteligente não brincaria comigo! - ela piscou.

- Seja inteligente você Freya e não mexa comigo, você não me conhece! - enfrentei ela e Scarlett se levantou ficando do meu lado encarando Freya.

- Sem mais brigas meninas, demos sorte de foi o Chris que pegou a briga de vocês! - ouvi a voz de Sophie - Se fosse o Justin ou qualquer outro dos meninos seria castigo na certa pra vocês! - eu dei as costas para Freya e me sentei no meu colchão.

Eu sairia daquele lugar, com toda a certeza!

 

 

 

 

 

 

 

 

- Uma atrás da outra na fila garotas! - Chris gritou entrando no quarto e nós nos levantamos seguindo a ordem dele.

- Não somos crianças Christian! - eu disse revirando os olhos e ouvi ele bufar e murmurar um "abusada".

Seguimos até a boate, onde ficamos ontem e vimos cerca de dez sacolas de lojas de roupas. Havia também uma garota de cabelos longos lisos e magra parada perto das sacolas.

- Cait! - Freya foi na direção da menina que colocou a mão na frente impedindo Freya de abraçar ela.

- Fica onde você está Freya! - ela apontou e eu segurei a risada - E para você meu nome é Caitlin, pode chamar até de senhorita Beadles, assim você aprende o seu lugar. - a tal Caitlin disse e virou as costas.

- Caitlin precisa de ajuda? - o Chris disse e ela ascentiu.

- Por favor maninho. - ela riu e eu olhei para o Chris percebendo que os dois se pareciam.

- Caitlin já disse para você não me chamar assim. - ele murmurou irritado mexendo nas sacolas e ela ignorou.

- Certo, façam uma fila para pegar as suas novos roupas! - Caitlin gritou e todos obdeceram o que ela disse, exceto por mim.

- Alana vem para a fila! - Scarlett sussurou e eu ignorei.

- Me dá cobertura. - ela me olhou confusa - Deixa, eu vou sair daqui sozinha! - fui em direção a porta, antes olhando para ver se não tinha ninguém me vendo, mas no meio do caminho ouvi uma voz atrás de mim.

- Alana, volta para a fila! - o Chris mandou e eu abaixei a cabeça segurando minhas lágrimas por ter falhado novamente em sair daqui.

Voltei novamente para a fila e fiquei por último, depois de quase quinze minutos chegou minha vez.

- Você é nova aqui né? - Caitlin falou comigo e eu ascenti - Alana Evans certo? - ascenti novamente - Chaz falou de você. - a olhei surpresa.

- O Chaz? - foi a única coisa que eu disse e ela riu.

- Sim. - eu soltei um meio sorriso - Ele também disse que o Justin te obrigou a vir para cá e que você já tinha tentado fugir. Sem dúvidas você é uma pessoa importante para o Chaz! - abaixei a cabeça envergonhada.

- Só nos conhecemos há três dias. - disse com se isso fosse impossível.

- Não me surpreende que você chamou atenção dele. - ela disse me entregando uma sacola - Acho que essas servem em você! - ascenti .

- Obrigada Caitlin! - sorri e peguei a sacola, e saindo de lá.

- Alana! - ela gritou o meu nome e eu me virei - Vou te ajudar a sair daqui, sinto que acabei de conhecer a minha nova amiga. - eu ri e ela também - Até mais tarde, foi bom te conhecer! - acenei com a mão e fui até as escadas voltando para o quarto.

Sair daqui vai ser muito mais fácil do que eu pensei.

 

 

 

 

 

 

 

 

Desci do mini palco cansada e fui até o bar pedindo uma água para mim. Observei a pista de dança cheia e vi pessoas bêbadas, mas felizes, estavam se divertindo com seus amigos e sorrindo o tempo todo. Não sei porque mais aquilo me lembro de quando eu ia com a Ashley para algumas baladas de Las Vegas, lá sempre teriam as melhores baladas.

Uma lágrima solitária desceu pelo meu rosto e eu limpei tentando impedir que outras viessem e eu tivesse outra crise de choro, como das outras sete vezes nesses três dias.

- Por que uma menina tão bonita está chorando? - um menino parou na minha frente e eu tive a impressão de já o ter o visto.

- Coisas pessoais. - respondi seca.

- Só estava tentando ajudar, calma! - ele levantou as mãos em forma de rendimento e eu revirei os olhos - Sou Tyler! - ele esticou a mão.

- Sou Alana! - não apertei sua mão e ele ficou envergonhado puxando a mão de volta.

- Enfim aceita uma bebida? - ele falou chamou o barman.

- Está tentando me deixar bêbada? - perguntei e ele se sentou na cadeira ao meu lado.

- Talvez assim você me dê atenção! - ele riu e pediu duas doses de tequila para o barman.

- Bêbada ou não eu não vou te dar atenção. - disse seca e o garçom trouxe as doses de tequila.

- Adoro as difíceis! - ele passou a língua pelos lábios mais logo em seguida gargalhou.

- Você também vai adorar eu chutando o seu saco, se você se aproximar de mim com intenções ruins! - sorri irônica e ele negou com a cabeça.

- Você é engraçada. - ele disse e eu ri

- Talvez você me odeie quando me conhecer melhor. - pisquei para  o ele - Está fazendo o que por aqui? - eu perguntei mais percebi o quanto minha pergunta foi idiota - Ah deixa. - eu ri e ele também.

- Mais você não parece muito a vontade aqui! - eu o olhei - Quer dizer, não parece que você queria estar aqui! - ele explicou.

- Não queria mesmo! - fui direta - Mas eu trabalho aqui. - ele ascentiu sem graça - Não por muito tempo! - completei.

- Espera, eu te vi ontem! - eu o olhei confusa - Você deu um fora no meu amigo idiota. - me recordei dele com o ruivo idiota.

- Ah claro! - eu ri - Ele não está aqui não é? - ele negou e eu suspirei.

- Alana! - ouvi uma voz me chamando e eu me virei dando de cara com o Ryan - O Bieber está te chamando! - ascenti e olhei para o Tyler.

- Foi um prazer te conhecer Tyler, mas isso não significa que eu tenha ido com a sua cara! - me levantei da cadeira sobre o olhar dele e do Ryan.

- O prazer foi meu! - dei ombros e segui o Ryan até onde o Justin estava.

Do outro lado da boate havia uma escada e acima dela havia uma parede de vidro, não dava para ver o que havia lá dentro, porém aparentemente que estava lá dentro via toda a boate.

- Sobe as escadas, é a última porta do corredor! - ascenti e subi as escadas meia apreensiva - Alana! - eu o olhei - Nada deixa. - ele abaixou a cabeça.

Havia uma porta no fundo do corredor, porém antes dela havia outra do meu lado direito, por mais que eu estivesse curiosa me dirigi até a última.

- O que você quer comigo? - disse assim que abri a porta sem pedir licença assustando o Justin Bieber.

- Claro, eu te deixei entrar! - ele disse baixo - Quem era aquele com você lá embaixo? - ele perguntou voltando ao típico mau humor.

- E isso te interessa porque? - eu disse observando sua reação.

- Me interessa porque ele pode ser um policial disfarçado ou qualquer outra porra dessas coisas que iriam acabar comigo assim que você falasse uma palavra! - ele bateu os punhos na mesa e se levantou vindo até mim - Não banque a engraçadinha comigo Alana, você não me conhece! - ele disse com o rosto próximo a mim e com um olhar que eu estremeci. Senti um cheiro forte de bebidas saindo da sua boca assim que ele se aproximou e deduzi que ele estava bêbado.

- Eu já disse que você é um ladrãozinho de - foi interrompida.

- CALA A PORRA DA SUA BOCA, VADIA!  - me encolhi e tentei correr até a porta porém ele foi mais rápido e a trancou - Conte para alguém quem eu sou e o que acontece aqui e eu te mato em dois tempos me ouviu bem? - ele sorriu malvado e eu olhei em seus olhos os vendo vermelhos, possivelmente por conta de drogas também. Ótimo, ele bebeu e usou drogas.

- Me deixa sair por favor! - disse firme ele gargalhou.

- Não! - ele disse gargalhando e foi até a mesa dele pegando uma arma - Sabe Alana, quando seu pai sumiu e eu tive que te procurar eu fiquei com muita raiva de você, e meus planos era te matar na frente dele para ele aprender que com Justin Bieber não se brinca! - ele voltou até mim e mexeu nos meus cabelos - Mais assim que eu te vi eu não sei o que aconteceu que eu perdi a vontade de te matar!

Suspirei aliviada e ele passou a arma pelos meus cabelos fazendo minha barriga gelar, ele parecia outra pessoa naquele momento.

- Mais nada me impede de te fazer sofrer, como você está sofrendo agora! - ele disse e eu soltei algumas lágrimas.

- Porque você está fazendo isso comigo? - perguntei baixo - Tudo porque eu estava falando com aquele garoto? - ele ascentiu.

- Eu não vou deixar você me destruir só com algumas palavras para qualquer um! - ele riu - E também porque você tem o mesmo jeito dela! - ele destacou o "dela". - Não na aparência, mais no modo de ser.

- Ela quem? - eu perguntei baixo pelo medo ainda.

- Ela! - ele apontou para um porta retrato na mesa dele que havia a foto de uma garota loira com olhos azuis - Ela sofreu um acidente sabe. - ele gargalhou - E o culpado foi eu! - ele apontou para si mesmo e riu - Ela morreu há três anos. - os olhos vermelhos dele se encheram de lágrimas.

Eu havia sacado tudo, na data de hoje essa garota morreu há três anos atrás e ela era importante para o Justin, muito importante pelo modo que ele estava.

- Agora eu preciso descontar minha dor em alguém Alana! - ele gargalhou novamente - E como você tem o mesmo jeito dela, porque não ser você não é mesmo? - ele entortou o pescoço para o lado de um jeito estranho e me empurrou com força em cima de um sofá que havia ali perto.

- Não por favor! - eu comecei a chorar e ele veio para cima de mim puxando os meus cabelos.

- Sem chorar vadia! - ele empurrou minha cabeça fazendo a mesma bater no braço do sofá - Você quer que eu te foda com muita força ao ponto de você me implorar para eu parar ou te bater até você perder a consciência? - ele disse de um modo doentio e eu gritei - Pode gritar que aqui ninguém vai te ouvir garota! - me encolhi no sofá - Vamos tornar isso divertido para mim. 

Ele veio até mim e subiu o vestido curto que eu usava até minha cintura e eu tentei o empurrar chutando o mesmo.

- Por favor Justin me deixa ir embora! - eu chorava descontroladamente enquanto ele beijava minha intimidade por cima da minha calcinha de renda, não vou mentir, era prazeroso, mas eu não queria - Por favor Justin, eu te imploro, por favor! - senti os beijos pararem e ele olhou para mim confuso.

- Savannah? - ele disse e eu o olhei confusa mas o empurrei e levantei rapidamente arrumando meu vestido e me afastando dele - Eu sabia que você iria voltar para mim amor! - ele veio até mim e eu corri até atrás da mesa dele - Vem comigo amor! - ele sorria e chorava ao mesmo tempo.

Quando ele veio para perto de mim eu corri e joguei alguma coisa de vidro na direção dele que desviou e olhou confuso para mim.

- Fica longe de mim! - disse e peguei o porta retrato com a foto da garota loira e quando ele foi se aproximar de mim eu joguei nele e pegou no braço dele,  cortando o mesmo.

- Porque você está fazendo isso Savannah? - ele perguntou com a mão no braço.

- EU NÃO SOU A SAVANNAH! - gritei e ouvi batidas na porta.

- Justin? - ouvi a voz do Ryan - Justin que barulho são esses? - ele bateu no porta e eu corri na direção da porta desviando do Justin no chão.

- RYAN, ME AJUDA RYAN! - bati na porta e a maçaneta foi forçada.

- O que está acontecendo? - ryan perguntou e eu soltei um grito agudo quando o Justin pegou a arma e apontou para mim e logo em seguida foi ouvido um baque contra a porta, olhei para o Justin que estava gargalhando - Abre a porta porra! - o Ryan gritou do lado de fora.

- Vai fugir de mim denovo Savannah? - ele veio até mim em passos rápidos - Que coisa feia amor! - ele estava transtornado me confundindo com essa tal Savannah.

- Eu já falei que eu não sou a Savannah! - ele encheu os olhos de lágrimas - Ela morreu Justin, você mesmo disse isso! - ele abaixou no chão e colocou a mão no ouvido.

- Eu não quero ouvir! NÃO! - ele se balançava de um lado para o outro e eu o olhei com pena, ele precisa de ajuda.

- Maldita hora que eu insisti para ele colocar uma porta de ferro! - ouvi a voz do Ryan novamente - Alana fica calma! - ele gritou para mim.

- Tudo bem Ryan! - eu disse com a atenção voltada para o Justin, fui em sua direção e estiquei minha mão para ele que me olhou confuso - Você precisa de ajuda. - ele negou com a cabeça.

- Eu vi ela, a Savannah estava aqui! - ele disse e eu me a abaixei na altura dele e estiquei minha mão novamente.

- Vamos sair daqui? - eu disse tentando manter a calma, até porque ainda estava com medo dele.

Ele apenas me olhou meio desnorteado ainda e não disse nada, eu tinha medo do que ele poderia fazer.

 

 

 

 

 

 

 

 

- Ryan - ele me olhou e correu na minha direção me abraçando de súbito e eu soltei a mão do Justin que estava atrás de mim.

- Oh meu Deus Alana! - ele me largou quando percebeu o que estava fazendo - Eu deveria saber que isso iria acontecer e não ter te chamado. - ascenti e olhei para trás vendo o Justin parado nos olhando de um jeito diferente.

- Desculpa! - ele disse de cabeça baixa e eu ascenti novamente, mesmo sabendo que ele não viu.

- Tudo bem Justin! - disse mais para ele do que para mim.

Ele simplesmente virou as costas e saiu deixando eu e o Ryan lá parados.

- Ele te machucou? - ele perguntou e eu neguei suspirando - Então eu vou atrás dele! - concordei com a cabeça e ele foi atrás do Justin

Suspirei e resolvi voltar para o quarto, mas no meio do caminho ouvi uma voz atrás de mim e me virei vendo Caitlin.

- Alana! - a olhei - O que aconteceu?- ele perguntou confusa

- O Justin Bieber aconteceu! - derrubei algumas lágrimas e ela veio até mim.

- Ele te fez algum mal? - ela perguntou segurando as minhas mãos.

- Não, mas tentou Caitlin. - abaixei a cabeça e ele pareceu chocada.

- Não acredito! - Caitlin disse olhando para o nada.

Eu me sentia meia suja por ter sido quase "abusada" por ele, mas eu sempre perdoei muito rápido as pessoas, só não sei se isso era uma coisa boa ou ruim. O Justin precisava de ajuda, eu o odiava ainda mais depois de hoje, muito mais, mas ele é um ser humano e eu não poderia ser injusta. Claro que eu teria todo o direito de o odiar e ver ele morto, isso é o que eu quero, porém eu não quero que ele sofra agora, não agora.

- Ele precisa de ajuda! - ela ascentiu e eu resolvi matar minha dúvida - Caitlin, quem é a Savannah? - ela negou com a cabeça.

- Ela é simplesmente o motivo do Justin ter um desses surtos toda semana, ou a toda lembrança que ele tem dela! - ela explicou mais eu ainda fiquei confusa - Conversamos outro dia Lana. - ela me abraçou brevemente e saiu me deixando sozinha parada no meio do corredor.

Voltei para o quarto e me joguei no meu colchão querendo dormir e esqueçer tudo o que houve nessa noite.


Notas Finais


Heyy, espero que vocês tenham gostado!!!
Tenho alguns capítulos prontos, então Dangerous será atualizada mais rápido!.
Deixe nos comentários o que vocês acharam, okay anjos!?
Amo vocês, espero que tenham gostado.
Não esqueçam de deixar sua opinião..
Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...