1. Spirit Fanfics >
  2. Dangerous Game 2 >
  3. A sweet bitter gift

História Dangerous Game 2 - Capítulo 18


Escrita por: DKAraujo

Capítulo 18 - A sweet bitter gift


Fanfic / Fanfiction Dangerous Game 2 - Capítulo 18 - A sweet bitter gift

Levanto da cama em um pulo alarmado.

Por que Miley está aqui? Aconteceu algo com Justin?

Saio do meu quarto descalça e descabelada, então meus batimentos cardíacos se acalmam quando chego a sala e vejo a loira com várias sacolas espalhadas pelo chão.

— Ari! — Miley exclama feliz quando me avista.

Eu abro um sorriso sincero, andando até ela com meus braços erguidos e lhe dou um abraço cheio de saudade.

— Oi, Miley. Aconteceu alguma coisa? — Não posso deixar de perguntar quando ela me solta e eu começo a prender meu cabelo em um coque mal feito.

A loira me dá um olhar ofendido, mas então joga as mãos para o alto, dando uma risadinha alta.

— Claro que aconteceu. Eu vou ter um sobrinho. — Ela diz se virando de costas para mim e andando até as várias sacolas no chão. — Eu queria fazer compras com você, mas não me aguentei e saí comprando tudo que eu vi pela frente.

Coloco minhas mãos na minha cintura, observando com admiração as marcas nas sacolas que ela comprou. Realmente parecem ser muitas coisas.

Dou um suspiro admirado quando ela começa a tirar pequenas coisas das sacolas e me derreto com cada presente que a mulher trouxe.

 

— Quando você for decorar o quarto do bebê me chama, eu quero ajudar com tudo.

Miley e eu estamos sentadas no sofá da sala, conversando animadamente. A euforia dela passou para mim e seus presentes me fizeram querer sair e comprar coisas o mais rápido possível, me fizeram querer saber logo o sexo do bebê também, para ter certeza do que comprar.

Victoria se retirou para seu quarto, na intenção de me deixar mais à vontade com minha ex-cunhada. A essa altura do campeonato, me questiono se Justin disse a ela que nos separamos e se lhe contou o motivo.

— Pode ter certeza que vou ligar para você sim. — Digo, sinceramente, de repente querendo começar todos os preparativos logo.

— Você vai fazer isso no apartamento de Justin, não é? — Miley sugere. — Quer dizer, sei que aqui é sua casa, mas é um pouco pequeno para uma criança. O apartamento de Justin é muito mais espaçoso que o antigo duplex que ele morava. Bebês precisam de espaço e se ele puxar para Justin, vai ter tanta energia que você não vai aguentar.

Sinto meu sorriso começar a murchar.

Ainda não havia pensado nisso, mas agora que a loira disse, ela está certa, eu preciso pensar onde farei o quarto do meu filho. Talvez eu precise comprar uma casa nova para nós, ou conversar com Justin sobre a possibilidade de fazer o quarto do nosso filho lá.

— Ah, eu sinto muito. — A mulher sentada de frente para mim diz pesadamente, ao ver a tristeza em meus olhos. — Justin me disse que as coisas entre vocês estão complicadas, mas eu sei que tudo irá se acertar.

— Então você falou recentemente com ele? — Questiono, como quem não quer nada, cutucando as cotículas da minha unha, por algum motivo com medo da sua resposta.

Miley contém um suspiro, mordendo o lábio inferior, claramente com receio de me contar algo. Arregalo meus olhos esperançosamente, desejando que ela me conte a verdade, independente de qual seja ela.

— Sim, na verdade ele foi na casa dos nossos pais hoje. Levou Melanie para que eles pudessem vê-la.

— Justin levou Melanie na casa de seus pais?! — Não consigo conter o choque ao saber disso.

Miley parece totalmente arrependida ao ver minha expressão de dor.

Não sei se Miley pensa que isso significa que ele fez sua escolha. Tipo, Melanie é quem ele quer agora?

Provavelmente sim, considerando que a última mulher que ele levou a casa dos pais fui eu e a seriedade que tinha a nossa relação.

— Ari, eu sinto muito, acho que eu não deveria ter contado isso. — Miley levanta-se do sofá, andando pela sala nervosamente. — Ele apenas apareceu lá e eu soube que havia algo de errado, quando ele apareceu com a ex dele e contou uma história maluca sobre como ela está viva.

— Ele contou a verdade a vocês? — Eu também me levanto, gesticulando nervosamente. — Miley, isso era segredo e pode colocá-la em risco, pois tudo está ocorrendo sobre segredo de justiça.

Isso a faz parar, com a expressão ainda mais nervosa.

— Justin pode ser preso por isso? — Ela anda em minha direção. — Ai, meu Deus.

— Não, eu não permitiria algo assim acontecer. — Tento acalma-la, mas meu interior está mais nervoso do que aparenta. — Mas ele não poderia fazer isso ainda, até porque tudo está muito recente.

— Eu sei disso e por isso vim até aqui. Eu sei que foi você quem terminou tudo por ele está confuso, mas é normal Jus ficar assim Ari, afinal é tudo muito improvável e ter a ex de volta está mexendo com a cabeça dele, mas meu irmão ama você e o filho que vão ter.

Minha mão vai para minha barriga, pousando sobre ela de modo protetor.

— Se isso fosse verdade, ele teria aparecido quando passei mal ontem e liguei para contar a ele. — Meu tom saí mais amargurado que eu pensava, deixando clara toda minha chateação por isso.

— Você passou mal? O que aconteceu? O bebê está bem?

— Sim. — Assinto quase contra vontade. — Nós estamos bem e não quero que conte a seu irmão isso, se ele se preocupasse teria retornado minhas ligações, mas estava ocupado demais brincando de passado com Melanie. E eu sei porque veio aqui defende-lo, ele é seu irmão e é seu instinto fazer isso, mas eu não sou idiota, sei o que está acontecendo aqui e não vou me permitir ser feita de boba.

Miley me encara com pesar, claramente imaginando que estragou a felicidade de seus presentes por ter me dito isso, mas eu abro o sorriso mais forçado que consigo, tentando mostrar que está tudo bem comigo, mesmo que eu me sinta destruída por dentro.

— Vamos falar sobre os possíveis nomes do bebê.

 

Provavelmente estou dando uma de fofoqueira por ir até o prédio Tribeca contar a Shawn que Justin levou Melanie para passear, mesmo com todos os perigos, mas não me importo de ser vista assim, afinal meu oficial precisa saber o que está acontecendo.

— Sim, eu já sabia sobre isso. — Shawn afirma, para minha surpresa. — Melanie fez o pedido para sair dias antes e eles foram com toda a proteção possível.

— Mas eu achei que isso não fosse possível, afinal é perigoso demais sair agora. — Argumento, franzindo meu cenho para meu chefe, incapaz de acreditar que ele concordou com isso.

— Sim, mas Melanie estava sufocada em ficar naquele apartamento e achei que não faria mal sair por algumas horas, afinal você e seus amigos também fizeram algo parecido essa semana.

O moreno me alfineta ao meu lembrar que também pedi permissão para Court e Alfie saírem e comemorarmos, mas apesar de saber que estou errada, não estou afim de perder essa luta.

— Me desculpe se estou sendo inconveniente, mas imaginei que depois das suas visitas intimas a Melanie, você fosse ter ciúmes de saber o que ela está fazendo com o ex por aí.

Shawn me encara com cuidado, analisando minhas palavras e o tom que usei. Sei que ele não gostou, pela forma que cerra sua mandíbula, antes de pousar as mãos sobre a própria mesa, apertando a madeira com força e deixando as juntas de seus dedos largos, brancos.

— Ariana, essa informação que você veio me dá foi para o bem da missão, ou por causa de seus ciúmes? — Seu tom é suave como um tapa em luva de camurça e ao não ter qualquer resposta minha, ele ergue as mãos e se encosta na poltrona. — Foi o que eu pensei.

— Por que ultimamente você tem agido como se todas as informações que eu lhe dou não valessem de nada? — Apelo para meu lado dramático, na intenção de ter uma boa reação da sua parte.

— Porque as informações que você me dá são baseadas em seus sentimentos e não para o bem da missão. Você quer que eu faça algo para afastar Melanie de Justin, mas o que eu poderia fazer?

Prendê-la. Mordo minha língua para não responder isso, pois sei que seria repreendida mais uma vez.

— Achei que agir por instintos fosse uma coisa boa para você.

— Ari, não tente confundir minha cabeça, nem me jogar contra uma pessoa inocente. Seus instintos geralmente são valiosos, mas nesse momento estão afetados por seus ciúmes e talvez pelos hormônios da gravidez.

— Eu vou provar a vocês que estou certa, não importa o que eu tenha que fazer para isso. — Sussurro suavemente, fazendo-o erguer as sobrancelhas grossas em resposta.

 

Sentada ao redor da mesa de jantar do apartamento em que meus amigos estão, respiro profundamente, tentando focar nas palavras deles.

Alfie é quem fala agora, sobre algo que não consigo prestar atenção, pois estou focada em analisar seus traços. Ele é bonito e eu soube disso no instante em que o vi pela primeira vez, mas a verdade é que nunca senti atração física pelo mesmo até agora.

— Você está me encarando estranho. — Alfie diz, interrompendo-se do que estava falando.

Abro um sorriso predador na direção dele. Não faz tanto tempo que flertei com alguém, então me lembro de todos os passos.

Sorrir, piscar lentamente e mexer no cabelo e no próprio corpo, para chamar atenção para mim em pontos estratégicos.

— Estou imaginando o que aconteceria se você tentasse me beijar de novo.

Alfie entreabre a boca surpreso e ao meu lado Court começa a tossir escandalosamente, engasgada com o suco que estava bebendo.

A ignoro, com os olhos ainda presos no homem, que se inclina sobre a mesa para bater nas costas da irmã.

— Você tentou beijar ela?! — Court exclama, quando finalmente recupera a compostura.

— Sim, mas eu havia bebido. — Alfie, que está surpreso e nervoso demais com minha pergunta tenta olhar para todos os lados, menos para mim.

— Não me diga que só tentou me beijar por isso. — Digo, como se estivesse ofendida e ele finalmente pousa o olhar em mim.

Os olhos de Alfie parecem mais escuros, quando ele os estreita em minha direção, procurando por algo que não sei o que é. Sustento minha postura ousada, sabendo que por mais que tivéssemos flertes inocentes por meio de olhares e sorrisos, o homem não imaginou que eu serei tão direta em algum momento, ainda mais depois de afastá-lo e sair correndo na noite em que ele tentou me beijar.

— Você sabe que não. — Ele finalmente diz, sinceramente, e uma sombra de sorriso pousa em seus lábios.

Espero meu interior se agitar com o sorriso dele da mesma forma que acontece com Justin, mas nada acontece. Apesar de querer sentir algo por Alfie, me sinto fria como gelo diante de seu olhar, mas sei que poderia gostar dele de outra forma se me esforçasse por isso.

— Alfie, acho que estou ouvindo seu celular tocar. — Court obriga o irmão a tirar os olhos de mim, quase contra vontade.

— Não estou ouvindo nada. — Alfie dá de ombros, de forma indiferente.

— Eu tenho certeza que seu celular está tocando. — Court insiste e há algo em seu tom que o faz se levantar da mesa e sair sem dá qualquer outra olhada em minha direção. No instante em que ficamos sozinha, a mulher ao meu lado agarra meu braço fortemente, fazendo-me virar a cabeça para encará-la. — Não flerte com meu irmão.

Pisco inocentemente para ela, na intenção de fazer que não sei do que ela está falando, mas seu aperto em meu braço realmente me incomoda.

— Não diga que não estava fazendo isso. — Ela tira a mão de mim, já deduzindo o que eu iria falar e adota uma careta irritada. A morena não parece nada feliz. — Não flerte com meu irmão apenas porque está com raiva de seu ex.

— Eu não flertei com ele por isso.

— Foi sim, isso está claro no seu olhar. Eu não vou permitir que faça isso, Ariana. Não vou deixar que use Alfie assim, estou falando sério. — Court nunca falou tão duramente comigo e por um momento me lembro do tom que ela usa para falar com Melanie.

Suspiro fortemente, sabendo que sua dedução está certa e eu flertei com Alfie apenas por estar confusa e querer parar de ter sentimentos por Justin, apesar de ser inútil.

Por um momento culpa e vergonha tomam conta de mim, mas mesmo quando levo minhas mãos a minha cabeça, o olhar dela não se suaviza.

— Eu sei que isso pode parecer ruim, mas talvez...

Minha fala é interrompida quando ouvimos uma risada feminina ecoar pela sala, seguida por uma risada masculina que eu conheço bem.

Congelo quando percebo que Melanie e Justin estão vindo em direção a cozinha e me blindo para o que vou ver a seguir, sentindo um turbilhão de emoções borbulhar dentro de mim, mas sabiamente me apego a apenas uma delas.

Raiva é tudo que eu preciso para me segurar agora. Não tristeza, decepção ou o que for, apenas raiva na sua mais pura e simples forma.

Melanie e Justin estão falando sobre algo do passado quando entram e percebem nossa presença no local.

— Não sabia que vocês estavam aqui. — É a primeira coisa que Melanie fala, direcionada a Court.

— Eu moro aqui. — A morena ao meu lado responde, claramente ainda irritada pelo que acabei de fazer.

Melanie percebe que Court não está a fim de conversar e se vira para pegar algo na geladeira, ignorando minha presença. Justin, que parou na porta, está com os olhos em mim, fazendo uma análise minuciosa, já que faz alguns dias que nos vimos.

— Miley disse que iria visitar você. — Ele diz, claramente tentando puxar assunto e não querendo me ignorar como a mulher que está acompanhando.

Apenas assinto uma vez, sem querer ter qualquer assunto, pois sei que se abrir a boca, nessa situação, vou explodir e não quero gastar minhas forças com isso.

— Espero que ela também tenha dito que Ari passou mal e teve que ir ao hospital. — Court continua a disparar sua irritação em qualquer um e dessa vez parece funcionar, pois Justin dá um passo em minha direção.

— O que aconteceu? — Sua preocupação só me deixa ainda mais irritada.

— Você saberia se atendesse o celular. — Meu tom é quase inaudível, mas sei que toda minha fúria fica clara mesmo assim.

Justin ergue uma das mãos e a passa no cabelo, com uma emoção no rosto que não sei identificar.

— Eu sinto muito, andei um pouco ocupado. — É tudo que ele diz.

Sua desculpa idiota me faz prender o ar e virar o rosto. Não consigo continuar encarando-o, não quando tudo que quero fazer é socá-lo, ou me jogar nos braços dele, não sei bem.

Melanie pega algo na geladeira e o chama de forma doce. Justin continua parado por mais alguns segundos e eu ignoro a sensação de ter seus olhos em mim.

— Ari, eu sinto muito.

Suas desculpas não adiantam de nada agora.

— Apenas a deixe em paz. Ela tem a gente. — Court me defende, fazendo-me questionar se a irritação dela comigo passou.

Justin murmura algo em resposta a ela, mas acaba acompanhando Melanie para fora da cozinha.

Quando finalmente estou sozinha com minha amiga de novo, respiro novamente, puxando o ar dolorosamente.

Court coloca sua mão em mim de novo, dessa vez em minhas costas e da forma protetora que estou acostumada.

Eu respiro profundamente, virando a cabeça para encará-la por cima dos ombros e então coloco para fora o desejo que sinto desde o dia em que vi Melanie e Justin saírem do quarto dela juntos.

— Eu preciso soltar Scooter e acabar com isso de uma vez.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...