1. Spirit Fanfics >
  2. Dangerous Life ( again ) >
  3. Preciso de ajuda!

História Dangerous Life ( again ) - Capítulo 73


Escrita por: Eumarc_limma

Capítulo 73 - Preciso de ajuda!


Fanfic / Fanfiction Dangerous Life ( again ) - Capítulo 73 - Preciso de ajuda!

 

Levi-...

Eren-... L-Lee, eu... O-Olha, é que... E-Eu vim aqui pra-... - ele mesmo percebeu que estava se perdendo nas próprias palavras... Então respirou fundo para se acalmar um pouco e pôde continuar - ... Lee... eu... Eu vim aqui porque... Eu queria muito te ver...

Levi-...

Eren- Eu sinto tanto a sua falta, eu não aguentava mais ficar sem saber como você Estava... Eu... Eu também queria... p-pedir desculpas a você...

Levi-...

Eren- Por tudo, aquela "brincadeira" idiota que eu fiz, ter mentido pra você, não te ajudado a sair da igreja, ter sido egoísta, Tudo!... Lee, eu me arrependo de tudo... o-o que eu mais queria era... pedir desculpas a você, por tudo que eu-

Levi finalmente saiu do "transe" que estava, Ele LITERALMENTE não se importava mais com nada disso que Eren estava se desculpando, nada do que ele fez chegava aos pés do que viu e passou ontem no Gazebo, ele também sentia uma forte saudade de Eren e de todos, então não perdeu mais tempo para correr até ele e lhe dar o mais forte abraço que pôde.

Eren definitivamente não estava esperando essa reação. Imaginou que Levi ainda estava chateado com o que ele fez... Seja lá o que foi que aconteceu para ele perdoá-lo tão "rápido" e sem nem precisar ouvir todas as Desculpas dele o preocupava, mas não podia negar que ficou MUITO feliz ao receber esse abraço, cujo não demorou para retribuí-lo também. Eren praticamente ergueu Levi do chão já que era maior que ele, e teve a certeza que Levi o perdoou quando sentiu os braços dele o apertarem ainda mais, assim como as suas pernas que se fecharam em sua cintura com a mesma força.

*Agora beija pelo AMOR de Deus!*

Esse abraço durou cerca de 1, 2 minutos inteiros sem nenhum deles dizer nada, nenhum dos dois parecia querer desfazer o abraço... Levi estava realmente precisando de um desses, e Eren não era nem louco de interromper o gesto sendo que Levi não diminuía a força do abraço, mas eventualmente ( e infelizmente ) tiveram que parar.

Eren- Lee, Finalmente! E-Eu não tô acreditando que estou te vendo! - Disse transbordando de emoção, agora quem estava com os olhos levemente molhados era ele, e não Levi.

Levi- O-O que você tá fazendo aqui?! Quando você chegou?!

Eren- Já tem um tempinho, eu vim entregar as encomendas do Zeke. Na verdade eu vim no lugar da minha mã-... Lee! Minha mãe!

Levi- O-O que? O que houve?!

Eren- Você não tem NOÇÃO da saudade que ela sente de você! Ela disse que está ansiosa para você voltar, ela quer te ver, te abraçar e GARANTO que ela não vai mais te largar. Ela rezou tanto pra que você ficasse bem, que quer que você volte logo para nós, ela disse que ama muito você, Lee, que quer logo você de volta.

Levi até tentou ouvir tudo sem esboçar nenhuma reação que não fosse a cara de choro que fez, mas não conseguiu... Quando Eren disse que Carla o amava e queria vê-lo, não aguentou segurar as lágrimas que tinha tentado desde que viu Eren.

Eren-.... Lee, não chore... - sorriu enquanto segurava uma de suas mãos e usava a outra para secar suas lágrimas. - Você vai voltar logo.

Levi-... E-Eu senti tanta saudade de vocês... - Sorriu em meio as lágrimas. - Eu quero ver todos outra vez... eu quero sair daqui...

Eren-... Lee, aconteceu alguma coisa aqui nessa casa?... Quero dizer, fora tudo que já passou, sabe... Aconteceu algo com você nesses dias que ficou aqui?

Como estava segurando uma das mãos dele, conseguiu sentir ela tremer um pouco depois da pergunta. Como Levi era uma pessoa bem reservada, imaginou que "se" algo realmente aconteceu ele não iria dizer, mas não... Pra sua surpresa ele Confirmou ao fazer um pequeno "sim" com a cabeça.

Eren-...! O-O que?! O que houve?! O Zeke machucou você? Fez alguma coisa? - Conseguiu ver que Levi não parecia querer dizer as "palavras exatas", mas mesmo assim tentava.

Levi-... E-Ele.... M-Meu pai, Ele-...

Eren-...? Seu pai?... O que tem o seu pai?

Levi-... e-ele tá... m-morto... 

Eren-.... Lee... o-o seu pai morreu a anos... você sabia disso... - ficou confuso, mas Levi não tinha terminado de falar.

Levi- N-Não, Ele-... E-Ele tá aqui... 

Eren-..... como assim?

Levi-... N-No Gazebo... - agora foi ele quem segurou a mão de Eren com mais força - A-A c-cabeça dele... T-Tá no Gazebo... N-Num Armário!

Eren-...! Seu pa-... A-A cab-... O-O que?!

Levi- O Zeke guardou ela lá! Todo esse tempo, o meu pai ta-... M-Meu pai está...

Eren- C-Calma, Lee. Fica calmo... 

Levi- Como, Eren?! Eu vi pessoalmente ele lá dentro! Eu o vi bem na minha frente! Como eu vou me acalmar?!

A única solução que Eren encontrou foi abraçá-lo mais uma vez, dessa vez foi mais para tentar "contê-lo", pois não duvidava nada que Levi saísse quebrando tudo e pagasse caro por isso...

Eren- Lee, por favor... T-Tente pensar em qualquer outra coisa... N-No Ayun! Ele está muito ansioso para ver você! No Armin, Mikasa, todos sentem sua falta!

Levi- Não dá, Eren. Não dá!

Eren- N-Na minha mãe! Em como ela quer muito abraçar você... Em mim... Como eu estou muito arrependido do que eu fiz e... e estou disposto a fazer qualquer coisa para você me perdoar...

Aparentemente deu certo, isso pareceu distrair Levi um pouco... Ele o olhou nos olhos, ainda sem desfazer aquele abraço, vendo como Eren realmente estava arrependido de tudo, mesmo que não estivesse mais chateado com ele.

Levi-... Você ainda pensa nisso?

Eren- Todos os dias, o tempo todo. Eu esperei esse momento desde que você foi embora... Lee, eu sinto muito mesmo pelo que eu fiz, eu juro pela minha vida que nunca mais farei algo assim de novo, eu Juro! Eu faço qualquer coisa pra você me perdoar...

Para a surpresa de Eren, Levi sorriu... Estava esperando ele dar alguns motivos que seriam "difíceis" de superar para perdoá-lo, mas não... Ele disse:

Levi-... Eu sei que você não fez por maldade, Eren... Eu estava irritado na hora, magoado... Mas eu não odeio você... Eu não queria que ficasse se culpando esse tempo todo...

Eren-...

Levi-... Eu já te perdoei faz tempo... Eu só não pude te dizer antes, mas agora eu posso... Eu perdôo você, Eren.

Eren-..... é-é sério?

Levi- Sim, eu sei que você não fez por mal... Eu não estou mais chateado com você... eu perdôo você.

E mais uma vez Eren o abraçou com bastante força, dessa vez com direito a erguer seu corpo do chão e "girar" com ele, todo sorridente.

Eren- Lee, muito obrigado! Meu Deus, eu não acredito! Eu pensei que você não ia me perdoar! Eu tô muito feliz!

Levi- É, dá pra ver! Me põe no chão, Criatura!

Eren- Ah, hai! Hai! Gomenasai! - Se desculpou mas continuou sorrindo. Principalmente porque viu que Levi conseguiu "esquecer" o que viu naquele Gazebo no momento. Eventualmente ele se lembraria já que passava e/ou via aquele lugar o tempo todo, teria que aguentar isso sozinho por mais 2 dias, mas logo ele iria pra casa ( a sua no caso ) e tudo ficaria bem... Ou quase tudo.

Eren-... Lee, eu... tenho que te contar uma coisa...

Levi-... o que?... Não gosto quando você fica com essa cara, o que foi que aconteceu?

Eren- Olha, "tecnicamente" não aconteceu nada... mas... Eu acho que a minha mãe está com algum problema...

Levi-... O Que? Por Que?!

Eren- Bom, era ela quem devia ter vindo aqui trazer tudo aquilo alí atrás... Mas eu vim no lugar dela porque... Bom, quando eu fui contar que o nome dela foi sorteado, eu cheguei bem a tempo de segurá-la antes de "desmaiar"... Ela está muito exausta, acho que é porque estamos trabalhando em dobro agora, fora que não estamos tendo muito o que comer esses dias, ontem a gente jantou um pedaços de bolo...

Levi-...

Eren- Mas enfim, eu não sei se ela está doente ou "apenas" cansada, mas independente do que seja eu não deixei ela trabalhar hoje, disse para ela descansar o dia inteiro, talvez ela melhore mais tarde.... ou não...

Levi- Não diz uma coisa dessas, Carla é provavelmente a mulher mais forte que eu já conheci! Ela vai ficar bem, aquela mulher tem uma saúde de ferro.

Eren- Eu espero que esteja certo...

Levi- Eu sempre estou, né. - Brincou.

Eren- é, pior que é mesmo, haha.

Infelizmente Eren não pôde ficar muito tempo na mansão, ele não foi lá para "visitar" Levi exatamente ( Foi sim ), e sim para entregar as encomendas. Não pôde ficar muito tempo lá... Logo um dos dragões roxos foi atrás dele para mandá-lo embora... Pelo menos Levi pôde acompanhá-lo até o portão.

Levi- Cuida da sua mãe até eu voltar, ok? Não deixa ela ficar se esforçando.

Eren- Pode deixar, eu vou cuidar muito bem dela. - Disse assim que pegou sua espada de volta.

Tyler- Vai logo, eu tenho mais o que fazer...

Levi-... Eu posso abraçar o meu "primo" pelo menos? Me despedir?

Tyler-... hmf... Tá, vai logo então...

Eren realmente achou que seria só um abraço, o que já era motivo pra deixá-lo feliz, mas não foi "só" um abraço.

Levi-...  não se mexe... - falou bem baixinho só para ele escutar.

Eren não entendeu, mas obedeceu. Não viu o que era mas sentiu Levi colocar "algumas coisas" no bolso se sua roupa o mais discreto possível.

Levi- não deixe ninguém aqui ver...

Mais uma vez Eren ficou confuso, mas não fez perguntas... Na verdade ele também colocou uma coisa no bolso de Levi, só que foi tão discretamente que Levi nem percebeu.

Levi- Se cuida Eren, vê se não põe fogo na casa, ok?

Eren- Ei!

Tyler- Vá de uma vez!

Eren-... até mais, Lee... Te vejo em casa.

Levi- Tchau Eren... até...

Depois que Eren atravessou o portão, ainda olhou para trás antes dele se fechar, ele e Levi não tiraram os olhos um do outro, Levi ainda conseguiu ver Eren sorrir feito uma criancinha antes dele se fechar... Só depois disso foi que Levi colocou as mãos nos bolsos e sentiu que tinha uma coisinha lá dentro... Quando tirou-a de Lá ficou um pouco surpreso, era o bonequinho de palha que tinha feito para Ayun antes de ser obrigado a ficar nesse lugar... Achava que Eren já tinha entregado ao menino, mas não, ele lhe entregou para que ele mesmo fizesse isso assim que saísse dalí. Não conseguiu esconder um pequeno sorriso ao imaginar como seria entregar isso a Ayun, estava com muita saudade dele e de todos.

Tyler-... que brinquedinho mais escroto... - falou com um sorriso de deboche.

Levi não respondeu pra não ter mais problemas, faltava só 2 dias pra ele ir embora, não queria estender isso... Então só guardou o bonequinho de volta no bolso e saiu dalí, deixando Tyler falando com a parede praticamente. Ele viu e falou com Eren, ele o ajudou a "esquecer" por um momento o que viu naquele Gazebo, já era motivo para ele não querer estragar seu ânimo, era melhor ignorar Tyler, futuramente ele teria o que merecesse.

 

Nas montanhas, já a uma certa distância da mansão de Zeke, Eren se afastou um pouco para poder ver o que Levi tinha colocado em seu bolso e ninguém aparecer de repente e ver o que era.

Tinha mais em seu bolso, mas tirou apenas 4 coisas já que parecia ser tudo igual pelo "formato", e o que Levi colocou lá foram nada mais nada menos que Moedas de OURO! Antes de saírem da casa, Levi saiu de perto de Eren e Tyler para fazer "sabe-se lá o que" mas voltou depressa, e o que ele foi fazer? Literalmente pegar um pouco do dinheiro "de Zeke" que sabia onde ele guardava, não pegou o dinheiro que Eren trouxe agora porque os dragões roxos ainda iriam contar e veriam que estaria faltando muita coisa. Mas o que já estava "escondido" não importava.

*E se quiser pegar mais vai em frente, LEVA TUDO!*

Levi não pôde pegar muito, ao que parecia havia umas 16, 17 moedas em seu bolso, ninguém em Gusu estava conseguindo comida o suficiente, e só esse pouco podia ajudar todo mundo.

Eren já estava até imaginando o que faria, com esse dinheiro ele poderia comprar vários ingredientes, até mesmo ferramentas para ele mesmo caçar e colher alimentos, como o frio estava chegando e não eram todos que tinham "conforto" em casa e nem comida o suficiente, pois eles tinham que vender o que tinham para ter mais dinheiro e mais comida, então poderia fazer algo para todos. Tinham pessoas nas ruas que não tinham onde morar, o que comer, isso seria de grande ajuda para eles.

Eren-... obrigado, Levi. Muito obrigado.

.

Era quase 12:00, e como disse a sua mãe, antes de ir pra casa ele passou na feira para comprar tudo que sua mãe pediu. Não usou as moedas de ouro para isso, Primeiro porque já tinha outros planos para usá-las, segundo que ele literalmente ACABOU de voltar das montanhas, óbvio que todos iriam pensar que ele roubou o dinheiro... Tá que eles não iam ligar, poderiam até achar que foi muito bem feito ter feito isso já que o Dinheiro já foi roubado por Zeke, mas o problema mesmo eram os dragões roxos... Se um deles visse Eren estaria com grandes problemas.

MAAAS, como costumava fazer quase sempre, Eren agora levava algumas moedinhas a mais em seu bolso, moedas de bronze que ele, Ou dava para alguém na rua que claramente precisava, ou fazia o que estava fazendo agora... Que era comprar alguns tipos diferentes de alimentos como pães, frutas, biscoitos, até doces, guardava um de cada dentro de um tecido ( igual Odette fez pra ele antes ) e dava para um "grupinho" de pessoas na rua, seja um grupinho de 3 homens e duas mulheres, 1 mulher e 4 crianças, 1 homem e 3 crianças, etc... Não era sempre que ele podia fazer isso, mas dessa vez ele pôde. Não contou a ninguém sobre as moedas de ouro e o que faria com elas, não queria que os dragões roxos soubessem por acaso e o impedisse a.

Dessa vez o "grupinho" que encontrou perto de uma das tendas era composto por 1 homem, 1 mulher, 2 crianças e 1 bebê. Estavam todos sentados no chão com um pequeno chapéu de pescador, com uma uma única moeda de bronze dentro dele... as duas crianças estavam todas dormindo deitadas no colo do pai delas, o bebê estava nos braços da mãe, estava acordado enquanto a mãe quase caía no sono no ombro do namorado. Eren se aproximou deles sem fazer barulho para não acordar os garotinhos e se abaixou na frente deles.

Eren- olá... vocês estão com fome? - Perguntou baixinho.

O homem foi quem fez "sim" com a cabeça. Ele tinha uma cicatriz em sua boca que percorria até o meio da bochecha, ele foi um dos que ( no começo ) tentou "enfrentar" Zeke numa discussão, e como castigo ele teve a sua boca cortada por uma espada e hoje em dia não podia mais falar.

Eren- ... Não tem "muito" aqui, mas acho que deve ser o bastante para alimentar vocês hoje.

Como a mulher estava com os braços ocupados, foi o homem quem pegou o tecido com os pequenos alimentos sem acordar seus filhos, Além disso Eren ainda deixou duas moedas de bronze e uma de prata no chapéu na frente deles e retirou a capa preta que estava usando em seu ombro direito para cobrir as duas crianças.

Sarah- Muito Obrigada, Moço... Deus lhe pague. - Agradeu quase em lágrimas enquanto seu namorado sorria e "afirmava" com a cabeça já que não podia falar.

Eren sorriu para eles e para a pequena bebezinha no colo dela que, "por algum motivo", quis tentar agarrar o cabelo dele. Eren apertou bem de leve a sua bochecha gorduchinha enquanto a neném sorria e mostrava seu único dentinho na boca.

Eren se despediu deles e se levantou depois de pegar de volta a sua cesta de compras, o frio estava quase chegando e ele iria precisar daquela capa? Iria, mas seria mais útil para eles. Por mais que a situação em sua casa não fosse uma das melhores, pelo menos ele ainda tinha uma casa, ele, Levi e sua mãe conseguiam dinheiro o suficiente pelo menos para não serem expulsos de lá.

Não muito longe dalí, uma senhorinha passou por ele com uma cesta no braço, cheia de rosas vermelhas e brancas, mas a festa estava lotada, então praticamente ninguém comprou nada dela... E mesmo assim ela sorriu para Eren quando passou por ele. Não lhe ofereceu nenhum Rosa porque viu a cesta "cheia" de compras dele, então não devia ter dinheiro... Mas se enganou.

Eren- Com licença. - Voltou até ela e parou na sua frente. - Que rosas lindas. Quanto custam?

Olga- faço uma de cada por uma moeda de bronze pra você, meu rapaz.

Eren sorriu enquanto ela lhe entregava uma flor branca e uma vermelha. Mas não entregou o dinheiro na mão dela, apenas piscou um dos olhos enquanto tirava uma moeda de OURO do bolso discretamente e colocou no meio das rosas na cesta, a senhora ficou bastante surpresa mas não fez nenhum "alarme" já que claramente ninguém deveria ter visto aquilo, ela apenas agradeceu com um sorriso bem fofo.

Assim que ia se despedir dela, Eren podia jurar que viu um garotinho correndo lá na frente no meio das pessoas, só que de TODAS as crianças de Gusu, o único garoto que usava uma fita vermelha na testa como se fosse um dos Ackermans era o Ayun, e podia jurar que viu o menino correndo mas estava chorando.

Eren-...? E-Eu tenho que ir. Tenha um bom dia. - Se despediu bem depressa da senhora e foi correndo até a rua em que viu Ayun, que era justamente onde ficava o mural dos nomes sorteados e a estátua ridícula de Zeke.

Tinha muitas pessoas na rua hoje, então foi meio difícil ver pra onde ele foi. Mas pouco depois de chegar lá, Mikasa surgiu no meio das pessoas também e quase trombou com Eren enquanto corria também.

Mikasa- Eren?!

Eren- Ué, você tá aqui?! Achei que o Ayun estava sozinho.

Mikasa- Você viu ele?! 

Eren- Bom, vi, mas eu o perdi de vista. Ele parecia estar chorando, o que aconteceu?

Mikasa-... esse garoto... - suspirou, mas não parecia irritada - Misaki ainda não sabe ler direito e não sabe os dias da semana e como funciona os meses... Então todos os dias ele me pergunta quando o "Lee" vai voltar por mais que eu diga "daqui a 12 dias, 5 dias, 3 dias"... 

Eren-... tá, mas... por que ele estava chorando?

Mikasa- Foi culpa minha, eu estava comprando algumas frutas com ele e mais uma vez ele ficou me implorando pra ir visitar o Lee, ele está com muita saudade... Mas eu respondi de um jeito meio grosso... Eu disse que o Lee ainda não voltou e quanto mais ele continuasse irritante desse jeito mais tempo iria demorar pra ele chegar...

Eren-.... ah...

Mikasa- Eu não quis que parecesse que o Lee não viria por achar ele irritante, eu só quis dizer que se ele ficar pensando nisso o tempo todo, mais devagar o tempo iria passar. Ele entendeu errado e saiu de perto de mim já chorando.

Eren-... eu entendo.

Mikasa- Melhor eu ir atrás dele, antes que se perca.

Eren- Espera aí, eu vou te ajudar.

Mikasa- Não, Eren. Você tem mais o que fazer, ele é meu irmão, minha responsabilidade.

Eren- Responsabilidade de todos nós, Ayun é como um irmãozinho pra mim e pro Lee também. Eu te ajudo a procurar, sem problema.

Mikasa-.... valeu, Eren.

Eren- Sem problema. Bom, eu vi ele indo por alí... Você procura na esquerda e eu vou pela direita, tá bom? 

Mikasa- Ok, muito obrigada.

Os dois amigos se despediram com um aceno de cabeça e cada um correu para em lado, ambos segurando suas cestas com as compras e as espadas nas costas, Eren e Mikasa não tinham a MENOR idéia de onde o garoto estava, por isso tinham que correr muito! 

.

Eren- AYUN?! - Gritou mas nem ouviu o garoto, não tinha a menor idéia de onde ele pudesse estar. - ... AYUN!!!

Eren já não estava mais no vilarejo, não estava MUITO afastado também, do local na floresta que estava dava pra ver perfeitamente as casas lá no fundo, uns 5 minutos de caminhada até chegar lá praticamente.

Ele e Mikasa foram nas únicas duas ruas que o garoto pudesse ter ido, o vilarejo não era TÃO grande assim... Porém, o caminho da esquerda dava acesso a outras duas ruas, já o caminho que Eren foi dava logo em uma das pontes que dava acesso a floresta, e como não achou Ayun no caminho então das duas uma... Ou ele foi pro lado de Mikasa, ou ele foi pra floresta.

Bom, Eren teve a certeza que ele foi por esse caminho quando encontrou a fita vermelha que ele usava na testa presa em alguns mini galhos de um arbusto alto, definitivamente Ayun passou por alí.

Eren-... AYUN!!! CADÊ VOCÊ?!

Não teve uma resposta física, mas após alguns minutos de busca, conseguiu ouvir claramente o choro "baixo" de uma criança vindo de trás de uma das árvores. Conforme foi se aproximando o som ficava mais alto, até finalmente caminhar sob as raízes de uma árvore bem alta e ver Ayun sentado no chão, abraçando suas pernas enquanto chorava todo encolhidinho.

Eren-...! Ayun! Graças a Deus eu te encontrei! - Correu até o menino e se ajoelhou na sua frente, deixando sua cesta no chão logo ao lado. Ergueu ambas as suas mãos até o rosto do menino e o segurou gentilmente para olhá-lo nos olhos - Você está bem? Tá machucado? 

Ayun- ahnn... ungh... E-Eren-S-San... - Soluçou enquanto Eren secava suas lágrimas.

Eren- Calma, calma... Tô aqui, tá tudo bem agora.

Ayun- snif... E-Eren-San... unghh... L-Lee-San... M-Me o-odeiah?

Eren-...?! O que?! Mas é claro que não! De onde você tirou isso?!

Ayun- snif... E-Eu contei pra ele... ungh... N-No buraco... V-Você podia s-sair... - Se referia ao dia em que Eren quis esconder de Levi que podia pular aquela altura do buraco na igreja e ele praticamente falou em alto e bom som que ele podia sair sim - L-Lee-San... t-triste e B-Bravo... snif... Foi embora, s-sem se despedir...

Eren-...

Ayun- Eren-San... snif... - tentou segurar suas pequenas lágrimas mas não conseguiu mais, logo cobriu o rosto com as mãozinhas quando voltou a chorar - Lee-San não vai voltar! E-Ele com raiva de mim!

Eren- Não, Ayun... Não é nada disso... - acariciou o cabelo do menino, que estava levemente arrepiado já que teve a fita arrancada de sua cabeça pelos arbustos - O Lee não foi embora por sua culpa, ele tinha que ir de qualquer jeito... Mas ele não foi pra sempre, baixinho. Ele vai voltar logo.

Ayun- Snif... O-Onee-Chan Sempre f-fala isso... M-Mas ele n-nunca chega!

Eren- Ayun, olha... Eu garanto que o Lee não está bravo e nem triste com você, aquele cara gosta MUITO de você, ele e sua irmã fariam qualquer coisa por você, todos nós faríamos.

Ayun- Snif...

Eren- Olha só, eu não podia contar porque era um segredo... Mas quando o Lee-San voltar ele tem uma surpresinha pra você.

Ayun-... o que?

Eren- Não vou dizer o que é... Mas eu posso garantir que você vai gostar muito. Você só precisa ter paciência.

Ayun-... snif... E-Ele tá demorando muito... E-Eu quero ver o Lee-San... eu tô com saudade... - secou rapidamente as lágrimas que voltaram a cair.

Eren- Falta pouco tempo, baixinho... Daqui a dois dias ele vai vir. Você sabe o que são 2 dias?

Ayun-... hmhm... - negou com a cabeça.

Eren- bom... Olhe essas duas pedras aqui. - Disse pegando três e colocando na frente dele.

Ayun-...?

Eren- Vamos fingir que essa pedra é o dia de hoje, ok? Hoje já está acontecendo, então podemos jogar essa pedra fora... Ficaram duas.

Ayun-...

Eren- Fique com elas. Amanhã, quando der esse mesmo horário, ou a hora do almoço. Você vai pegar uma dessas pedras e vai jogá-la fora também. Vai ser como se mais um dia tivesse acabado. E então você ficará com uma única pedra, e fará a mesma coisa no dia seguinte. No dia que você jogar a última pedra fora será o dia que o Lee-San vai voltar. Acho que ele virá Durante o dia, mas pode vir durante a noite também.

Ayun prestou atenção em cada detalhe como se a vida dele dependesse disso, sua concentração era tanta que ele até parou de chorar apesar do seu rosto ainda estar um pouco molhado pelas lágrimas. Pareceu entender Perfeitamente tudo que Eren disse.

Eren- E Ayun... Não fique perguntando a sua irmã quando o Lee-San vai voltar, tá bem? Sua irmã fica ocupada o dia inteiro, não é bom ficar respondendo a mesma coisa a cara 5 minutos, tá? E não entenda errado, sua irmã não quis dizer que o Lee-San foi embora por sua causa, ela só está cansada, por favor não fique magoado com ela, tá bem?

Ayun-... tá bem, Eren-San...

Eren- é isso aí, garoto... Ah, acho que isso aqui é seu. - Sorriu ao tirar a fita dele de dentro do cesto e ele mesmo a amarrou de volta em sua testa.

Ayun- Obrigado, Eren-San. - Voltou com o seu sorrisinho de rotina, primeira parte missão, cumprida, Eren Conseguiu animá-lo.

Eren- Vamos voltar, sua irmã deve estar subindo pelas paredes atrás de você.

Os dois se levantaram, Eren deu alguns tapinhas na roupa do menino para limpar a sujeira e o pegou em um de seus braços enquanto segurava a cesta na outra mão. Ayun sempre ficava impressionado com o quão forte eles eram e vivia brincando com a força deles, se pendurando em seus braços, pedindo pra eles levantarem coisas aleatórias pra ver se aguentavam, bastante aleatório mesmo.

Porém, dessa vez ele não pôde fazer isso, pois depois de alguns minutos em que começaram a voltar para o vilarejo, viram Mikasa surgindo na ponte e correndo até eles. Como ela não encontrou o irmão em lugar nenhum das ruas que foi, naturalmente foi atrás de Eren para procurarem juntos, acabou vendo os dois quase saindo do meio de algumas árvores na floresta.

Mikasa- MISAKI! 

Eren- e chegou o dragão. - brincou mas falou bem baixinho só pro menino ouvir, era capaz de perder 4 dentes se ela escutasse.

Mikasa- Misaki! Você enlouqueceu?! - Pegou o irmãozinho no colo assim que alcançou os dois - Quantas vezes eu já disse pra não sair do meu lado?!

Ayun-... Gomenasai, Onee-Chan...

Mikasa- Seu pestinha, nunca mais me assusta desse jeito... - Murmurou já um pouco mais "calma" ao lhe dar um abraço. - Eren, muito obrigada...

Eren- Sem problema. Eu e o Ayun conversamos um pouquinho, ele já entendeu que você não quis falar com ele daquele jeito. Não se preocupe.

Mikasa- ... obrigada... Ayun, me desculpa, ok? 

Ayun- tudo bem, Onee-Chan. - deu um pequeno sorrisinho quando a abraçou com mais força.

Mikasa- Vamos, nós temos muita coisa pra fazer... Você também, Eren. Sei que está ocupado.

Eren- É, melhor eu ir mesmo. Bom, vejo vocês uma outra hora.

Ayun- Tchau, Eren-San.

Eren- Tchauzinho, Ayun. - apertou uma das bochechinhas do menino antes de sair correndo bem depressa em direção a sua casa, dessa vez não foi pelas ruas de Gusu, preferiu correr na parte de trás das casas, dessa forma era mais rápido já que não tinha quase ninguém pra bloquear a passagem, chegaria em casa bem mais rápido por alí.

.

Dessa vez Eren não entrou pela porta da cozinha, como chegou lá pulando nas árvores foi direto para o telhado e já entrou pela janela do seu quarto.

Eren- Mãe! Já cheguei! - Gritou deixando sua espada no seu colchão e desceu para ir colocar a cesta na mesa.

Eren- Mãe? - Estranhou ela não ter respondido, ela tinha dito que não ia trabalhar hoje então pensou que ela podia estar no quarto dormindo, aí sua alma já foi até dar uma volta só de imaginar que poderia ter acordado ela.

Quando chegou na cozinha, já deu um longo suspiro quando viu alguns vestidos dobrados na mesa... Sua mãe obviamente não cumpriu a promessa de ficar descansando o dia todo e trabalhou nisso, mas não se surpreendeu na verdade, se ela tivesse obedecido é que seria estranho.

Foi até a mesa e deixou a cesta ao lado do vestido "aberto" na mesa, e assim que fez isso finalmente notou uma coisa agora que estava pertinho da mesa... Viu sua mãe no chão do outro lado da mesa.

Dessa vez Eren não gritou, QUERIA mas não gritou, ele tentou manter a calma ( que não adiantou lá muita coisa ) enquanto corria até ela.

Eren- Mãe?! Ei! Mãe, você tá me ouvindo?!

Carla-...

Eren- Mãe!

Dessa vez ela não acordou quando ele a chamou várias e várias vezes, mas ela visivelmente estava respirando e isso já era um alívio, mas seu rosto estava um pouco pálido, não tinha a menor idéia de quanto tempo ela ficou inconsciente, se foi agora, a alguns minutos, a HORAS! Não sabia, não tinha como saber.

Eren não sabia se Ricardo estava em casa ou nas montanhas, ele foi até lá mas não o viu, então não dava pra saber exatamente onde ele estava, só podia torcer para que estivesse o mais perto possível.

Antes de ir atrás dele, a primeira coisa que fez foi tirar sua mãe do chão e a deitou no sofá da sala. Sua mãe parecia estar com um pouco de febre mas não tanta, independente disso ele iria atrás de Ricardo de qualquer jeito.

Eren-... M-Mãe, eu preciso sair. Eu não vou demorar, aguenta só mais um pouco, tá bem?

Carla-...

Eren beijou o rosto dela bem carinhosamente, nem subiu para pegar sua espada pois não queria perder nem um Segundo. Só saiu de casa e correu, correu como se estivesse fugindo do inferno! Óbvio que as pessoas se assustavam quando ele passava igual um tiro por elas, mas não deu importância a isso agora.

Eren- Rick, por favor esteja em casa! Por favor esteja em casa!

.

Eren deu muita sorte em relação a Ricardo estar ou não em casa...

Na verdade, quando ele foi para as montanhas para ver Levi, no momento que andou pelo caminho da esquerda até os fundos da casa, Ricardo apareceu no caminho da direita LÁ do outro lado, não conversaram porque não se viram então ele apenas foi pra casa, e Eren foi apenas uns 10, no máximo 15 minutos depois dele.

Ricardo já estava em casa a pelo menos meia hora, tinha tomado um longo banho para tentar se animar um pouco... estava meio pra baixo por 2 motivos, o primeiro era que desde ontem de manhã ele começou a sentir pequenas dores em seu corpo, como pequenas agulhadinhas em seu ventre e hoje não melhorou nem um pouco... Segundo que, desde o dia em que falou a Charlie o que ele disse durante a noite em que dormiram juntos, Charlie não chegou mais perto dele... Não que necessariamente estava o evitando ( tava sim ) mas agora o via com BEM menos frequência do que antes... Tinha a impressão que ele parecia fugir toda vez que o via, e quando apareciam na frente um do outro em uma distância mais curta, Charlie parecia que tinha visto um fantasma e forçava um enorme sorriso visivelmente falso, dava bom dia bem depressa e saia de lá na hora, Ricardo nem conseguia responder o seu bom dia de tão depressa que ele saía correndo... Tudo bem que era compreensível Charlie estar extremamente tímidos já que admitiu uma coisa dessas, que Amava Ricardo praticamente desde que o conheceu... Mas ficar fugindo e não falar mais com ele? Geralmente Ricardo entenderia, daria o espaço que ele precisasse, não teria pressa... Mas "por algum motivo" isso o deixou levemente nervoso e um tanto quanto triste por não estar conversando mais com Charlie...

*"Algum motivo", né ( ͡ᵔ﹏ ͡ᵔ)*

No momento em que Rick saiu do banho, Eren ainda estava procurando por Ayun, então ele apenas fez um pouco de café para ele mesmo e se sentou na mesa com uma xícara, um prato com alguns biscoitos e 2 livros e um pergaminho... Um livro sobre medicina, que era o que estava lendo no momento, um sobre técnicas de combate corpo a corpo, e no pergaminho estava o seu "cronograma" para o dia de amanhã.

Enquanto lia o livro, ainda sentia aquelas mini agulhadinhas dentro dele e já estavam incomodando, os remédios que havia tomado não pareceram ajudar em nada... Estranhamente enquanto lia ele sentiu fome, normal, mas não quis comer os biscoitos que tinha pegado, por alguma razão sentia que podia acabar vomitando se comesse algum deles, se sentia levemente enjoado só de pensar em comer algo.

*Eepa (  ͡ᵔ 〰  ͡ᵔ)*

Quando estava prestes a fechar o livro e pegar o outro, ouviu fortes batidas na sua porta, levou um susto obviamente mas logo soube que era Eren ao ouvir sua voz.

Eren- RICK!!! RICARDO! EU PRECISO DA SUA AJUDA!

Ricardo- Eren? O que aconteceu? - Abriu a porta e conseguiu ver o desespero nos olhos dele.

Eren- Rick, É a minha mãe! Ela desmaiou outra vez! Eu cheguei em casa e encontrei ela no chão!

Ricardo nem fez mais perguntas, apenas pegou a sua bolsa que já estava bem alí do lado da porta e correu com Eren nas ruas, correram e correram o mais rápido que puderam, Ricardo esqueceu tudo que o incomodava nesse momento, só queria chegar logo na casa de Eren, que correndo devia ser a uns 6, 7 minutos dalí já que não morava na mesma "área" que ele. Só queria ajudar Carla com o que precisasse e descobrir qual era o problema dela...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...