1. Spirit Fanfics >
  2. Dangerous Love - Kim Taehyung ( imagine BTS) >
  3. Capítulo 51 - Encontro

História Dangerous Love - Kim Taehyung ( imagine BTS) - Capítulo 51


Escrita por:


Capítulo 51 - Capítulo 51 - Encontro


Fanfic / Fanfiction Dangerous Love - Kim Taehyung ( imagine BTS) - Capítulo 51 - Capítulo 51 - Encontro

Taaaaalvez eu poste mais um cap hoje. Maaaas espero que vocês gostem do Cap, eu achei ele muito fofo kskkk. 

▪️Taehyung PoV▪️

É hoje que eu conheço o "meu" filho, não nego que estou um pouco nervoso. Estou escovando os dentes agora, s/n está separando uma roupa para mim. Ela disse que eu tenho que ir com uma roupa mais "social", por que eu queria ir de terno.

O meu anjinho está tranquila em relação a esse assunto, eu achei que ela não ia gostar, mas ela parece que quer que eu esteja presente na vida dessa criança, e eu também acho certo.

- amor, pego a roupa? - saio do banheiro.

S/n: uhum, aqui oh. - ela me entrega uma calça jeans colada e uma blusa de manga comprida rosa, e eu fico olhando para roupa depois para ela. - o que? Essa calça te deixa com um bundão. - ela ri e eu olho surpreso. - vai dar tudo certo, amor, depois me conta como foi. - ela me dá um selinho e um tapa na minha bunda.

- você tá muito abusada, não acha não? - pergunto rindo da situação.

S/n: não. - ela sorri e sai do quarto.

- doidinha. - eu visto a roupa e me olho no espelho, a s/n tem razão. - Certo, ela tinha razão sim. Agora eu vou indo

Saio do quarto e vou saindo de casa antes disso cada um dos meninos me desejou boa sorte, eu vou andando para o café já que era bem perto daqui.

Passou alguns minutos e chego no café e entro no mesmo e vejo hyuna e uma garotinho, ele é tão pequeno e fofo, ele me lembra quando eu era mais novo.

Assim que hyuna me vê ela se ajeita na cadeira e ajeita o garoto ao seu lado, o garotinho continua lendo um livro infantil e a hyuna mexe em seu vestido.

- cheguei muito atrasado? - me sento na frente do garotinho.

Hy: não, Tae. Tudo bem? - ela sorri.

- sim. - o garotinho olha para mim. - como você se chama? - Sorrio para ele.

Hy: ele se cham- eu a corto.

- eu perguntei a ele. - faço uma cara feia para ela.

Do: eu me chamo Kim Doyoon. - ele fala tão baixo que parece um sussurro. - mamãe, quem é ele?

Hy: ele é o s- a corto novamente.

- sou seu pai. - ele me olha surpreso, mas abre um sorriso pequeno quadrado.

Hy: Sim... Ele é seu pai - sorri

Do: Sério? Que legal - ele diz um pouco animado - Qual é o seu nome?

- Kim taehyung - sorrio

Do: Seu sorriso é igual ao meu - ele sorri novamente.

- sim, ele é. - eu rio e ele vem me abraçar. - quer comer o que? Eu pago.

Do: eu quero brincar naquele parquinho. - ele aponta para uma área de brinquedo dentro da cafeteria.

Hy: você não pode. - ela olha brava para o garoto.

- pode ir sim, eu peço alguma coisa e você vem comer, okay? - ele sorri e sai dali.

Hy: o que você pensa que está fazendo? Ele vai sujar a roupa dele.

- dane-se é só uma roupa. Ele é uma criança, tem que brincar. - eu respiro fundo. - eu quero um teste de DNA.

Hy: o-o que? porque? A criança tem o mesmo sorriso que o seu, tem o seu jeito e você quer teste de DNA? - pergunta irritada.

- sim, é quero fazer hoje. - eu respiro fundo. - ou você está com medo?

Hy: que seja, esse filho é seu.- a garçonete vem até nós.

G: o que vão querer?

- um café, e um bolo de chocolate. - espero hyuna pedir algo. A garçonete sai.

Hy: você ainda está com aquela garota? - ri.

- estou, e estou muito bem. - me levanto e vou até meu filho. - eai, garotão, se divertindo muito?

Do: uhum, a mamãe não me deixa sair de casa. A não ser para ir a creche. - ele fala e pula nos meus braços me abraçando. - eu sempre quis te conhecer.

- fico feliz em saber. - me sento em sua frente. - como é viver com sua mãe?

Do: a mamãe não me deixou falar sobre isso. - ele colocou o dedo sobre a boca. - se não ela ia me bater. Shhh. - ele senta em minha frente. - a mamãe disse que era para eu chorar falando que vocês deveriam ficar juntos, mas eu acho isso errado. - ele cruza os braços fazendo bico.

- por que? - acaricio seus cabelos.

Do: não pode obrigar ninguém a amar o outro, é errado. - ele abaixa a cabeça.

- Você está certo. E sua mãe não vai fazer nada com você, eu prometo

Do: Jura juradinho? - ele levanta seu dedo mindinho

- Juro juradinho - levanto meu dedinho também e entrelaçamos eles

Do: Eu gostei muito de você, papai. Você é diferente da mamãe.

- porque diferente? - eu acaricio seu cabelo.

Do: se eu falar o que não pode ela me bate, ela me deixa sozinho com a tia phy, e não me dá muita atenção. - ele faz um biquinho.

- ela faz o que? - eu fico estático. - meu anjo, não se preocupe, okay? Vamos comer?

Do : vamoooooo! - ele ri e corre para a mesa se sentando ao meu lado.

Hy: senta aqui do meu lado, meu filho. - ela olha seria para ele.

Do: eu quero sentar do lado do papai. - ela olha friamente. - já vou.

- vai não, pode ficar aqui, eu quero você do meu lado. - beijo o topo de sua cabeça e me sento. - o que você gosta de fazer?

Do: gosto de ler, brincar, conversar com a tia phy e... Comer! - ele ri.

Hy: e ficar com a mamãe, né, filho? - ela dá um sorriso falso.

Do: é... - o garoto se encolhe na cadeira.

G: Aqui estão seus pedidos - a garçonete chega e trás nossa comida

- Obrigado - sorrio e ela sai

Hy: Então, taehyung. Você vai voltar para nós, não é?

- Você está louca? - rio

Hy: Como assim? DoYoon, meu amor. Fala para ele que ele tem que ficar com a gente - ela olha para ele

Do: Eu... Eu não acho isso certo... - ele fala baixo

Hy: Como é? - ela fala alterada

- Ei! Que isso? Ele é uma criança se acalma.- eu olho para ela a intimidando.

Hy: de-desculpe. - ela abaixa a cabeça.

- meu filho, quer dormir lá em casa hoje?- acaricio seus cabelos.

Do: m-mãe, eu posso? - ele pergunta de cabeça baixa.

Hy: pode. - ela sorri vitoriosa.

- meu filho, assim que você terminar de comer a gente precisa ir no médico tirar um pouco de sangue, okay? -

Do: hmmm, vai ter agulhas?

- vai sim, nem precisa se preocupar, papai vai estar lá e eu também tenho medo de agulhas. - ele ri.

Do: papai, eu não tenho medo de agulha. Mas se você tiver pode segurar minha mão, eu vou estar lá. - ele mostra seu sorriso quadrado.

- Eu vou segurar sua mão sim - sorrio - Pode comer agora

Um tempo se passa e deu minha de ir embora, eu até que gostei muito de passar um tempo com o DoYoon, eu senti uma ligação com ele

Hy: Tchau, meu filho. Até depois - ela acena

Do: Tchau, mamãe - ele acena também

- Vamos fazer os exames? - olho para ele

Do: Vamo sim - ele sorri.

O coloco no banco de trás do meu carro e coloco sinto nele. No caminho fomos cantando várias músicas. Ele tem um ótimo senso de humor.

Chegamos ao consultório e pelo fato do bambam trabalhar nele, deixaram nós passarmos na frente. Eu entro com DoYoon dentro do consultório e a enfermeira tira o sangue dele, ele fica calmo o tempo todo.

- Que garoto forte. - eu rio.

Do: sou forte que nem você, papai. - ele ri e eu me sento na cadeira.

Ao sentar na cadeira eu logo tremo, eu não menti na hora que eu disse que eu tinha medo de agulhas. A enfermeira se aproxima e eu sinto uma mãozinha segurando a minha. Se ele for meu filho ou não, eu irei cuidar dele de alguma forma. A enfermeira tira a agulha.

Do: você também foi forte, papai! - eu o pego e saio do cunsultorio.

Eu converso com a recepcionista e o resultado sai amanhã de manhã mesmo, passo meu número para eles me ligarem. Volto com doyoon para o carro e dou partida. Estamos quase chegando em casa.

Do: papai, meu olho tá coçando. Acho que estou com "Congengivite" - ele diz coçando olho, especialistas dizem que ele queria falar conjuntivite.

- AÉ? E qual o remédio para quem tem isso? - pergunto rindo fracamente.

Do: sorvete.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...