1. Spirit Fanfics >
  2. Dangerous Love >
  3. Capítulo 1

História Dangerous Love - Capítulo 1


Escrita por: ToiaAnonimic

Notas do Autor


Oi :)

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Dangerous Love - Capítulo 1 - Capítulo 1

Narrador Pov’s

Becos de Miami - Quarta-feira, 02h30min da manhã.

O tempo está nublado, as ruas deviam estar vazias, porém algumas pessoas estavam no lugar errado e na hora errada.

 Um homem caminha a passos largos até a vítima que no momento estava conversando com alguém em seu celular com um sorriso alegre em seus lábios. Um tiro. Duas testemunhas. Um assassino. Nenhum álibi. Ali naquele chão gelado encontrava-se morto Michael Jauregui, um bom pai, bom marido e um multimilionário.

Não muito longe dali, estava uma latina apavorada com o homicídio que acabará presenciando, a garota havia ligado para polícia e ambulância relatando o acontecido com sua voz tremula. Assim que o socorros havia chegado Camila, a garota latina, não pensou duas vezes em sair de cena e esquecer esse futuro pesadelo que aparecerão nas manchetes assim que o sol raiasse.

Algumas horas depois a família Fox-Jauregui está diante dos agentes criminal que coletavam dados do acontecimento com poucas pessoas que haviam estado por lá, no caso mulheres de programas ou meretrizes por assim dizer:

Lauren: Alguma novidade Sr. Nolan? Pergunta fria assim que o oficial para em sua frente.

O. Nolan: Infelizmente não. Solta um suspiro. – Ninguém viu nada e nenhuma das mulheres ligaram para nós. Afirma firme.

Lauren: E vocês não tem ideia de quem seja a pessoa? Não tem câmeras ou algo do tipo por aqui? Pergunta furiosa. Seu olhos transbordavam ódio, a pessoa que tirou a vida de seu pai pagaria da pior maneira possível. O assassino não havia matado só seu pai, mas sim um grande herói e um maravilhoso esposo, Lauren observava sua mãe de longe a mesma estava sendo amparada por sua irmã que tinha um olhar vago, mas tão frio quanto o seu.

O. Nolan: Não, procuramos ao redor e encontramos somente duas câmeras, porém nenhuma delas conseguiram mostrar o rosto do assassino. Responde firme.

Lauren: Façam o possível e o impossível para encontrar essa bastardo ou podem ter certeza que se eu o encontra-lo primeiro vocês só encontrarão sua carcaça. Sibila fria se afastando do policial indo até sua família.

Taylor: Alguma resposta? Pergunta séria ainda abraçando sua mãe que agora já não chorava mais.

Lauren: Não. Responde no mesmo tom. – As duas câmeras que tem não conseguiu focar na cara do atirador.

Taylor: E a pessoa que ligou para polícia? Eles a rastrearam? Questiona olhando diretamente para irmã.

Lauren: Disseram que a pessoa ligou por um orelhão e que será um tanto difícil de rastreá-la. Rosna fechando o punho. – São um bando de incompetentes, chamarei o Malik para resolver isso antes mesmo desses imbecis.

Taylor: Certo, vou levar mamãe para casa ela precisa descansar. Solta um suspiro e tem o assentir da irmã mais velha. – Qualquer coisa me liga. Pede séria.

Lauren: Pode deixar. Assegura. – Não se preocupe mãe, farei de tudo para encontrar esse desgraçado é uma promessa. Fala firme depositando um beijo em sua testa.

Clara: Só deixa a justiça ser feita. Pede com a voz embargada, porém com os olhos cheio de ódio.

Lauren: Com todo o prazer. Assente fria.

Não muito longe dali, estavam tanto o atirador como a testemunha observando o desenrolar do caso, Alec Olson andava nervosamente falando com seu chefe no celular garantindo que o trabalho estava feito, porém havia certas testemunhas que o mesmo não tinha previsto.

Já do outro lado da esquina bem afastada de todos, estava Camila Cabello olhando friamente para o assassino vulgo ex namorado de sua melhor amiga. Cabello sempre soube que o mesmo não prestava que toda essa situação poderia cair nos colo de sua melhor amiga assim que Olson percebesse na grande cagada em que se meteu. A latina resolveu voltar para casa do seus avós antes que a polícia resolvesse fazer uma varredura pela rua, mas com a grande dúvida entre contar tudo o que viu para a polícia ou esconder para si fingindo nunca dito estado ali.

Ao chegar em casa, fez questão de entrar nas pontas dos pés para não acordar seus avós que por seu azar sempre tiveram sono leve, a latina seguiu para o seu quarto com diversos pensamentos em sua mente decidindo tomar um banho na tentativa de afasta-los para então conseguir dormir. Após o banho, Camila saiu enrolada em sua toalha retornando para o quarto levando um pequeno susto ao ver seu avô sentando em sua cama com um olhar severo:

Afonso: Onde esteve? Pergunta sério medindo a neta de cima abaixo. Por mais que seus avós fossem pessoas frias e sem escrúpulos nenhum, os mesmo a defendiam e a protegia com unha e dentes.

Camila: Fui dar uma volta vovô. Responde rápido abaixando sua cabeça com medo de olhar nos olhos do homem e colocá-lo em sua confusão.

Afonso: São quase três da manhã Camila, fale a verdade. Ordena frio.

Camila: Fui observa-los de novo. Murmura envergonhada fazendo seu avô soltar um suspiro em desagrado. Em toda sua vida Camila Herrera Cabello foi cuidada por seus avós maternos, seus pais haviam lhe abandonado assim que souberam de sua condição, para Sinuhe Cabello e Alejandro Estrabão era um horror ter uma filha com o órgão genital masculino, com isso o dois haviam decido das a criança para adoção. Porém tanto Afonso como sua esposa Heloisa acharam um absurdo o que sua filha e genro estavam pretendendo fazer, com isso ambos acabaram adotando a própria neta e herdeira de toda fortuna Herrera-Cabello.

 Afonso: Achei que já tivesse superado isso ragazza. Fala sério. Assim que Cabello completou seus dezoito anos, seus avós decidiram contar a verdade sobre seus pais o que deixou a latina completamente arrasada. Desde o descobrimento sobre seus pais, Camila ia para perto da residência dos mesmos os observando de longe, ambos eram felizes com sua irmã mais velha que descobriu se chamar Sofia, a mesma morava em outro estado e vinha visitar os pais de vez em quando. Camila tinha uma certa inveja da irmã mais velha, a mesma era bem sucedida, tinha sua própria empresa, um casamento sólido e o amor de seus pais que Camila nunca teria. – Sinuhe e Alejandro não a merece querida, são pessoas sem coração que só vivem pelo dinheiro e ganância.

Camila: Eles estavam comemorando a gravidez de Sofia. Murmura olhando para um ponto fixo. – Ela terá uma menina. Sussurra limpando uma lágrima solitária que ousou escapar por seus olhos.

Afonso: Pare de se torturar dessa maneira Camila. Fala sério puxando a neta para um abraço reconfortante que não aguenta e acaba chorando em seu ombro. – Não deixe que eles te machuquem ragazza mia, ir vê-los como você faz lhe dará uma depressão profunda onde você não conseguirá mais voltar. Adverte temeroso.

Camila: Eu só queria que ao menos uma vez eles viessem saber como eu estou, se me tornei tão sucedida como Sofia ou se já formei uma família assim como ela. Fala com a voz embargada. – Mas pelo jeito isso nunca irá acontecer. Murmura limpando suas lágrimas. – Essa foi a última vez que eu os vi, não irei procurá-los novamente. Fala firme.

Afonso: É assim que se fala ragazza. Sorri contente. – Agora vai se trocar e descansar que amanhã no caso hoje, será um dia corrido. Anda até a porta. – Durma bem bambina. Deseja se retirando.

Camila: O senhor também nono. Sorri fraco e ele assente fechando a porta deixando-a sozinha novamente. Assim que seu avô foi embora, Camila vai até seu closet pegar um pijama para se vestir e acaba optando por sua cueca box preta e um blusão preto estampado. Já trocada de roupa, a latina se joga em sua cama e deixa a conversa com seu avô reforçar em sua mente. – Eu vou esquecer de vocês mama e papa, assim como vocês esqueceram de mim. É uma promessa. Murmura para si adormecendo logo em seguida.

Do outro lado da cidade...

Lauren: O que você descobriu? Pergunta para o homem a sua frente.

Xx: Eu peguei algumas imagens de todas as ruas e vi uma garota que passava por lá. Responde sério. – Ela presenciou tudo e chamou tanto a polícia como a ambulância, porém fugiu assim que ambas autoridades haviam chegado no local.

Lauren: Nomes Zayn eu trabalho com nomes. Pede fria enquanto tomava seu bom e velho whisky.

Zayn: Ainda não consegui o nome dela, mas já estou providenciando isso. Assegura firme.

Lauren: Trate de acha-la o mais rápido possível, até antes daqueles policiais inúteis. Ordena fria. – Só ela poderá me dar o assassino do meu pai. Olha para um retrato onde a mesma estava abraçada ao pai junto ao seus irmãos e sua mãe. – Eu lhe vingarei papai, pode ter certeza disso. Promete sombriamente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...